segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Máquina Podre


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net    
Por Aristide Marchettti

Todas as receitas falharam. O que se tem às mãos é uma gigantesca e fétida máquina podre, conhecida como civilização contemporânea.

A falência total das instituições, reverberada através dos cínicos que procuram manter uma aparência de ordem - um biombo de papel colocado para esconder o caos.

Todas as liberdades e repressões são cadáveres escorados por essa gente que, em busca do poder pelo poder assassinaram o Bom Senso e agora exibem o arcabouço enegrecido e putrefato dos valores da civilização infestado de vermes em profusão infernal.

Não sabem mais como conduzir os desígnios da horda.

Cada vertente puxa o cadáver para o seu lado, tornando-o cada vez mais horrível e deformado.

E insistem.

Não para agregar valor mas para trazer tudo para o lado dos seus interesses espúrios.

Insanidade.

A Ignorância, vencedora sobre os escombros, sorri.

Um sorriso pérfido.
Venceu.

Venceu sobre a Inteligência e o Bom Senso.

Se apraz com sua vitória.

Há um séquito interminável de seguidores à sua volta.

Desde o mais corrupto dos indivíduos até os moradores das favelas mais imundas e ignotas.

Infeliz do sobrevivente são que tenta romper esse estado de coisas.

É execrado. Derrotado.

Não é morto. Ainda. É necessário antes folclorizá-lo, desacreditando-o.

É a máquina podre em seus movimentos ondulatórios de vermes em profusão a avançar cada vez mais.

O seu interesse é a aniquilação dos valores que, saudáveis, mantinham os homens em ação profícua.

Nesse desfile de sandices vemos "damas" ofendidas em plenário, criminosos perdoados e glorificados, invertidos transformados em "super cidadãos", a incompetência estatal ressuscitando cadáveres e abrindo arquivos mortos, vemos um número crescente de homicídios, de mortes no trânsito, de pilantras comissionados em cargos para usufruírem do erário, vemos os pregadores da "felicidade", vemos igrejas proliferarem como botecos nas periferias imundas, vemos os ricos criarem feudos murados, com o Igreja ao lado.
Vemos os privilegiados lançarem-se como cães famintos sobre todos os espaços e brechas deixados a seu bel prazer pelo Estado.

O movimento ondulatório desse séquito sob os arcos formados por gigantescas costelas carcomidas, o cadáver do Conhecimento Superior, degradado para servir a um grupo, onde a soberba e o poder irrestrito são condecorados, caminha em um cenário dantesco de um final trágico.

Não antes de passar pelas câmaras do Purgatório, esse onde alguns se refastelam e a maioria absoluta encontra a falência final.

Aristide Marchettti é membro do Observatório Civil da Violência em Ribeirão Preto (SP).

Um comentário:

Loumari disse...

Dear Aristide, now listen this lovely melody;

My Love is your love by Whitney Houston

http://youtu.be/dsYuqffq4GM

"My Love Is Your Love"

(clap your hands, yall its alright....)

If tomorrow is judgement day (sing mommy)
And I'm standin' on the front line
And the Lord ask me what I did with my life
I will say I spent it with you

If I wake up in WW 3
I see destruction and poverty
And I feel like I want to go home
It's okay if your commin' with me

Cause your love is my love
And my love is your love
It would take an eternity to break us
And the chains of Amistad couldn't hold us

If I lose my fame and fortune
And I'm homeless on the street
And I'm sleepin' in Grand Central Station
It's okay if you're sleepin' with me

As the years they pass us by
We stay young through each other's eyes
And no matter how old we get
It's okay as long as I got you babe

[Chorus]

If I should die this very day
Don't cry, cause on earth we wasn't meant to stay
And no matter what people say
I'll be waiting for you after judgement day

[Chorus]