segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Bolsonaro não pode cair no velho golpe do PT



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

“O principal objetivo do Marxismo Cultural é fazer do Ocidente um espaço tão corrupto quanto podre”. A confissão doutrinária, na década de 30 do século passado, foi de Willi Muenzenberg – um dos fundadores não muito badalados da famosa “Escola de Frankfurt”. Parece que o comuna Willi teve uma antevisão do Brasil na suposta Era Pós-PT. Acontece que a maior crise institucional da História ainda não dá sinais de que se resolverá sequer com o triunfo bolsonariano. O PT (ainda) não morreu...

O País corrompido e com as instituições apodrecidas (não apenas por força do marxismo cultural) vai urnas domingo que vem com a ilusão de que vai enterrar o Partido da Traição. Infelizmente, o objetivo não será cumprido. O PT segue moribundo, porém mais vivo que nunca. A Petelândia já está em ritmo de velório programado com a vitória de Jair Bolsonaro. No entanto, a aposta nazicomunopetralha é que o governo Bolsonaro vai falhar, e o PT, daqui a quatro anos ou antes, volta a tomar o poder – conforme apregoa o ideólogo José Dirceu de Oliveira e (soltinho da) Silva.

O Marxismo Cultural é uma ferramenta ideológica eficiente para a formação consistente de idiotas. Eles existem em grande quantidade e militam no Brasil. Tudo graças ao trabalho eficiente da dissonância cognitiva de esquerda no ensino, na mídia e na própria atividade política. A dissonância é a incoerência entre os valores que as pessoas professam e suas atitudes ou comportamentos. O comuno-socialismo, que vende promessas românticas irrealizáveis, é a expressão ululante da Dissonância Cognitiva.

Sob o comando e liderança do agora PRESOdentro Lula, com ocaso na gestão catastrófica da Dilma Rousseff, o PT vendeu o paraíso na terra, enquanto transformou o Brasil em um inferno. Agora, a patelândia prega e aposta que viveremos no purgatório, com tendência infernal, na futura gestão Bolsonaro. Malandramente, o PT já sabe que perdeu. Apenas quer vender bem cara a derrota programada. O “poste” Fernando Haddad apenas foi feito conscientemente de otário? Talvez...

A Petelândia promete trabalhar duro para que a gestão Bolsonaro seja marcada por crises políticas permanentes. A tática é fazer isso posando de vítima. Por isso, os nazicomunopetralhas torcem fervorosamente para que Bolsonaro promova a esperada “criminalização dos movimentos sociais”. Bolsonaro já avisou que usará sua força política para promover mudanças na lei para classificar MST, MSTU e afins como grupos “terroristas”. Eles sabem que são... Porém, desejam a oficialização legal do rótulo para continuarem posando de “vítimas da opressão estatal” e do “novo regime militar instituído pelo voto” em Bolsonaro.

A jogada do PT é manjadíssima. Será que Bolsonaro vai cair no novo-velho golpe do Partido dos Trabalhadores e assemelhados? A Petelândia deseja e está prontinha para o conflito “nós contra eles”. No discurso, Bolsonaro tem alimentado o clima de guerra e repressão (legal) contra a banda picareta da esquerda revolucionária. O “Mito” deveria repensar sua estratégia de lidar com os “mitomaníacos” (bandidos canalhas e mentirosos da extrema canhota).

O recomendável, no primeiro momento, é deixá-los falar sozinhos... Num segundo momento, Bolsonaro não precisa criar leis para reprimi-los. Basta estabelecer um pacto com prefeitos, governadores e com o Judiciário para que apenas cumpram as leis que já existem. Invasão de propriedade é crime. Manifestação pública violenta é crime.

O Presidente da República, que terá muito mais coisa importante a fazer, não deverá se comportar como um “Xerife Ideológico”. Se agir assim, Bolsonaro apenas dará margem à retórica de vitimização da esquerda. Candidato pode falar qualquer coisa. Presidente eleito expressivamente não tem “direito” a isso... Presidente não pode, nem deve, agir com a arrogância de um treinador de time de futebol... Por isso, é recomendável conter toda e qualquer truculência extremista, de esquerda e de direita.

A missão maior de Bolsonaro é a pacificação do Brasil – e não o acirramento da tensão social, como deseja a petelândia criminosa... Quem sobreviveu milagrosamente a uma facada tem sabedoria para não sair dando tiro e porrada, mesmo que amparado em Lei...

Bolsonaro tem de abrir o sorriso para governar serena e honestamente... É isso que o povo gosta, é isso que o eleitor dele quer... O sucesso do “Capitão” será a maior vingança contra a petelândia... Um sábio soldado não perde tempo com militante-meliante de araque...



Sábio conselho para Bolsonaro



“A República precisa ser reinstaurada, o Estado reconstruído e a Federação remodelada”. (Carlos Abrão e Laércio Laurelli)

Releia o artigo de domingo: Honestidade versus Crime, Terror e Incompetência


Três Neurônios




Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 21 de Outubro de 2018.

Insegurança na Lambança



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

No país em que “as instituições estão funcionando” às mil maravilhas, tomo a liberdade de reproduzir a manchete seguinte: “Usuários relatam celulares com horário de verão “ Globo, internet, 21/10/2.018 às 04:45 horas.

Essa flatulência de desgoverno, contraria a Constituição que reza sermos todos iguais perante a Lei; Horário de Verão apenas para os desgraçados do sul que tem seu ritmo biológico violentado; depois informa que a praga começará num dia; depois adia; depois volta atrás.

Um debilóide conseguiu enlouquecer o Android.

Menos mal que Boccaccio nos tenha ensinado que se pode falar de coisas escabrosas só com palavras inocentes.

Getúlio sucumbiu ao mar de lama; a moribunda república perecerá num mar de merda. Atentado ao Lacerda; outro a Bolsonaro.

Algo de raro num país que nos é tão caro.

Melhoramos muito. No passado um senador matou outro dentro da câmara alta. Matou o cara errado; clássico exemplo de aberratio ictus.

Seu “civilizado” filho chegou à principal magistratura e, de cara, tomou a grana de todo mundo.

Hoje um tarado cheio de maldade, sugere o incesto como forma de quebrar os paradigmas burgueses.

Por imprudente, mente e não sente o seu fim iminente.

Pura bravata, pré, pós, ou em plena negociata.

Mercúrio pegue o caduceu e diga a todos: ”Lula se fodeu!”.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

O Poste Mitômano



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Na minha infância no Rio Grande do Sul, os postes que sustentavam a rede elétrica, à distinção dos de hoje em dia, eram de madeira.

Naqueles tempos, muitos brinquedos da minha infância eram também feitos de pau, como Pinocchio, imortal criação do jornalista e escritor italiano Carlo Lorenzini, mais conhecido pelo seu pseudônimo de Carlo Collodi.

Uma peculiaridade do boneco era a de seu nariz crescer toda vez que mentia. Seu maior desejo, era tornar-se um menino de verdade, de carne e osso.

Os postes mudaram; hoje em sua grande maioria são de concreto, mas um analfabeto cultural conseguiu criar um de carne e osso.

A grande peculiaridade dessa excrecência é a de que apesar de mentir alucinadamente, não sofrer nenhuma alteração perceptível em sua rocinante cara de pau. Seu maior desejo é ser presidente do Brasil.

Para atingir seu objetivo e de seu criador o “muar de São Bernardo”, inventa toda sorte de falácias bem a gosto de seus comparsas.

A última (até o momento) tentativa desesperada de “melar” as eleições, foi de acusar seu concorrente de ter usado caixa dois para criar uma campanha de fake news no Whats app.

Seria para rir, não estivéssemos no país onde os maiores conglomerados de mídia estão descaradamente mentindo vinte e quatro horas por dia a serviço do partido corrupto que os tem na lista de pagamentos.   

Com a aproximação do tsunami de direita que promete limpar nosso país de todas essas iniquidades, os ratos farão qualquer coisa para sobreviver.
Então, cumpre-nos alertar sobre a última notícia procedente dos USA, divulgada por Joice Hasselmann (jornalista e deputada federal mais votada da Câmara em toda sua história).

O deputado Dana Rohrabacher, membro do congresso Norte Americano, protocolou uma carta para Mike Pompeo (atual secretário de estado do governo Trump) pedindo especial atenção para o processo eleitoral brasileiro, pois segundo fontes de inteligência, o governo da Venezuela, Irã e o grupo terrorista Hezbollah, estariam preparando um atentado ao candidato Jair Messias Bolsonaro.

Devido à amizade do criador do poste com Mahmoud Ahmadinejad,(o homem que nega o holocausto) com o ditador Maduro, (autor do brilhante desenvolvimento bolivariano da Venezuela) e a simpatia que a esquerdalha sempre teve por grupos terroristas desde Che Guevara, não existem motivos para se duvidar da notícia.
Então como eu diria lá no Sul, no tempo dos postes de pau:

- Te cuida guri! O Brasil precisa de ti.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

Os postes de Lula



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Ipojuca Pontes

Uma das especialidades de Lula, o Abutre Vermelho, tem sido inventar “postes” para burlar a lei e continuar, por intermédio deles, a mandar e desmandar no País. Conta a lenda que, certa feita, num jantar de confraternização entre comparsas, depois de entornar muitas taças de “Romanné Conti” e puxar longas baforadas de cigarrilhas cubanas (acesas, com presteza, pelo assecla Delúbio “Honesto” Soares), Lula deixou escapar:
– “Sabe, companheiros. Hoje, sem falsa modéstia, eu elejo até um poste para governar o Brasil!”

E elegeu mesmo. A guerrilheira Dilma Rousseff, a Mãe do Pac, hoje caída em desgraça, foi o “poste” escolhido e eleito. Antes, Lula tinha designado o guerrilheiro Zé Dirceu, egresso da DGI (Dirección General de Inteligência cubana, órgão de espionagem financiado pela KGB Soviética) e chefe da Casa Civil no seu reinado. O barco ia de vento em popa quando Dirceu, tipo arrogante e sem o menor escrúpulo, foi denunciado pelo deputado Roberto Jefferson como operador-mor do esquema do mensalão adotado para comprar com grana surrupiada dos cofres públicos o voto parlamentar. Na ocasião, ficou registrado nos anais do Congresso a fala em que Jefferson, em sessão histórica, encarou firme o comunista corruptor e, diante do ar debochado do “poste” de Lula, foi letal:

– “Ministro, o senhor amedronta as pessoas que o cercam… Tenho medo de V. Excelência. Porque V. Excelência provoca em mim os instintos mais primitivos”.

Outro “poste” que Lula quis conduzir à Presidência foi o companheiro Antonio Palocci, trotskista e coordenador de sua equipe de transição, nomeado, depois, ministro da Fazenda (considerado de “feição liberal”). O ministro caiu em desgraça quando foi obrigado a renunciar depois da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, testemunha de acusação contra Palocci no caso do “Escândalo da República de Ribeirão Preto”, cujo cenário era uma mansão de Brasília onde rolavam negociatas do governo e encontros com prostitutas agendadas pela cafetina Jeany Mary Corner.

A mencionada Dilma Rousseff, único “poste” a chegar ao poder (na prática, manobrada por Lula), levou o país à insolvência, à inflação de 2 dígitos e ao desemprego de 12 milhões de trabalhadores. Acusada de fraude eleitoral, foi reeleita, mas em seguida deposta por impeachment em assinalado crime de responsabilidade. No parecer do então Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, o impedimento do “poste” de Lula também encampava, no “conjunto da obra”, os crimes de corrupção ativa e passiva, obstrução da justiça e organização criminosa.

O atual “poste” presidenciável de Lula é o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, rebatizado no Nordeste pelo codinome “Andrade”, tentativa astuciosa de torná-lo palatável ao ouvido regional.

Claro, não há nenhuma chance do Brasil elegê-lo. Mas, para tomar o poder, Haddad talvez seja capaz de tudo e mais alguma coisa. Daí, a virulência desesperada com que o “poste” de Lula ataca Bolsonaro, líder irreversível nas pesquisas, detratando-o como sujeito violento, mentiroso, covarde e antifeminista – embora o candidato do PSL seja mais bem votado entre as mulheres do que o “enfant gâtée” escolhido pelo dono do PT (54%X48 pró Bolsonaro).

Por sua vez, há uma campanha insidiosa, manifesta pela mídia esquerdista, de que Bolsonaro representa um “risco para a democracia”. Na cruzada inútil, mas indecente, o candidato conservador é visto como nazista, fascista, misógino, homofóbico e, pior, sujeito mórbido que incentiva a intolerância e o ódio. O eleitor, claro, não acredita nesse tipo de fancaria, mas os companheiros da mídia engajada, artistas, intelectuais de “miolo mole” et caterva vivem de alimentar essa mixórdia. 

Já escrevi antes que essa gente nunca enfrentou leitura política séria, sistemática, tocando tudo de orelhada. Em campanha diária, quer passar por “formadora de opinião”, distorcendo tudo, sem distinguir ao certo fascismo de nazismo. De fato, para além da indignação, essa gente desperta dó.

(Abro parênteses para lembrar que o comunismo – travestido de “socialismo científico” e posto em prática por Lenin e Stalin e seguido por fanáticos como Trotski, Mao, Pol Pot, Ho Chi Min Ceausescu, Tito, Fidel, Guevara, Daniel Ortega, Manuel Marulanda, Hugo Chávez, Maduro, Abimael Guzmán, Agostinho Neto, entre os mais notórios – disseminou pelo mundo massacres, torturas, deportações, fuzilamentos e genocídios em quantidade três vezes maior do que as misérias praticadas pelo nazifascismo. (Ver números exatos publicados no “Livro Negro do Comunismo – Crimes, terror e repressão”, de Stéphane Courtois, Ed. Bertand Brasil, 1999 e em “Hitler”, de Joachim Fast, Nova Fronteira, 1976).

Nos livros citados, por exemplo, se verá que a construção de campos de concentração para fins de aniquilamento de prisioneiros e execução de trabalhos forçados foi, muito antes do aparecimento do nazismo, uma genuína criação de Lenin, cérebro admirado por esquerdistas de todos os matizes.

Na sua cantilena, o atual candidato de Lula se vende como uma “esperança democrática” e fiador da “pacificação do País”. Como? No Brasil, desde a intentona comunista de 1935, a esquerda apela para a violência e a luta armada. Antes de 64, por exemplo, quem estava por trás das Ligas Camponesas no banho de sangue lavrado na Fazenda Santo Antônio, em Mari, na Paraíba? Quem, antes do AI-5, fez explodir no Aeroporto dos Guararapes, em Recife, uma bomba para matar Costa e Silva e que, entre tantos, vitimou o poeta Edson Régis? Quem matou Celso Daniel, o prefeito de Santo André, e as nove testemunhas que iriam depor sobre o assassinato? 

Quem, recentemente, defronte ao Instituto Lula agrediu, aos chutes e pontapés, o sexagenário Carlos Alberto Bettoni levado ao hospital com traumatismo craniano e quatro costelas quebradas? Quem esfaqueou o próprio Bolsonaro?
O negócio é o seguinte: há dois tipos de comportamento nas organizações comunistas, que se mesclam: o que se vende como paladino dos ideais de emancipação e fraternidade, e um outro, clandestino, que trama na surdina e executa o roubo, a propina, a mentira sistemática e a matança sem fim. O resto é leguleio de marafona.

P S – Bolsonaro, se não atentarem novamente contra sua vida, já está eleito (73% dos cariocas votam nele). Seu maior problema, depois de eleito, será enfrentar a má fé cínica e a obtusidade córnea da mídia amestrada. Tal qual Donald Trump, nos Estados Unidos, que encarou de peito aberto o The New York Times e o Washington Post, jornalões falidos, Bolsonaro precisará de muito fôlego para encarar – aí, sim – o ódio compulsivo de jornais como a Folha de São Paulo e O Globo – só para ficar nos mais persistentes.

Tal como 2+2 somam 4, a corriola não vai perdoá-lo pelo fato de ser eleito erguendo-se contra o comunismo e o seu velho irmão siamês, o “socialismo científico”.

Ipojuca Pontes é Jornalista, Escritor, autor teatral e cineasta.

domingo, 21 de outubro de 2018

Honestidade versus Crime, Terror e Incompetência


“A República precisa ser reinstaurada, o Estado reconstruído e a Federação remodelada”. (Carlos Abrão e Laércio Laurelli)


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A eleição presidencial 2018 no Brasil é fácil de resumir, sem cometer erro simplório de avaliação. De um lado, um candidato honesto que propõe mudar ou aprimorar as leis para combater o Crime Institucionalizadoe recolocar a Nação no caminho do crescimento e da pacificação. Do outro, um candidato-fake, inventado por um condenado e preso por corrupção, cujo partido já comprovou toda a incompetência para governar o País e que  confunde demagogia com democracia. A verdade dos fatos é quem torna Jair Bolsonaro credenciado para vencer Fernando Haddad. E PT saudações...

O leitor Drausio Moraes de Oliveira Pinho definiu o que estamos assistindo agora, faltando uma semana para a dedada final na urna eletrônica de inconfiável resultado final na totalização. Drausio Pinho mete o dedo na ferida do fenômeno indecente da judicialização da politicagem: “A História se repete: estamos voltando para a década dos anos de 1980. A injusta “justiça” brasileira retrocede ao passado. Hoje, baseando-se em matéria jornalística de claro viés político-eleitoral, instaura procedimento investigativo que tem como principal alvo (diríamos único) a candidatura vitoriosa de Jair Messias Bolsonaro”.

Drausio Pinho acrescenta: “Reproduz-se, décadas depois, a ação do esquecido por muitos - mas não por todos -, o famigerado procurador Luiz Francisco, o colérico e confesso petista, pretenso caçador de corruptos, que, baseado (segundo se dizia) em reportagens jornalísticas, cujos indícios acusatórios ele próprio vazaria, instaurava processos contra alvos tidos como seus ou do interesse de terceiros próximos. A folha produz uma matéria (ouvida de algum “espírito santo de orelha”) e as viúvas do judiciário se assanham”.

Será que ainda temos uma espécie de “Gestapo” operando no Brasil? Drausio Pinho novamente senta o dedo no teclado sobre o inesquecível caso do Luiz Francisco: “É bom lembrar que aquele obstinado e ruidoso (midiaticamente) perseguidor de corruptos foi acusado, entre outras mazelas, de inserir o CPF de desafetos em pedidos de quebra de sigilo fiscal, de produzir petições redigidas por advogados de empresas interessadas nos processos e de defender o embaixador das FARC no Brasil, o notório terrorista conhecido como Padre Medina. Por fim, e em tempo, resta lembrar que o empolgado inimigo da corrupção foi calado e retirado de cena, evaporando-se, estranha e muito convenientemente, quando da entronização do super-hiper-ultra-corrupto Luiz Inácio na presidência da ré-pública”.

O Drausio (e o Karl Marx) têm razão... A História se repete como farsa em Bruzundanga... Sobrevivemos em um País reacionário, no qual as coisas erradas tendem a se “conservar”... A maneira esquisita, totalmente anti-democrática, como o recente “GOLPE” nazicomunopetralha foi aceito pela “Justiça” Eleitoral já sinaliza que o futuro Presidente Jair Messias Bolsonaro sofrerá perseguições da máquina judasciária e sua “gestapo”. A judicialização da politicagem pode se ampliar? Melhor não pagar para ver...

Além do combate direto ao Crime e das imprescindíveis mudanças estruturais na sabotadora máquina estatal, Jair Bolsonaro terá de enfrentar e se defender das forças do atraso que manipulam e tiram proveito da insegurança jurídica vigente no Brasil. Se Bolsonaro agir com o rigor prometido, a tendência é que tenhamos um agravamento da “Guerra Bandida” (“Guerra Civil” é um termo impreciso para definir nosso tsunami de violência com impunidade). Podemos ter mais que 65 mil homicídios por ano? Sim... Podemos...

O Crime Institucionalizado e suas facções criminosas de variadas facetas  (da burocrática ao banditismo nas ruas) prometem e planejam uma grande sabotagem contra Bolsonaro. Não devemos esquecer que ele, na campanha, já tomou uma facada (que não foi mortal por milagre). As atitudes golpistas da petelândia indicam que ele sofrerá covarde e desleal oposição política. Os bandidos de toda espécie ameaçam Bolsonaro e todos que desejam mudanças de verdade no Brasil.

Resumindo: Vencer a eleição parecerá a missão mais fácil. Implantar a Democracia de verdade será muito complicado. Teremos de superar a vocação autoritária da corrupta máquina estatal e, por que não, de uma grande parte do povo brasileiro.

O jogo vai ser muito bruto a partir de 1º de janeiro de 2019. Bolsonaro tem de ganhar a eleição, cuidar da saúde, se proteger de toda espécie de bandidagem, além de acertar ao máximo na escalação do time de governo e nas medidas urgentes que terá de tomar tão logo assuma o trono do Palácio do Planalto.

Um fato é objetivo: a denúncia sobre suposto investimento ilegal de empresários para difusão de mansagens falsas, em massa, nas redes sociais, é uma grande desculpa da petelândia para uma derrota que projeta ser acachapante. O caso terminará em pizza...

Imagina se, lá na frente, vão cassar a chapa Bolsonaro/Mourão por tal “crime” que não foi cometido... Os militares já advertem que não aceitam tal golpe dos militantes-meliantes... A urubuzada que fique esperta...





Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 20 de Outubro de 2018.

Profissões



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Peço desde logo, a indulgência dos amáveis leitores, por algum erro de avaliação.

O presente estudo parte da premissa de quanta desgraça de outrem, necessita um profissional para sobreviver. Os pontos extremos são o coveiro e o palhaço.

Mais próximos do primeiro estão, pela ordem, o médico cirurgião, o carcereiro, o juiz, o promotor e o advogado.

No bloco intermediário estão o banqueiro, o funcionário público, o comerciante e o industrial.

Na lista das profissões do bem estão o engenheiro, o arquiteto, o professor bem intencionado e os produtores de comida (agricultores e pecuaristas).

Os músicos nos dão alimento para o espírito, os escritores e poetas nos brindam com sua experiência de vida.

Cineastas e atores, quando não engajados a ideologias da destruição, nos alimentam os sonhos.

Mas é o humorista que nos mostra a nossa condição divina: a capacidade de rir.

Com essas indicações, poderão todos completar e/ou corrigir a lista.

A pergunta que não quer calar: ”Onde ficam os políticos ?”

Por estarem em contínua metamorfose, são de difícil classificação.

Ora ladrão, ora idiota, ora palhaço.

Precisamos todos de nervos de aço.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Brasil Mãos Limpas


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

O desgoverno que nos entristeceu e fez milhares de brasileiros fugirem do País pode estar com seus dias contados. Segundo dados estatísticos a rapinagem produziu um rombo de 8 trilhões de reais, cerca de um produto interno bruto e meio. Bastaria isso para atestar que não podemos acreditar piamente na cegueira deliberada de nossos governantes.

A República precisa ser reinstaurada o Estado reconstruído e a Federação remodelada. Dúvidas sempre existirão no horizonte como se comportarão os plantonistas ávidos pelo fisiologismo e o retorno de grupos ao poder. Um primeiro retrato demonstra que o fracasso trouxe do parlamento forte candidato a ocupar o cargo de chefe do executivo, muitos militares entraram na política, juízes e promotores.

Esse cenário é suficiente para comprovar que uma injeção de animo levou
ordas de pessoas bem intencionadas a interromper o marasmo e tentar a mudança em definitivo para melhores dias de governabilidade. Sem dúvida ocorre uma mudança da população, entre os candidatos e de renovação,os velhos sonhos se transformaram em pesadelos e nossa preocupação é de colocar a casa em ordem sem dar tréguas para as criações, imaginações e impetuosos gestos de moralidade,ética em compasso com os anseios da sociedade.

O brasileiro tem um custo de vida elevado e um péssimo serviço público,as coisas demoram para acontecer e as tragédias são passos naturais de falta de fiscalização e comando de ordem e progresso. Não nos vocacionamos a crer que tudo melhorará da noite para o dia porém sabemos muito bem que se houver união de esforços e grandes ideais,sem assistencialismos ou paternalismos o equilíbrio fiscal será buscado e a inversão do déficit primário também oportunizará forte abertura dos mercado para todas as Nações.

O acanhado Mercosul não se sustenta e a escola do crime precisa ser extirpada, o controle dos gastos públicos, a pilhagem do patrimônio da sociedade, construção não apenas de escolas,mas com bons professores e salários à altura. O que necessitamos hoje, mais do que nunca, é um Brasil governado por homens de mãos limpas que saibam exatamente quais são as necessidades mais prementes da população e dos remédios amargos que serão adotados para não entrarmos no colapso do FMI como Argentina ou da miserabilidade de Venezuelanos e de desmiolados cubanos.

O regime democrático perdeu sua realeza com o fortalecimento da globalização,os mil mais ricos do mundo detém mais de 50% da força patrimonial do sistema, e ao passo que se concentram fortunas a miséria se espalha de forma degradante. O Brasil com mais de 200 milhões de habitantes procura ocupar seu espaço na conjuntura internacional, mas deve trilhar a infraestrutura a sua juventude e acabar com a criminalidade existencial nos morros e favelas que sustentam o comércio de drogas.

Mãos às obras Mãos limpas, mãos que engrandecem um novo Brasil. Serão muitas mãos em conjunto para o fortalecimento do Estado e o renascimento das cinzas que nos envergonham no retrato mundial e nos permitem dar um grito de rompimento com o passado mantendo eterna vigilância sobre a liberdade e democracia do amanhã.

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo.

sábado, 20 de outubro de 2018

O antídoto Bolsonaro contra o veneno do PT




Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Os piores venenos estão nos menores frascos ou nos mais medíocres? Apenas um grama do veneno do Sapo Cururu (perereca peçonhenta cantada em prosa e verso) tem capacidade de matar 80 homens de uma vez só. Qual seria a dose necessária para o velho Sapo Barbudo, atualmente preso em Curitiba, assassinar o futuro de duas centenas de milhões de  brasileiros?

A quantidade seria ditada pela eventual eleição do “Poste” Fernando Haddad. Sorte é que a maioria do povo brasileiro elegerá Jair Bolsonaro Presidente no próximo dia 28. A Petelândia retornará ao papel de oposição irresponsável e mentirosa que tem exercido nesta campanha de 2018. Os 13 anos de corrupto governo nazicomunopetralha, em parceria criminosa com PMDB, PP, PTB e afins, quase arrasaram o Brasil que Bolsonaro se propõe a colocar nos eixos.

Mudar o Brasil de verdade não será missão fácil. O comportamento politicamente canalha, irresponsável e corrupto do PT promete atrapalhar bastante. Na campanha, a petelândia desvairada já gera as pré-condições para o caos e o confronto radical que deseja praticar durante a gestão Bolsonaro. O plano básico dos bandidos ideológicos é provocar e acirrar os conflitos artificiais na sociedade brasileira. Ainda bem que o golpe esquerdista é previamente manjado...

Quando um petista rotula Bolsonaro de “fascista”, o militante está apenas vendo a própria imagem refletida no espelho. Sempre que o petralha adverte, mentirosamente, que Bolsonaro vai implantar uma ditadura, na verdade, o defensor da ditadura do proletariado apenas tenta esconder o próprio desapreço pelo regime democrático. Os militantes-meliantes estão organizados para surfar na onda de violência que eles ajudam a criar. O objetivo é forçar uma reação forte do adversário, para classificá-lo de repressor.

Há muito tempo que o PT é um partido fake. O falecido caudilho Leonel Brizola – o mesmo que apelidou Lula de “Sapo Barbudo” – foi quem sempre denunciou a natureza maligna da cúpula da petelândia, inclusive quando se aliou aos petistas, que ora parecem fanáticos membros de uma seita, ora se comportam como membros da uma organização criminosa ou ora parecem um grupo de analfabetos políticos com cinismo romântico. As promessas eleitoreiras do Haddad são um resumo do modus operandi da petelândia.

O PT já entrou previamente derrotado na campanha eleitoral 2018. Não só porque seu líder máximo segue Presidentro em Curitiba – o que lhe impediu de ser candidato ao Palácio do Planalto. O discurso e as práticas nazicomunopetralhas estão na contramão da vontade da maioria do povo brasileiro. O desejo é por honestidade, trabalho, menos impostos, mais desenvolvimento e menos interferência indevida da máquina estatal na vida dos indivíduos e dos empreendedores. O PT é a negação prática de tudo isso.

Jair Bolsonaro representa um antídoto contra os venenos nazicomunopetralhas. Por isso, ele vencerá a eleição no segundo turno. Os golpes do PT no tapetão do Judasciário não surtirão efeito. A banda boa do Judiciário não permitirá. A pressão da banda honesta da população não aceita mais a armação ilimitada dos canalhas e corruptos.

Apesar do previsível triunfo de Bolsonaro, os brasileiros de bem e do bem precisam ir além do mero antipetismo. Não se pode entrar na onda de confrontos permanentes praticada pela petelândia. O governo e seus apoiadores terão de praticar a tolerância para a pacificação. Em síntese: não é recomendável entrar no joguinho fascistóide da prática petista.

O futuro Presidente Jair Bolsonaro, o vice Antônio Mourão e seus apoiadores terão de focar nos projetos para mudar e melhorar o Brasil, em vez de perder tempo brigando com os fanáticos seguidores do venenoso Sapo Barbudo.

Resumindo: Temos  de implantar a Democracia no Brasil. Ditadura do Crime, nunca mais!



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 20 de Outubro de 2018.

Há algo podre no Reino da Fuzarca



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Quando um cavanhacudo canhoto e maroto, ameaça “punir' quem ousa duvidar de sua olímpica palavra de que as urnas eletrônicas são “invioláveis”, é sinal de que se aproxima o fim de festa.

A banda podre já ensaia os primeiros acordes da música final: “Chamaram o meu boi de espalha merda...”

A hydra estrebucha. Se necessário, dará as caras, a Bucha.

Não mais se safarão impunes os traidores e canalhas.

Nos dias restantes de diabruras às escuras, devemos estar preparados para o desespero dos tarados.

Depois do Gólgota que sacrificou o povo brasileiro por muitos anos, virá a ressureição.

As redes sociais são hoje a garantia do fim da opressão.

Como o leãozinho que prova o gosto de sangue pela primeira vez e não volta mais a mamar na leoa, assim estamos nós os brasileiros.

Não há mais força humana que nos amordace e os subjugue.
A Bastilha já caiu. Falta pouco para o nosso 93 !
O Florão da América erguer-se-á do berço esplêndido.
Se Deus está por nós, quem estará contra nós ?

"Não mais, musa, não mais, que a lira tenho
Destemperada e a voz enrouquecida,
E não do canto, mas de ver que venho
Cantar a gente surda e endurecida.
O favor com que mais se acende o engenho
Não no dá a pátria, não, que está metida
No gosto da cobiça e na rudeza
Duma austera, apagada e vil tristeza”.
(Luis de Camões. Os Lusíadas).

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.