domingo, 10 de janeiro de 2016

SEC e Lava Jato apuram erro ou omissão de Dilma em denúncia de Paulo Roberto Costa contra White Martins


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A Securities and Exchange Commission, xerife do mercado de capitais nos Estados Unidos, investiga que relação pode existir entre uma delação premiada de Paulo Roberto Costa (sobre uma propina de R$ 1 milhão supostamente paga pela White Martins ao doleiro Alberto Youssef) com os negócios nebulosos de uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) da Petrobras e com a transnacional de gases, controlada pela Praxair. A SEC recebeu e analisa documentos que comprovam que Dilma Rousseff foi oficialmente notificada e advertida sobre várias irregularidades acerca da parceria, desde quando presidiu o Conselho da Petrobras, foi Ministra das Minas e Energia, ocupou a Casa Civil de Lula até, finalmente, chegar à Presidência da República.

O mesmo caso investigado pela SEC norte-americana também é alvo de investigação pela Força Tarefa da Operação Lava Jato. Tudo porque, em 25 de agosto de 2015, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, durante a acareação entre o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, este último retificou o que havia dito sobre repasse de recursos para a campanha do senador Humberto Costa (PT-PE). Segundo o ex-diretor, que tem a condição de delator premiado, o pagamento de R$ 1 milhão não foi feito por Youssef, mas pela empresa White Martins, que tem uma SPE com a Petrobras - a Gemini (ou GásLocal).

Diante desta declaração, e considerando que, caso mentisse, o ex-diretor corria o risco de perder as vantagens obtidas com a aprovação de sua delação premiada duas perguntas são inevitáveis. Primeira: é de se imaginar que Paulo Roberto Costa seria idiota a ponto de arrolar levianamente o nome da White Martins em uma acareação feita durante uma CPI? Segunda: caso fosse indevidamente citada numa CPI, a White Martins não tentaria provar que o delator premiado mentira, para que o mesmo perdesse as vantagens obtidas com a sua delação?

Até agora, as respostas são um silêncio sepulcral e comprometedor, enquanto a SEC e a Lava Jato investigam denúncias, e o mercado de gás natural liquefeito se torna objeto de competição acirrada pelos maiores conglomerados do planeta.

A White Martins como corruptora?

A White Martins – empresa pertencente ao grupo norte-americano Praxair Inc. – já foi, inclusive, condenada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) pelo mais grave dos crimes contra a economia popular, a formação de cartel. O delito pelo qual a White Martins foi "punida" não era um cartel qualquer. O objetivo era hediondo: fraudar o caráter competitivo de licitações para superfaturar gases medicinais contra nossos miseráveis hospitais públicos.

Na determinação do valor da multa imposta à White Martins, o CADE considerou dois fatos: a gravidade da infração cometida, e a condição de a empresa ser reincidente em infrações contra a ordem econômica. O elevado valor de referida multa, obrigou a Praxair Inc a publicar a seguinte nota na página 92 do Relatório Anual de 2013, chamando a atenção para a gravidade da punição:

“On September 1,2010, CADE (“Brazilian Administrative Council for Economic Defense”) announced alleged anticompetitive activity on the part of five industrial gas companies in Brazil and imposed fines on all five companies. Originally, CADE imposeda civil fine of R$ 2,2 billion Brazilian reais (US$ 939 million) against White Martins, the Brazil-based subsidiary of Praxair, Inc. In response to a motion for clarification, the fine was reduced to R$1,7 billion Brazilian reais (US$ 726 million) due to a calculation error made by CADE.”

Apelando ao Dicionário de Joel Santana, pode-se traduzir, de forma livre e resumida: "Em setembro de 2010 o CADE multou a White Martins em 2,2 bilhões de reais (US$ 939 milhões), mas que, devido a um erro de cálculo cometido pelo CADE, tal multa foi reduzida para R$ 1,7 bilhões (US$ 726 milhões)". O caso está em fase de julgamento de recursos, com elevada chance de condenação transitada em julgado.

Acontece que, a partir da delação do ex-diretor da Petrobras, a situação da White Martins ficou bem mais delicada. A empresa agora corre risco também de responder por corrupção no âmbito de processos da Operação Lava Jato. Como é controlada pela Praxair Inc  – e a corrupção é um crime considerado da maior gravidade pela lei norte-americana, a matriz da transnacional pode ter dores de cabeça com a análise que a SEC faz de denúncias formais feitas por investidores brasileiros que processam a Petrobras na Corte de Nova York.

Institucionalmente, a situação fica ainda mais delicada, porque o presidente da White Martins, Domingos Bulus, acumula este cargo com o de presidente da Praxair na América do Sul. A tese jurídica é: seria impossível a White Martins (como denunciou Paulo Roberto Costa) destinar verbas para subornar políticos no Brasil, sem o conhecimento oficial da cúpula da Praxair Inc. A SPE da White Martins com a Petrobras é uma das caixas pretas que precisam ser decifradas.

Outra tese que a SEC pode levar em conta. A Foreign Corrupt Practices Act (FCPA) — ou Lei de Práticas Corruptas no Exterior, em tradução livre — pode ser usada contra empresas subsidiárias de empresas norte americanas no Brasil, e contra a matriz norte-americana. Diante da magnitude das consequências que poderão advir (principalmente para a Praxair Inc., em tribunais dos EUA), uma coisa é certa: a White Martins só não provará que o delator premiado mentiu, se ele, de fato, estiver falando a verdade. O ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás será acionado, aqui e nos EUA, para explicitar melhor sua denúncia. O escândalo pode bater diretamente na Presidência da República Federativa do Brasil.

Dilma e os delatores

Com toda a certeza, a Presidente Dilma Rousseff – que se esforça para desacreditar o procedimento de “delação premiada” – festejaria muito se ficasse provado que o mais representativo dos delatores da Lava Jato incriminou falsamente políticos e empresas. Publicamente, como marketing político pessoal, Dilma sempre repudiou delatores. O problema, agora, será se livrar das consequências da denúncia de Paulo Roberto Costa contra a White Martins.

Referindo-se à Inconfidência Mineira, a Presidenta afirmou: “Há um personagem que a gente não gosta, porque as professoras nos ensinam a não gostar dele. E ele se chama Joaquim Silvério dos Reis. É o delator.”
Na mesma oportunidade, aproveitando para faturar em cima de seu tema recorrente, a “ditadura militar”, a presidente alfinetou: “Eu não respeito delator. Até porque eu estive presa na ditadura e sei o que é. Tentaram me transformar em uma delatora. A ditadura fazia isso com as pessoas presas.”

Diante da manifesta aversão da Presidenta a delatores, não ter questionado a denúncia de Paulo Roberto Costa significa concordar que são verdadeiras as revelações dele sobre R$ 1 milhão pagamentos à campanha eleitoral do senador Humberto Costa. Até agora, não apareceu uma razão plausível para que o líder petista no Senado não tenha ido às últimas consequências para dinamitar o delator que mais colaborou para fazer ruir os pilares da Petrobras. Costa silencia sobre Costa. No entanto, a SEC e a Força Tarefa da Lava Jato apuram o que aconteceu na nebulosa parceria entre a generosa doadora White Martins e a Petrobras.

Dilma, a transparente opaca

Recentemente, em 7 de janeiro de 2016, em um café da manhã com jornalistas que fazem a cobertura do Palácio do Planalto, falando sobre a Operação Lava Jato, Dilma se vangloriou: “Tenho clareza de que devo ter sido virada do avesso e tenho clareza também de que podem continuar me virando do avesso. Sobre a minha conduta não paira nenhum embaçamento.”

Na verdade, a coisa fica embaçada para Dilma no caso Gemini/GásLocal. O excesso de auto-confiança da Presidenta nos remete a um fato que foi amplamente divulgado pelo Alerta Total: a sociedade por meio da qual a Petrobras passou para a White Martins o cartório de produção e comercialização de Gás Natural Liquefeito (GNL).

Para encurtar a conversa, apenas uma pergunta sobre citada sociedade, que foi arquitetada e constituída no período em que Dilma acumulava os cargos de Ministra de Minas e Energia e Presidente do Conselho de Administração da Petrobras: o que foi feito das diversas denúncias protocoladas para Dilma Rousseff (na Petrobras e no Palácio do Planalto) sobre referida sociedade, que continua, até hoje, sangrando os cofres da saqueada Petrobras?

Logicamente, a pergunta acima só pode ser respondida por Dilma, mas as denúncias para ela protocoladas podem ser vistas por qualquer pessoa no site www.maracutaiasnapetrobras.com. Dilma pode terminar enquadrada, no mínimo, por omissão, pelo fato de não ter investigado o caso com um mínimo de rigor. Além disso, as mesmas denúncias formalizadas a Dilma já são objeto de apuração (em fase adiantada de análise de documentos) pela SEC e (em velocidade ainda lenta) pela Força Tarefa do Ministério Público Federal na Lava Jato.

Eis um escândalo com potencial não só para alimentar o movimento de impeachment (agora quase neutralizado) contra Dilma, mas também para se transformar em um processo contra ela, futuramente, em tribunais norte-americanos, caso a SEC entenda que o caso deve extrapolar a esfera da regulação do mercado de capitais, evoluindo para um processo federal com base na rigorosa Foreign Corrupt Practices Act.

Arapongagem da Petrobras?

O mercado financeiro recebeu, pessimamente, a inconstitucional notícia de que a Petrobras fechou uma parceria com a Agência Brasileira de Inteligência, a fim de evitar um novo Petrolão.

Empregados da estatal de economia mista também não gostaram do acordo, pois se transformam, oficialmente, em alvo de espionagem - o que fere seu direito individual.

Em tese, todos se transformam em suspeitos com a atuação legalizada de um esquema de vigilância sobre os negócios da petrolífera, que é uma empresa de economia mista controlada pela União (que no caso brasileiro é o desgoverno de um Estado Capimunista, Corrupto e Canalha).

Certamente, empregados da Petrobras devem acionar advogados e recorrer ao Supremo Tribunal Federal para impedir que sejam vítimas da arapongagem contratada pelo presidente Aldemir Bendine - o mesmo que o Wall Street Journal denunciou apenas trabalhar na terça, quarta e quinta, folgando às segundas e sextas-feiras...

Aquarela Virtual


Espetacular canção do Clube do Choro São Bernardo do Campo, na voz de Paulo Veríssimo, com composição e arranjo de Marcos Murilo de Almeida Passos.

No vídeo com direção de fotografia de Bruno Passos, aparecem: Lígia Danielius (Pandeiro), Marcos Murilo (Violão), Gil Pontes (Percussão) e Valter (Trombone).

Tudo gravado nas dependências do Clube do Choro de São Bernardo que subsiste com a cara e coragem dos seus integrantes, não possuindo qualquer apoio financeiro ou político para tanto.

Felizmente, temos poetas que encontram uma forma lírica de narrar o drama (na verdade uma tragicomédia) da realidade brasileira, que vive tempos de mudanças, em uma revolução que vai redundar em uma Intervenção Cívica Constitucional.

Vida dura de condenado na Lava Jato


Circula no YouTube vídeo no qual o empresário e delator premiado Júlio Camargo, enrolado na Lava Jato, foi alvo de duríssimo protesto e expulsão de um restaurante em Angra dos Reis...

Só falta, agora, Camargo acionar seu advogado Antonio Figueiredo Basto para processar a turma que atrapalhou o almoço dele em um restaurante de bacanas, porém pts da vida com a corrupção que assola o Brasil.

Júlio Camargo é suspeito de ter recebido uns R$ 266 milhões em negócios que intermediou na Petrobras - valor bem superior aos R$ 40 milhões que a Força Tarefa lhe impôs como multa no acordo de "colaboração premiada".

Em busca de outro País


É dando que se recebe - inclusive via Moçambique

A revista Época escancarou que, em viagem ao continente africano em março de 2013, a Presidenta Dilma Rousseff recebeu pedido do presidente de Moçambique, Armando Guebuza, para permitir o financiamento de US$ 320 milhões do BNDES ao empreendimento da empresa brasileira Andrade Gutierrez, na construção da barragem de Moamba Major.

Em setembro de 2013, em reunião da Câmara de Comércio Exterior (Camex), o melhor amigo de Dilma, então ministro do Desenvolvimento Indústria e Comércio e hoje governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, fez prevalecer entendimento favorável à flexibilização de garantias para conceder o empréstimo.

Em julho de 2014, durante a campanha eleitoral no Brasil, o financiamento ao empreendimento na África foi finalmente concedido pelo BNDES.

Inacreditável

Por mera coincidência, no mês seguinte à assinatura do contrato com o BNDES, no dia 20 de agosto, às 8h54, Edinho Silva, então tesoureiro da campanha presidencial à reeleição de Dilma, visitou Otávio Marques de Azevedo no escritório da Andrade Gutierrez, em São Paulo.

Nove dias depois desse encontro, marcado por uma hora de conversa, a empreiteira realizou uma transferência no valor de R$ 10 milhões para a campanha de Dilma.
Em seguida, do dia 23 setembro a 22 de outubro de 2014, a construtora doou ao todo mais R$ 10 milhões, em três parcelas.

Entre as empreiteiras brasileiras, a Andrade foi a principal contribuinte da reeleição de Dilma, desembolsando quase o triplo do total repassado pela UTC - enrolada na Lava Jato.

Indo fundo


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 10 de Janeiro de 2016.

11 comentários:

Loumari disse...

Em Janeiro, Jaques Wagner está entrando no inferno?
Pois não. Como Jaques Wagner pode entrar no inferno sendo ele mesmo o inferno?

Li aí acima:

"Em nota, o ministro informou que, o Brasil será um outro país após a apuração das denúncias."

Ele tem razão de fazer esta afirmação. Eles estão a se separarem de todos piões quais já não lhes é de nenhuma utilidade e reduzir o cerco, delimitar a esfera e deixar unicamente a sua disposição a tropa leal a dinastia cujos chefes é o Duo de choque formado por Lula e Wagner.

Anônimo disse...

Bem agora que Loumari reapareceu, ficamos no aguardo de seus comentários sobre o democrático e impoluto governo do presidente Guebuza.

Cada um na sua - deixe nossos falcatrueiros, tipo Jaques Wagner, para nós brasileiros. Fale-nos dos seus, tipo Guebuza.

Sds

Anônimo disse...

A anta gorda Dilma diz que não gosta de delatores, mas ela pelo que tudo indica foi a maior delatora de seus companheiros de terror, quando presa dedurou todos e logo foram presos ou eliminados pelos que defendia o País...a ojeriza dela é que quando falam em delação, toca na ferida dela e uma anta gorda ferida é fod@...
Abraços.

Carlos Bonasser

Anônimo disse...

Sobre a White Martins, tem um ex-servidor da PETROBRAS, um senhor muito sério cujo sobrenome é VINHOSA, vem relatando as maracutaias da Petrobras e esses contratos de gás...ele inclusive enviou diversos documentos à anta gorda e não obteve a resposta a altura...pesquisem por aí junto ao protocolo do palácio da anta...

Abraços

Carlos Bonasser

Loumari disse...

Se querem saber sobre Guebuza que investiguem sobre ele vocês mesmos. Que sejam úteis em algo para as vossas vidas. Quantas vezes Guebuza pôs os pés no Brasil e quantas vezes Lula visitou Guebuza em Moçambique? Por acaso Guebuza tinha o poder de forçar o Lula e depois de Lula, a Dilma a tirar dos cofres públicos bilhões de dólares americanos para darem ao Guebuza?
Guebuza não roubou dos cofres públicos de Moçambique para dar ao Brasil. Mas, Brasil roubou ao seu próprio povo para ir dar bilhões de dólares a um vulgar que nem cão tem melhor postura todos bilhões roubados ao povo brasileiro.
Lula até armas de guerra enviou para Moçambique por intermediário da China, para consolidar o Guebuza contra o chefe da oposição Afonso Dhlakama.

No dia 30 de Junho de 2013 foi publicado no Alerta Total um artigo intitulado: "O Senhor das armas contra Dilma?" E eu reagi ao artigo e enviei o meu comentário para todos os meus contactos.

Resultou que no mês de Setembro de 2013 foram desembarcados diversos equipamentos militares, onde havia camiões militares, canhões e outras artilharias de guerra proveniente de China. E quem pagou o tal armamento foi Brasil.

Esta foi a minha reacção ao artigo sobre o senhor das armas contra Dilma?: leiam se lhes interessa:

O mundo já está totalmente louco. Havia mesmo necessidades para que um tipo como lula viesse a ser promotor de armas de guerra?
Estes já estão podres de dinheiro, então para quê esta obstinação de esmagar ainda ao pobre que já está a terra e no estado de agonia?
Estes gajos fizeram do mundo propriedade própria, como se tudo o que houvesse na terra fosse bens criadas por suas próprias mãos, então se dão o direito de servirem de tudo quanto lhes dê as ganas. Indivíduos que se autoproclamaram deuses todos poderosos.
Que Deus nos dê vida para a gente assistir com os nossos olhos o fim deles.
Esta que se lhe imputa ao lula me deixa boba! Um individuo publico? Um perfil com a notoriedade de lula? Dito e reputado pioneiro de democracia moderna? Mama mia! Olha que a coisa está feia mesmo! Se tornou este homem um CAMALEÃO? Um cata-vento?
Até aqui os Lords of Wars, eram indivíduos com perfil anónimo. São em geral Apátridas. Eles detêm entre 5 a 7 passaportes de nacionalidades diferentes. O que faz que é praticamente impossível de prende-los. Se, se lhe prendem como americano, sai de alguma parte um passaporte russo, que certifica que é cidadão russo. E Rússia tem grande influencia na África, o que faz que qualquer presidente de algum pais africano, só com uma chamada do Kremlin, ceder a petição dos russos, e executam as ordens ditadas pelos russos.
E maior parte das armas usadas na África são de fabricação russa e ucraniano.

Loumari disse...

Brasil é a meretriz imperiosa que dá o pago a todos os seus amantes, para que todos venham a ela. Só que cada um dos amantes que recebeu a paga da meretriz imperiosa terminou mandando os manguitos a GRANDE PROSTITUTA.
Brasil rouba ao seu próprio povo para ir comprar notoriedade pelo mundo; Venezuela, Bolívia, Cuba, Moçambique, Angola, Guiné Equatorial, Malawi, Sudão e outros mais... mas a tal conquista não deu certo. Todos os países onde Brasil foi se vender para ganhar notoriedade, resulta que todos, depois de receber o dinheiro que Brasil tinha a oferecer, lhe repudiaram.
Para começar, Guebuza já não é presidente de Moçambique, mas ele guardou todo o dinheiro que Lula, tanto Dilma lhe ofereceram.
Quem é esperto aqui, e quem é bruto?
O novo presidente de Moçambique o Nyusi, este também quer a sua parte. Ainda tem Brasil bilhões de dólares americanos para enriquecer a este para se manter em Moçambique e continuar tendo notoriedade lá?
Assim que a coisa que se oculta no anónimo de 10:19 AM revisa as suas cuecas.
Se você está do lado dos poderosos, dos dominantes como o Wagner, por que então você se esconde detrás do anonimato? Não é porque você não tem sossego, e sabe que em qualquer momento você pode ser guilhotinado na praça pública?
Se você se sente valente, então, desafia-nos. Expõe-se com virilidade, e assuma-se com valentia. Você é o que chamo de pinto molhado.

Loumari disse...

Por que a alma em pena oculta no anônimo de 10:19 AM diz Loumari reapareceu?
Loumari nunca se ausentou. Ela está presente no Alerta Total cada dia que Deus faz, como o Sol.

Anônimo disse...

Farinha do mesmo saco:

Ao lado, Aécio ao lado de Carolina Bassi, cunhada do deputado Alexandre Baldy, com quem o senador jantou nesta quinta em Miami. Aécio voltará hoje da Flórida, onde foi descansar e curtir os votos que concedeu intramuros para o governo Dilma, enquanto vociferava contra ela extramuros.


Do site Diário do Poder:

Os abacaxis que o governo Dilma descasca na Câmara nem de longe se repetem no Senado. Na maioria das vezes, em 2015, os opositores votaram a favor do Planalto: PSDB (63%), DEM (61%) e PPS (56%).

Aécio Neves (PSDB-MG) e Davi Alcolumbre (DEM-AP) dividem o primeiro lugar entre os opositores que mais votaram de acordo com o governo Dilma: foram 16 favoráveis e 6 contrários, ou 73% das vezes.

Ao longo do primeiro governo Dilma, Aécio era um pouco menos governista. Votou com o Planalto em 68% das vezes.

- Oposição a qualquer governo que não seja o seu é o melhor que fazem os petistas quando estão na oposição.


Chico Trevas

Brasil faliu

Loumari disse...

Esta informação foi publicada pelo jornal de Moçambique o Correio da Manha N° 4247 de 21 de Janeiro de 2014



EM CURSO 30 NOVOS PROJECTOS DE INVESTIMENTO ATÉ 2013 Brasil investe cinco biliões de dólares em Moçambique

Moçambique é o país que mais beneficiou da cooperação com o Brasil a nível dos restantes países africanos ao longo de 2013, tendo acolhido pouco mais de 30 novos projectos de investimento avaliados em cerca de cinco biliões de USD. As áreas cobertas pelo investimento brasileiro estão ligadas aos sectores da Agricultura, Saúde, Educação, Formação Profissional, Desporto, Comércio e Ciência e Tecnologia, segundo fonte da Embaixada brasileira em Maputo. Para além daquelas iniciativas, o Brasil financia as obras de construção do Aeroporto de Nacala, estudos para construção da barragem de Moamba-Major, gemelagem entre a Empresa Pública de Electricidade do Brasil (Eletrobras) e Electricidade de Moçambique
(EDM), bem como o projecto ProSavana e a fábrica de medicamentos anti-retrovirais. Para o presente ano de 2014, os governos de Moçambique e Brasil estão a criar um grupo de trabalho interministerial para monitorar e expandir o fluxo de comércio e investimentos entre os dois países, de acordo ainda com aquela representação diplomática, realçando que a iniciativa
visa acelerar o desenvolvimento socioeconómico de Moçambique, “inspirado na experiência de desenvolvimento inclusivo adoptado pelo Brasil”, salienta a instituição. Refira-se que Moçambique integra a lista dos países africanos que mais investimento directo estrangeiro captaram, em 2013, devido, sobretudo, ao capital brasileiro. (J. Ubisse)

Loumari disse...

O que deve ser precisado sobre os tais projectos que foram aprovados em cooperação com Brasil, quais o governo do Brasil com o acordo do Congresso desbloqueou tais fundos de financiamento, muitos dos projectos não viram o dia e o dinheiro sumiu. E concernente o Aeroporto de Nacala, construído pela Empreiteira brasileira Odebrecht o projecto foi inaugurado antes de terminar. Isto porque outra parte dos fundos se evaporou.

O que o governo de Brasília fez foi usar Guebuza como pião, e claro remunerando-lhe muito bem com ditas comissões vantajosíssimas. Se serviram de Guebuza como ponte para chegarem aos seus fins. O objectivo era de tirar o mais possível de dinheiro dos cofres públicos do Brasil e colocar este dinheiro fora do país para usar-o no devido momento. O dinheiro saía de Brasil para Moçambique e logo que chegava em Moçambique o dinheiro transitava para fora de Moç., e ia aterrar nos Bancos de Dubai. E depois o dinheiro era reintroduzido no Brasil como investimento exterior, com isso comprar partes de empresas quase já deficitárias (depois de sabotadas) e assim se apropriarem de todas as mais importantes empresas nacionais brasileiras. E outra parte do dinheiro foi utilizado para financiar campanhas eleitorais, e o movimento do dinheiro era feito por intermediário das Empreiteiras Brasileiras.

Anônimo disse...

QUAL O FIM DO JUIZ QUE TOMOU POSSE DO CARRÃO E DO PIANO DO FIGURÃO???