sexta-feira, 8 de junho de 2012

O jornalismo necessita ser fiel aos fatos e mais que isso, necessita de liberdade


"O que tem de gente fazendo figa para que a gente não consiga ter sucesso é uma coisa maluca, mas, como eu sou um cristão e tenho muita fé, urucubaca não vai pegar em cima de nós." (Luís Inácio Lula da Silva)

"Liberdade significa responsabilidade; é por isso que tanta gente tem medo dela." (George Bernard Shaw)

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net  

Por Gerhard Erich Boehme

O termo fato tem alguns significados distintos, um de origem duvidosa, talvez do árabe hatu, que em Portugal significa a indumentária completa, geralmente do mesmo tecido, composto de casaco, paletó, colete e calças. Ou para as mulheres fato é um conjunto formado por saia e casaco, geralmente do mesmo tecido. Mas significa lá também, entre outras coisas, um bando, quadrilha ou pandilha. E tanto para eles, lá em Portugal, como aqui, tem o significado de acontecimento. E no campo do Direito, temos o fato jurídico: acontecimento que pode criar, modificar ou extinguir um direito.

Para os que hoje se posicionam como ideologicamente estressados, os fatos são uma ameaça, tanto é fato que até mesmo criaram um partido que ainda carece de registro junto à justiça eleitoral, o tal do PIG. Eles se pelam de medo de que os fatos reportados tomem o caminho e sejam de fato um fato jurídico, e lhes retire o que nunca deveriam ter alcançado, o direito de roubar, corromper, ou melhor, serem corrompidos, de se apropriar de um Estado criado a imagem e semelhança deles: clientelista, com seu capitalismo de comparsas e seu socialismo de privilegiados.

Eles já foram pegos com tanta grana escondida em seus fatos, no melhor estilo português de se dizer a verdade. Mas hoje o que mais lhes assustam é que a imprensa de fato aponte as razões pelas quais eles são, de fato um fato, tal qual os portugueses também definem o termo.

Mas felizmente ainda temos uma uma imprensa livre, que continua a nos apresentar fatos, com destaque agora aos fatos gerados por um desesperado em busca da difícil arte de salvar a própria pele, de se salvar do mensalão, pois o personagem principal do bestseller de Ivo Patarra sabe que na medida em que a justiça for feita, a sua espada irá alcançá-lo, de forma que ela, com a balança que segura na outra mão não perca o equilíbrio.

Teremos então fatos que nos conduzirão ao destino da democracia, pois ela se fundamenta também pelo fato de termos uma imprensa livre, sem que seja subjugada a poderes políticos ou econômicos.

Quem sabe assim a nossa imprensa possa nos premiar com a verdade vinda dos tribunais.

Enquanto isso teremos ainda muitos outros fatos revelados, de como o personagem principal do bestseller de Ivo Patarrra se desligar completamente da noção de que há uma medida e uma verdade acima de nós, que devem ser respeitadas.

De minha parte concordo com muitos que acreditam que a popularidade que este sindicalista ladrão, oportunista, demagogo, ignorante e grosseiro indevidamente ganhou, acarreta um grande mal à democracia e ao futuro de nosso país.

De minha parte espero que sejam revelados fatos e que estes sejam observados pela justiça, para então extinguir um direito que a estes também não pertence: o direito de mentir, de corromper pessoas e instituições, de subornar, de se apropriar de recursos que pertencem de fato aos brasileiros e deveriam ser destinados a bens e serviços públicos.

"A primeira vez que você vier a mentir e eu acreditar, a culpa será sua. A segunda, será minha". (Theodor Boehme)

“(…) com Lula no poder o Brasil tornou-se, de forma premeditada, um dos países mais corruptos do mundo, onde a população se deixa escravizar seis meses ao ano para, entre outras mazelas, financiar o incontrolável aparelhamento da máquina pública, a bilionária propaganda enganosa, os “movimentos sociais” criminosos, as incontáveis ONGs parasitárias, o fausto palaciano, os partidos políticos de aluguel, programas sociais fraudulentos, etc., para não falar no enriquecimento súbito e milionário de amigos e familiares” (Ipojuca Pontes, “Lula, o filho do Mal” 21 setembro de 2009).

Gerhard Erich Boehme é Engenheiro.

3 comentários:

Anônimo disse...

Esses canalhas montaram uma maquina de roubar, o Cavendish eh um laranja da Delta, que eh uma empreiteira de fachada, aquilo ali eh pra receber milhoes do BNDES para ser depositado na conta desses bandidos. Nada adianta ficar aqui reclamando porque a roubalheira nao tem mais jeito, so mesmo fechando o congresso e indo a rua pra gritar FORA DILMA, FORA CABRAL, FORA SERRA, FORA KASSAB, FORA LULA E SEUS MENSALEIROS, precisamos fechar o pais, julgar e prender essa corja que esta ai e convocar novas eleicoes com outros partidos, o resto eh chover no molhado. http://oglobo.globo.com/pais/bndes-emprestou-139-milhoes-delta-entre-2010-2012-5149163

deforti disse...

Esses canalhas montaram uma maquina de roubar, o Cavendish eh um laranja da Delta, que eh uma empreiteira de fachada, aquilo ali eh pra receber milhoes do BNDES para ser depositado na conta desses bandidos. Nada adianta ficar aqui reclamando porque a roubalheira nao tem mais jeito, so mesmo fechando o congresso e indo a rua pra gritar FORA DILMA, FORA CABRAL, FORA SERRA, FORA KASSAB, FORA LULA E SEUS MENSALEIROS, precisamos fechar o pais, julgar e prender essa corja que esta ai e convocar novas eleicoes com outros partidos, o resto eh chover no molhado http://oglobo.globo.com/pais/bndes-emprestou-139-milhoes-delta-entre-2010-2012-5149163

deforti disse...

Esses canalhas montaram uma maquina de roubar, o Cavendish eh um laranja da Delta, que eh uma empreiteira de fachada, aquilo ali eh pra receber milhoes do BNDES para ser depositado na conta desses bandidos. Nada adianta ficar aqui reclamando porque a roubalheira nao tem mais jeito, so mesmo fechando o congresso e indo a rua pra gritar FORA DILMA, FORA CABRAL, FORA SERRA, FORA KASSAB, FORA LULA E SEUS MENSALEIROS, precisamos fechar o pais, julgar e prender essa corja que esta ai e convocar novas eleicoes com outros partidos, o resto eh chover no molhado. http://oglobo.globo.com/pais/bndes-emprestou-139-milhoes-delta-entre-2010-2012-5149163