terça-feira, 13 de outubro de 2015

O inútil sininho no Gato


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Um amável leitor fez o seguinte comentário sobre a reformulação das leis no dia seguinte:

“Dr. Mantiqueira, genial a sua idéia mas... lembra muito aquela história dos ratos que decidiram colocar um sininho no pescoço do gato para que ele, quando se aproximasse - fizesse barulho.

A pergunta que não quer calar é: QUEM VAI COLOCAR O SININHO NO PESCOÇO DO GATO?

Não vale responder Forças Armadas, porque essas "já eram" desde que Geisel defenestrou Sylvio Frota, no distante 1974.... Ademais, o outrora "Braço Forte, Mão Amiga", já está "na pindura" desde 1989 quando o corajoso e coerente Bolsonaro "pôs a boca no trombone" e levou cana "por falar a verdade.

Parece que as pessoas COERENTES, COMPETENTES, HONESTAS nunca têm vez, porque os medíocres, incompetentes e desonestos dominam e sufocam.

Para mim tudo isso é "wishfull thinking" = excesso de otimismo... O senhor não acha? “

Sem falsa modéstia, a ideia é factível e não genial.

Quanto ao gato, não se preocupe; no dia seguinte virará tamborim.

Alexandre Magno foi aluno de Aristóteles e um grande guerreiro. Um país poderoso se faz com boas armas e bons livros. Assim, construiu Alexandria e sua notável biblioteca.

Temos os melhores generais. Nós civis, devemos municiá-los com propostas de reorganização nacional, fruto de nossas experiências de vida, fora dos conventos que chamamos quartéis.

Excesso de otimismo é querer ver pronta a grande catedral que chamamos Brasil.

Humildes pedreiros, devemos lançar bons alicerces para que nossos pósteros concluam a obra.

Detalhe: o trabalho e para construtores sociais e não para empreiteiros tradicionais...


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Loumari disse...

Vamos viajar para Moçambique a ver o que aqueles palonços de la estão a fazer!

Maputo acolhe 2ª conferência nórdico– moçambicana sobre crescimento inclusivo

O Governo de Moçambique, representado pelo Ministério da Economia e Finanças, e as Embaixadas Nórdicas em Moçambique, nomeadamente, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia, vão organizar em conjunto, na quarta e quinta-feira, em Maputo, a 2ª conferência nórdico – moçambicana sobre crescimento inclusivo.

A conferência contará com a presença do Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, e Erkki Tuomioja, Membro do Parlamento e Ex-Ministro dos Negócios Estrangeiros da Finlândia, para a sessão de abertura. O objectivo da conferência é de discutir e compartilhar experiências sobre uma variedade de assuntos fulcrais dentro do âmbito alargado de crescimento inclusivo, com vista a identificar quais políticas e medidas são necessárias para aumentar as probabilidades de um processo de desenvolvimento sustentável de Moçambique, a longo prazo e de um modo inclusivo, num contexto em que Moçambique está a registar avanços no desenvolvimento do sector de petróleo e gás.

Durante a conferência de dois dias, várias sessões e mesas redondas vão ter lugar para discutir vários assuntos relativos ao crescimento inclusivo, particularmente o aspecto do género, inclusão da juventude na economia, desenvolvimento de negócios, empreendedorismo e conteúdo local, agricultura de pequena escala com perspectiva comercial, assim como descentralização e democracia. A conferência vai contar com a participação de várias personalidades Moçambicanas, incluindo antigos e actuais membros do governo, parlamentares, políticos locais, académicos, representantes do sector privado e da sociedade civil. Especialistas e peritos vindos dos Países Nórdicos e do resto do mundo também vão participar como oradores e painelistas, permitindo uma interessante mistura e partilha de experiências e pontos de vista entre personalidades moçambicanas, nórdicas e de outras nacionalidades com vista à promoção do Crescimento Inclusivo em Moçambique. A primeira conferência nórdico - moçambicana sobre crescimento inclusivo foi realizada em Maio de 2012. Redacção

Fonte: Jornal Diario de Moçambique

Loumari disse...

ÚLTIMOS DESEJOS DE ALEXANDRE O GRANDE

À beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:

1 - que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos melhores médicos da época;
2 - que fossem espalhados no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...); e
3 - que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões. Alexandre explicou:

1 - Quero que os mais eminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;

2 - Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;

3 - Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Loumari disse...

Três pequenas estórias para inspirar a alma :

Certa vez, o povo de uma vilarejo decidiu se reunir no centro do lugar
para rezar pedindo por chuvas...Mas apenas um garoto trouxe
guarda-chuva.
Isso é FÉ;

Quando você joga um bebê de um ano de idade para o alto, ele gargalha
porque sabe que na queda alguém irá segurá-lo.
Isso é CONFIANÇA ;

A cada noite, antes de dormir, não temos garantia nenhuma de que
estaremos vivos na manhã seguinte, mas, ainda assim, colocamos o
despertador para tocar.
Isso é ESPERANÇA.
Que nunca lhe falte fé, confiança e esperança !!!