segunda-feira, 6 de julho de 2015

Fundo Petros pela bola Sete?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Salgado

Creio que todos deste fórum têm conhecimento que o nosso Plano Petros BD é um plano maduro (aos demais fundo maduro é fundo já fechado, com mais aposentados recebendo que ativos contribuindo). Portanto não pode se enfiar em aventuras financeiras pela responsabilidade que deve ter com esses benefícios.

Infelizmente é só isso que temos visto acontecer. Como resultado de tudo isso, vamos vender com deságio as ações da BRF Foods (Perdigão) porque não conseguimos vender Itaúsa, norte energia, Invepar, Sete Brasil. Estamos expostos, perigosamente, a um percentual elevado em investimentos em renda variável e para corrigir vamos vender as cerejas do bolo.

A Sete Brasil, desde o seu início demonstrou ser uma aventura, povoada de espertos que, graças à Lava Jato, acabou por desmoronar como um castelo de areia.

Investir, ou melhor, ser obrigado a injetar dinheiro em um projeto que não tem qualquer perspectiva de retorno, a curto, médio e, no passo atual, também no longo prazo, não pode ser prioridade de gestor comprometido com uma fundação de previdência complementar.

Os 4 fundos de pensão que “investiram” o futuro dos seus participantes eram estatais, ou por eles dominado, pois o Valia, da Vale, é controlado também pelo Governo Federal através dos outros demais fundos (lembrar que o presidente da Vale foi saído foi determinação do lulla).

Certamente um fundo de pensão não pode assumir o risco que cabe ao Governo Federal. Investir em infraestrutura às custas de comprometimento de benefícios de aposentados devia dar cadeia, incluindo aqui seus defensores.

Muito pior que tudo isso acima escrito é ver que o conselheiro eleito por indicação do CDPP compareceu a uma CPI para defender tal “empreendimento”, dando a entender que é um bom investimento feito pela Petros. Esqueceu de relatar os problemas da nossa fundação que, segundo informações de hoje, está com grandes chances de rachar o prejuízo em 2017 entre os participantes e a patrocinadora, conforme consta no endereço http://veja.abril.com.br/blog/mercados/alimentos-e-bebidas/sob-nova-gestao-petros-planeja-vender-lote-de-brf/.

Sérgio Salgado, Aposentado da Petrobras, foi conselheiro fiscal do Fundo Petros.

Um comentário:

Anônimo disse...

Serrão, pior que os participantes do Petros ficarão os aposentados do INSS, se o governo resolver adotar aqui no Brasil o que foi postulado para "salvar" a Grécia, i.e., reduzir (ainda mais!!!) os proventos dos aposentados que recebam acima do salário mínimo... e já há quem comente, "a boca pequena", a possibilidade de ser feito mais este "ajuste", que será "enfiado goela abaixo" dos velhinhos, "justificado" para evitar uma possível "futura inadimplência" do INSS.