quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Manifestação de Repúdio

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net  
Por Geraldo Almendra

O único sentimento que posso sentir dessa classe política sórdida e de seus cúmplices, que dominam nosso país, é um absoluto nojo.

Mais um novo escândalo de corrupção é descoberto pela PF, desta vez, envolvendo a representação da Presidência da República em SP, novamente com personagens ligadas a Lula e Dirceu, entre outros.

Enquanto o Brasil é reconhecido como um dos países que menos retribui para a sociedade serviços e obrigações sociais compatíveis com a carga tributária criminosamente escorchante que pratica, já se perdeu a conta dos bilhões de reais desviados dos cofres públicos pelos canalhas da corrupção e do suborno.

Pior do que tudo isso é a omissão e o covarde silêncio majoritário da sociedade que não se apresenta de forma relevante nas ruas para repudiar veementemente a gang dos 41 e seu verdadeiro chefe já denunciado, a maioria dos patifes já condenada pelo STF, mas ainda todos livres, trabalhando ativamente nos bastidores de nossa apodrecida República para livrarem-se da justa prisão, continuando a corromper e subornar novas ou antigas alianças.

Juntam-se a esses pulhas corruptos e subornadores centenas de empresários que continuam agindo como cúmplices ativos para que o Brasil se consolide no cenário mundial como um Paraíso de Patifes, majoritariamente mantidos impunes pelo apodrecimento moral de nossa Justiça, que tem no STF, no CNJ, e na PF - excluindo-se os advogados de bandidos fantasiados de togados - exemplos isolados de tentativas de resgate da seriedade, honestidade, dignidade, ética e moralidade que devem caracterizar o Poder Judiciário como fundamento de sua existência.

A moralidade, a dignidade e a honestidade no nosso país estão em estado terminal depois de mais de 12 anos de absoluto domínio do submundo da corrupção e do suborno pelo PT e seus cúmplices, que espalharam seus sórdidos tentáculos pelos poderes Federal, Estadual e Municipal.

Rosemery Noronha e tantos outros, cativados pelo transmissor do vírus da ilicitude como principal valor de sobrevivência, não são nada mais do que filhos dos ovos de uma serpente da degeneração e da degradação moral das relações públicas e privadas: o mais sórdido político da história do país, o Retirante Pinóquio que, não fossem os telhados de vidro espalhados por suas gangs nos poderes públicos, já estaria preso em regime fechado pelos gravíssimos crimes de lesa pátria dos quais é o principal mentor e responsável, já denunciado por um condenado como o verdadeiro chefe do Mensalão, sem nunca ter vindo a público desmentir ou processar o autor da denúncia.

Esta semana a sociedade foi agraciada por mais uma demonstração de como esses desgovernos petistas espúrios nos avaliam como idiotas e imbecis. Depois da reportagem sobre a transposição do rio São Francisco, sem considerar os roubos e graves erros já cometidos nessa obra – símbolo dos estelionatos eleitorais cometidos pelo PT – que já mais do que dobrou seu custo em bilhões de reais, uma ministra vem à público, com o maior dos sorrisos e cara-de-pau, comunicar aos lesados pelo PT que, em 2014 – ano da tentativa de reeleição da presidenta Dilma –, a água irá jorrar nas terras abandonadas pela histórica incúria e desrespeito pelos contribuintes praticadas pelos desgovernos civis, principalmente os do PT.

Ao mesmo tempo assistimos milhares de pessoas fazendo uma manifestação do Rio sobre a perda de arrecadação de royalties que irá comprometer competições esportivas internacionais, ao mesmo tempo em que a falência da saúde, da educação, do saneamento e da segurança pública diariamente se evidencia na vida de quem trabalha para sobreviver com dignidade e honestidade, e não roubando os contribuintes.

Como são calhordas algumas dezenas de “esclarecidos” – muitos contratados para aparecer no palco da manifestação no Rio com o dinheiro dos contribuintes – de algumas classes, entre eles alguns pertencentes à classe dos artistas, com diversos sendo investigados pela PF pela sonegação de impostos entre outros crimes, mas que continuam protegidos pela banda podre do poder público federal, estadual e municipal, e pelos departamentos jurídicos de seus contratantes que são beneficiados pelas benesses oficiais para que a sociedade se mantenha em um estado de subcultura que dá grandes audiências a tudo aquilo que não presta para a formação e educação dos cidadãos.

Geraldo Almendra é Articulista.

Nenhum comentário: