terça-feira, 13 de julho de 2021

“Jairzinho paz e amor”... Até que ponto?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Facebook - @alertatotal

Jair Bolsonaro não admite publicamente, mas já pressente que corre risco de não ser aprovada, pelo Congresso Nacional, a PEC 135 - que institui o voto impresso pela urna eletrônica, para “auditoria”. Por isso, na saída da reunião com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, o Presidente Bolsonaro antecipou que, se a novidade não passar no parlamento, vai defender “a contagem pública dos votos”: “Eu respeito o parlamento brasileiro. Nós vamos querer a contagem pública dos votos e isso já é lei. Isso já está garantido, a contagem pública dos votos”. O problema é que o Tribunal Superior Eleitoral já avisa que tal regra citada por Bolsonaro “não existe”. Portanto, parece longe de terminar a briga (ops, luta) pela transparência e segurança eleitoral.

 

Bolsonaro informou que pediu mais tempo ao TSE, que lhe cobrou que apresentasse provas de fraude nas eleições de 2018. O Presidente fez uma promessa: “Conversei com a pessoa que viria fazer a demonstração da fraude, mas ela está com covid. Se essa pessoa melhorar, eu faço a apresentação pra vocês”. Na saída do encontro com Fux, Bolsonaro brincou que estaria adotando o estilo “Jairzinho paz e amor” (uma ironia com o termo “Lula paz e amor”, usado na primeira campanha presidencial vitoriosa do poderoso chefão do PT, provável adversário direto em 2022). Bolsonaro também comentou que seu único problema com o TSE e o STF é o ministro Luís Roberto Barroso. O motivo: ele faz “ativismo legislativo, o que não é concebível”.

 

Aparentemente, pelo menos para efeito público de versão, o encontro entre Fux e Bolsonaro foi tranquilo. Em dois minutos de comunicado, Fux resumiu a reunião: “Eu desci aqui para dar satisfação à imprensa de que convidei o presidente da República para uma conversa diante dos últimos acontecimentos, onde debatemos quão importante para a democracia brasileira é o respeito às instituições, os limites impostos pela Constituição. O Presidente entendeu e se utilizou de um momento evangélico, ele gosta de orar diuturnamente o perdão, e ao final nós combinamos reunião entre os Três Poderes para fixarmos balizas sólidas para a democracia brasileira, tendo em vista a estabilidade do nosso regime político”.

 

Bolsonaro confirmou que foi ao STF atendendo ao convite de Fux: "Todas as vezes que isso foi feito nós viemos, assim como algumas vezes já convidei para conversar comigo também e discutimos a relação entre os dois poderes: Executivo e Judiciário. Reconhecemos que nós dois temos limites e esses limites são definidos pelas quatro linhas da Constituição". O Presidente acrescentou: “"Basicamente foi essa conversa, durou 20 minutos e estamos perfeitamente alinhados, respeitosos para com a Constituição e cada um se policiar dentro do seu poder, no tocante aos limites. Nós, do Poder Executivo, não pretendemos sair desses limites. Essa, basicamente, foi a linha de conversação com o senhor ministro, presidente Fux".

 

Em termos práticos, Bolsonaro foi ao STF cumprir o ritual de indicação de André Mendonça para a vaga aberta com a aposentadoria de Marco Aurélio de Mello. Bolsonaro já tinha antecipado o anúncio na quarta-feira passada. Tudo depois de uma outra conversa prévia com Fux. O Diário Oficial da União publica a decisão. Mendonça, que deixa a Advocacia-Geral da União, será sabatinado pelo Senado. Mas tudo será, como de costume, “pro forma”. O nome dele tem o apoio de vários ministros do STF, sobretudo seus amigos pessoais Gilmar Mendes e Dias Toffoli (que, não por coincidência, ocuparam cargos de Advogado-Geral da União nas gestões FHC e Lula, respectivamente).

 

O ponto “Altíssimo” da entrevista de Bolsonaro foi quando ele, de saco cheio com perguntas dos repórteres sobre os ataques a Barroso, puxou um “Pai Nosso”. Bolsonaro fez questão de frisar um trecho fundamental da oração: “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”. Orar faz parte do estilo “Jairzinho paz e amor” ao qual o Presidente se referiu. A dúvida é se o procedimento operacional resistirá ao próximo e previsível surto de (abuso de) autoridade do Poder Supremo.  

Vacinado? - Jair Bolsonaro comentou a suposta gravação feita pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) no alerta de pressões sobre pressões para a compra da vacina indiana Covaxin: “Qualquer denúncia de corrupção, eu tomo providência. Eu conversei com o Pazuello. ‘Pazuello, tem uma denúncia aqui do deputado Luiz Lima [sic] de que teria algo errado acontecendo, dá para dar uma olhada?’”. Bolsonaro acrescentou que Pazuello lhe disse que “não tinha nada de errado e que as providências estavam sendo tomadas”. De todo modo, a Polícia Federal abriu inquérito para investigar se o Presidente “prevaricou” no caso...



#3em1 Jorge Serrão: Melhor vacina contra a cleptocracia tupiniquim é a PFvac. Investigações da PF contra Bolsonaro são avanço no combate à corrupção no Brasil. Sociedade tem de fiscalizar diretamente a máquina pública. https://youtu.be/pmHtx_fQENg

 


#3em1 Cuba tem protestos por falta de alimento e remédios. Reflexões sobre a derrocada do comunismo e do socialismo na Ilha Perdida sob ditadura. É mais um capitulo do fracassado projeto de poder do Foro de São Paulo. https://youtu.be/NCZ5c7_rJnw

 

Dura ficção tupiniquim - Por Adrilles Jorge, no Twitter: “Um cantor que é flagrado em vídeo espancando uma mulher não só não vai preso como ainda processa quem o flagrou . Já um homem que faz um vídeo criticando o STF é preso em flagrante , sem direito a julgamento  , como agressor monstruoso . A justiça no Brasil NÃO EXISTE”.

 

Dura vida real - Por Agnaldo Silva, no Twitter: “Vê mais novela pra quê, me diz? Novela é apenas ficção! Já as novelas da vida real são de verdade e acontecem cada minuto na internet, com direito a comentários e cancelamentos de quem torce por um personagem ou outro. Um exemplo? Esse caso do DJ e sua bela esposa”.

 








Adquira, também, o livro A ÚLTIMA MARCHA DA MAÇONARIA.

Para maiores informações clique aqui:

https://www.amazon.com.br/s?k=A+ULTIMA+MARCHA+DA+MA%C3%87ONARIA&__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&ref=nb_sb_noss_2

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Flamenguista. Editor-chefe do Alerta Total. Comentarista Político da Rede Jovem Pan.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 13 de Julho de 2021.

4 comentários:

aparecido disse...

Já vi de tudo na vida.. mas um DJ "touro" batendo na mulher foi a primeira vez....

Anônimo disse...

O presidente Bolsonaro não precisa ser "paz e amor" com os homens (que gostam de briga e não se melindram com grosserias; não sabemos sobre a reação dos LGBTQIA+, porque muitas vezes eles interpretam papeis), mas com as mulheres, sem parecer condescendente com a inteligência feminina (por exemplo, com linguagem corporal de sorrisos e olhares para a plateia). Ele precisa olhar acima das situações criadas pelos jornalistas, parlamentares, magistrados e ONGueiros da esquerda para perceber a dupla mensagem: para dentro (de entendimento do presidente sobre a realidade que está sendo considerada nas perguntas e comentários para irritá-lo) e para fora (o que a população, que não conhece a totalidade dessa realidade, entende que está sendo dito, e que é a armadilha da esquerda para o presidente parecer autoritário e genocida). O presidente fez bem em pedir ajuda divina para conter sem temperamento, mas Deus o criou com essa característica para ser usada com inteligência, não abafada, sob pena de adoecer. A propósito, o risco inicial da Covid-19, criada pelos comunoglobalistas, é a dispneia, cuja causa psicológica é a pessoa não se sentir com direito de viver plenamente a vida; quer dizer, se os "comedores inúteis" ainda não estão se sentindo sem direito de viver no planeta "dazelite", eles disseminam uma doença para criar essa sensação.
A conversa sobre "cringe" é um artifício usado pelos comunoglobalistas todas as vezes que sentem que estão perdendo a batalha da comunicação para a informação alternativa, como recurso para isolar a influência das gerações anteriores sobre a nova, porque, conhecendo a realidade, poderiam abrir os olhos da nova geração sobre a novilíngua.
Se o recurso CAPTCHA exigir reconhecimento de imagens, muitas pessoas que não enxergam bem (como a comentarista Nutavael que escreve apenas com maiúsculas, ou quem tem cicatrizes na córnea) seriam impedidas de comentar, porque as imagens escuras ou pequenas sem contornos nítidos nos pixels da tela impedem seu correto reconhecimento.

Anônimo disse...

O SENHOR PRESIDENTE, JAIR BOLSONARO, VAI COLOCAR O BRASIL NO RUMO CERTO. QUEIRAM OU NÃO, OS QUE TORCEM CONTRA SEU GOVERNO.

Anônimo disse...

Está mais do que evidente a tentativa de fraudar as eleições. A minoria esquerdista não pensa em outra coisa. É obvio que o STF não libertou o Lula para morrer na praia. Vamos ver como o povo vai reagir.