terça-feira, 17 de maio de 2016

Quem sabe vender o Brasil na bacia das almas?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Michel Temer escalou uma super mulher da área econômica para presidir o BNDES e comandar o gigantesco programa de venda de participações do governo em empresas de economia mista. O mercado financeiro comemora a indicação da economista Maria Silvia Bastos Marques para comandar as privatizações. Ela conhece o banco a fundo, pois já foi diretora no governo Fernando Collor. Ex-Autoridade Pública Olímpica, Maria Silvia tem tudo para bater um recordes de vendas de "estatais" na bacia das almas.

O trabalho de venda de participações nas "estatais" será feito em conjunto com Romero Jucá, José Serra e Moreira Franco, articulando compradores aqui dentro e lá fora. Tudo sob a coordenação de Henrique Meirelles e com a ajuda de um Banco Central comandado pelo economista-chefe do Itaú, Ilan Goldfajn. E nada melhor que um Pedro Parente na Petrobras e um Gustavo do Vale no Banco do Brasil para fazer a alegria de investidores ávidos por lucros e compras.

A petelândia, que achava que sabia de tudo, mas de nada sabia quando convinha, vai aprender o que significa fazer grandes negócios para entregar o Brasil, definitivamente, a quem dele sempre quis se apossar: o mega capital transnacional. O PT cumpriu bem a missão de bagunçar tudo, para os adversários e aliados traidores ganharem muito dinheiro, depois...

 Nada como um País levado a falência moral e econômica para gerar lucros bilionários para quem é profissional em ganhar dinheiro.

Dito pelo não dito


Proeminência


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 17 de Maio de 2016.

22 comentários:

Jayme Guedes disse...

Serrão, governo não tem que ter empresas. Entre nós, todas serão "privatizadas" como o PT fez com a Petrobrás. Governos devem ser mínimos e focados exclusivamente em priorizar e otimizar o retorno da tributação sob a forma de serviços à sociedade.

assis pereira disse...

Em contratação dessa natureza, onde um fornecedor encontra-se mobilizado à décadas, passa a caracterizar uma nefasta continuidade na execução de um objeto contratado em condição extremamente vantajosa, relacionada as demais concorrentes. Constata-se então a falta de competitividade nos certames licitatórios, não havendo como negar o favorecimento do executor, quando questionada pelos órgãos de controle.
Esta situação vantajosa decorre exatamente pelo fato da empresa fornecedora encontra-se mobilizada como empresa interposta para cessão da Mão de obra qualificada à Petrobras, não incorrendo com esse dispêndio na formação de preços e, na condição de vencedora, não incorrerá em custos extraordinários decorrentes de rescisões trabalhistas por dispensa imotivada da equipe.
A imperfeição desse processo decorre da terceirização precária caracterizada pela Cessão de Mão de Obra nos Contratos que deveriam ser de prestação de serviços, ou seja: a renovação da contratada nesse modelo implica na obrigatoriedade da manutenção dos executores, incorrendo na impropriedade supramencionada.
Ao considerarmos a recente deliberação dos Congressistas de terem votados contra a tercerização de serviços da atividade fins nas Empresas Estatais de Economia Mista referente ao PL 4330 que trata de uma nova configuração legal para a terceirização de serviços no Brasil, requer da Estatal Petroleira, de uma alteração na redação do processo licitatório em substituição da atual pratica operacionalizada pela Cessão de Mão de obra nos contratos licitados pela Petrobras.
Pelo que podemos perceber nas ações dos congressistas, ao ser mantido a terceirização de serviços nos moldes da atual legislação, em linha com a Súmula 331 do TST e Art 37 da CF, a Petrobras deverá promover no curto prazo, alterações profundas no seu planejamento e em seus procedimentos corporativos. Deverá contratar sua força de trabalho primeirizada para execução das atividades fins, estratégicas e sigilosas e aloca-las no seu Plano de Cargos e Salários.
Já para aquelas não consideradas como atividades fins, deverá reformular a atual modelagem de contratação, de forma a possibilitar que seus Contratadores e Membros Constituídos das Comissões de Licitação passem a modular nos processos licitatórios as especificações de serviços, critério de julgamento, planilhas de preços e critérios de medição dos serviços que remetam ao fornecimento de “produtos entregáveis” executados por força de trabalho próprio da Contratada.
A Licitante em questão deverá ser cadastrada no Banco de Cadastro da Petrobras e especializada na prestação de serviços do objeto a ser contratado. Nesses certames, a Petrobras deverá abdicar da exigência contratual ou extracontratual quanto a obrigatoriedade da continuidade dos executores terceirizados, por mais qualificados e especializados que sejam, sem determinar equipes, histogramas e salários atrelados a pagamentos por critérios de medição improdutivos de HH (Homem-Hora), característicos do processo de Cessão de Mão de Obra em vigor na atualidade.
Em assim procedendo, a contratação seria conduzida na Estatal com foco na produtividade e com aderência as novas normas licitatórias perfeitamente em linha com o conceito derivativo do PL43330 que será mais adiante transformada em Lei e regulamentado para sua aplicação, semelhante o que deveria já ser procedido em obediência a sumula 331 do TST e art 37 da CF, passando a Estatal a não mais incorrer em riscos de enquadramento em licitação precária e ilegal, burla aos Concursos Públicos, descumprimentos de obrigações trabalhistas e previdenciárias, como vem incorrendo na atualidade.

assis pereira disse...


O contrato bilionário que a Petrobras celebrou com a HOPE-RH, Instrumento Contratual 4600437263 do RSUD/Compartilhado foi prorrogado por negociação direta, quando haveria de ser licitado, tornando-a sucessora de si própria como CEDENTE de mão de Obra à Estatal Petroleira, para execução de serviços de atividades fins, estratégicas e sigilosas definidos no plano de Gestão de RH da Petrobras que mais parece uma “Matéria Negra”, já comprovada pela existência do Bóson de Riggs no LABORATÓRIO EUROPEU DE CERN: todos sabem de sua existência, sem jamais ser visto.
Esse Contrato impressiona tanto pelo seu valor 1,3 Bilhões de Reais, quanto pela forma como foi adjudicado por negociação direta com uma empresa, já enquadrada pela Policia Federal como supridora de empresa de Fachada do Sr Alberto Yusseff para abastecimento de Partidos do Governo e de sua base aliada. Por ser de natureza continuada, poderá e certamente será aditivado por ate igual período e o valor base negociado corresponderá no final à cifra de uma Pasadena.
Quanto a forma, há que ser considerado os seguintes aspectos:
Preliminarmente, devemos entender a necessidade, o objeto e escopo a ser contratado. Esse Contrato decorre da necessidade de obtenção de recursos altamente qualificados a serem colocados a disposição da Petrobras através de empresa entreposta, de forma permanente e contínua, para execução dos seus diversos empreendimentos do seu Plano de Negócio, uma vez que a Petrobras não detém em sua totalidade esses recursos no seu quadro de efetivos, pois absteve de contratar essa mão de obra através de Concursos Públicos.
Quando resolveu promover os Concursos Públicos a partir de 2005, o fez, pressionada que foi pelo Ministério Público e não contratou os aprovados na quantidade necessária, não utilizando na devida intensidade a contratação daqueles que se encontravam classificados e alocados no Cadastro de Reserva, por conta do aparelhamento implementado pelo esquema fraudulento instalado na Estatal.
Abre-se na atualidade a discussão acerca da legalidade desse tipo de contratação. No momento, tanto o MP e TCU vem questionando a Petrobras nesta sistemática, no sentido de não enquadramento ao que dispõe a legislação que rege a matéria na súmula vinculante 331 e art 37 e CF, inciso II, no que tange a execução de serviços da sua atividade fim, de seu plano de cargos e salários e aqueles de cunho estratégico e sigilosos.
A contratação em questão coloca a Hope RH na condição de fornecedor continuado de mão de obra terceirizada à Petrobras, em uma condição imprópria de continuidade e exclusividade, uma vez que essa mesma empresa é a atual fornecedora com idêntico objeto e escopo, em contrato igualmente bilionário, já aditivado por prazo e valor.
Em decorrência, podemos observar como impropriedade, a forma como foi colocado no mercado o processo licitatório que culminou com a Contratação da Hope RH na contratação original e a Negociação Direta para extensão de prazo e valor de um Contrato Bilionário sem essa previsibilidade.

assis pereira disse...


A sistemática inicial utilizada para obtenção de “recursos” para suprir as necessidades crescentes do partido do governo e base aliada foi montada segundo uma estratégia facilitadora para incrementação contínua e eficiente do processo de terceirização de serviços na Estatal, gerando cada vez mais “Contratos” assinados, levando ao aumento da base arrecadadora das Contratadas para o “SISTEMA”.
Esta estratégia possibilitava a terceirização em grande escala de serviços, abrangendo tanto aqueles de natureza acessórias previstos em lei, como os previstos no Plano de Cargos e Salário da Estatal, ai relacionados os das atividades fins, de cunho estratégico e sigiloso, condição essa indispensável para celebração de uma quantidade crescente de “Contratos de Apoio Técnico” e em contrapartida, obtenção do alargamento da “base arrecadadora” das empresas doadora ao “SISTEMA”.
Assim, a missão da “Santíssima Trindade” consistiu naquela oportunidade no “aprimoramento” na administração da Petrobras e Gestão de RH da Companhia que resultasse na necessidade de incremento de contratação maciça de mão de obra terceirizada, para prestação de serviços nos escritórios da Estatal na forma de Cessão de Mão de Obra para execução de serviços ate então considerados pertinentes ao Plano de Cargos e Salários da Petrobras, tidos como atividades fins, estratégicas e sigilosas, implicando na condução a uma perversa política de terceirização ilegal colocada em prática ate os dias atuais.
Pelo excesso da sistemática de terceirização excessiva implantada na Petrobras a favor do “SISTEMA”, não restavam mais espaços nos Escritórios da Petrobras destinados a novos contratados primeirizados, ainda que a Estatal Petroleira necessitasse desses recursos por conta do crescimento vertiginoso nos negócios da Petrobras na exploração OFFSHORE, no pos sal, e mais a frente no presal.
Não demorou muito, passou a ser prática corrente, constar nos contratos uma verba de fornecimento de escritório, com toda infraestrutura para execução de serviços a onerar ainda mais os processos licitatórios para contratação de empresas terceirizadas, com espaços reservados para atuação dos Gerentes da Petrobras comandar a “equipe colocada a disposição da Petrobras” gerando mais uma evidência de terceirização precária e ilegal.
No final do Contrato, as facilidades dos escritórios pagos pela Petrobras ficavam com a Empresa Contratada ou aproveitador de plantão da Contratante ou Contratada, redundando em mais uma improbidade a compor a “farra” para as Contratadas ou outros aproveitadores, que deveriam ser questionados pelos órgãos de controles internos e externos, por onerar sobremaneira e indevidamente esses tipos de Contração.
A consequência imediata dessa desastrosa sistemática a serviços do “SISTEMA” foi a “Burla aos concursos públicos” e lesão aos direitos constitucionais, onde os aprovados nos certames admissionais através de concursos públicos para ingresso na Estatal Petroleira foram preteridos em larga escala por admissão de terceirizados, não concursados, cedidos como mão de obra para executar serviços listados nos Cargos de Planos de cargos e salários da Petrobras para execução de serviços de atividades fins do seu objeto empresarial.
²Hope RH - CONTRATAÇÃO ILEGAL DA HOPE RH

assis pereira disse...


Já o sindicalista Diego Hernandes foi um importante assessor de Eduardo Dutra e Gerente da área de Recurso Humanos da Petrobras, subordinado direto ao Renato Duque, Diretor de Serviços da Petrobras. Sob seu comando no RH da Petrobras foi triplicado o numero de terceirizados na Estatal em menos de uma década, ultrapassando o impressionante numero de 360 mil, que foram contratados e cedidos à Petrobras por empresas afiliadas do esquema de aparelhamento político reinante na Petrobras que constituía a base de arrecadação para o Sistema fraudulento instalado na Petrobras na primeira Fase do Petrolão.
Chamou a atenção na primeira fase do Petrolão a atitude demandada pela “Santíssima Trindade” em permitir que gestores da Petrobras contratassem de forma ilegal as empresas “Hope RH”⁴ e “Personal Service”, através do Serviço Compartilhados da Petrobras para a pratica de cessão de mão de obra disfarçada de prestação de serviços de apoio técnico e administrativo as Regionais Bacia de Campos (RBC) e Baia de Guanabara (RBG).
Essas empresas assinaram contratos bilionários com a Estatal, totalizando a impressionante cifra de 6 bilhões de reais, sem contar os aditamentos bilionários celebrados a esses contratos, através de negociações precárias, em evidente burla a lei da licitação, que ainda continuam vigorando na Estatal por força desses aditamentos de valor e prazo de forma continuada, tornando-os totalmente ilegal por esses e demais motivos descritos a seguir:
1. esses mega contratos apresentam-se disfarçados de prestação de serviços, mas, na realidade funciona como cessão de mão de obra à Petrobras para execução de serviços de atividades fins, de cunhos estratégicos e sigilosos. A maioria dessas funções consta do Plano de Cargos e Salário da Petrobras implicando em flagrante Burla aos Concursos Públicos em arrepio ao art. 37 da CF em seu inciso II.
2. são serviços generalizados, originários de vários órgãos da Petrobras incluindo objetos diversos e abrangentes, de forma que são considerados como Contratos “Guarda-Chuva” proibido de serem licitados no âmbito da legislação atual.
3. esses contratos foram licitados como de natureza continuada, possibilitando aditamentos bilionários sem licitação. Quando licitados, ocorria de forma sistemática e irregular a “recontratação” da empresa executora, já que na condição de mobilizada, essa empresa, não incorrendo nos pesados encargos de mobilização, nem tão pouco, dispêndios por desmobilização, já que não necessitava demitir sua mão de obra levada a custo na licitação anterior, implicava na ausência do tratamento isonômico que haveria de ser conferido no certame licitatório, que o tornava ilegal.
4. esses Contratos são celebrados no Regime de Preços Unitários e são medidos por “Homem Hora trabalhada” que os tornam improdutivos, não havendo a apresentação efetiva de “produtos acabados” quando do processo de Medição e Pagamento, bastando a presença física da mão de obra cedida a Petrobras em seus escritórios com as devidas marcações de ponto para evidenciar a medição.
5. por fim, o motivo mais relevante conduz a ilegalidade, já que as delações premiadas da Operação Lava Jato denunciaram essas empresas, por mais de uma fonte, como sendo empresas abastecedoras do esquema fraudulento do Petrolão. Essas empresas continuam atuando como fornecedoras da Petrobras e foi alvo de mandato de busca e apreensão na 17ª fase da Lava Jato. A Policia Federal tem uma investigação em curso para apuração dos contratos que a Hope RH celebrou com a Petrobras.

assis pereira disse...


Porque a Petrobras anunciou que pretende cortar apenas 5 mil terceirizados, quando poderia cortar muito mais que isso, já que possui na atualidade, mais de 360 mil terceirizados, que é o somatório de empregados cedidos por centenas de empresas interpostas que o subutilizam nas diversa Unidades de Negócio da Estatal, através de um processo precário e ilegal?
Não conseguimos entender os motivos de não reduzir os custos exorbitantes com as contratações bilionárias de terceirizados por empresas interpostas, enquanto a PETROBRAS possui mão de obra própria e ociosa na atualidade, por conta da paralisação da maior parte de suas atividades devido a redução abrupta no seu Plano de Investimento, em consequência da falta de atratividade do seu negócio decorrente da diminuição contínua do preço do petróleo no mercado internacional.
Da mesma forma, observa-se a diminuição abrupta das atividades da Estatal, por conta da ocorrência de fatos negativos que recaem na administração e imagem da companhia por força do processo investigativo da operação Lava Jato.
O acionista minoritário da Petrobras e o povo brasileiro necessitam obter os devidos esclarecimentos da atual Direção da Estatal a essas questões.

¹Política de RH: APARELHAMENTO NA GESTÃO DE TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS NA PETROBRAS:
Nos idos de 2003, fim do mandato de FHC e inicio do primeiro mandato do Lula, instalou-se na administração da Petrobras uma “força sindicalista” que foi logo designada como “Santíssima Trindade”, designação dada a Armando Trípode, Diego Hernandes e Wilson Santarosa, entes sindicalistas incrustados ma Petrobras, ato primeiro do aparelhamento do Governo Federal e inicio de uma nova era na Estatal que se tornou público nos dias atuais, em face das investigações desencadeada pela Policia Federal no âmbito da operação “Lava Jato”.
Da Santíssima Trindade, permanece na atualidade apenas o Armando Trípodi que atuou inicialmente como assessor de Gabinete de Eduardo Dutra e Sérgio Gabrielli e posteriormente como Gerente de Sustentabilidade, assim como na qualidade de importante interlocutor dos negócios da Petrobras na África junto a Presidência da Petrobras. Desde 2012, o Armando Trípode acumulava o cargo de Conselheiro da Sete Brasil.
O sindicalista Wilson Santarosa da base sindical paulista ocupava a gerência de publicidade e patrocínio da Petrobras, teve importante participação no aparelhamento político na Petrobras e foi demitido da Estatal com o advento da Investigação da Policia Federal na operação Lava Jato.

assis pereira disse...



MEDIDAS NECESSÁRIAS PARA EQUILÍBRIO DO FLUXO DE CAIXA DA ESTATAL NA ATUALIDADE.
Se a direção da Petrobras abrisse os olhos para enxergar o quanto é nefasto e absurdo o desperdício resultante da má gestão das despesas operacionais incorridas quanto aos contínuos pagamentos mensais a fornecedores de mão de obra terceirizada, totalizando bilhões de reais, todos os meses, não necessitaria de ir ao mercado a captar recursos complementares com vista a manutenção do equilíbrio do seu fluxo de caixa.
Nesse sentido, para estabelecimento do reequilíbrio do fluxo de caixa, bastaria adotar apenas duas medidas:
• AUMENTAR A RECEITA: REAJUSTAMENTO DA GASOLINA E DO DIESEL EM NÍVEIS IMEDIATAMENTE SUPERIORES AOS PRATICADOS NO EXTERIOR ATE O RESTABELECIMENTO DO EQUILÍBRIO PLENA DO CAIXA DA PETROBRAS;
obs: a condição acima já esta em curso na estatal, que segundo consta, deverá assim permanecer até alcançar o montante equivalente ao período em que a Petrobras praticou preços inferiores à cotação internacional por ordenamento do governo federal.
• REDUZIR AS DESPESAS OPERACIONAIS IMPRODUTIVAS: ABSTER-SE DE CUSTOS DEMASIADOS E DESNECESSÁRIOS COM EXCESSO DE EMPREGADOS TERCEIRIZADOS.
A atitude isolada da Direção Estatal anunciada no último dia do mês de setembro de 2015, em ajustar os preços da gasolina em 6% e do diesel em 4% demonstra não ser o suficiente para equilibrar suas contas, já que a geração de caixa deve permanecer sob pressão, diante da depreciação cambial e da contínua queda nos preços do petróleo no mercado internacional, de forma que o reajuste anunciado deve elevar moderadamente a geração de caixa, mas não o suficiente para compensar a depreciação, tanto do real quanto do preço do petróleo no mercado internacional.
A solução estaria na conjugação do reforço do caixa por duas vertentes distintas: manutenção dos preços dos combustíveis em níveis acima da cotação internacional e, principalmente da contenção de despesas operacionais improdutivas e desnecessárias incorridas, mês a mês, com o pagamento bilionário a empresas fornecedoras de mão de obras terceirizadas.
Conforme matéria veiculada pela Info money², a Agencia Fitch acredita que o Ebitda da Petrobras pode cair de uma taxa anualizada de aproximadamente US$ 27,9 bi para US$23,5 bi com o dólar valendo 4 reais e o reajustamento anunciado pela Petrobras para os combustíveis.
² http://www.infomoney.com.br/bloomberg/mercados/noticia/4316724/caixa-petrobras-segue-sob-pressao-mesmo-apos-reajuste-diz-fitch
Qual o motivo que leva a Petrobras a manter, mês a mês, uma despesa operacional tão elevada que ultrapassa a cifra de 3 bilhões de reais, se ela não é necessária a seu pleno funcionamento?
Afinal, quanto importa o custo mensal de 360 mil terceirizados?
Considerando:
nº terceirizados superior a 360 mil;
Salário médio não inferior a R$2.500,00;
Fator de venda não inferior a 3,5
O fator de venda é um parâmetro utilizado na formação de preço a ser multiplicado pelo salário bruto acima mencionado para determinar o custo mensal unitário a ser pago aos fornecedores.
Esse fator é calculado, para fazer frente às despesas Indiretas denominadas de BDI – Bonificação de Despesas Indiretas (Administração central, lucros, contingências e tributos), mais os encargos sociais incorridos na formação de preço do item.
Multiplicando cada item acima entre si, teremos o custo mensal incorrido na prestação de serviços que totaliza a impressionante quantia de R$ 3.150.000.000,00 (3,15 bilhões de reais).

assis pereira disse...


Afinal, o que representa o equivalente a 500 milhões de dólares face ao valor de 15,1 bilhões de dólares que a Estatal necessita captar. Significa uma captação de meros 3% do que necessita, ou, em outras palavras, teria que efetuar cerca de 30 negócios dessa natureza para alcançar a meta dos 15,1 bilhões de dólares, um verdadeiro absurdo.
Para não dar a mão à palmatória aos tecnocratas da Estatal Petroleira, não faço somente as criticas ao negócio, apresento uma solução, que se aplicada com afinco, evitaria que a Petrobras cometesse essas atrocidades com o patrimônio Público.
Ao nível desse negócio, bastaria que a Direção Estatal passasse a observar mais atentamente o desperdício, a precariedade e ineficiência que observamos na condução da política de Recursos Humanos para constituição de sua força de trabalho.
A bilionária folha de pagamento mensal imposta a Petrobras com a contratação ilegal dos precários serviços terceirizados utilizados para execução de serviços de suas atividades fins, estratégicas e sigilosas ultrapassa o valor de 36 bilhões de reais/ano, redundando num fator impeditivo do equilíbrio do seu Fluxo de Caixa, situação esta que os dirigentes da estatal não faz o mínimo esforço para reduzir ou evitar.
O desperdício, a precariedade e ineficiência faz-se presente na conturbada Política de RH¹ reinante na Estatal em suas diversas Unidades de Negócio, quando contrata ilegalmente um gigantesco contingente de empregados terceirizados através de contratos bilionários de cessão de mão de obra, como, por exemplo, o que mantém com a Hope RH² para Cessão de mão de obra para o Serviço Compartilhado nas Regionais Bacia de Campos (RBC) e Baia de Guanabara (RBG).
A Regional Baia de Guanabara utiliza de um Contrato que o Serviço Compartilhado celebrou de forma ilegal com a Hope RH² no valor de 1,3 Bilhões de Reais com prazo contratual de 18 meses, representando um custo em torno de R$ 72 milhões/mês, cujo valor equivale praticamente a 25 milhões de dólares/mês, quantia essa que a Estatal desperdiça todo o mês com o Contrato celebrado com Hope RH
Além de ilegal, o Contrato que a Petrobras celebrou com a Hope RH² é utilizado para pagamento a um contingente extremamente elevado e desnecessário de empregados terceirizados que “prestam serviços” ao CENPES – Centro de Pesquisas da Petrobras na Ilha do Fundão – RJ e Bacia de Campos, através das Regionais Baia de Guanabara e Bacia de Campos do Serviço Compartilhado da Petrobras, RBG e RBC.

assis pereira disse...

PETROBRAS ENTREGA METADE DA GASPETRO A MITSUI-GÁS POR MISEROS 1,93 BILHÕES DE REAIS. FAZ SENTIDO DESFAZER DESSE IMPORTANTE ATIVO POR UM VALOR IRRISÓRIO? EXISTE ALTERNATIVA?
https://www.linkedin.com/pulse/petrobras-entrega-metade-da-gaspetro-mitsui-por-m%C3%ADseros-pereira?trk=pulse_spock-articles
O plano de desinvestimento de 15,1 bilhões de dólares definido pela Petrobras para o biênio 2015/2016 passa a ser na visão dos tecnocratas da Estatal a última alternativa na obtenção dos recursos complementares para garantir o equilíbrio financeiro nesse período, de forma a tocar seus empreendimentos no Pre-sal em ritmo menos acelerado daquele previsto inicialmente no seu plano de negócio.
Neste contexto, o impacto nas contas da Petrobras decorrente das improbidades administrativas observadas na Estatal, fruto do aparelhamento político engendrado por políticos do PT e base aliada a partir do primeiro mandato do Lula foi peça fundamental para as Finanças da Petrobras ficarem nessa encruzilhada.
Não resta dúvida alguma que a Petrobras vai começar a desfazer de excelentes negócios a valores extremamente reduzidos, considerando a situação do cenário mundial no seguimento de commodities, mais especificamente, na área do petróleo e gás.
Foi noticia na mídia, a venda de 49% da Gaspetro a Mitsui Gas por meros 1,94 bilhões de reais como parte do Plano de Desinvestimento da Estatal nos derradeiros momentos de 2015.
Podemos afirmar que a Direção da Petrobras esta enganando o acionista minoritário e a União Federal, quando afirma que a operação está relacionada à otimização do portfólio da Estatal na área de Exploração e Produção e alinhada a seu Plano de Negócios e Gestão 2015-2019.
Esses negócios, na forma como está sendo conduzido pelos tecnocratas da Estatal, mais parece uma doação.

assis pereira disse...

PETROBRAS ENTREGA METADE DA GASPETRO A MITSUI-GÁS POR MISEROS 1,93 BILHÕES DE REAIS. FAZ SENTIDO DESFAZER DESSE IMPORTANTE ATIVO POR UM VALOR IRRISÓRIO? EXISTE ALTERNATIVA?
https://www.linkedin.com/pulse/petrobras-entrega-metade-da-gaspetro-mitsui-por-m%C3%ADseros-pereira?trk=pulse_spock-articles
O plano de desinvestimento de 15,1 bilhões de dólares definido pela Petrobras para o biênio 2015/2016 passa a ser na visão dos tecnocratas da Estatal a última alternativa na obtenção dos recursos complementares para garantir o equilíbrio financeiro nesse período, de forma a tocar seus empreendimentos no Pre-sal em ritmo menos acelerado daquele previsto inicialmente no seu plano de negócio.
Neste contexto, o impacto nas contas da Petrobras decorrente das improbidades administrativas observadas na Estatal, fruto do aparelhamento político engendrado por políticos do PT e base aliada a partir do primeiro mandato do Lula foi peça fundamental para as Finanças da Petrobras ficarem nessa encruzilhada.
Não resta dúvida alguma que a Petrobras vai começar a desfazer de excelentes negócios a valores extremamente reduzidos, considerando a situação do cenário mundial no seguimento de commodities, mais especificamente, na área do petróleo e gás.
Foi noticia na mídia, a venda de 49% da Gaspetro a Mitsui Gas por meros 1,94 bilhões de reais como parte do Plano de Desinvestimento da Estatal nos derradeiros momentos de 2015.
Podemos afirmar que a Direção da Petrobras esta enganando o acionista minoritário e a União Federal, quando afirma que a operação está relacionada à otimização do portfólio da Estatal na área de Exploração e Produção e alinhada a seu Plano de Negócios e Gestão 2015-2019.
Esses negócios, na forma como está sendo conduzido pelos tecnocratas da Estatal, mais parece uma doação.

assis pereira disse...


Vejam artigo publicado na Rede Linkedin por Assis Pereira, engenheiro aposentado da Petrobras que trabalhou na estatal por 42 anos e que no ano passado apresentou dois Relatórios denuncias na Ouvidoria Geral da Petrobras em atendimento presencial e que não foi levado a sério pela Diretoria de Governança, Risco e Conformidade de João Elek. As denuncias que fez, remete a participação de Gerentes do terceiro escalão da Estatal que foram guindados ao topo da Companhia na atualidade pela reforma administrativa aprovada recentemente pelo Conselho de administração. Não fica difícil constatar que o intenso corporativismo faz-se presente na alta administração petroleira de forma que os trabalhos de sua Ouvidoria Geral ficam contaminado por esta intensa ação corporativista que não deixa fluir as denúncias que adentram a Ouvidoria Geral comandado por Mário Vinicios Clausen Spinelli.

PLANO DE DESINVESTIMENTO DA PETROBRAS x REDUÇÃO DA CAPACIDADE DE GERAÇÃO DE CAIXA.
https://www.linkedin.com/pulse/plano-de-desinvestimento-da-petrobras-x-redu%C3%A7%C3%A3o-gera%C3%A7%C3%A3o-pereira?trk=pulse_spock-articles

assis pereira disse...

OUVIDORIA GERAL DA PETROBRAS:

Vejam artigo publicado na Rede Linkedin por Assis Pereira, engenheiro aposentado da Petrobras que trabalhou na estatal por 42 anos e que no ano passado apresentou dois Relatórios denuncias na Ouvidoria Geral da Petrobras em atendimento presencial e que não foi levado a sério pela Diretoria de Governança, Risco e Conformidade de João Elek.

PLANO DE DESINVESTIMENTO DA PETROBRAS x REDUÇÃO DA CAPACIDADE DE GERAÇÃO DE CAIXA.
https://www.linkedin.com/pulse/plano-de-desinvestimento-da-petrobras-x-redu%C3%A7%C3%A3o-gera%C3%A7%C3%A3o-pereira?trk=pulse_spock-articles

As denuncias que fez, remete a participação de Gerentes do terceiro escalão da Estatal que foram guindados ao topo da Companhia na atualidade pela reforma administrativa aprovada recentemente pelo Conselho de administração. Não fica difícil constatar que o intenso corporativismo faz-se presente na alta administração petroleira de forma que os trabalhos de sua Ouvidoria Geral ficam contaminado por esta intensa ação corporativista que não deixa fluir as denúncias que adentram a Ouvidoria Geral comandado por Mário Vinicios Clausen Spinelli.

Anônimo disse...


Lula confessa ter dado aval para Evo Morales tomar para a Bolívia as refinarias (2) da Petrobras.

A estatal já havia investido por lá o equivalente a R$ 6 bilhões quando o presidente boliviano a ocupou com militares sem qualquer reação mais incisiva do PT.

Confissão foi dada ao lado do segundo homem na cadeia de comando da Bolívia em evento nesta segunda. Conta o Estadão que Lula foi sondado pelo próprio Evo Morales, quando ainda candidato à presidência, sobre a possibilidade de estatizar o que a Petrobras tinha de estrutura por lá. As palavras são do próprio ex-presidente e deixam claro o aval dado pelo então presidente brasileiro:

“O Evo me perguntou: ‘como vocês ficarão se nós nacionalizarmos a Petrobras?’. Respondi: ‘o gás é de vocês’. E foi assim que nos comportamos, respeitando a soberania da Bolívia.”

http://www.implicante.org/blog/lula-confessa-ter-dado-aval-para-evo-morales-tomar-para-a-bolivia-as-refinarias-da-petrobras/

-----------
“Petrobras volta a investir na Bolívia 7 anos após 'perder' refinarias no país, diz jornal.”
UOL, em São Paulo, 01/02/2013
-------------

Alguém ainda acredita nessas tranqueiras vermelhas. Duas refinarias construídas legalmente e operadas com o dinheiro do contribuinte brasileiro e acionistas da Petrobras, tomada na mão grande com o aval do “nosso” próprio presidente da época. E ainda voltaram a investir lá!!!

Pergunta que não quer calar: Essa ação que gerou também bilhões em perdas para a Petrobras vai ser outra para ficar na história como um marco do acovardamento, da fraqueza da política internacional brasileira, ou vamos rever esse episódio?

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Sugiro, senhor Jorge Serrão, que incide em grave erro mesmo que indiretamente, ao promover a ideia de que a economista Maria Silvia Bastos é uma "super mulher"; basta análise fria e objetiva das ações della ao longo da carreira, para se chegar à conclusão de que ou é incompetente ou é corrupta por ação ou omissão, não obstante não negando a imensa sede de poder e domínio que lhe é inerente. Particularmente considero-a uma Maria da Conceição Tavares requentada.

Trabalhou com Collor num governo desastrado inclusive e especialmente na área econômica; trabalhou na Petrobrás, e não sabia de nada? E......."A última passagem pelo setor público foi na Empresa Olímpica Municipal (EOM), órgão da Prefeitura do Rio responsável por coordenar a construção das instalações olímpicas, que comandou entre 2011 e 2014.
A saída da executiva coincidiu com o momento mais conturbado da relação do Comitê Olímpico Internacional (COI) e com os organizadores dos Jogos do Rio. Dez dias antes do desligamento de Maria Silvia, a Comissão de Coordenação do COI para os Jogos Olímpicos do Rio-2016 – grupo de inspetores responsável por acompanhar a preparação do Rio – visitou a capital fluminense e fez duras críticas ao andamento das obras.


Parece-me, caro senhor Jorge Serrão, que igualmente à maioria dos brasileiros tal como erraram em dar um voto de confiança nos piores governos que tivemos (Collor, FHC, Lulla & Dillma), o senhor também incide em erro idêntico ao dar um voto de confiança e jogar confete nessa Maria da Conceição Tavares requentada.


http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,executiva-ganhou-fama-de-trator-nos-negocios,10000051703

Martim Berto Fuchs disse...

Assis Pereira, li e estou copiando o artigo para consultas futuras. Muito esclarecedor.
Concordo plenamente: não precisa vender ativos, basta dispensar os inúteis que pululam na folha de pagamento. Mas para isto, tem que enfrentar os sindicatos pelegos que dominam o setor público e isso nossa classe política não faz. É triste constatar uma realidade dessas.
http://capitalismo-social.blogspot.com.br/2016/02/68-empresas-sociais.html

Lobo Ucrânia disse...

O escárnio figurativo e sociológico em que vivemos é apenas um reflexo de uma sociedade de princípios obscuros e inúteis.
O Brasil em matéria de corrupção e esbornia é o aluno nota 10, não há princípios a sociedade, a moral, a clarividência humana prerrogativa já não mais se adere ao caráter do pai de família. A Politica é o espelho da sociedade, o jeitinho brasileiro, a TV aberta, a internet, a gozação, os memes, são apenas um cobertor no dia de calor. Não há mais espaço para brincadeiras, não há mais espaço para falta de atenção, agora é hora de acordar, quebrar as correntes e açoitar no tronco os senhores de engenho.
A primeira luta é contra nos mesmos.
A Segunda luta é contra o nosso reflexo.
A terceira luta é contra o ser Brasileiro
A quarta e ultima é contra a sociedade escravocrata nacionalista
Agora é hora de lutar, não é hora de comprar celular de $4 mil, é hora de lutar pelo o que é digno...Ser algo muito maior...algo par se orgulhar...

Lobo da ucrânia.

Anônimo disse...

ARME RATOEIRAS DAS PRÁ PEGAR TAMANDUÁS, TEMER!
Temer tem na oportunidade, além do indispensável aplicação de antibactericidas, também de aplicar RATICIDAS da melhor qualidade, pois a ratazana do PT cresceu e engordou tanto que mais se parecem com tamanduás, de tão grandes e, em qualquer lugar que aparecem, contaminam o ambiente pelo odor de latrina!
Quanto a Temer, acho que escolhe na pior das hipóteses os melhores dentre os piores, pois é difícil saber qual deputado ou senador isento de acusações ou processos, embora uns tenham demais, caso do Renan Calhorda.
Mas pior que o PT Temer não será jamais; é de outro nível, diplomata, advogado, não ex guerrilheiro marxista a nível do carniceiro Che Guevara, ou como os estúpidos e zumbis comunistas do PT, uns tarados, querendo implantar uma ditadura comunista no Brasil!
APROVEITE E DEVOLVA OS SOLDADOS-CURANDEIROS DE F CASTRO, QUE NO JORNAL DO PC CUBANO, O GRANMA, TÁ PUTO DA VIDA COM A SAÍDA DE D$LMA-D$MD$M-...

Anônimo disse...

Afirmou novamente o TIODEDÉ (Delcídio Amaral)o mentiroso": LULALÁ e TIADILMINHA sabiam da corrupção na Petrobras.Quem pensa que ele já terminou o merdelê, está redondamente enganado, ainda faltam mais alguns personagens que aparentemente estão fora.
Enquanto isso o Brasil vai navegando mar revolto.

Anônimo disse...

É tão interessante ver esse senhor, antes, grande autoridade,respeitável, fiel escudeiro e defensor do governo e, agora depois de desmascarado,parece um menino falador dizendo: "foi o tio que mandou". Vergonhoso e acredito que existam muito iguais a ele ainda exercendo mandato.E, eles, contam tranquilamente todas as falcatruas, como se não tivessem nenhuma culpa. CINISMO geral.

Anônimo disse...

O problema,J.Serrão,é que misturam "safadeza" com ideologia,como antes já aconteceu na década de 90, com as privatizações de FHC. Realmente o Estado sempre foi um péssimo administrador,justificando, por isso,à primeira vista, as privatizações. Mas a culpa primeira dessa realidade é dos próprios Governos que interferem diretamente na escolha dos dirigentes das estatais e exercem um controle sobre elas nem sempre compatíveis com as necessidades de uma boa gestão. A ideia central quando criaram as empresas estatais é que elas deveriam funcionar como as empresas privadas,explorando atividades necessárias ao desenvolvimento,mas que não atraiam investidores da iniciativa privada. Mas os Governos nunca permitiram um bom desempenho em vista das suas intromissões diretas na gestão dessas empresas.Nas privatizações da época de FHC "torraram" as estatais por preços sub-avaliados. A telefônica do Rio Grande (CRT)foi vendida por menos de 1"bi", e pouco tempo depois revendida por 6 "bi". "Torraram" a EMBRATEL por míseros "trocados" de 1,6 (bi).Mas o mundo gira. Após as vergonheiras do "mensalão" e do "petrolão",parece que agora a corrupção vai retornar com toda a força ao "nicho" das privatizações.Acho até que "eles" consideraram que teriam pouco tempo para governar e por isso teriam que começar a roubar "logo".Sérgio A.Oliveira.

Anônimo disse...

Alguém por favor faça um post sobre a questão da extinção do ministério da cultura, não é possivel os artistas ficarem reivindicando seus interesses en nome do brasil, morando no exterior no tudo bom tudo bem, uma autoridade precisa rebater logo isso alegando que a cultura vem consequência da saude, educação, segurança, estamos ou não falando de melhorar o país, não de filme ou novela, me desculpem mas isso que querem e apenas se auto promover...

Loumari disse...

Abrem os vossos olhos e façam uma constatação: olhem por estes dois povos: povo brasileiro e o povo australiano! Que contraste pois não? Se observa no povo australiano a atitude e comportamento obsceno e abominável como se constata no povo brasileiro? E graças a Deus, a nação australiana é até hoje são, devido ao cumprimento da lei de Deus. E Brasil caiu na PODRIDÃO, devidos as suas transgressões. No povo australiano está desenvolvido o espírito santo, em câmbio no povo brasileiro é o espírito do Diabo que foi desenvolvido. Os brasileiros na prática da feitiçaria superam os nigerianos. E quanto as exacções macabras e diabólicas, superam os islamistas.
E a besta Brasil saiu do seu território para ir espalhar misérias em outros países. Já chegou a hora para Brasil de pagar a conta do devido. Brasil já é hoje o que se chama de ESCÁRNIO mundial. O que vai se abater naquele país vai ser sensacional.
LOUVOR E GLÓRIA AO SENHOR DA JUSTIÇA.

No Brasil hoje toda a sua agro-indústria já é propriedade de Iranianos e de outros países árabes muçulmanos. Num futuro muito próximo os brasileiros que quiserem comer vão ter que se converter ao islam. Baixar as calças para ser circuncisado o pénis. E as suas mulheres e filhas vão ter que passar pela operação chamada: EXCISÃO. Que consiste em amputar o clitóris para jamais voltar a sentir o prazer sexual. Ouf, fim da putaria.
E o dragão (china), já é praticamente dono da economia e finanças brasileiras. A china já investiu muitos bilhões de USD em compra de acções em todas grandes companhias brasileiras.
Os brasileiros dizem que deus é brasileiro. Quer dizer que eles se autodefiniram como deuses no mundo. Por isso que eles tratam os outros povos como raça inferior. Eles têm por costume na sua cultura de falar mal de tudo e de todos.
Brasileiros são como uma raça de gentes que herdaram o pior do chinês e do pior do árabe. De latino aquela gente não tem grande coisa. O seu comportamento e atitude choca ao mundo todo, mas eles se estimam superiores a todos os povos do mundo. Se eles soubessem que de muito alto vão caírem!