sábado, 15 de outubro de 2011

Balcanização do Brasil

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Marcos Coimbra

Os acontecimentos ocorridos no mundo, desde os princípios da década de 1990, demonstram claramente que não existe a força do direito, mas sim o direito da força. Principiou com a Iugoslávia. Após o término da 2ª GM, sob o comando do marechal Tito, era um país próspero, dotado de uma economia pujante, capaz de rivalizar com as maiores economias da época. Passo a passo, foi sendo esfacelado, com o sórdido aproveitamento, por parte principalmente de pressões externas, de conflitos latentes étnicos, religiosos e outros, para resultar na triste situação de hoje. Uma miríade de pequenas nações, sem força, caudatárias de imposições externas.

Após a ocupação do Iraque e do Afeganistão, a intromissão no Paquistão e a inacreditável guerra contra a Líbia, a pretexto de “proteção dos civis”, com o permanente bombardeio do seu território e a atuação de “forças especiais”, apoiando os insurgentes, fica difícil para um analista isento acreditar em sadios propósitos das potências agressoras.

A Integridade do Patrimônio é um dos Objetivos Nacionais Brasileiros. Caracteriza-se pela "integridade territorial, do mar patrimonial, da zona contígua, da zona econômica exclusiva e da plataforma continental, bem como do espaço aéreo sobrejacente. Integridade dos bens públicos, dos recursos naturais e do meio ambiente, preservados da exploração predatória. Integridade do patrimônio histórico-cultural, representado pela língua, costumes e tradições, enfim a preservação da identidade nacional".

Tal conceito torna-se importante para ser repassado por todos nós, brasileiros, devido à insegurança vivenciada, gerada principalmente por pressões externas. Sofremos o risco de serem agravadas as tensões no plano social, com o acirramento e a indução de choques de caráter “racial”, religioso, étnico. As famigeradas ONGs e a mídia internacional, secundada pela mídia “amestrada”, vão procurar jogar católicos contra protestantes e espíritas, brancos contra negros e índios. Seu objetivo é abalar nossa coesão social, para fragilizar-nos. Absurdas imposições oriundas do exterior e referendadas pela administração atual criam conflitos antes inexistentes.

Quanto à coesão territorial, estão acelerando o processo de demarcação de terras indígenas, para depois preparar o terreno para o "direito dos índios à autodeterminação" e para aplicar o "direito de ingerência dos mais fortes". Isto lhes possibilitaria retalhar o território brasileiro, em especial a Região Amazônica, dividindo-a em quistos, protegidos por uma força internacional de paz. A pretexto de defender os direitos dos índios, vão explorar nossas riquezas e recursos naturais.

Em 13 de setembro de 2007, a Declaração Universal dos Direitos dos Indígenas foi aprovada pela ONU, com o voto favorável da representação brasileira, por 143 a 4 (EUA, Canadá, Austrália e Nova Zelândia) e 11 abstenções. A partir daí, a demarcação de terras indígenas assume o estágio de reservas indígenas (Ianomâmi e Raposa /Serra do Sol), representando a última posição para transformação em nações indígenas. Ainda mais considerando que existe, no caso dos Ianomâmis, uma vasta região para eles, na faixa de fronteira contígua entre Venezuela e Brasil. Além disto, de acordo com a referida declaração, lá é vedada operações com fins militares. Ou seja, abriu-se o caminho para perdermos parte do nosso rico e desejado território.

Interpretações absurdas e além da Constituição no relativo aos denominados “quilombolas”, subvertem o direito de propriedade, já ferido de morte pela ação de movimentos como via campesina, MLST e outros, que já começam a atacar, além do campo, a região urbana.

E a economia está sendo usada para facilitar toda esta ignomínia, através da venda das idéias do neoliberalismo, em especial da chamada "globalização", que nada mais representa do que um pseudônimo para o novo imperialismo do G-7, capitaneado pela potência hegemônica. É o "globaritarismo" (totalitarismo da globalização). Isto porque sua nefasta ação objetiva destruir o Estado Nacional Soberano, única instituição capaz de impedir o sucesso de nossos inimigos.

A aceitação passiva da subordinação da cultura nacional à cultura "global" facilita a destruição da Nação soberana, ou do mais importante, a conquista de seus recursos naturais, que pode ser facilmente obtida sem a utilização do poder militar. A parcela de ricos de qualquer país tenderia a uma forma comum de pensar que, no limite, se ajustaria como classe, mantendo seus privilégios, independentemente do Estado-Nação a que pertencesse.

Para mantermos a Integridade do nosso Patrimônio Nacional é indispensável o urgente fortalecimento de nossas Forças Armadas, além da existência de um governo apto a enfrentar o que será talvez um dos maiores desafios da nossa História. Preservar para os nossos filhos aquilo que foi tão duramente conquistado pelos nossos antepassados. Afinal, o Brasil é dos brasileiros! Caso permaneçamos indiferentes, ausentes, medrosos, nossos filhos terão o direito de cobrar-nos: Por que não fomos capazes de, além de doar nossas vidas em defesa do que recebemos, dar-lhes razão para continuarem a viver dignamente?

Marcos Coimbra é Membro do Conselho Diretor do CEBRES, Titular da Academia Brasileira de Defesa e da Academia Nacional de Economia e Autor do livro Brasil Soberano. Correio eletrônico: mcoimbra@antares.com.br - Site: www.brasilsoberano.com.br

5 comentários:

Djalma disse...

Precisamos acordar aos que ainda pensam, raciocinam, para o fato, mais que real, de que não pode haver prosperidade em países que não pertençam ao ciclo da hegemonia da riqueza. Portanto, se houver algum país começando a se fortalecer economicamente, os poderosos ricos forjam motivos para liquidá-lo.
No caso especifico do Brasil, país fadado a riqueza pela própria natureza, foram criados todos os modos e meios para obstaculizar nosso desenvolvimento. Com o advento do “estabanado” e do “mulato” os donos da riqueza mundial encontraram um campo farto e fértil para se apoderarem de todas nossas potencialidades, tudo em nome da “modernidade,” pois sim. Depois, sim depois, ficaremos com a experiência de como ficamos ao permitir esse “desenvolvimento” e a transferência da nossa riqueza para mãos do interesse estrangeiro, mas, acalentados pelo aprendizado de como administrar o caos e a miséria que ficará. Talvez eu não veja isto, mas, quem viver verá, aguardem.

Anônimo disse...

tudo balela!,vai ver nossas fronteiras,balcans? os brasileiros conhecem é balcão assim como eu ,tanta ong,que o governo sustenta com meu dinheiro eu ainda vou me preucupar com isso?quem é pago para proteger não está nem ai.e voce ainda que receber?? pede no congresso lá sim estão os verdadeiros brasileiros eleitos para isso, inclusive tem até dois ex presidentes do nosso amado brasil e vc. vem com alerta????

Anônimo disse...

tudo balela!,vai ver nossas fronteiras,balcans? os brasileiros conhecem é balcão assim como eu ,tanta ong,que o governo sustenta com meu dinheiro eu ainda vou me preucupar com isso?quem é pago para proteger não está nem ai.e voce ainda que receber?? pede no congresso lá sim estão os verdadeiros brasileiros eleitos para isso, inclusive tem até dois ex presidentes do nosso amado brasil e vc. vem com alerta????

Anônimo disse...

Vamos direto aos fatos. Por ordem do maior traidor em 500 anos de nossa Historia, lulla,ordenou em 13 de setembro de 2007, que a Declaração Universal dos Direitos dos Indígenas fosse aprovada pela ONU, com o voto favorável da representação brasileira, por 143 a 4. E aí começou a venda da nossa doberania, a posse da nossa soberania!

Para mantermos a Integridade do nosso Patrimônio Nacional já que a nossa industria está praticamente quebrada em níveis de exportação e mesmo para consumo interno, o nosso PIB apóia-se apenas nos royalties, resumidamente, venda de matéria prima torna-se indispensável que as nossas FFAA formem um governo apto a enfrentar o que será talvez um dos maiores desafios da nossa História. Este desgoverno, não possui legitimidade, pois foi eleito por urnas eletrônicas manipuláveis, logo fraudáveis e anti-democráticas já que por Lei não aceitam recontagem de votos!

Este governo serve apenas para cumprir diretrizes da Oligarquia Financeira Transnacional e da Nova Ordem Mundial. Existe unicamente pra eles fazerem do nosso território o que bem entenderem.

As nossas FFAA já não têm tempo para qualquer fortalecimento, pois não possui verbas. O globaritarismo que tomou conta do nosso País cuidou bem disso. E a mentalização através do método gramscista, cuidou do resto. O que nos resta? Um punhado de militares com visão do problema, capazes de movimentar forças capazes de dar um BASTA a esta anarquia corrupta e soviética. Será tão fácil se o quiserem! O tempo escasseia e o maior estado policial deste planeta ou potência hegemônica, não vai demorar muito a meter aqui suas garras como faz um pouco por todo o mundo. A IV Frota è um sinal claro dessas intenções. Resta-nos a extensão territorial a nosso favor.

José de Araújo Madeiro disse...

Para Serrão,

A Ditadura PTralha está terrível.E, certamente, com essas bolsas diversas para a massa ignara, o Lula certamente não perderá uma eleição. E se a classe média paga à conta? E se ainda aparecem jornalistas defensores do Lulismo e suas práticas?

E se eles não entendem que é justamente a classe média quem compra jornais e revistas?

Os PTralhas não fizeram a classe média crescer, mas a dividiram, tirando direitos de uma e passando para outra.

E se a burguesia da especulação financeira permanece intacta, aplaudindo Lula e votando no Lula e seus PTralhas, gozando com nossa cara por defendermos a decência.

O rigor das leis, apenas, para os homens decentes, para trabalhadores e cumpridores dos seus deveres. A constituição, para o governo, sòmente o que lhe aprouver. Não a cumpre nos seus deveres, querem alterá-la para fortalecer o seu poder discricionário e sob beneplácido do Parlamento, do STF e outras instâncias superiores da justiça.

Certamente, uma constituinte para elaborar textos que prejudiquem o cidadão e trabalhador.

E o que é isto? Uma ditadura, inegavelmente.E nós que podemos fazer? Onde está o nossso parlamento?

E por isto que devemos trabalhar pela anulação do voto na proxima eleição. Não a abstenção. Mas uma anulação com endereço político.

E a justiça? Agora sabemos o porque a PTralhada do Supremo Tribunal Federal, ter liberado o Battisti. Ter julgado a Raposa Serra do Sol a favor do modelo, entregando nossas fronteiras e que não dá andamento na conclusão do processo do mensalão, através de um dos seus PTralhas, o Ministro Joaquim Barbosa. O STF está repleto de ex-advogados do PT, a exemplo do Antonio Tófolli, do Ricardo Lewandowski, do Ayres de Brito e demais outros.Todos hoje ministros, a serviço do projeto do Lula.

Agora vem mais outra Petista para o lugar da Ellen Gracie, indicada pela Dilma, a primeira-ministra do Lula, já que é este quem realmente governa o Brasil e ficando impune, face seus crimes durante a sua trajetória de vida, desde dos tempos de torneiro mecânico, do dedo cortado.

Os dados do mensalão são claros, não há o que esconder, apenas dissimulação para massa ignara, já que qualquer pessoa de inteligência mediana percebe o que vem acontecendo no nosso país.

Eles, a PTralhada do STF, como sempre, está tentando livrar a cara do Lula, o chefe do mensalão, conforme os dados irrefutáveis para qualquer advogado de província. O Marcos Valério é uma peça de menor importância no processo, embora um ladrão perigoso e astuto.

Assim, o Lula vem desmoralizando o Brasil e está implantando uma ditadura corrupta, talvez sem precedentes na história da humanidade, visto o povão anestesiado pela mídia amestrada. Talvez, não, se todas ditaduras são iguais. Mas é que o Lula é um artífice na Arte Gramscista.

Isto nos dá uma vergonha de ser brasileiro e quando viajarmos devemos ter cuidados para não dizer que somos do Brasil.

Att. Madeiro