terça-feira, 10 de maio de 2016

Maranhão recua e Renan segue com impeachment, enquanto Delcídio e Odebrecht ferram Lula e Dilma


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O fato político mais explosivo e importante dos últimos tempos acabou ofuscado ontem pela inútil doideira do inexpressivo deputado Waldir Maranhão em tentar atrasar o ritmo do processo de impedimento da "Presidenta Incompetenta". Na defesa de sua inevitável cassação de mandato, o ex-senador petista e ex-líder do governo Delcídio do Amaral pediu desculpas ao povo brasileiro e deixou claro que promoveu uma obstrução da justiça contra a Lava Jato sob ordens de Luiz Inácio Lula da Silva e da própria Dilma Rousseff.

O Presidentro e a quase ex-Presidenta já estão com a situação complicada pela delação premiada de Marcelo Odebrecht. O ex-presidente da maior transnacional brasileira revelou à Força Tarefa da Lava Jato que Dilma tentou garantir sua liberdade após a prisão em junho de 2015. Marcelo Odebrecht reiterou que a manobra de Dilma foi a nomeação do ministro Marcelo Navarro Ribeiro Dantas para o Superior Tribunal de Justiça. Na versão de Marcelo, o magistrado "cumpriria a missão" de aliviar a prisão de empreiteiros na Lava Jato. A denúncia de Odebrecht coincidiu com revelação idêntica feita por Delcídio do Amaral.

Submetido ao massacre na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Delcídio do Amaral não foi tão explícito sobre quem teria lhe induzido a cometer o crime. Tentando ser irônico, Delcídio foi ferino: “Curioso. Vossas Excelências, se olharem o processo como um todo, eu não roubei, não desviei dinheiro, não tenho conta no exterior. Estou sendo acusado de quê? De obstrução de Justiça, de obstrução de Justiça quando eu, como líder do governo, inadvertidamente, volto a repetir aqui: peço desculpas, errei, mas agi a mando”.

Na entrevista concedida após o depoimento, Delcídio deu nome aos bois na gravíssima acusação que tem tudo para ferrar, ainda mais, com Lula e Dilma, em futuros indiciamentos na Lava Jato. Delcídio detonou, repetindo o teor de sua delação premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal: “Eu, como líder do governo, eu agi. O presidente Lula me pediu isso e em outras situações, a própria presidente Dilma. Curioso, eu fui chamado de mentiroso. Um líder de governo ser chamado de mentiroso? Eu fui líder dela aqui no Senado”.  

Depois do pesadelo com a bomba de Delcídio, cabra marcado para ser cassado nesta terça-feira, nada como uma madrugada atrás da outra... O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, não suportou a pressão e resolveu revogar sua decisão monocrática que incendiou ontem os mercados da política e da economia. Maranhão recuou da maluquice de anular a tramitação do processo de impeachment de Dilma Rousseff. Maranhão caiu no ridículo graças à postura firme do Presidente do Senado, Renan Calheiros, que simplesmente ignorou a doideira do Maranhão e seguiu com o ritual previsto pelo Supremo Tribunal Federal para tirar Dilma do Palácio do Planalto.

O desabafo de Renan na presidência da tumultuada sessão do Senado arrasou com a manobra do Maranhão: "Cabe assinalar a extemporaneidade de tal decisão. O Senado já está com este assunto há várias semanas, sendo discutido diariamente na imprensa nacional. Já houve leitura da autorização no plenário, indicação pelos líderes, eleição dos membros aqui no plenário do Senado federal, instalação da comissão especial, que fez nove reuniões presidida pelo senador Raimundo Lira, totalizando quase 70 horas de trabalho, apresentação, discussão, defesa, acusação e votação do seu parecer. Essa decisão do presidente em exercício da Câmara agora, portanto, é absolutamente intempestiva. Aceitar essa brincadeira com a democracia seria ficar pessoalmente comprometido com o atraso do processo".

Renan Calheiros escolheu um dos três argumentos mais duros, escritos para ele por assessores, para sepultar, de vez, a armação do deputado Maranhão: "Ao fim e ao cabo, não cabe ao presidente do Senado federal dizer se o processo é justo ou injusto, mas ao plenário do Senado, ao conjunto dos senadores, foi esta exatamente a decisão do Supremo Tribunal Federal, sem falar, por último, do princípio mais sagrado do parlamento, o da colegialidade. Nenhuma decisão monocrática pode se sobrepor à decisão colegiada, tanto mais quando essa decisão foi tomada pelo mais relevante colegiado da Casa, o próprio plenário, e ainda mais, pelo quórum verificado. Por todo o exposto, deixo de conhecer do ofício nº 635, de 2016, da Câmara dos Deputados, e determino sua juntada aos autos da denúncia nº 1, de 2016, com esta decisão”.

Sempre tido como fiel aliado do Palácio do Planalto, Renan Calheiros ontem deu uma detonador da Dilma, avançando com o processo de impeachment. Renan até traçou a programação que deverá culminar com o afastamento oficial de Dilma na quinta ou, no máximo, sexta-feira: "A ideia é que a sessão comece a partir das 9h de quarta-feira. Fazemos uma interrupção às 12h, retomarmos às 13h e vamos até às 18h. Fazemos então uma (nova) interrupção e voltamos às 19h. A expectativa é que tenhamos a participação de 60 oradores, e teremos dez horas sessão, mas o objetivo é concluirmos a sessão ainda na quarta-feira".

A desesperada base desgovernista tentará a inútil manobra de postergar, ao máximo, a decisão final sobre a admissibilidade do processo de impedimento - que necessita do voto de no mínimo 41 senadores. O plano dos 20 senadores completamente fieis a Dilma é fazer longos discursos, para ocupar o máximo do tempo. Já a oposição tentará o contrário. A tática será segurar a língua. O plano consiste em abrir mão dos longos discursos. A orientação é falar menos para que a votação consiga terminar no mesmo dia. A previsão inicial é que a sessão de quarta-feira tenha 20 horas de duração, avançando pela quinta-feira, o que dá mais um dia para Dilma ser oficialmente notificada da decisão de afastamento.

O desgoverno já dá a semana como perdida. A grande dúvida da oposição - e esperança da petelândia - era se, mais adiante, haveria o mínimo de 54 votos para detonar Dilma definitivamente, via impeachment.  Na numerologia, o desgoverno teria uns 21 votos fieis à salvação de Dilma. Os indecisos formariam um fiel da balança. Ontem, o pessimista Humberto Costa praticamente jogou a toalha sobre as chances de retorno de Dilma, depois que Michel Temer tomar o poder. Também alvo da Lava Jato, Costa tentou posar de bonzinho, minimizando uma previsível futura reação radical dos petistas:

"Depois que sai e o cara tem a caneta, apoio da mídia, não é muito fácil ela voltar. Não vamos incendiar o Brasil, mas não faz sentido isso. O cara fez parte do nosso projeto, do governo, exerceu influência dentro do governo, e, ao mesmo tempo, fez uma aliança com nosso maior adversário para nos derrubar”.

Para variar, como petista contumaz, Humberto Costa mentiu descaradamente. Nesta terça-feira, movimentos sociais, com práticas urbanas de terror, promovem uma ilegítima e ilegal interdição das principais vias de São Paulo. Interrompem o direito de ir e vir dos cidadãos de bem colocando fogo em pneus e madeiras para fechar a via pública. É a reação bolivariana ao impedimento da Dilma - que vai se intensificar.

Neste clima de tensão e cagaço do desgoverno do crime organizado, um desabafo do senador Renan Calheiros à companheira comunista Vanessa Graziotim (PC do B do Amazonas) adverte sobre o perigo da radicalização para a própria sobrevivência dos políticos:

"No Brasil, a História mostra que, quando todos brigam, todos perdem"...


Procurando por um Presidenciável

O petelândia já dá como enorme a chance de não contar com Lula como candidato a Presidente da República em 2018.

Na visão dos estrategistas do PT, Lula ficará de fora se for atingido por algum indiciamento ou eventual condenação na Operação Lava Jato.

Por isso, vale a pena prestar a atenção em recente declaração à Folha de . Paulo do senador petista Humberto Costa (outro cotado a ser lavado a jato), avaliando quem pode e quem não deve ser uma alternativa a Lula:

“Até o momento não vejo um nome que desponte no campo da esquerda com capacidade de ganhar, mas tem gente boa aí na área, você pega um cara como o Fernando Haddad, se ganhar a eleição em São Paulo, vai se tornar um nome nacional, principalmente num momento de dificuldade. Um nome que respeito na esquerda é o Ciro Gomes, mas não é o perfil que vejo para ganhar. Marina Silva não vejo no campo da esquerda”.

Rombo elétrico 

A jornalista Miriam Leitão chamou a atenção ontem que o governo vai modificar a Medida Provisória 706 para colocar na conta do Tesouro e dos contribuintes os custos da ineficiência da Eletrobrás.

Os contribuintes vão assumir a dívida gigantesca das distribuidoras de energia da Região Norte com a Petrobras pelo fornecimento de combustível para as usinas térmicas, e o passivo da Eletrobrás com a Reserva Global de Reversão, que financia programas como o Luz para Todos.

Indústrias e consumidores vão arcar com um rombo que pode chegar ao montante de R$ 11,8 bi em 10 anos - segundo cálculos de Paulo Pedrosa, presidente da Abrace (associação que congrega os maiores consumidores de energia).

Falha nostra


Perdeu, Maranhão...


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 10 de Maio de 2016.

10 comentários:

Anônimo disse...

ESTRANHO, MUITO ESTRANHO, ESTRANHO PRECISOU QUE O WARDI CAGASE E SENTASE EM CIMA, PARA DESCOBRIREM QUE ELE E A FAMILIA SAO BOSTA DE GATO... ESTÃO TODOS COM O RABO PRESO, MAS O QUE NÃO PODE É SEREM DENUNCIADO APENAS QUANDO DESAGRADAM A MAFIA...

Anônimo disse...

Fica muito claro que os baderneiros seguidores da Dilma querem com estes atos um cadáver, para mostrar a intolerância da oposição golpista. Calma nesta hora é muito bom. Afastada a Dilma a polícia deve ir com tudo contra eles se eles tiverem a coragem, o que duvido, de continuar com esta prática. Se tivermos cadáveres, que pena!.

ARS disse...

O golpe dos corruPTos deu chabu. São muito incompetentes. Incrível!

Anônimo disse...

O Brasil é uma republica de canalhas

Trocar Dilma é trocar 6 por meia duzia em 2016 ou seja 666.

Intervenção artigo 142, tirar do poder toda a quadrilha, não ha democracia, o que há e Demônio cracia.
Enquanto os filhos do Diabo da França Governar a roubalheira sera cada vez maior.

Niobio Neles
https://www.youtube.com/watch?v=6W4WVg5nepM
Dr Ribas um verdadeiro Patriota

Anônimo disse...

O Brasil virou uma bagunça generalizada,parece casa de mãe Joana, um diz sim outro diz não ao tal "golpe", finalmente ninguém entende mais nada.
Será que esse vice da câmara poderá um dia assumir a presidência "desta cabeça de porco" chamada Brasil?
A solução é novas eleições gerais o mais breve possível, é só o Congresso querer basta reduzir o tempo de tramitação de uma PEC.
O Delcídio sabe que seu tempo "já era" e provavelmente ainda guarda um pouquinho de merdelê para seus "amigos".

Anônimo disse...

E eu pensando que o pior era Eduardo Cunha. Para um governo que não sabe governar e aceita pitaco de quem não sabe orientar, o resultado é isso mesmo.Acho que a Dilma frenquentou a mesma escola do Maranhão. Mais um para dividir o caminhão de mudanças. E o Lula, hein? Sumiu na toca da jararaca?

Anônimo disse...

Patético a alegria dos parlamentares petistas achando que o golpe tinha dado certo.Dilma até que comemorou mas, agora o que vai dizer? Deve estar quebrando tudo por lá.

Anônimo disse...

Chico Trevas 1 minuto atrás
esse jornalista é verdadeiro, nem Brasileiro é e se preocupa com a situação das crianças com microcefalia, enquanto os trouxa ficam discutinda a queda da Dilma, é vergonhoso
sou uma anta que agonista:
https://www.youtube.com/watch?v=UJySDch8YZY
Povo fraco. povo manipulado
Continuem ai perguntando quando Dilma cai, ja caimos primeiro, na dança do domino

Anônimo disse...

Não deu tempo nem de esquentar um cafezinho? Esse é o GOLPE MIOJO.

Anônimo disse...

Maranhão,depois de visitar o Lula no hotel, cumpriu com o prometido.Cancelou o "despejo" da presidente, pegou o dinheiro e... mostrou o que sabe fazer, mudou de novo e cancelou tudo, para ficar com o cargo e não perder mais as boquinhas.Agora, Lula, corre para pegar o dinheiro de volta!