sábado, 18 de julho de 2015

Gastos e envelhecidos


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

Presidentes das casas do Congresso Nacional e parlamentares, citados por recebimento de propinas de empreiteiras ligadas à Petrobrás, protagonistas de uma crise política que se avizinha, com desfecho  longe do previsível, sem o menor resquício de preocupação com o interesse público, concentrados que estão em questões paroquiais e pessoais. 

Poder Executivo desatinado, sem condições de governo, com membros também relacionados aos escândalos de corrupção, responsável direto pela ruína da economia, ao enganar, ocultar dados, represar artificialmente valores de tarifas, com a finalidade explícita de se manter no poder a qualquer custo. 

Judiciário que não inspira a menor confiança na população, corporativo, reivindicador de um reajuste que devastará as contas do governo, aos servidores mais bem remunerados do serviço público, possuindo um representante máximo que, ao se encontrar às escondidas com a Presidente agride o estado democrático e insere cheiro de cordite golpista no ar. 

É com este panorama, marcado por um misto de vergonha e apreensão, que a sociedade, impotente ou, talvez, sem potencial de reação, já atormentada com desemprego em ascensão, inflação progressiva e ausência de expectativa de crescimento, vê o futuro de seus filhos ameaçado por uma geração de homens públicos gastos e envelhecidos, sem perspectiva de renovação sadia a curto ou médio prazo. 
Urge que o povo brasileiro assuma um posicionamento assertivo e imediato, sob risco perder o poder que ainda não compreendeu que lhe cabe.


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

Um comentário:

Anônimo disse...

Capitão, o Brasil se tornou um antro de ladrões, não vejo uma solução a curto prazo,a não ser que o povo derrube os três poderes,pois a descaração chegou a um ponto que não tem volta,em um País sério, o encontro clandestino entre a presidente da República e o Presidente do poder Judiciário, em outra Nação sem agenda Pública, os dois seriam presos na chegada de volta ao País.