domingo, 28 de julho de 2013

O Papa Jesuíta e o Poder Político Instituinte

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alerta – www.fiquealerta.net
Por Jorge Serrão
serrao@alertatotal.net

Será que o Papa Francisco, um jesuíta com marketing franciscano, inaugura uma nova etapa no sistema globalitário em que sobrevivemos? Nas entrelinhas dos discursos do simpático e cativante líder espiritual da Jornada Mundial da Juventude está exposta uma clara pregação da Política como um Poder Instituinte para mudanças.

O líder máximo da secular Companhia de Jesus, que inaugurou a globalização há mais de 500 anos, só não usou tal termo especificamente. No entanto, claramente, pregou o Poder Instituinte - um direito, coletivo e individual, dos cidadãos criarem, modificarem, aprimorarem e revogarem instituições.

Na prática da vida, Política é definir o que fazer, de preferência, corretamente. Toda política, para ter sucesso consistente, precisa ser baseada na Verdade (a Realidade Universal Permanente). Assim, a Política consegue ser a ação focada no Bem Comum, independentemente de vontades pessoais, ideologias ou partidarismos.

Política tem a ver, diretamente, com a Justiça – o reconhecimento de regras a serem cumpridas por dever de consciência – e não por coerção de alguém, um grupo ou “autoridade”. A Política depende da Democracia (a segurança do Direito, através do exercício da razão Pública).

Para a Política ganhar efetividade e importância prática na vida humana, ela depende da Ética – o reconhecimento e a prática consciente daquilo que é Verdadeiro, Correto, Justo e Bom. Releia nosso artigo: Ética, Democracia, Política e Liberdade: teremos algum dia?


Sabendo perfeitamente que a religião exerce uma influência muito mais profunda sobre a sociedade e os indivíduos que a tradicional Política (mesmo que com “P” maiúsculo), o Papa Francisco acaba de usar a força secular da religião católica para mandar o mais importante recado político para o mundo.

Francisco afirmou: “A política é muito suja, mas pergunto por que é assim? Por que os cristãos não fazem política com o espírito evangélico? É fácil dizer que a culpa é do outro, mas o que eu faço? É um dever de um cristão trabalhar pelo bem comum”.

Francisco acentuou: “Se concebo o poder de uma maneira antropológica, como um serviço à comunidade, é outra coisa. A religião tem um patrimônio e o põe a serviço do povo, mas, se começa a se misturar com politicagem e a impor coisas por baixo do pano, se transforma em um mau agente de poder”.

Francisco recomendou: “Entre a indiferença egoísta e o protesto violento, há uma opção sempre possível: o diálogo. O diálogo entre as gerações, o diálogo com o povo, a capacidade de dar e receber, permanecendo abertos à verdade. Um país cresce quando dialoga de modo construtivo”.

Na linha do discurso de Francisco, o indivíduo volta a ser encarado como um missionário da História, com responsabilidade Política Instituinte. Curiosamente, ao menos em princípio, tal pregação contraria a tal Nova Ordem Mundial que prega ações coletivistas, pensamentos únicos e unificantes, modelos padronizados a serem seguidos pelas diversas pessoas em diferentes Países, com o conceito de Nação flagrantemente desfigurado.

O Poder Instituinte é fácil de entender. Como recentemente escreveu Antônio Ribas Paiva neste Alerta Total, “o Poder Instituinte é inerente aos povos, que em dado momento de sua história, podem instituir o que lhes aprouver, na preservação e ou consecução do bem comum, e da própria nacionalidade”. O Poder Instituinte não pode ser exercido por representação, até porque, eventualmente pode tratar da modificação da própria representatividade. Releia 

Pergunto novamente: Será que o Papa Francisco, como porta-voz da Companhia de Jesus, inaugura uma nova etapa no sistema globalitário em que sobrevivemos? Ou o Chefe de Estado do Vaticano, em breve, corre o risco de tomar um chega pra lá do esquema da Nova Ordem Mundial? Cabe também cogitar: será que o Papa não quer apenas dar uma reformada no atual sistema?

A complexa resposta vai depender da capacidade e vontade Política de cada um dos indivíduos que reunirem informação e conhecimento suficientes para entenderem que o globalitarismo é uma furada, um golpe suicida, contra a humanidade. O problema é que os controladores da New World Order são jogadores de xadrez, que antecipam várias jogadas adiante, e se adaptam, facilmente, de forma camaleônica.

Na hipótese mais pessimista, fica claro que os sábios da Societas Iesu (SJ) – fundada em 1534 sob a liderança de Inácio de Loyola – perceberam que o atual modelo de poder globalitário só vai nos levar ao abismo e precisa ser “reformado”. Considerada o “Exército de Cristo”, a SJ leva a sério a célebre frase do Inácio, para ressaltar a obediência à hierarquia católica: “Acredito que o branco que eu vejo é negro, se a hierarquia da Igreja assim o tiver determinado”.

Por tal visão de Loyola, os Jesuítas se vestem de negro. E nada custa lembrar da famosa profecia de São Malaquias, sobre um “Papa Negro” ser o “último da Igreja” (antes de uma nova etapa histórica a ser constituída, que, necessariamente, pode não ser o “fim do mundo”, como na tradução mais radical).

Quando foi escolhido Papa, Francisco até fez a brincadeira de duplo sentido, ao lembrar que era um Papa vindo do “fim do mundo” (lá da Argentina, do Terceiro Mundo, bem longe da Europa, o Primeiro Mundo, que sempre elegeu os chefes de Estado do Vaticano). O ex-cardeal Jorge Mario Bergoglio empregou o “fim do mundo” no sentido denotativo ou conotativo? A dúvida persiste...

Profecias à parte, numa análise bem pragmática, o recado do Papa na Jornada Mundial da Juventude em terras brasileiras parece verdadeiro, correto, justo, bom e, portanto, Ético. Daí, novamente, a dúvida: Será que faremos bom uso da mensagem política, transformando-a em missão dada para ser cumprida?

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Julho de 2013.

11 comentários:

Anônimo disse...

Depende da consciência de cada um. Uma coisa é certa: será necessário deixar o egoísmo, vaidade excessiva e o individualismo de lado e ter mais solidariedade, mais união. Ter mais respeito uns com os outros. Abaixo a hipocrisia.

Anônimo disse...

Com o PT no comando da nação, não haverá solidariedade, respeito ao pensamento divergente, a exaltação à Família, à Pátria e ao amor.
Faz-se necessário deletar todo e qualquer indício do nefasto comunismo.
Seu post, Serrão, está justo e perfeito.
TFA.:
Gaudêncio Sette Luas.

Anônimo disse...

Serrão, não sei o quanto você crê em coisas espirituais, mas te garanto que esse Papa veio com uma missão que não é terrena. E acompanho também todo o horror psicopático da tal Nova Ordem Mundial, e tem umas coisas que poucas pessoas neste nosso mundo cínico e desiludido perceberam:
1- O fim do domínio dos psicopatas já começou. NINGUÉM mais acredita neles, nem os mais duros de coração, simplesmente porque eles NÃO SÃO confiáveis, são um bando de ladrões mentirosos. Isso começou em 2008 com a crise dos bancos e só piorou de lá pra cá.
2-Gente cínica e sem esperança não confia mais na Grande Oligarquia. Isso é o beijo da morte.
3-Se não confiam, não acreditam mais em nada do que eles falam. E você só controla aquilo que outros te confiam.
4-Esse Império da Psicopatia é muito vasto, não cai de uma hora para outra, mas vai cair sem dúvida, pois se eles não caírem acabam com o mundo. O instinto subconsciente de sobrevivência da espécie está se expressando.
5-Alternativas são necessárias, pois o Império da Psicopatia...FALIU!
Este Papa é jesuíta, como você bem destacou. Os jesuítas sempre foram incompreendidos pois têm uma visão acima de tudo espiritual, obtida através de mediatções e exercícios duríssimos (os exercícios espirituais de Ignacio de Loyola) que não são para qualquer um, e focalizam especificamente na natureza de Cristo - ou seja, visam buscar saber a essência da mensagem de Cristo para somente então traçar as linhas de trabalho.
Eu consigo entender isso porque pratico meditação há anos, e por isso entendo o sentido do trabalho do Papa Francisco (aliás, poderia dizer muito mais, mas deixa pra lá, ainda não é a hora), e por isso sei que ele é o portador da "Real Thing"
Mas não acredite em mim, tente fazer um retiro de 30 dias seguindo as linhas de Ignacio de Loyola ou qualquer outra meditação, e você verá o que realmente está acontecendo. Por si próprio.
Acredite, é uma nova esperança. Temos uma saída.

Anônimo disse...

"...bem longe da Europa, o Primeiro Mundo, que sempre elegeu os chefes de Estado do Vaticano)."

O sr. Jorge Ferrão demonstra como todo mundo hoje em dia não conhecer a História da Igreja Católica.

A Igreja Católica também teve Papas da África e do Sudoeste Asiático. Quando se desconhece a História, vira-se MARIA-VAI-COM-AS-OUTRAS.

Augusto Coelho disse...

Excelente o seu post. Tinha colocado algo nessa linha no meu facebook. Mas você foi competentemente inteligente. Vou reeditar, lá no facebook, citando, obviamente sua autoria e seu blog. Parabéns.

Cidadão Brasiliano disse...

Nenhuma nem outra.

O tal "poder instituinte" é a base do Liberalismo Político -Poder Local -, que institui o Liberalismo Jurídico - baseado nos DIREITOS INDIVIDUAIS - e cumina num Liberalismo Econômico, afinal, há que se pagar as contas do Liberalismo todo.

Cidadão Brasiliano disse...

Nenhuma nem outra.

O tal "poder instituinte" é a base do Liberalismo Político -Poder Local -, que institui o Liberalismo Jurídico - baseado nos DIREITOS INDIVIDUAIS - e cumina num Liberalismo Econômico, afinal, há que se pagar as contas do Liberalismo todo.

Cidadão Brasiliano disse...

Nenhuma nem outra.

O tal "poder instituinte" é a base do Liberalismo Político -Poder Local -, que institui o Liberalismo Jurídico - baseado nos DIREITOS INDIVIDUAIS - e cumina num Liberalismo Econômico, afinal, há que se pagar as contas do Liberalismo todo.

Cidadão Brasiliano disse...

Nenhuma nem outra.

O tal "poder instituinte" é a base do Liberalismo Político -Poder Local -, que institui o Liberalismo Jurídico - baseado nos DIREITOS INDIVIDUAIS - e cumina num Liberalismo Econômico, afinal, há que se pagar as contas do Liberalismo todo.

Anônimo disse...

Tânia SP
Serrão, enquanto o PT permanecer no Poder, acho difícil.
Primeiro tem q fazer uma limpa lá em Brasília, p/ dps pensar numa ação focada no bem comum, como disse o Papa.
Precisa de muito desprendimento, e isto os políticos de hj não conhecem esta palavra, infelizmente!!!!
Difícil de acreditar em alguma mudança agora, mas temos q confiar, não podemos perder as esperanças jamais.

Antonio Carlos Zamith Jr disse...

Mais um com imaginação doentia. A Cia de Jesus foi perseguida pelas monarquias européias por ser contra a escravidão de índios e negros. Não fundou máfia nenhuma. Esse cara deve ser crente. O Papa Francisco é contra a máfia econômica mundial que gerou a crise de 2008 e o desemprego na Europa. Na Argentina contra o bolivarianismo da caudilha Cristina Kitchnmer que quer implantar uma ditadura por meio s legais como na Venezuela. Ele não veio roubar no BNDES, BB, CEF e nem verrda da FIFA. Mais uma idiotice