quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Guerra nos poderes: Lula e Gilmar Mendes são criticados por interferência do Executivo e Judiciário no Legislativo

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão


O chefão Lula da Silva experimentou ontem um dia de desgaste político. O causador dos constrangimentos para Lula foi o presidente do Senado. Garibaldi Alves (PMDB-RN) aproveitou a presença do presidente, no plenário da Câmara, para a festa de 20 anos de promulgação da Constituição de 1988, e bateu em um dos calcanhares de Aquiles de Lula. Garibaldi criticou o excesso de medidas provisórias, editadas pelo Executivo.

O senador também pegou pesado com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que estava ao lado de Lula. Vendo que Gilmar não dava bola para o que falava, Garibaldi mandou o tiro na direção dele: “Vou terminar o discurso. Já vejo que o presidente Gilmar está aqui lendo ... Faz tempo que o Poder Judiciário acha que é o Legislativo”. Na verdade, Garibaldo criticou as decisões do Supremo Tribunal Federal sobre questões legislativas.

O presidente do Senado foi direto no ataque a Lula em seu discurso: “Aqui se passa um mês sem votar, porque tem medida provisória trancando a pauta da Câmara e do Senado. O senhor é culpado disso? Não. É o uso do cachimbo que faz a boca torta”. Pouco depois o próprio Garibaldi tentou consertar, pedindo desculpas ao presidente Lula: “O que o presidente Lula vai pensar de um anfitrião que o recebe para um a festa e, de repente, a festa se transforma numa cobrança. Também peço desculpas ao presidente do Supremo”.

O estrago já estava feito. Mais cedo, o presidente da Câmara, Arlindo Chinagalia (PT-SP), já tinha criticado as MPs, reclamando que é uma forma eficaz de o Executivo controlar o Congresso. Chinaglia advertiu que é preciso ter cuidado com propostas de nova constituinte, mas concordou que alguns assuntos precisam ser revistos, como a tramitação das medidas provisórias, que, pelas regras atuais, trancam as pautas da Câmara e do Senado se não forem votadas dentro de um prazo de 60 dias. “O trancamento de pauta é a maneira mais eficaz de o Executivo controlar o Congresso Nacional”.

Atropelando

O governo resolveu, a menos de dois meses do fim do ano legislativo, apressar a votação da reforma tributária na Câmara.

Para isso, o chefão Lula da Silva reuniu-se ontem com os líderes dos partidos da base aliada, quando pediu-lhes que acelerem o rito.

A intenção anunciada do Palácio do Planalto é votar o projeto em três ou quatro semanas, como informou o líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS).

Na semana que vem, o governo espera ver aprovado o projeto na comissão especial.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 6 de Novembro de 2008.

3 comentários:

Anônimo disse...

Nosso legislativo é do faz de contas, se vende por emendas parlamentar e de bancadas para poderem manter seus currais eleitorais em seus estados, as MPs trancam a pauto para negociações até que o regatão, digo, mensalão disfarçado de debates produtivos seja concluido, a base de balulação é maioria no congresso, fazem tudo que o seu mestre manda, e ainda são criticados..ha...ha...ha...estão reclamando de que?! querem mais, estão ganhando pouco?..Eita MAR DE LAMA.

Anônimo disse...

Serrão veja esta:

Fazendo concorrência com parlamentares comunistas que estão impondo "medições" da cor da pele (seja lá como farão isso) para classificar os brasileiros para ter acesso ao SUS, às universidades, ao trabalho, etc, agora um senador veio com a idéia 'genial' de "medir o peso" das modelos para admiti-las em comerciais.


Comissão do Senado Federal aprova projeto que proíbe uso de modelos muito magras



"A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal aprovou nesta quarta-feira o projeto do senador Gerson Camata (PMDB-ES) que impede o uso de modelos muito magras (anoréxicas) em peças publicitárias e desfiles de moda. Nesses ou em qualquer outro tipo de evento comercial ou promocional, de acordo com a proposta, fica proibida a exibição pública da imagem de profissionais da área com Índice de Massa Corporal (IMC) inferior a 18. A proposta foi apresentada por Camata meses depois da morte da modelo Ana Carolina Reston, de 21 anos, em 2006, por complicações decorrentes da anorexia."



Tenho algumas dúvidas que o ilustre senador poderia responder:

Qual é o peso certo das moças? O senhor vai definir em lei? Ou vai ser em função da altura da moça?

Como será a fiscalização?
O senhor vai exigir que se façam comissões de aferição de peso? Que vai compô-las: "comissários do povo para o peso certo"?



Fonte: http://www.videversus.com.br/index.asp?SECAO=76&SUBSECAO=0&EDITORIA=10621


Aonde vai parar esta loucura?
Será qu esse homem esqueceu de tomar o seu remédio?

Anônimo disse...

DENÚNCIA ANONIMA

Resgataram o Batman do presídio de Bangu 8 e deram um fim nele! Ele era um arquivo vivo, e estava negociando a DELAÇÃO PREMIADA. ELE FOI TORRADO NUM MICROONDAS.