quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O fator militar


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Marcelo Rech

A entrevista do comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, a Guilherme Mazui, da sucursal de Brasília, e publicada domingo em ZH, deve ser entendida pelos dois lados do espectro político como uma barreira de proteção contra atos tresloucados. Tanto para os que querem o fim imediato ou a manutenção do mandato de Dilma a qualquer preço, o antídoto apresentado pelo general se chama Constituição.

A fala do comandante pode dar a impressão de que ele está se imiscuindo em um roteiro exclusivamente civil, mas não é bem assim. Diante da ameaça de uma crise institucional e de turbulências nas ruas, não por acaso o general volta e meia recita o Artigo 142 da Constituição: "As Forças Armadas... destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem".

Ou seja, o que o Exército de 2015 está dizendo é que não se meterá em aventuras à margem da lei e que, ao contrário, agirá para manter a via constitucional descongestionada. Leia-se assim: se os demais poderes, Congresso e Judiciário, entenderem que Dilma fica, cumpra-se o escrito.

Mas, se entenderem que sai, não adianta o Planalto chamar de golpe e convocar a tropa do MST para oferecer resistência. Fazer cumprir a lei e a ordem neste caso deve ser compreendido também como garantir a paz social e o funcionamento das estruturas básicas do país, como água, luz, sistema bancário etc, em remota hipótese de descontrole generalizado.

Paradoxalmente, a chegada ao Ministério da Defesa de um líder do PC do B que é tão comunista hoje quanto o dono do Alibaba deu certo alívio às Forças Armadas. Aldo Rebelo se identifica com o nacionalismo dos militares e tem conhecimento das doutrinas e das necessidades das três forças, graças sobretudo a anos de atuação dedicada na Comissão de Relações Exteriores e Defesa da Câmara.

Cauteloso, Rebelo não pretende remexer no passado e muito menos empurrar as forças para uma partidarização à la bolivariana — oficiais brasileiros se horrorizam ao ver colegas venezuelanos enviados ao Brasil declamando cegamente "Patria, Socialismo o Muerte!". A divisão do Exército em correntes esteve no centro de todas as crises militares dos últimos 100 anos. Hoje, para tranquilidade do país, a única corrente é a da defesa da Constituição.


Marcelo Rech é Jornalista do grupo Zero Hora, em cujo jornal o artigo foi originalmente publicado em 15 de outubro de 2015.

7 comentários:

Carlos Bonasser disse...

Embora saibamos que um ministro de Defesa aqui no Brasil não se imiscui muito em assuntos técnicos operacionais, não podemos esquecer que o atual MD, é um elemento do PC do B, o braço dissidente do PC...que no regulamento do partido, que há muito já deveria ter sido de novo proscrito, diz que ao chegar a um cargo máximo de qualquer Governo, o elemento deve promover todos os esforços naquele cargo para o bem do PARTIDO...observem por lá.
No que tange ao Comandante do Exercito, ele esquece que ao fazer vistas grossa ao que vem ocorrendo no desgoverno comunista do PT/PMDB e base assalariada, esmagando as Instituições, com o proposital objetivo de aparelha-las, está sim dando apoio aos CORRUPTOS, LADRÕES E USURPADORES DA PÁTRIA, com o beneplácito da Constituição, que eles abominam, e da legislação confeccionada como luva para os ditos, parlamentares, que só para exemplificar temos cerca de 1/3 deles envolvidos em inquéritos e processos por diversos crimes, dentre eles: corrupção, lavagem de dinheiro etc. e tal...abra o olho General, bem como os outros Comandantes da Marinha e da Aeronáutica...estão, smj, fazendo os senhores de bobos.
O que desejo é que nossas FFAA deem um tranco no País, na Nação...assim como fizeram em Honduras, arrumar a casa extirpar os corruptos da vida publica e promoverem eleições...só isso...e é isso que o povo quer, já nos cansamos dessa tal democracia sem vergonha que somente beneficia aos corruptos da hora...eles se beneficiam dela, assim como o safado do Chaves, graças que já esteja morto, para alcançarem seus objetivos populistas e interesseiros...já não convence ninguém...PELO QUE SABEMOS DEMOCRACIA NÃO É ISSO,O NOME DISSO É SAFADEZA E CAFAJESTICE...
Abraços.

Anônimo disse...

Defesa da Constituição? Mas as Instituições estão sendo respeitadas? Vamos ver: na PGR,Janot está do lado do Governo; no STF,a Dilma se gaba que tem a seu favor cinco ministros;o trabalho do Congresso impedido por apenas dois ministros,Teori Zavaski e Carmen Lúcia;no Ministério do Exército colocaram lá um mulher do MST; o ministro do Exército é um civil petista.Querem mais?Então a instituições estão sendo respeitadas? Isso,sem falar que o Stédile colocaria seu exército na rua! Fala sério! A quem estão querendo enganar? Assim não dá para ser feliz!

Anônimo disse...

AF disse:

Poxa Serrão, só bla bla bla esse artigo... não engana mais ninguém e você sabe disso! Nem necessita ser rebatido... as pessoas mais esclarecidas que aqui frequentam seu blog já sabem reconhecer uma desinformação.

Anônimo disse...

A única corrente é a de ficar de 4 para os comunistas. É isso que esses traidores e canalhas de farda mais gostam....

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Mais parece estarmos vivendo num mundo de analfabetos políticos e jurídicos.O ilustre articulista da ZH "piora" a confusão feita pelo General Villas Bôas. Ficar refém do Judiciário e do Congresso é uma posição muito cômoda para quem não tem coragem nem disposição de agir mediante a intervenção das FFAA. O que essa gente tem que entender,e está muito difícil,é que as FFAA só precisam de autorização/requisição do Congresso ou do Judiciário,para intervir,conforme o art.142 da CF,para GARANTIA DA ORDEM e da LEI.Mas para a DEFESA DA PÁTRIA e GARANTIA DOS PODERES CONSTITUCIONAIS,as FFAA tem soberania para decidir,sem ouvir qualquer dos Poderes (3). Essa "dependência" (dos Poderes Legislativo ou Judiciário)que estão alegando é desculpa esfarrapada com boa dose de omissão e mesmo covardia. As FFAA têm que entender que elas não só PODEM,mas DEVEM (é um dever) intervir,por conta própria, se presentes os pressupostos

Anônimo disse...

Ô Sergio, fã do "lado bom" de Marx e outros contos de fada, só bestas quadradas como vosmecê ainda não perceberam que esses "coma-andantes" estão se fazendo de morto porque foram colocados em suas posições precisamente para fazer o que estão fazendo: ajudar a destruir as instituições militares e entregar o Brasil a essa malta. Mas como você crê em história da carochinha e ainda acha que trata-se de um problema de hermenêutica constitucional, fique aí esperando a ação desses canalhas...Ela virá, e será para ajudar aniquilar os opositores ao governo.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

(Ao anônimo das 7:43 AM); Acho que vou ter que recorrer a entidades que trabalham com os mistérios do "além" para me livrar desse "encosto" que não larga o meu pé. Estou começando até a duvidar da inteligência Divina (embora não questione a Sua infinita bondade ) que deu aos idiotas boca para falar e mãos para escrever,o que se agrava quando feito na covardia do anonimato. Esse tipo de gente sempre é o mais beneficiado por esse arremedo que chamam de "democracia". Nenhum regime acolhe tão bem os idiotas como uma democracia pervertida,ou seja,a oclocracia.