quinta-feira, 12 de maio de 2016

Presidento Michel Temer conseguirá governar?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O PTitanic afunda oficialmente às 10 horas da manhã. Dilma Rousseff deixará o Palácio do Planalto pela porta lateral. Desistiu de descer a rampa com a mulherada e aliados. A previsão é que faça um pronunciamento no salão Leste - o menor palaciano. Depois, segue para o começo de "exílio" no Palácio da Alvorada, onde continuará morando "firme e indignada" por seis meses. A residência oficial temporária será o Palácio do Jaburu, onde a rainha do lar será a bela Marcela.

A insônia forçada dos 78 senadores presentes à sessão que durou 21 horas sacramentou, às 6h 34 min da manhã, com 55 votos a favor, 22 contra, a admissibilidade do processo de impedimento que, automaticamente, afasta Dilma Rousseff por 180 dias, até seu julgamento final no Senado, sob a presidência do Supremo Tribunal Federal. O Presidento Michel Temer toma posse às 16 horas, já nomeando os ministros. Tem festa no Palácio do Jaburu e nas ruas. O Diário Oficial da sexta-feira 13 vem repleto de novidades. O de hoje já vem com a demissão de todos os ministros. Inclusive de Lula - que nem pode tomar posse...

Dilma e a petelândia têm um consolo. Por ironia da História, às 10 horas, ela será comunicada do afastamento por Vicentinho Alves, primeiro secretário do Senado Federal. Livrou-se da missão Renan Calheiros, presidente do Senado e candidato a perder o cargo em breve por decisão do STF, de forma semelhante ao ocorrido com Eduardo Cunha. Malandramente, Renan não votou, alegando que só teria de fazê-lo em caso de necessidade de um voto de minerva. Houve mais votos que o mínimo de 41 para o processo contra Dilma seguir adiante. No julgamento final de Dilma, daqui a alguns meses, serão necessários 54 votos para cassação definitiva do mandato. Assim que Michel Temer assumir a Presidência, tende a crescer a adesão contra Dilma.

Fato objetivo: o PMDB continua no poder (há 31 anos). A grande dúvida é: que novidades o Presidento Michel Temer trará? Ele tentará reinar com um Centrão que tem 261 votos para aprovar praticamente qualquer coisa no Congresso. O ministério dele é claramente político. Alguns deles com problemas judiciais - o que já mancha, automaticamente, a imagem de quem pretende começar "um novo governo" (o que não é o caso, na prática). Será mais um teste para o arcaico presidencialismo de coalizão que só promove colisão e gera instabilidade - como lembrou Renan Calheiros antes do momento derradeiro da votação.

Além da nomeação de Henrique Meirelles para super-ministro da Fazenda, outro homem-forte do time de Temer será o economista-chefe do Itaú e ex-diretor do Banco Central. Ilan Goldfajn será confirmado para a presidência do Banco CentralO poderoso Moreira Franco, futuro super-ministro, já antecipou o que fará Temer assim que assumir, logo mais: "Ele certamente, se as coisas andarem como estão sendo desenhadas, no meio da tarde faz o ato de nomeação e já vai começar a lançar ao Congresso medidas provisórias para estabelecer um novo método, uma nova rotina de trabalho com o objetivo de dar um foco na política econômica que será adotada".


A petelândia vai reagir duramente como oposição? O senador radical petista Lindberg Farias fez a previsão de curto prazo de alta probabilidade sobre o futuro imediato de Michel Temer: "Eu não tenho a menor dúvida que para a história do nosso país isso aqui vai passar como um golpe parlamentar contra a democraciaNão vamos reconhecer Michel Temer como presidente da República. Ele não passa de um golpista. Conheço esse Senado. Não durará para que na hora do julgamento definitivo colocarmos Temer, esse impostor, para fora do Palácio do Planalto".

A longa sessão do Senado serviu para demonstrar a importância do debate democrático. Algumas declarações merecem destaque e profunda reflexão no presente do futuro histórico. O senador Fernando Collor de Mello, presidente que quase foi vítima de impeachment (preferiu renunciar em 1992, em vez de ser degolado) aproveitou seu discurso para dar o troco na petelândia que perseguiu no passado:

"A História me reservou esse momento. Devo vivê-lo no estrito cumprimento de um dever. Alertei sobre a possibilidade de sofrer impeachment. Não me escutaram. Fizeram ouvidos de mercador. Vivemos espasmos da democracia. Por tudo isso, o sistema está em ruínasChegamos ao ápice de todas as crises, ao ápice da ruína de todos os governos. Houve irresponsabilidades. Irresponsabilidade com o desleixo da política, com o aparelhamento desenfreado do Estado. Há irresponsabilidade por ação ou omissão e é crime de responsabilidade a mera irresponsabilidade para com o país. Falei (para a presidente) da falta de diálogo com o Parlamento".

Collor fez a comparação inevitável do processo de agora com o de sua época de Presidente: "Em 1992, em processo análogo, bastaram menos de quatro meses. No atual processo, já se foram mais de oito mesmo. E poderão ser mais 180 dias. O rito é o mesmo, mas o ritmo e o rigor, não. Fui instado a renunciar. Continuei com advogados particulares e fui absolvido pelo Supremo". Embora não tenha declarado voto no discurso, Collor acabou engrossando o resultado contra Dilma no placar final pelo prosseguimento do processo de impeachment.

Renan Calheiros aproveitou o discurso duro do amigo alagoano, de quem foi ministro da Justiça, para detonar o desgoverno que apoiou até quase o último segundo: "Cumprimento o senador Fernando Collor pelo grande registro histórico que proporciona a essa histórica sessão. Ontem, fiz questão de dizer que essa Lei do Impeachment, essa Lei 1.079, é por si só um fator de desestabilização. Esse é o ensinamento que a crise tenta, mais uma vez, fazer. O Legislativo entendeu menos, o Executivo entendeu menos ainda o que aconteceu em 2013. E hoje generalizar esse discurso, generalizar a responsabilidade é um erro, é um erro histórico, é um erro histórico de todos nós. O que houve com a repetição de erros é que o governo perdeu a centralidade da Nação, perdeu a defesa do interesse nacional".

Outro discurso brilhante e histórico foi o do senador Cristovam Buarque, do PSB-DF: “Meu voto é um voto técnico pela incompetência como a economia e a gestão foram administradas, é um voto político, pela análise dos rumos tomados pelo país no passado e do destino que nos ameaça no futuro. É um voto contra o estelionato eleitoral, e a arrogância no exercício do poder no lugar daquilo que deveria ser diálogo. É um voto moral contra a corrupção generalizada, contra o saqueio da Petrobras e dos fundos de pensão, mas é, sobretudo, para ficar restrito à Constituição, um voto jurídico pela abertura do julgamento de crimes de responsabilidade”.

A ex-petista Marta Suplicy, hoje no PMDB depois de virar inimiga pessoal de Lula e Dilma, defendeu, abertamente, que o processo de impedimento tinha uma dimensão política: “Estou convencida de que há indícios mais do que suficientes dos crimes de responsabilidade cometidos pela presidente da República que nos permitem o juízo jurídico. E aqui nos cabe também, primordialmente, emitir um julgamento político. Somos representantes legítimos de nossos estados, agentes políticos, e temos compromisso com a sociedade brasileira que representamos. Tão grave quanto é a situação pela qual passa o povo brasileiro, resultado de uma gestão que comprometeu irresponsavelmente as finanças públicas”.

Os governistas produziram a retórica de sempre. A petista Gleisi Hoffmann seguiu o tradicional discurso de bater na tecla da vingança contra a última vitória eleitoral do partido: "Os pressupostos políticos que estão usando hoje para julgar a presidente Dilma não valerá para mais ninguém. Essa régua que estão usando para o PT não será usada para nenhum outro partido. Esse instrumento foi concebido para cancelar o resultado das urnas de 2014".  

Radicalismo idêntico foi manifestado pela comunista amazonense Vanessa Grazziotin: "O Senado está se transformando em um colégio eleitoral de exceção, cujo objetivo é tirar uma presidente legitimamente eleita e colocar um presidente que não teve um voto sequer da população brasileiraAvançar nesse processo sem respaldo jurídico é um golpe de estado, tão grave quanto aquele realizado em 1964".

Humberto Costa, líder do governo no Senado, segurando a foto de Dilma sendo julgada nos tempos do regime militar, fez o previsto discurso emocional: "Mais uma vez em sua vida, Dilma está sendo vítima de um julgamento injusto. E, mais uma vez, está de cabeça erguidaNos desculpem os ouvidos sensíveis, mas é golpe! Dilma é uma mulher honesta, não é crimonosa. Essas frases não são minhas, mas do ex-presidente Fernando Henrique, presidente de honra do PSDB. Fizeram um malabarismo jurídico aqui. Estamos pervertendo a Constituição com uma quartelada civil".

Também na linha emocional, o petista gaúcho Paulo Paim focou seu tiro em Temet: "Estou há 30 anos no Parlamento e confesso que nunca vivi um momento tão constrangedor. Não entre pela porta dos fundos. Se submeta ao voto popular. Com a democracia, tudo. Sem a democracia, nada!
". O líder do PT no Senado, Paulo Rocha, encampou a mesma linha conspiratória: "A Lava-Jato está sendo usada num processo sofisticado de criminalizar quem está na política. Por isso, as cartas já estão dadas na admissão do impeachment". 

Na oposição, José Serra, tucano cotado para a área de Relações Exteriores de Michel Temer, resumiu o que realmente derrubou Dilma: "A presidente da República não está sendo derrubada por seus adversários, cartórios organizados ou por grupo de conspiração, mas está sendo destituída pela marcha da insensatez que ela e seu partido comandaram desde o primeiro mandato. São os fatos que levaram a essa situaçãoO impeachment não significa o fim dos problemas do país. É apenas o começo do começo da busca das soluções para a reconstrução do País".

O senador João Capiberipe, do PSB-PA, discordou: "Não consigo enxergar uma porta aberta para sairmos da crise. O impeachment não é solução, é uma opção pelo confronto. Não resolve, só aprofunda a crise".

O Alerta Total repete por 13 x 13: O ridículo "desgoverno paralelo" de Dilma, viajando pelo Brasil e pelo exterior, só vai piorar a situação política dela. A quase ex-Presidenta tem tudo para virar alvo da Lava Jato, junta e misturada com o companheiro Lula. Sem o cargo, também pode se tornar ré na ação movida por investidores contra a Petrobras nos EUA. A valentia verbal dela não combina com seu real estágio psicológico de ódio e desespero. Embora se sinta traída, Dilma sofre porque não tem condições de vingança.

Tempo ruim também para Temer. Com o ministério que escalou, cheio de políticos encalacrados com problemas de corrupção ou práticas habituais de clientelismo e populismo, a previsão é que Michel Temer continue desgovernando o Brasil, agora sem parceria e em confronto aberto com o PT e PC do B. O setor público está a beira da falência a que foi levado pelos 31 anos de governismo federal do PMDB, desde a "proclamação" da tal "Nova República" de 1985, cujo primeiro titular foi o (até outro dia companheiro dos petistas) José Sarney.

As inocentes velhinhas de taubaté, que acreditam piamente que Temer fará um governo maravilhoso, devem se arrepender rapidamente. De viés esquerdista, Michel Temer não será o obstáculo para conter o processo neo gramscista-marxista de poder do Foro de São Paulo. O Brasil continuará Capimunista, rentista e corrupto, com a mesma máquina estatal especializada em moer a cidadania, tomando dinheiro do público para servir aos interesses privados do desgoverno do crime organizado.

Esse é o mundo real no Brasil sob anomia social e em clima de ruptura institucional. Comemorar a saída de Dilma, com a entrada de Temer, é bacana para desopilar o fígado. A posse de Temer não muda o Brasil. O amplo debate que será gerado no andamento do processo de impedimento pode colaborar para as futuras mudanças. A pressão dos brasileiros honestos tem de continuar e aumentar. É urgente mudar o modelo estatal e destronar a bandidagem do poder. Temos de evoluir para uma intervenção cívica constitucional - única solução efetiva.

Por enquanto, como reescreveria Machado de Assis: "Aos vencedores, as batatas quentes"...

Insônia


Unidos venceremos 


Limpeza


Entra e sai...


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 12 de Maio de 2016.

12 comentários:

Anônimo disse...

GOLPE? UMA OVA!
O "FORO DE S PAULO" É QUE FOI GOLPEADO, ISSO SIM!
AO CONTRARIO, TODO O BRASIL É QUE TEM QUE BERRAR “É GOLPE”
Por muitos anos o Brasil foi golpeado pelos zumbis e sanguessugas do PT, que usaram e pilharam a nação como se fosse O curral deles!
QUE DIA VAI TER O ENTERRO – COM TODAS AS HONRAS POSSIVEIS, MERECE – O FAMIGERADO “FORO DE SÃO PAULO”?
Tem que ter um dia pois a coluna dele dessa desgraça ruiu, o Brasil do ex PT, essa merda agora no ATERRO SANITARIO PARA SER ICINERADO – pior que lixo hospitalar, pois ruiu, com a impossibilidade de Dilmerda e mais comunistas aqui voltarem ao poder e o Brasil ser o sustentáculo financeiro dessa porra louca acima!
Viram como a pressão 24 H em cima desses malditos comunistas funcionou?
Xô, “Seus” Zumbis, Pragas Danadas: Foro de S Paulo, Cuba, Fidel Castro- urre de odio pois findou sua bocada aqui, seu vampiro!

Anônimo disse...

Não quero nem saber se esse governo vai dar certo ou não! Uma guerra se ganha com batalhas. Essa é apenas uma de muitas pela frente, talvez infindáveis, como tudo. Poderíamos até usar Lavoisier quando diz: nada se cria nada se destrói tudo se transforma. O que não se pode aceitar é que o status quo continue estável durante o declínio, onde os erros se multiplicam sem nenhum controle, no caminho, nesse caso, para a miséria social! Juiz Sergio Moro, MP e o STF terão uma grande responsabilidade em tirar as dúvidas dos que ainda, por ouvirem os clamores inventivos dos déspotas do governo vermelho sobre a honestidade ilibada da presidente, têm dúvidas da realidade ameaçadora. Só então, depois da presidente cair definitivamente desse pedestal carcomido por mentiras (junto com o “chefe”), na frente do povão, teremos paz para enfrentarmos novas batalhas, juntos, unidos. Por enquanto teremos que provar para alguns, ainda, que não é apenas impressão de que o rei está nu, ele está realmente nu.

Anônimo disse...

Dilma sai mas quer levar à força os "escravos ISAUROS", oficialmente ditos como assessores, para poder xingar e esculachar e não perder a mania.Será que o Lula vai ficar escondido no humilde quarto de serviçais?

Anônimo disse...

Não quero nem saber se esse governo vai dar certo ou não! Uma guerra se ganha com batalhas. Essa é apenas uma de muitas pela frente, talvez infindáveis, como tudo. Poderíamos até usar Lavoisier quando diz: nada se cria nada se destrói tudo se transforma. O que não se pode aceitar é que o status quo continue estável durante o declínio, onde os erros se multiplicam sem nenhum controle, no caminho, nesse caso, para a miséria social! Juiz Sergio Moro, MP e o STF terão uma grande responsabilidade em tirar as dúvidas dos que ainda, por ouvirem os clamores inventivos dos déspotas do governo vermelho sobre a honestidade ilibada da presidente, têm dúvidas da realidade ameaçadora. Só então, depois da presidente cair definitivamente desse pedestal carcomido por mentiras (junto com o “chefe”), na frente do povão, teremos paz para enfrentarmos novas batalhas, juntos, unidos. Por enquanto teremos que provar para alguns, ainda, que não é apenas impressão de que o rei está nu, ele está realmente nu.

Anônimo disse...

O presidente Michel Temer terá que enfrentar um grande "abacaxi" logo de entrada: o desemprego em massa dos funcionários das empresas fabricantes de mortadela e seus distribuidores.Essa conta deve estar embutida em alguma despesa oficial deixada por Dilma.

slsoares disse...

A resposta é não ;não conseguirá governar.Só o vínculo com os quatro processos envolvidos (bastaria andar mais rápido com a operação castelo de areia) e a presença do Henrique Meirelles no ministério do $$$$ ,conselheiro da enorme máquina de lavar JBS e com movimento livre no BNDES além de ligado umbilicalmente ao 9DEDOS já bastaria para continuar sem trégua apoiando Sergio Moro e colegas e uma Intervenção Civil num país que até hoje carece de uma contituição séria e enxuta.E pessoalmente preferiria o retorno à monarquia resgatando valores perdidos desde o tempo de Pedro II e Caxias.

Anônimo disse...

Aqui quem atrasou a Nova Ordem Mundial:


https://www.youtube.com/watch?v=DkpcAKyO7lY



Serrão vc é o cara da proa, terra a vista, estou vendo uma Barca furada com o Conde Dracula.
Remem remem para esta Barca pra serem vitimas deste Vampiro milenar

A população Brasileira caminha para um abismo, como uma manada de bufalo.
Dr. Eneas


O Brasil continua nas trevas

e eu sou Chico

Anônimo disse...

Enquanto isso na Transsilvania, Conde Dracula assume mais um Mandado de 2 mil anos
Manteve o Ministerio
Ciência e Tecnologia : Frankstein
Banco Central de Sangue: Nosferato
Da Floresta noturna : Lobisomem
Da Farmácia, Remédios e Poções : Madame Min
Da Saúde : Mumia, Pelo menos atadura não Falta
Higiene e WC : Loira do Banheiro
Da Pesca: Monstro do Pântano
Sem duvidas um ministério de Notáveis, qualquer semelhança com algum País da América do Sul é mera coincidência.

Haja Luz

Chico

Anônimo disse...

Pô, ouvindo agora algumas jornalistas, em tom de brincadeira é claro, comentando que sai uma presidente, o representante máximo de um país e entra apenas uma mulher no segundo escalão do governo Temer, não é justo. Mesmo sendo um comentário de brincadeira não dá para deixar de levar a sério! Vamos e venhamos, vejam só as tranqueiras, representantes da ala feminina desse governo que sai. Dá dó! Me dê um nome que mereça compaixão, de Katia Abreu.......passando por gleisi hoffmann.............a Maria do Rosário. PQP.

Anônimo disse...

O mordomo do DRÁCULA e sua quadrilha, GOLPISTAS BANDIDOS, representam a bosta do meu banheiro, tirando um comentário, todos foram feitos por midiótas, GADO GLOBAL, esse ALERTA TOTAL não passa de uma BOSTA, feito por um bunda suja que pede ajuda em dinheiro para continuar com essa MERDA, vai trabalhar VAGABUNDO, peça dinheiro ao seu presidento. COXINHA COM RECHEIO DE BOSTA.

Anônimo disse...

Esse blog fede à vômito e deve ser escrito por um velho que se caga nas fraldas e a enfermeira não limpa por que atrasam o pagamento dela. QUANTA BOSTA

Sirio Schwamborn disse...

Se Michel Temer não conseguir governar( por diversas razões ....a Lava-a-Jato poderá uma delas) só haverá uma alternativa.
Vejam o meu ponto de vista.

ESTAMOS VIVENDO UMA "FALSA DEMOCRACIA". OS MANDOS E DESMANDOS NOS TRÊS PODERES LEGISLATIVO, EXECUTIVO, JUDICIÁRIO, PROVA VERGONHOSA DE QUE ESTÃO TRATANDO DE INTERESSES PESSOAIS E PARTIDÁRIOS SOB A COBERTURA SISTEMATIZADA DA CORRUPÇÃO, menosprezando os resultados para a sociedade proba e a iniciativa privada.
Saber que temos "uma falsa democracia" não é suficiente para a maioria da sociedade Brasileira.
Vejam meus motivos. A partir dos últimos fatos.
a)LULA: NÃO HÁ SOLUÇÃO "FORA" DA DEMOCRACIA. Mentira demagoga com base no FORO DE SÃO PAULO ( LULA, PT + Partidos Comunistas de toda a America Latina ) e no PACTO DE PRINCETON (LULA, PT) + ( FHC, PSDB ) com a tática "A Política das Tesouras"
b)Maio de 2016 : “Não há esperança popular no governo de Temer" - "Temer 'não tem legitimidade para conduzir o País'.. Joaquim Barbosa " - PT, Movimentos Sociais e Forças Sindicais farão oposição ferrenha.
c) A corrupção será combatida de acordo com os interêsses "Fabianos" Fernando Henrique Cardoso contra interêsses "Comunistas" Lula inácio da Silva , um contra o outro, pela disputa do poder..... O Brasil que se dane ! A sociedade proba e a iniciativa privada que pague a conta. Plano de ambos: Acabar com o presidencialismo e implantar o parlamentarismo Socialista, para depois impor o Comunismo.
DISCORDO PLENAMENTE DO SR EX-PRESIDENTE LULA: Reafirmo : Não há solução para o Brasil "DENTRO" da democracia socialista do foro de são Paulo.
.
No Brasil é preciso combinar ações de prevenção e de repressão à corrupção. Os corruptos, independente da área que forem, não podem sentir que há um ambiente favorável à impunidade ( foro especial por prerrogativa de função - conhecido coloquialmente como foro privilegiado) e, por outro lado, deve-se desenvolver nas pessoas uma cultura ética de intolerância à corrupção. É preciso acabar com a impunidade, tratando o corrupto como um criminoso comum, que se apropriou de bens públicos. Nenhuma pessoa deveria estar acima da lei.
Exigir e adotar uma postura ética, no entanto, não deve se restringir apenas ao âmbito político ou empresarial. É preciso que toda pessoa assuma essa postura no dia-a-dia e procure agir de maneira ética nas situações que pareçam menos relevantes. O momento atual apolítica Brasileira, ( Os três poderes, igualados a casa da Mãe Joana pelos atos e "desatos" legalmente impunes pelo "Foro Privilegiado", e pela prática idiscriminada da corrupção ), é uma oportunidade para refletir sobre o assunto e reafirmar o compromisso de acabar com a cultura da corrupção e criar uma cultura de ética e integridade em todos os setores da sociedade.
Lamentamos a omissão dos comandantes das forças armadas. Mas o povo ainda tem esperança na formação, integridade, lealdade e patriotismo, dos Militares Brasileiros ( de que não sejam também corruptos e covardes ) para botar ordem na Casa da Mãe Joana. Por esta razão nós exclamamos por uma "INTERVENÇÃO MILITAR " SE MICHEL TEMER FOR IMPEDIDO DE GOVERNAR ( por qualquer motivo ) OU FALHAR NAS SUAS AÇÕES.