sábado, 8 de agosto de 2015

Juízo, senhores governantes


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Gilberto Pimentel

Tomara que a "luta armada nas ruas, armados com a força do argumento” como dito por consagrado colunista político no seu artigo de hoje se mostre suficiente para mudar os rumos do País.

Ontem, assistindo ao programa político do PT, repleto de ironias, provocações e até de veladas ameaças, adquiri a convicção de que se as investigações da Polícia Federal subirem a rampa do Planalto ou mesmo chegarem ao ex-presidente Lula, vai haver reação.

Exército do Stédile? Sei lá, não importa, seja que manifestação de força ilegal for, nos remeterá a um quadro que pode se tornar insustentável à Democracia construída com o sangue e o suor de tantos brasileiros.

Lembram de 1964? E aí? Aceitaríamos o caos ou um outro Poder constituído convocaria a Força Legal que dispomos? Esse grupo que hoje dirige o Brasil nada aprendeu, e pior, finge governar um outro país que não o nosso. Juízo senhores governantes. Assumam seus erros.

O Brasil já pagou caro demais!


Gilberto Pimentel, General, é Presidente do Clube Militar.

2 comentários:

Jayme Guedes disse...

General, vivi a época dos governos militares e dela só tenho saudades. O que ganhei com a transferência do poder aos civis foi o direito de escolher o ladrão que irá me roubar.

Anônimo disse...

Prezado General, há muito se esperava uma manifestação do Clube Militar.
O PT dentro do seu Projeto de Poder por prazo indeterminado utilizou-se do dinheiro público brasileiro, para fortalecer o populismo de extrema esquerda nas Américas do Sul, Central, África e Caribe, financiando obras de infra-estrutura em vários países, e emprestando dinheiro do nosso suor, que estavam no BNDES, para esses países. Instituiu a maior corrupção que se tem conhecimento na história da humanidade.
A presidente foi reeleita com mentiras, enganações, ardis, reprováveis, e o uso de dinheiro que não era dela nem do partido dos trabalhadores.
Esses e outros desmandos geraram dois processos contra a presidente: 1) de cassação de seu mandato por abuso político e econômico nas eleições de 2014, o que equivale dizer que sua eleição está "sub-judice"; 2º) processo para exame das contas do governo relativas ao ano de 2014.
Pensam os integrantes do governo e do PT que podem ironizar e provocar aqueles que foram enganados nas eleições. Sentem-se no direito de fazer ameaças veladas, àqueles que nominalmente se opõem às suas falcatruas, e ao povo que não aceita mais o governo federal.
Os brasileiros querem o fim do mandato da Dillma, com respeito à Constituição Federal democrática de 1988.
As instituições seculares e que sustentam a Democracia no país devem ser respeitadas, e os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (exceto Tóffoli) e do Tribunal de Contas da União devem ter autonomia e independência para julgar os dois processos acima mencionados, e para isso precisam estar livres de ameaças.
E as suas decisões devem ser respeitadas pelo STF, onde sabemos estar aparelhado com provavelmente 6 ministros que votam politicamente a favor dos bolivarianos petistas.
Enfim, que o povo brasileiro deseja é que o TSE e TCU possam julgar de forma independente e autônoma.
E pensamos não caber apenas à Polícia Federal e ao corpo interno desses tribunais a segurança dos ministros dos tribunais, mas se faz necessária a participação das Forças Armadas do Brasil. O governo federal ameaça o povo com o exército do Stédile, e este já teve pedindo ajuda aos venezuelanos.
Conclui-se que os poderes constituídos através do Poder Executivo e Judiciário provavelmente não convocariam as Forças Armadas, o Legislativo talvez. Mas de qualquer forma, as forças armadas, no caso de desrespeito à decisão de um dos Poderes da República, e em caso de ameaça a pelo menos um desses poderes e/ou à população civil ou militar, através de forças ilegais, deve corresponder à convocação das Forças Armadas, pelo povo, pois o poder emana do povo em em nome dele é exercido. É o que se espera da corporação ativa das FFAA.
ANTONIO AUGUSTO.