sábado, 23 de abril de 2016

Ideologia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Alvaro Pedreira de Cerqueira

Sr. Prof. Dr. Luiz Felipe de Alencastro: Tomei conhecimento sobre sua pessoa na entrevista que concedeu ao jornalista Mario Sergio Conti, na GloboNews, intitulada “Diálogos com M. S. C.”, levada ao ar dia 21/04/2016. Foi uma conversa amena sobre a atualidade política brasileira, em que V. Sa. respondeu serenamente às indagações do entrevistador sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, com admissibilidade aprovada pela Câmara dos Deputados e encaminhada ao Senado Federal para julgamento sob a presidência do presidente do STF.

Minha curiosidade ficou mais aguçada quando soube que V. Sa., após ser exilado na França em 1978, onde se diplomou em História, com doutorado obtido na Universidade de Paris, Sorbonne, onde lecionou por alguns anos História do Brasil, regressou à Pátria em 2014, tornando-se professor na FGV-SP, em que me diplomei em Administração de Empresas em 1962, estando agora aposentado, em Belo Horizonte, e com 83 anos, mas atuante na Internet contra o esquerdo-lulo-populismo que, em 13 anos,  devastou a economia do Brasil.

Em 1982 fui co-fundador do think-tank Instituto Liberal de Minas Gerais, juntamente com o megaempresário multinacional mineiro Salim Mattar, da Localiza Rent a Car, em que por dez anos atuei como diretor executivo. Originado no Rio de Janeiro em 1982, por iniciativa do engenheiro, bacharel em Direito e empresário da construção civil, o saudoso Donald Stewart Jr., depois disseminado em mais sete estados brasileiros, o Instituto Liberal foi inspirado por uma palestra, no Rio de Janeiro, em 1978, do prêmio Nobel de Economia de 1974, o finado austro-britânico Friedrich A. von Hayek, da terceira geração da Escola Austríaca de Economia, e autor, entre muitas outras, da obra seminal ‘O caminho da servidão’, publicada em Londres em 1944 sob o título ‘The road to serfdom’, livro profético que previu com exatidão, ainda no penúltimo ano da II Guerra Mundial, a derrocada do socialismo-comunismo.

Terminada a entrevista, desliguei a televisão e liguei o computador para pesquisar sua biografia. Li interessante entrevista sua ao ‘Valor Econômico’, fazendo correções à História do Brasil ensinada nas nossas escolas, em que revelou a estreita ligação do Brasil com Angola,  e o anacronismo de nossa escravidão prolongada, em que duas gerações de descendentes de escravos continuaram cativos após a abolição. E da forte influência do império britânico no processo de nossa colonização lusa, que nossa História sempre registrou.

Ideologia

Prof. de Alencastro, confesso que me causou agudo espanto, e mesmo estupor,  quando o senhor disse, já no final de sua entrevista ao jornalista Conti, que “Lula foi o melhor presidente do Brasil”(sic). Mas logo compreendi a coerência dessa assertiva com sua história de vida. Se esteve por alguns anos exilado na França, com início no período de governos militares do Brasil, é porque pofessa a ideologia marxista-leninista. Circa 1990 o jornal ‘Estado de Minas’ publicou um artigo meu em que disse que a ideologia (marxista) funciona como um par de lentes anamórficas no nariz de seu portador, que distorcem, alteram, a visão da realidade do mesmo, produzindo o que chamei de Síndrome da Cegueira (ou da Burrice) Adquirida - SCA. Pessoas nascidas inteligentes (como V. Sa.), ao aderirem à referida ideologia, se tornam cegas para a realidade, que lhes parece outra. Assim, tais sujeitos não têm o mais mínimo compromisso com o resultado do emprego de tal ideologia na prática política, desde que o agente político em foco siga sua ideologia, como é o caso de Lula.

No primeiro mandato dele na presidência da República, se cercou de bons ministros. E surfou na voracidade da China por commodities, que estavam então com preços elevados. Resultado, o Brasil apresentou razoável crescimento do PIB. Só que, ao mesmo tempo, ele montou o processo chamado de Mensalão, que começou a predar a Petrobras e  outras estatais através de obras superfaturadas para compra de votos no sistema presidencialista de coalisão subornada do PT. E conseguiu se livrar do julgamento do Mensalão no STF, presidido pelo grande juiz Joaquim Barbosa, em que o Supremo condenou à prisão vários dirigentes do PT e outros políticos do nosso Parlamento.   Infelizmente, Lula e Dilma aparelharam o Supremo, nomeando certo número de juízes que ficaram a serviço do PT e de Lula, os quais abrandaram várias penas dos condenados, agredindo a Constituição no capítulo da independência dos três poderes. Além do Supremo, Lula aparelhou o Estado com a nomeação de centenas de milhares de sindicalistas despreparados e sem concurso público, inchando ao paroxismo a burocracia e os gastos públicos de custeio, gerando déficits crescentes no orçamento público.
BNDES

Lula montou outro gigantesco e perdulário esquema de financiamentos de grandes obras de infraestrutura em ditaduras latino-americanas e africanas, inclusive para servir ao Foro de São Paulo ─ cujo lema é: “Recuperaremos na América Latina o que foi perdido na Europa do Leste (o comunismo)” ─, fundado em 1990 por Lula e o ditador genocida Fidel Castro, que há mais de meio século escravizou o povo cubano e lhe impôs abjeta pobreza.

Enquanto a infraestrutura rodoviária, ferroviária, portuária e aeroportuária do Brasil está sucateada há décadas, a ponto de causar a desindustrialização do nosso País, por falta de competitividade, pela precariedade de nossa infraestrutura, o BNDES financiou cerca de 3.000 obras nos referidos países estrangeiros, a juros subsidiados, com desvio de bilhões de dólares dos cofres públicos, para favorecer empreiteiras brasileiras, todas com seus presidentes e diretores condenados à prisão pelo bravo juiz Sergio Moro, na Operação Lava Jato. Pode-se imaginar a gigantesca propina paga a Lula por aquelas empreiteiras, deixando as palestras superfaturadas dele como simples trocados.
Petrolão

Foi ainda durante o julgamento do Mensalão que Lula, ainda no seu primeiro mandato, tendo como ministro da Casa Civil o comuno-petista José Dirceu, deu início ao esquema do Petrolão, que deixou os valores  do Mensalão como esmolas, com o mesmo objetivo de compra de votos de parlamentares, para pagar propina a altos dirigentes da Petrobras, a dirigentes de outras estatais, além da lavagem de dinheiro. Uma das figuras-chave nesse esquema foi o forte empresário pecuarista José Carlos Bunlai, que desde o Mensalão se aproximou de Lula e tinha entrada livre em seu gabinete do Palácio do Planalto, tornando-se grande lobista a serviço pessoal do ex-presidente.

O aparelhamento da Petrobras e os mega-assaltos à maior estatal brasileira (se fosse empresa privada estaria livre desses ataques que a destruíram, ao seu fundo de pensão – como de resto aos fundos de pensão dos Correios, do Banco do Brasil e vários outros. Como escreveu a Folha de SP em reportagem de 23/03/2014, “Oito anos depois de Lula anunciar, com as mãos sujas de óleo, que o Brasil, com o pré-sal, estava auto-suficiente na produção de petróleo,  a Petrobras hoje enfrenta uma das suas piores crises, com o nome envolvido em escândalos e seu valor despencando rumo ao fundo do poço.”
Educação

É outro item que o PT arruinou no Brasil. Tive acesso a dezenas de ‘livros didáticos” editados pelo Ministério da (Des)Educação nos governos do PT, escritos por notórios comunistas, como Frei Beto e muitos outros, que distorcem a História Pátria, criticando vultos de valor e exaltando vrdadeiros bandidos só porque são marxistas. Taxam os empresários privados de bandidos exploradores dos nossos trabalhadores e elogiam as empresas estatais, dotrinando crianças e jovens como verdadeiros robôs vermelhos, como fazem as escolas cubanas. Além de desfazer dos gêneros biológicos para incentivar o homossexualismo já na infância, destruindo os valores tradicionais da família, tudo de acordo com os Cadernos do Cárcere de Antonio Gramsci, um dos fundadores do Partido Comunista Italiano, trancafiado por mais de vinte anos num presídio em Milão, em que formulou a doutrina que, repudiando a luta armada para implantação do comunismo em um país, opta por lenta e metódica doutrinação da sociedade, inclusive por métodos subliminares.

Outro item abandonado nos desgovernos lulopetistas são os investimentos em saneamento básico, quando se sabe que cada real nele investido economiza 40 reais em gastos com saúde.

Para não me alongar mais, o resultado de treze a quatorze anos dos desgovernos lulopetistas ─ pois Dilma é apenas sua boneca de ventríloquos, o poste que ele elegeu para continuar no poder ─, foi a destruição da economia do Brasil, hoje com uma taxa de desemprego de 10%, caminhando para 12% até o fim do ano, queda de mais de 3% do PIB em 2015 e 2016, alta inflação e taxas de juros estratosféricas, com mais uma década perdida, pois a presente crise equivale à dos anos 30, depois do crack da Bolsa de Nova York. E V. Sa. não se peja de dizer que Lula foi o melhor presidente do Brasil. Que vergonha para a Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, em que me formei!

Saudações de veemente protesto!


Álvaro Pedreira de Cerqueira Álvaro Pedreira de Cerqueira é administrador de empresas pela FGV-SP (1962). Foi cofundador, em 1987, e executivo do Instituto Liberal de MG (IL-MG), que funcionou até 1997 (10 anos). Estudante autodidata da Escola Austríaca de Economia.

2 comentários:

Paulo Robson Ferreira disse...

Prezado Álvaro, também assisti a entrevista do prof. Alencastro e também fiquei estarrecido com sua observação ao final dizendo que o Lula foi o melhor presidente do Brasil. Achei ainda pertinente sua observação quanto ao fato de existirem observadores, que mesmo diante de todos os desastres cometidos pelos seus admirados, mantem fidelidade canina pelos mesmos, apesar de serem tais admiradores pessoas supostamente inteligentes. A moderna psicologia registra novas dimensões da inteligência que muitas vezes nos surpreendem e nos colocam em situação que nos obrigam a rever conceitos passados. Me refiro nesse caso específico à Inteligência Emocional que diz respeito à capacidade das pessoas de separarem a razão das emoções, sabendo usar e viver cada momento usando cada instrumento da melhor forma. Explico melhor. Nossas escolhas na vida são feitas envolvendo razão e emoção em doses nem sempre equilibradas,e assim, aquelas opções que fizemos priorizando a emoção dificilmente os fatos ou a racionalidade nos permitirão reavaliar nossa escolha porque o fator emocional não foi alterado. Um exemplo dessa falta de lucidez, saindo do momento atual, diz respeito aos padres que militaram na inquisição. Na sua acanhada lógica cheia de emoções e pobre de racionalidade, apesar das atrocidades que eles cometiam acreditavam que serviam ao Cristo, o mesmo que trouxe a mensagem "amai-vos uns como eu vos amei".

Martim Berto Fuchs disse...

Uma escola onde o ensino seja claramente ideológico, dificilmente um aluno poderá sair acreditando em outra coisa que não seja o que os professores ensinam.
A Universidade de Sorbonne seguia claramente a ideologia de esquerda. Não sei se hoje ainda é assim, pois a esquerda até na França está sumindo. Não dizem claramente, não refutam claramente suas idéias esquerdistas, mas começam agir como a direita. Questão de bom senso, ou de sobrevivência política. Se dizem de esquerda e agem como a direita.
No Brasil, como sempre, não obstante a internet, as novidades demoram a serem notadas e absorvidas. No RS por exemplo, ou no nosso estado socialista (U R.S. S)desde o governo Brizola, o comunismo é ensinado abertamente nas escolas, ou melhor, é ensinado odiar o capitalismo, mas sem nada oferecer em troca, o que aliás está no DNA do marxismo/leninismo. Apenas destruir, sem nada em troca à não ser a igualdade na pobreza. Para a maioria a pobreza, menos para a minoria que se adona do poder. Esta vive em Palácio à custa dos otários de sempre.
http://capitalismo-social.blogspot.com.br/2016/02/69-fips-fundo-de-investimento-e_2.html