quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Rapidinhas Econômicas

Edição de Quarta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Bradesco Day...

O presidente executivo do Bradesco, Márcio Cypriano, deu um recado ontem ao tocar o famoso sininho de abertura da Bolsa de Valores de Nova York:

"Só faremos aquisições que possam agregar valor. Não vamos sair comprando só por comprar".

O Bradesco negocia, na calada, a aquisição das operações do Citi na América Latina, bem como deseja pegao o Banco Safra.

Logo sobe

Deve durar pouco a suposta calmaria-nervosa de ontem, com o dólar tentando subir e o Banco Central segurando com os leilões de Swap.

Desde a intensificação da crise, o BC já colocou o equivalente a mais de US$ 34 bilhões de dólares em contratos swap cambial - em que o mercado ganha quando a variação do dólar supera a do juro.

Os especuladores (perdão, investidores) estrangeiros têm mais de US$ 13 bilhões de dólares em posições compradas.

Ou seja, é forte e consistente a aposta na alta do dólar – acima dos R$ 2,326 cotados no fechamento de ontem do mercado.

Crise?

Juros do cheque especial no Brasil 170% ao ano.

Nos EUA, onde o mundo parece acabar em crise, 7% ao ano.

Ou seja, nós pagamos aqui para manter o comodismo de lá?

Ou somos nós, de verdade, quem estamos em uma crise prestes a explodir?

Na China...

O Banco Central da China cortou nesta quarta-feira suas taxas de juros de empréstimos e depósitos em 1,08 ponto percentual, a quarta redução desde meados de setembro.

Os custos para os empréstimos bancários de um ano passam de 6,66 por cento para 5,58 por cento, enquanto a taxa de referência para depósitos caiu para 2,52 por cento, ante 3,60 por cento.

O Banco Central chinês justificou que a redução visa a garantir liquidez suficiente no sistema bancário para garantir crescimento.

Banqueiros se protegendo

O Federal Reserve, banco central privado norte-americano que tem entre os super-bancos transnacionais seus acionistas, anunciou ontem mais uma forte intervenção no sistema financeiro.

O FED lançou um programa de US$ 600 bilhões para comprar dívida relacionada a hipotecas e ativos imobiliários nos bancos e liberou mais US$ 200 bilhões para comprar ativos ligados a dívida de consumidores.

Prova de que os banqueiros internacionais jogam sempre a favor deles mesmos, de preferência, com o resto da sociedade pagando a a conta dos prejuízos.

Promessas de compra

O banco central americano vai comprar até US$ 100 bilhões em dívidas imobiliárias emitidas por Fannie Mae, Freddie Mac e pelo Federal Home Loan Banks.

O Fed também irá adquirir até US$ 500 bilhões em ativos hipotecários garantidos por Fannie Mae, Freddie Mac e Ginnie Mae.

O plano tem como objetivo atingir o centro dos problemas econômicos dos Estados Unidos, o problemático mercado imobiliário, gerado pela crise do subprime no início de 2007.

Modelo Meirelles...

O FED também lançou um instrumento de US$ 200 bilhões para apoiar empréstimos ao consumidor, incluindo estudantes, automóveis e cartão de crédito, além de empréstimos garantidos pelo órgão federal Small Business Administration.

Qualquer semelhança com o que pratica a equipe econômica brasileira, comandada pelo presidente Henrique Meirelles, não é mera coincidência.

O problema dos EUA é que lá, na explosão da crise, o crédito equivalia a 300% do gigantesco PIB norte-americano.

Enquanto o endividamento geral aqui no Brasil ainda fica na faixa de 30%do PIB.

Pode pegar emprestado...

O crédito voltou a se recuperar no início de novembro no Brasil.

Mas o consumidor vai enfrentar taxas de juros cada vez maiores.

A taxa média para pessoa física, no início deste mês, deu um salto de cinco pontos percentuais, chegando a 59,8% ao ano.

Para as empresas, a alta média foi bem menor, de 0,2 ponto, para 31,9% ao ano.
Calote forçado

Começam a surgir sinais de alta da inadimplência e os bancos já esperam uma piora do cenários para o próximo ano, mas nada alarmante.

A expectativa é que com a desaceleração econômica em 2009 haverá redução de emprego e renda, fatores determinantes para elevação dos atrasos no crédito

De maneira geral o percentual de inadimplência (atrasos acima de 90 dias) para pessoas físicas está oscilando entre 7% e 7,5% da carteira total desde o fim de 2005, de acordo com dados do Banco Central.

Grande temor

O maior temor está na linha de veículos, especialmente automóveis usados e motos.

Até setembro, o índice de inadimplência (acima de 90 dias) subiu para 3,8%, maior índice desde 2000 (início da série histórica do BC).

No ano, a elevação é de 0,8 ponto percentual. Além disso, as parcelas em atraso entre 15 dias e 90 dias já corresponde a 7,4% (alta de 0,7 no ano)

O quadro pode se agravar devido a escassez de linhas para usados.

Amazônia à venda

A ONG Instituto de Desenvolvimento e Educação Social da Amazônia (Idesa) está anunciando a venda de uma área de 275 mil hectares, o equivalente a 175% da área da Cidade de São Paulo.

Não é divulgado o valor no site e nem o nome do proprietário.

De acordo com o site, a área fica "de frente para o Rio Madeira", no Município de Canutama, a 555 quilômetros de Manaus.

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Solicitamos uma notificação sobre a publicação para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 26 de Novembro de 2008.

3 comentários:

Anônimo disse...

Especular até que não é crime, todo mundo no fundo especula com alguma coisa. Afinal o investidor não deixa de ser um especulador, só que de longo prazo.

O crime está em MANIPULAR.

Manipular:

Indicadores.
Pesquisas.
População.
Mídia.

A MANIPULAÇÃO é uma covardia dos insiders sobre os menos informados.

Anônimo disse...

especular é crime??

O AMIGO DISSE ACIMA QUE ESPECULAR NÃO É CRIME!!CONCORDO!!O PROBLEMA É QUE OS ESPECULADORES, QUANDO ACERTAM SUAS APOSTAS, GANHAM BILHÕES. MAS QUANDO ERRAM SUAS APOSTAS, NÃO QUEREM TIRAR DINHEIRO DO BOLSO PARA PAGAR O PREJUÍZO. DAÍ FICAM "HISTÉRICAS", DIZEM QUE O PAÍS VAI QUEBRAR, QUE O MUNDO VAI ACABAR E.....E DAÍ....OS GOVERNOS PEGAM DINHEIRO DOS IMPOSTOS E DÃO PARA ESSES VAGABUNDOS PAGAREM OS PREJUÍZOS....PARA OS ESPECULADORES, PARA OS BANQUEIROS NUNCA HÁ TEMPO RUIM. O TEMPO SEMPRE É BOM PRÁ ELES...CORJAAAA.....

marcos paulo
SÃO PAULO

Anônimo disse...

Por que o governo dá esse dinheiro para os especuladores?

Porque o GOVERNO É CORRUPTO e os especuladores, na verdade são MANIPULADORES.

Esses CRIMINOSOS forjam seus prejuízos que na verdade não lhes afeta o bolso e quem paga na verdade somos nós.

Todo o mercado é MANIPULADO por essa corja...