quarta-feira, 6 de abril de 2016

Frases do Metamorfose Ambulante - Noço Guia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

- "Não é mérito, mas, pela primeira vez na história da República, a República tem um presidente e um vice-presidente que não têm diploma universitário. Possivelmente, se nós tivéssemos, poderíamos fazer muito mais" (Primeira Leitura 13/09/2003 e Radiobrás)

- "Estou vendo aqui companheiros portadors de deficiências físicas. Estou vendo o Arnaldo Godoy sentado, tentando me olhar, mas ele não pode me olhar porque ele é cego. Estou aqui à tua esquerda, viu, Arnaldo! Agora, você está olhando pra mim..." (Site da Radiobras, 27/06/2003)

- "Há males que vêm para bem". Ao agradecer ao presidente da Rússia pelo apoio que seu país estava dando às investigações do acidente de Alcântara, quando morreram 19 técnicos (Citação reproduzida por vários jornais)

- "Tem lei que pega e tem lei que não pega. Essa do Primeiro Emprego não pegou" (www.estadao.com.br/ext/politica/palavra.htm)

- "Eu sou filho de uma mulher que nasceu analfabeta” (falando no Dia Internacional da Mulher, em 8 de março de 2004; Radiobrás da data e vários jornais)

- “Um brinde à felicidade do presidente Al Assad". O presidente sírio não se levantou nem ergueu a taça porque os muçulmanos não ingerem bebidas alcoólicas (Tribuna da Imprensa, 4 de dezembro de 2003)

- "Daqui a dois ou três anos possivelmente não estaremos aqui, talvez sejam outros. E nem será o Tony Blair que estará convidando, será outra pessoa". Em reunião de Chefes de Estado em Londres, onde o regime é parlamentarista e o mandato do primeiro-ministro não tem prazo para acabar (O Globo, 15/07/2003 e jornais do mundo inteiro)

Erro de Cálculo


- "Um país que constrói um monumento daquela magnitude tem tudo para ser mais desenvolvido do que é atualmente”. Na Índia, referindo-se ao Taj Mahal, em 29 de janeiro de 2004 (Citado por Miriam Leitão, em O Globo de 01/05/2004)

- "O governo tenta fazer o simples, porque o difícil é difícil”, na 1ª Conferência Nacional do Esporte, em 17 de junho de 2004 (Folha de São Paulo, 18/07/2004)

- "O Atlântico é apenas um rio caudaloso, de praias de areias brancas, que une os dois países”. Falando no Gabão sobre a aproximação entre o Brasil e aquele país (O Estado de São Paulo, 27 de julho de 2004)

- "O continente sul-americano e o continente árabe (???) não podem mais, no século XXI, ficar à espera de serem descobertos”. Falando na Síria, em 04 de abril de 2004 (Diário de Notícias, 04 de abril de 2004)

- "O Brasil só não faz fronteira com Chile, Equador e Bolívia”. Falando a empresários, em Nova Iorque, no dia 23/06/2004, sem saber que temos 3 mil quilômetros de fronteira com a Bolívia (Revista Veja, 30 de junho de 2004))

- "Eu fui agora ao Gabão aprender como é que um presidente consegue ficar 37 anos no Poder e ainda se candidatar à reeleição". Em conversa com o presidente da Costa Rica, Abel Pacheco, 17/08/2004 (Folha On Line, 22 de agosto de 2004)

- “Não tem outro jeito. Se você conhecer uma pessoa muito idosa esquerdista é porque ela está com problema. Mas se você conhecer uma pessoa muito nova de direita, também está com problema“ (Lula, jornal Zero Hora, 12 de dezembro de 2006).

Considerando a reação negativa dos velhos kamaradas, no dia seguinte Lula disse ter falado por “brincadeira”...

Vou parar por aqui...por falta de espaço.


Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

Nenhum comentário: