sexta-feira, 8 de julho de 2011

80% contra legalizar a maconha

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Cesar Maia

A última pesquisa nacional feita sobre a legalização das drogas leves foi realizada em 19-22 de maio de 2007 pelo GPP, com 2 mil eleitores. A pergunta se o eleitor brasileiro era contra ou a favor da legalização das drogas deu: 80% contra, 17% a favor e 3% sem opinião. Importante comparar com a pesquisa sobre a legalização do aborto, em que 73,3% responderam ser contra, uma proporção menor do que sobre a rejeição à maconha. Nesta mesma pesquisa, a resposta sobre a legalização do casamento entre homossexuais, 56,6% responderam ser contra, uma porcentagem próxima aos 50%, o que sinalizava as decisões posteriores.

Entrando por dentro da pergunta sobre legalização da maconha, no Sul, 77% responderam ser contra; no Sudeste, 76,9%; no Centro-Oeste, 74%; no Nordeste, 86,1% e Norte, 87,3%. A proporção nas regiões Nordeste e Norte mostra a dificuldade que o governo federal terá em aderir a esta tese, pois contraria suas principais bases eleitorais. Nas Capitais, 76,6% são contra; nas áreas Metropolitanas, 77,3% e no Interior, 82,9% são contra.
Por nível de renda são os mais pobres os que são mais contra a legalização da maconha. Até 2 SM são 85,6%. De 2 a 5 SM são 83%. De 5 a 10 SM são 73%. E entre os que têm renda maior que 10 SM são 65,2%. Por nível de instrução: Até primeiro grau, 88,1% são contra. Daí até segundo grau completo são 75,3%. E daí até superior completo são 66,9%.

Os entrevistados se auto-localizam por classe social. Na classe Baixa-Trabalhadora, 85,8% são contra. Média-Baixa são 78,4%. Média, 74%. E Alta/Média-Alta são 77,5%. Entre os homens chefes de domicilio, 80% são contra. Entre as mulheres chefes de domicilio também, 80,1% são contra. Mas entre os que têm filhos, 82,8% são contra, bem mais que entre os que não têm filhos, em que 73,5% são contra.

Entre os que se dizem de esquerda, 73,5% são contra. Centro-esquerda, 70,2%. Centro, 74,8%. Centro-direita, 82,4%. Direita, 84,7%. E entre os 36,5% que não se localizaram politicamente, 85% são contra.

Cesar Maia, Economista, foi Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro. Originalmente publicado no ex-Blog de 4 de julho de 2011.

Nenhum comentário: