terça-feira, 18 de outubro de 2011

O Massacre do Anselmo no Roda Viva



Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net/
Por Jorge Serrão

O tal “Cabo” Anselmo foi massacrado na estreia do formato repaginado do tradicional programa Roda Viva, da TV Cultura. Esperava-se que isto acontecesse. Os jornalistas que o entrevistaram – inclusive eu – fizeram o que tinha de ser feito. Um programa de entrevistas não deve ser perguntinhas acuradas para o entrevistado. Tentou-se tirar de Anselmo alguma verdade histórica ainda oculta. Um problema fundamental foi que ele próprio caiu em uma armadilha temática e não aproveitou ganchos para esclarecer pontos obscuros da versão histórica sobre ele – plantados pelo ideologismo esquerdista.

Na chamada para o programa, no Jornal da Cultura, já se percebia que Alselmo sofreria um massacre. Antes de anunciar o novo apresentador do Roda Viva, Mário Sérgio Conti (Diretor de Redação da revista Piauí), a repórter apresentou o “Cabo” Anselmo como a esquerda revanchista sempre o apresentou: um monstro, traidor, que foi um colaborador direto do esquema de repressão do governo militar (conhecido, usualmente, como “Ditadura”) contra aqueles que se aventuraram na luta armada (para implantar um regime comunista no Brasil – este detalhe, cuidadosamente, a mídia tradicional sempre omite).

Esquerdistas são pintados como heróis (tendo matado, torturado, assaltado bancos e praticado atos terroristas). O outro pólo (definido como “Direita” ou “extrema direita”) abriga os “inimigos da democracia”, promotores do regime de arbítrio, que mataram, torturaram e perseguiram inimigos ideológicos. Esta dicotomia tacanha entre “esquerda boazinha e idealista” e “direita arbitrária e truculenta é tradicional na abordagem da mídia tupiniquim. É um lugar-comum sempre empregado. Afinal, o discurso que prevalece é dos vencedores ideológicos. A História acaba sempre mal contada, repita-se de passagem, por ambos os lados.

Ontem, no palco branquinho do Roda Viva, não foi diferente. A coisa ficou preta para o Anselmo (porque ele mesmo caiu na armadilha de perguntas sobre assuntos que ele não tem ainda resolvidos em seu consciente e inconsciente). Ele saiu da entrevista com um certo ar de derrota. Pelo menos dois jornalistas que participaram da entrevista – Fausto Macedo e Hugo Studart – avaliaram, em off, que ficou uma impressão de que ele foi “massacrado”. O advogado Luciano Blandy, que advoga praticamente de graça para Anselmo teve a mesma impressão. Uns jovens - colocados para abrilhantar o belíssimo cenário -, alguns que nunca tinham ouvido falar do tal “Cabo”, pelo sorriso, entredentes, após o programa, também festejavam, em seu íntimo, o massacre do cara classificado como um Judas, um Calabar, um Joaquim Silvério dos Reis, enfim, um dos maiores traidores da nossa mal contada História.

Repito, mil vezes. O massacre era esperado. A começar pelo tratamento, nos créditos do programa, ao entrevistado: “Cabo Anselmo – ex-militar”. Ainda tentei um parêntesis, no programa, para chamar a atenção, educadamente, de que aquilo não correspondia a tal verdade objetiva que nosso jornalismo tanto prega, mas pouco pratica, de verdade. O “Cabo Anselmo” é uma grande mentira histórica. Primeiro, nunca foi “Cabo”. Nunca passou de “Marinheiro de 1ª Classe”. Segundo, ele não é ex-militar, mas, sim, militar cassado. Foi o centésimo sujeito detonado politicamente pelo Ato Institucional número 1, de 1964.

Não importa se Anselmo aderiu espontaneamente ou se foi forçado, por risco de morte e tortura, a aderir à repressão à luta armada. Foi promulgada uma Lei de Anistia, em 1979, que o Supremo Tribunal Federal afirma valer para “TODOS” os agentes do Estado ou personagens envolvidos em episódios pós-1964. O problema, gravíssimo, é que este perdão só não valeu, até agora, para o José Anselmo dos Santos. Ele tem até um pedido, formulado desde 2004, na Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, para anistia e indenização. Por puro revanchismo, o processo nº 2004.01.42025 adormece na burocracia federal.

Isso é, no mínimo, covardia ideológica. Aliás, ideologia é ferramenta de otário. Bronca, também. A ira contra Anselmo – justa ou injusta – não pode submetê-lo à permanente “tortura psicológica”. Absurdo dos absurdos, em um regime que se pretende democrático, é negar a Anselmo o direito a ter uma Carteira de Identidade. Lamentável é que a turma dos direitos humanos (que mais parece “direito dos manos”) é conivente com o holocausto documental contra José Anselmo dos Santos. É vergonhoso apelar à lentíssima Justiça Brasileira para ter uma identidade, depois que o regime para o qual colaborou deu um sumiço providencial em sua Certidão de Nascimento, no cartório da cidadezinha sergipana de Arraial D´Ajuda.

No Roda Viva de ontem, faltou mostrar o lado humano de Anselmo. Como sempre acontece, não deu tempo. Ele fica refém de explicações que nunca deu direito – por culpa dele próprio ou por alguma falha dos programas que o entrevistaram. José Anselmo dos Santos vive hoje de artesanato. Sobrevive com a pequena ajuda financeira de amigos e de desconhecidos que não concordam com sua situação de “torturado psicológico” (pelos erros dele do passado e pela eficiente máquina ideológica que fabrica heróis e inimigos – conforme as conveniências).

Já escrevi e repito um milhão de vezes. O tal do Cabo Anselmo é um cadáver insepulto da História do Brasil. Reverter sua imagem negativa é praticamente missão impossível. Mas ainda existe espaço para que ele conte sua história por ele sem interferência de terceiros. Se vão acreditar ou não na versão dele, é outro problema. Temos um livro pronto e um documentário em fase de finalização sobre “O Homem que não existe”. Vamos lançar ambos, brevemente.

Embora pareça o contrário, a experiência do Roda Viva de ontem, para Anselmo, foi positiva. Abriu-se um espaço livre para ele falar. Se não aproveitou como deveria, paciência! Ficou evidente, para ele mesmo, que precisa se libertar de fantasmas do passado que o assombram. Correr o risco de revelar algumas verdades, como nunca fez até agora, fará bem ao septuagenário. Como digo no vídeo lá em cima, sou amigo do José Anselmo dos Santos. E tenho certeza de que o tal de “Cabo Anselmo” precisa ser sepultado, sem honras militares. “Cabo Anselmo” não tem salvação.

José Anselmo dos Santos depende dele. E da Justiça! Tomara que ela seja feita, o quanto antes. Para ele e tantos outros injustiçados no Brasil. Além disso, jornalistas e os segmentos esclarecidos da sociedade brasileira (ainda não deformados pelos conceitos errados e preconceitos impostos pela Nova Ordem Mundial) têm o dever de propor e debater mecanismos para que não tenhamos ditaduras no Brasil, no futuro próximo ou distante.

Nosso grave problema – comentei isto nos bastidores do Roda Viva com Mônica Bérgamo, Fausto Macedo e Hugo Studart – é não tirar e aplicar lições de erros ou acertos do passado. Aqui, temos a mania (sem trocadilho infame) de reinventar a roda viva da História. O caso absurdo e extremo de Anselmo é uma grande chance de se olhar para frente, assumindo um compromisso verdadeiramente democrático com o Brasil – cada vez mais solapado por ideologias fora do lugar e pela ação institucional do crime organizado.

Graças ao Roda Viva, o morto assunto “Cabo Anselmo” figurou entre o terceiro mais citado trend topic do Twitter, na noite de segunda-feira, no Brasil. Em resumo da ópera, o massacre jornalístico de ontem não foi em vão.

PS – Na edição desta quarta-feira, o Alerta Total publica a Carta Aberta de Anselmo a Dilma Rousseff.


Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


© Jorge Serrão 2006-2011. Edição do Blog Alerta Total de 18 de Outubro de 2011. A transcrição ou copia deste texto é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

31 comentários:

Anônimo disse...

"Aliás, ideologia é ferramenta de otário".

Quer algo mais ideológico do que esse seu blog, tsc, tsc...

"Em todo homem dorme um profeta e, quando ele acorda, há um pouco mais de mal no mundo..." (CIORAN, E.)

Anônimo disse...

Senhor Jorge Serrão,

Ontem, assisti o programa Roda Viva.
Foi ótimo lhe ver na bancada.
Na minha opinião a sua análise
reflete a realidade, e mais
- Os "justiceiros" estão ai com
sede e gana por mais "grana". -
p.s. Embora poste poucos comentários
sou leitor assíduo do seu blog. Parabéns pela persistência e
coragem de não seguir as "manadas".

Anônimo disse...

Cada um se deita na cama que faz. Logo, assume todas responsabilidades pelos seus atos! Esse tal "Cabo Anselmo", só agora deve ter visto o erro que cometeu.

Mas também a terrorista dedurou vários companheiros de armas e ei-la feita presidente através de meios muito obscuros e ilegitimos. Legalmente ela não póde ser presidente do Brsil e no entanto aí está.

Por falar nisso.

Esse soviético ministro dos Esportes, materialista convicto, agora até já fala em Deus? E chama de bandido a quem o denunciou? Prove!

Bandido è ele que faturou R$ 4 bilhõesa mais com os jogos do PAN e se recusou a apresentar os documentos ao TCU até hoje. Só isso, prova que bandido è ele e quem o nomeou de novo para o mesmo ministério no governo da terrorista!

Ele vai cair, isso vai, mas demorará algum tempo, pois vai negar tudo o que roubou. O violador de jumentas e cabritas (cadê das galinhas o elo mais fraco da bestialidade humana?) outro dia assim aconselhou para quem fosse acusado de corrupçao! Já a terrorista começou defender essa causa perdida tal e qual como o porralouca do lulla sempre fez. A terrorista corrupta e criminosa pois cometeu crime lesa-pátria, veja-se o caso Gemini, deveria ser também acusada no caso Gemini.

Somos governados por doentes e corruptos!

Anônimo disse...

Ao anonimo das 09:26

"Em todo homem, dorme um corno soviético e, quando ele acorda, há um pouco mais de mal no mundo..."

Por que não escreve no Blog do dirceu seu sevandija porralouca? Seu covarde? Por que escolhe Blogs democraticos que tudo publicam, principalmente do Jorge Serrão? Quem lhe disse que os leitores deste Blog estão interessados que soviéticos vem aqui colocar asneiras? Coloque informação, ou como todo marxista FDP, prefere a desinformação, como suas loucas meninges apenas com um neurônio, produzem?

Imbecil!

tsc, tsc....

Anônimo disse...

Não perco seus posts e muito menos perdi a sacanagem dos impropérios proferidos pelo(s) inquisidores na noite de ontem. Não querem ouvir e ou entender que o Grande Anselmo depois de ser COOPTADO pela baba socialista, quando em cuba visualisou o quê iria acontecer com o nosso Pais, lutou da forma que conseguiu e ajudou o Pais a não embarcar na canoa furada que visualizou..É um Heroi Nacional.

Por favôr transmita se possivel meu agradecimento ao Anselmo por ajudar a evitar a derrocada da nossa Patria, ao menos naquela época, pois hoje não sei aonde vai parar esta esbornia que está ocorrendo.

Arthur

José de Araújo Madeiro disse...

Serrão,

Na verdade, o que esses jornalistas querem?

Liberdade de imprensa?

Então que eles vão reclamar e exigir dos PTralhas, que querem censurar a imprensa,rasgando à Constuição, a Lei de Imprensa e ainda a Lei da Anistia, para continuarem roubando sem o povo saber e ainda permanecerem no poder aed eternum.

Ou que vão elogiar a democracia que reina em Cuba, onde a liberdade de imprensa sempre foi respeitada pelos irmãos Castro, onde tem muitos jornalistas independentes do Estado Castrista.

O Anselmo deve cobrar pelas entrevistas que der.Quem quiser saber da História do Brasil que compre livros e vá lê-los, para saber o que diz.

E deixe que a história lhe faça justiça.

Att. Madeiro

Jose sinval Coelho disse...

Gostei de ver o Roda Viva dessa segunda feira, foi muito bom, só não foi melhor por não ver vc, como entrevistador, defender o cabo Ancelmo como deveria.
Acho que se o fizesse, seria uma voz solitária, no meio dos entrevistadores agressivos provocadores. Mas valeu, gostei muito.
P.S. eu não deixo de ver os artigos que vc escreve no seu blog.
Um abraço do amigo e internauta.

Razumikhin disse...

Passando rapidamente por aqui, vi outra pérola do pensamento (digamos que seja) petralha que "açola eçepaiz":
"..Quer algo mais ideológico do que esse seu blog, tsc, tsc..."
O cara (Anônimo) não é capaz de enxergar no comentário dele nenhuma ideologia, não é? Ela (ideologia) só existe nos outros - adversários. Aliás, aposto que ele acredita ser um homem de bem.

Anônimo disse...

Vocês erraram a mão, não deixaram o entrevistado desenvolver nenhuma resposta. Trocaram as "perguntas provocativas" por "condução de respostas", as que queriam ouvir - e nos fazer ouvir. Massacre é o termo correto para quem perdeu a oportunidade de enxergar a história com os olhos do entrevistado. E era isto que nos interessava. Isto ficou claro assim que ele falou do Anthony Sutton... Pelo que leio agora no seu blog, foi bom eu ter desistido de assistir até o final. Teria sacrificado meu sono à toa.

Anônimo disse...

Se o homen era só primeira classe e recebeu este tratamento imaginem os verdadeiros Cabos que receberam o tratamento civilizado imposto pelas Ditaduras Militar e civil do governo L/D: fotolog dos cabos pos 64 ou asane/82. É de arrepiar!

Anônimo disse...

Se o homen era só primeira classe e recebeu este tratamento imaginem os verdadeiros Cabos que receberam o tratamento civilizado imposto pelas Ditaduras Militar e civil do governo L/D: fotolog dos cabos pos 64 ou asane/82. É de arrepiar!

Anônimo disse...

Assisti ontem... e realmente deu dó... o Anselmo foi jogado na cova dos leões sem dó e nem piedade...
Ele foi totalmente despreparado para o programa e não conseguiu expressar toda a situação em que ele viveu e vive, e isso só ajudou a pixa-lo ainda mais como "Judas", se ele foi ou não...? só ele mesmo sabe, mas é facil criticar sem o total conhecimento de causa, pois na maioria as pessoas que o criticam estavam em suas casas na moita enquanto o bicho pegava nas ruas...
Enfim, o Anselmo não deveria ter aceito a participar do programa... se ele não quer expor tudo o que ele sabe, pra que participar de um programa que só vai procurar força-lo a responder peguntas que ele não que responder, e ainda, prejudica-lo ainda mais....

Paulo disse...

Aquele tal de Conti, hein? Mais ptralha impossível, até o Anselmo deu uma sacaneada nos seus inquisitores.
Parabéns Serrão pela sua independência e de mostrar que se houve uma Lei de Anistia e ela foi para todos, não é possível que somente ele pague pelos erros de muitos.

Paulo disse...

Parabéns Serrão pela sua independência. Os ptralhas ali presentes, inclusive este tal de Conti, que mais ptralha impossível, deixaram de ser jornalistas ainda na Faculdade. Triste ver jornalista parcial.

Anônimo disse...

Olha, assisti o Roda Viva de ontem e acho que vc se escondeu, explico: Vc poderia ter pedido para o Cabo Anselmo explicar sobre o Foro de São Paulo.
Todos os jornalistas do Roda Viva ficaram quietos quando o próprio Cabo Anselmo falou 2 ou 3 vezes sobre o tal Foro. A história da contra revolução foi contada e recontada por estes jornalistas que não tiveram sequer a coragem, de fazer uma reportagem sobre o Foro, e isto esta acontecendo agora, é recente. Eles vão escrever que tipo de coisa daqui a 30 anos? Criticam o Cabo Anselmo num contexto de uma época e escondem este raio de Foro. Vc perdeu uma grande chance.

Anônimo disse...

O ministro do Esportes se declara inocente mas não aceita uma CPI.

E bandido são os outros!

Então, tá!

Entendi!

E os R$ 4 bilhões a mais das obras do PAN? Onde estão? Por que não entregou as contas no TCU para investigação?

E bandido são os outros!

Então, tá!

Entendi!

Basta ter sido nomeado pelo traidor lulla (ONU vs povos indigenas vs crime lesa-patria ao vender nossa soberani; Barragem de Itaipu que só poderia pela força do contrato internacional e leis internacionais ser revisto em 2024), e temos a terrorista histérica defendendo este ministro.

Não assina a CPI. Se è inocente, por que não? Bandido são os outros?

Izaías disse...

Se fosse eu a ser massacrado na cova dos leões, como foi o Anselmo, eu gostaria muito que o meu amigo me desse uma ajuda, com algumas perguntas que me abrissem umas deixas para reagir ao espancamento moral e ideológico.
Infelizmente, o amigo na bancada não fez p@##a nenhuma para tentar amenizar o linchamento.
Como eu comentei com minha esposa ao final do programa, com conservadores assim, "tão unidos", quem precisa de esquerdistas?
Uma lástima.

Anônimo disse...

No canal livre da band, alí sim ele deu o recado,perguntas inteligentes,otário fui eu em assistir,e fazia um tempão que não olhava esse canal.
No Brasil temos uma meia duzia de jornalistas, o resto tudo é jornaleiro, que estão lambuzando-se com o patrocinio da caixa,bb etc...
Tá tudo dominado.

Anônimo disse...

Assistí todo o programa.A meu juízo faltou mais objetividade no Cabo Anselmo.Quando lhe perguntaram se dormia em paz por conta de ter traido os companheiros,foi muito evasivo.Ora, como ele mesmo frisou fêz isto para evitar mais mortes,o que seus "interrogadores" não concordaram,é óbvio,pois são do time "politicamente correto" do momento,e acreditam que o objetivo da luta esquerdista na época era pela volta à democracia.Ledo engano.
Seus "inquisidores" tinham aquele ar de superioridade em todos os aspectos,julgavam-se os donos da verdade em cujas mãos anselmo caíra de para-quedas mas como um patinho em lagoa de crocodilos.Até creio que os entrevistadores não acreditaram em nada do que disse Anselmo.Não estavam ali para isso,mas para massacrá-lo.Era Anselmo um sonhador inocente quando discursou na Associação dos Marinheiros um discurso escrito por outro já "raposa velha" na ideologia de esquerda? Se era,foi abduzido pelo próprio discurso proferido,e depois se arrependeu.Quanto ao resto deduzimos pelas suas próprias palavras.

Anônimo disse...

O novo apresentador parece o senador Palpatine, o lord sith de Star Wars:

http://wallpaper.pickywallpapers.com/hd/preview/star-wars-palpatine.jpg

Carlo Germani disse...

Jorge Serrão-O Roda Viva com o Cabo Anselmo,foi uma amostra do grau de esquerdismo doentio do jornalismo brasileiro.É inadmissível nas cabeças desses esquerdistas que um homem prove que não é um psicopata.Ou seja,que
admita arrependimento,faça autocrítica,questione aonde a ideologia marxista queria chegar,
e se dar o direito de não compactuar com atl insanidade.
Esse homem é "Cabo" Anselmo.O que se viu no programa,a começar pelo
âncora errado Mario Cesar Conti,sem
domínio de vídeo,sem carisma,sem liderança e o pior:fazer do programa de entrevista um tribunal de inquisição.Até você Serrão,
sempre muito seguro e corajoso nos temas que aborda no blog (principalmente governo oculto
mundial,oligarquia financeira mundial e Nova Ordem Mundial),foi mais um que se aliou ao linchamento moral de Anselmo.Mesmo solitário,era um momento oportuno,
valorizar a renúncia de Anselmo ao
engodo do movimento revolucionário
dos psicopatas comunistas da época
em implantar um governo ditatorial e comunista nos moldes da URSS e Cuba,e não,o retorno à democracia.
Anselmo,foi ao programa para ser desmoralizado com adjetivos e conceitos (ator,idiota,cachorro,traidor,judas,"calabar,"Joaquim Silvério dos reis",...),mas saiu com mais grandeza do que entrou.Todos os "jornalistas" presentes sairam
diminuidos pela programada ação destruidora contra Anselmo.Esse programa foi emblemático, sobre o
perfil de caráter da quase totalidade jornalística do Brasil.
Um bando de esquerdistas,e só.Numa outra oportunidade, Serrão,
apresente todo o conhecimento verdadeiro (que você tem) da história política do país,não sendo conivente e subserviente a atitudes de "colegas" comprometidos com a
fraude e farsa do movimento esquerdista do passado e do presente.PS2-Até quando o país converirá com a mentira,de que o contra-golpe militar foi danoso ao país,e os comunistas não pretendiam uma "nova Cuba" para o Brasil?

Anônimo disse...

Com amigos assim, ninguém precisa de inimigos.

Anônimo disse...

Coitado do idoso, fou mais uma vez submetido ao "corredor polonês" da patrulha ideológica.Esse conti é uma figurinha apagada que quer abocanhar os royalities pagos pelos saudosistas dos "soviets".O desembargador, então,não entende nada de nada, há,há,há, é um "niilista" de cartola. Enfim, quem sabe da história é o Anselmo. Não tarda o dia em que ele vai contar ao povo brasileiro toda esse capitulo da vida politica brasileira! Abraços.

Luciana Mendes disse...

Pra quem quer saber mais detalhes sobre o Cabo Anselmo, já que ele foi tão interrompido, veja entrevsita no Canal Livre com o Boris Casoy,bem melhor:
http://www.youtube.com/watch?v=7_2YqlEXuoE&feature=related

Anônimo disse...

O Anselmo não deveria se prestar a essa imbecilidade de cair na armadilha da esquerdopatia brasileira. Roda viva? Cultura? Isso é puro PT, na alma e no coração! Depopis reclamam que o pt quer censurar o jornalismo! Como? Já estão fazendo o serviço para elles ao toparem participar de um programa torpe e imundo como o RV.

Manoel Vigas disse...

Saudações.

CONCORDO PLENAMENTE COM O Sr.Carlo Germani ... ( 10:12 PM )

E o FORO DE SÃO PAULO Sr. SERRÃO ?
ESQUECEU DE PERGUNTATR ?

BEM,
O “Sr.José Anselmo dos Santos” LEMBROU-LHE DIVERSAS VEZES !!!

NADA. NADA. NADA.

ASSIM, SÓ, SEM UM OMBRO AMIGO, O COITADO FOI MASSACRADO POR TODOS.

FALEI POR TODOS .....

OS PROATIVOS E OS OMISSOS.

ÊTA AMIZADINHA PORRETA SÔ !!!

Atenciosamente.
Manoel Vigas

Anônimo disse...

Realmente a coisa ficou esquisita para o lado do entrevistado. Mas os jornalistas presentes não ajudaram muito. Muitas perguntas tendenciosas, muito apelo emocional, perguntas supérfluas, muita vontade de confirmar o cara como traidor e ruim. Se esse é o formato novo do Roda Viva--conduzir o rumo das entrevistas sem preocupação genuina com fatos históricos realmente relevantes ( e o sr. Anselmo era uma fonte disto tudo)--se é assim que vai ser no novo formato, não vou perder meu tempo assistindo.

Anônimo disse...

Não fizeram não meu senhor.
O trabalho de jornalista é bem diferente do que foi feito no programa.
Tribunal de exceção?!
Foi lamentável.
Marcelo Cunha - Rib Preto/SP

kita bede disse...

"assuntos que ele não tem ainda resolvidos em seu consciente e inconsciente." Bela maneira de referir-se ao fato de ele ter entregue seus companheiros e sua mulher grávida aos militares, por quem foram brutalmente assassinados.

Anônimo disse...

Fiquei com a impressão de que a entrevista toda era sessão de psicanálise--um monte de terapeutas tentando enetender as razões do coração do cabo Anselmo. Mal deram ao Sr. Jorge Serrão, que escreve a biografia do entrevistado, a chance de fazer comentários--ele era sempre atropelado pelos outros entrevistadores--enfim, perderam a chance de ouvir a opinião de alguém que vem acompanhando de perto a jornada recente do Anselmo e conhecer, talvez, uma outra visão do entrevistado. O novo Roda Viva já começa cheio de vícios, com um time que mostra claramente que quer massacrar o entrevistado que não se alinha com seus princípios, ao invés de conduzir entrevistas que realmente tragam luz aos assuntos comentados. Trabalho pobre de jornalismo! A entrevista do Casoy foi muito melhor conduzida: http://www.youtube.com/watch?v=7_2YqlEXuoE&feature=related é impressionante a diferença de qualidade entre os dois programas!
t. mello

Ricardo Bonzanini disse...

Que blog independente é esse que censura meu comentário? "Ideologia é ferramenta de otário"...o que o senhor e eu estamos fazendo não é a expressão de uma opinião fundamentada em determinada ideologia? Deixe de ser canalha ao dizer que faz jornalismo independente...independente de que? De autocrítica? Independente de bom senso?