sábado, 2 de junho de 2012

Hipocrisia Militar

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Claudio Buchholz Ferreira

Uma mania humana é analisar as situações por uma ótica simplista, por um viés parcial, sem considerar os méritos que conduziram a determinada situação. Ante o caso do Coronel Ustra, temos ouvido de muitos militares, principalmente da Ativa,um ar de condenação, de desdém,não se atrevem a emitir juízo de valor, mas agem com ar de superioridade, tratando-o como uma espécie de ralé da classe, uma aberração. Vide recente proibição ao Coronel Ustra de proferir palestra no CPOR do Rio, julgando-o inadequado.

Peço licença aos que pensam assim pra seguir o seguinte raciocínio. A história de 1964 já é por todos conhecida, mas só para relembrar, estávamos em plena Escalada Revolucionária, e, após sucessivas demonstrações de anarquia, baderna, desordem, precipitou-se a Contra-revolução. Daí em diante aumentou a escalada do conflito interno, até que, em 1966, o atentado a bomba no aeroporto de Guararapes detonou o início da luta armada.

Pergunto aos que se julgam superiores, como deveria ter sido a reação? Tíbia, vacilante, respeitadora dos direitos individuais, o batido Direitos Humanos. Vivemos uma era interessante sobre a égide do terrorismo mundial. Como os americanos deveriam ter confrontado o terrorismo que numa só tacada matou quase 3.000 pessoas? Usando das estratégias tradicionais, pressão diplomática, negociações? Estes que se arrogam superiores por não terem tido que lutar contra o terrorismo, você como militar que solução proporia?

Agora, fora do contexto é muito fácil qualquer um falar sobre como se abusou na luta contra subversão. Como deveriam ter agido, como na Colômbia, onde "coincidentemente" a guerra subversiva se iniciou em conjunto com a que aqui eclodiu. Para quem não conhece o que aconteceu e acontece na Colômbia, basta seguir a lógica.

Quando do surgimento dos primeiros focos de guerrilha, o estado Colombiano vacilou em tomar decisões duras. Sabem o resultado, milhares de viúvas de civis e de militares de todas as armas, quase 50000 mortos, mais de 100 vezes mais mortos do que aqui. Aos que querem ignorar os fatos, basta ler qualquer jornal da Colômbia, veja quantos militares mortos. Isso há mais de 40 anos.

Portanto aos que condenam, saibam que sua paz teve um preço, o fato de poderem viver relativamente em paz, terem um lar para voltar, seus filhos e netos com integridade física, seu próprio bem-estar,é um legado daqueles que cumpriram sua missão, não fugiram ao seu dever, nem a luta.

Soldados da paz jamais devem condenar os soldados da guerra, eles que foram as trincheiras, fizeram o que tinham que fazer.

Na escala da honra isso vale muito mais do que alguém que passou 30, 40 anos em serviço sem sofrer um único arranhão pelo simples fato de ser militar.

Pois foi isso que aconteceu aqui, onde muitos jazem mortos, tendo como único crime ter seguido a carreira militar.

Desçam do seu salto alto, vocês não têm envergadura moral de julgar, muito menos condenar ninguém.Recolham-se aos seus lares, ao seu sono tranqüilo, porque os que cumpriram seu dever, pela ordem e paz da nação estão sendo covardemente linchados.

Claudio Buchholz Ferreira é Capitão-de-Mar-e-Guerra da reserva.

10 comentários:

Manoel Vigas disse...

Saudações.

“SUPOSTAMENTE”

ESTE VELHO DITADO PARECE TER

APLICAÇÃO RECONHECIDA

E TAMBÉM PARECE SER BEM ATUAL:

"O castigo dos omissos é ser governado pelos medíocres" ´

(poeta Vladimir Maiakovisky)

*****************************

NOTA

( TIRADA DO “AURÉLIO” ):

LAMÚRIA ( queixa, gemedeira, lamentação ):

[Do lat. lemuria, 'festas em honra dos lêmures',

nas quais naturalmente havia lamentações.]

S. f.

1. Lamentação (2 e 3).

2. Lengalenga de desgraças,

para se alcançar o que se pede;


choradeira.

*****************************

Atenciosamente.
Manoel Vigas

Skorpio disse...

Excelente texto Capitão.
Enquanto eles menosprezam aqueles que se empenharam na defesa da Pátria contra a ditadura do proletariado, a favor de nossa sagrada liberdade, tranquilo no aconchego de seus lares, graças ao sacrifício de seus irmão de armas no passado, esquecem-se de que seriam a última esperança de nós civis, que não fomos abandonados no passado por nossos soldados e esperançosos de não sermos abandonados jamais. As estatísticas provam que as nossas Forças Armadas ainda são as instituições que gozam do nosso mais alto conceito, de um grande respeito por parte da sociedade. Esperamos que não nos decepcionem.

Skorpio disse...

Excelente texto Capitão.
Enquanto eles menosprezam aqueles que se empenharam na defesa da Pátria contra a ditadura do proletariado, a favor de nossa sagrada liberdade, tranquilo no aconchego de seus lares, graças ao sacrifício de seus irmão de armas no passado, esquecem-se de que seriam a última esperança de nós civis, que não fomos abandonados no passado por nossos soldados e esperançosos de não sermos abandonados jamais. As estatísticas provam que as nossas Forças Armadas ainda são as instituições que gozam do nosso mais alto conceito, de um grande respeito por parte da sociedade. Esperamos que não nos decepcionem.

Skorpio disse...

Excelente texto Capitão.
Enquanto eles menosprezam aqueles que se empenharam na defesa da Pátria contra a ditadura do proletariado, a favor de nossa sagrada liberdade, tranquilo no aconchego de seus lares, graças ao sacrifício de seus irmão de armas no passado, esquecem-se de que seriam a última esperança de nós civis, que não fomos abandonados no passado por nossos soldados e esperançosos de não sermos abandonados jamais. As estatísticas provam que as nossas Forças Armadas ainda são as instituições que gozam do nosso mais alto conceito, de um grande respeito por parte da sociedade. Esperamos que não nos decepcionem.

Skorpio disse...

Excelente texto Capitão.
Enquanto eles menosprezam aqueles que se empenharam na defesa da Pátria contra a ditadura do proletariado, a favor de nossa sagrada liberdade, tranquilo no aconchego de seus lares, graças ao sacrifício de seus irmão de armas no passado, esquecem-se de que seriam a última esperança de nós civis, que não fomos abandonados no passado por nossos soldados e esperançosos de não sermos abandonados jamais. As estatísticas provam que as nossas Forças Armadas ainda são as instituições que gozam do nosso mais alto conceito, de um grande respeito por parte da sociedade. Esperamos que não nos decepcionem.

Anônimo disse...

Oa militares da ativa que temos, nunca foram operacionais nem sabem o que isso sequer significa, logo têm inveja do coronel Ustra.

Tudo se resume a isso! INVEJA de um grande HOMEM!

Militares da porra sem obra feita que deixaram o país chegar a este estado! Panacas mal paridos!

Anônimo disse...

Excelente artigo "Hipocrisia Militar".
Militares "traíra" da história, que renegam aqueles que heroicamente foram à luta em defesa da Liberdade e da Cidadania que hoje todos desfrutamos! Reflitam Hipócritas!

PETRONIO LEITE disse...

Excelente artigo "Hipocrisia Militar".
Militares "traíra" da história, que renegam aqueles que heroicamente foram à luta em defesa da Liberdade e da Cidadania que hoje todos desfrutamos! Reflitam Hipócritas!

Anônimo disse...

EXCELENTE!!! PRECISAMOS DE MAIS HOMENS COMO O SENHOR. INFLIZMENTE OS QUE TEMOS NÃO TÊM ESSA DIGNIDADE E TAMPOUCO A ESTIMULAM NOS SEUS SUBORDINADOS. NÃO FOSSE A REPRESSÃO DAS FFAA CONTRA A GUERRILHA ESTARÍAMOS HOJE, PROVAVELMENTE, NA MESMA SITUAÇÃO POLÍTICA E COM UM NÚMERO DE MORTOS DOS DOIS LADOS INFINITAMENTE MAIOR DO QUE OS POUCOS MAIS DE 300.

BOCA-BRABA

Roberto Twiaschor disse...

Que saudades dos valorosos antigos militares da ativa. Hoje as Forças Armadas estão pacificamente subjugadas aos corruptos que se apossaram "democraticamente" no poder à custa da compra de votos da grande parcerla miserável do povo brasileiro.