segunda-feira, 23 de maio de 2016

Temer prepara a venda do Brasil a preço de banana


3a Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Mesmo cogitado pelo Presidento Michel Temer, o sociólogo Moreira Franco nem quis saber de assumir o lugar de Romero Jucá no Ministério do Planejamento - que agora anunciou estar de licença. Não porque o velho Gato Angorá (apelido com o qual Leonel Brizola o imortalizou) não seja bem visto pelos demais articuladores políticos do Congresso. No posto estratégico de Secretário-Executivo do Programa de Parcerias e Investimentos, Moreira tem a missão maior de aproveitar o clima de "bacia das almas" para negociar tudo que o Brasil ainda tem de bom e lucrativo. Grandes avaliadores como o Rothschild Group já fazem a peneira das excelentes oportunidades.

A autoridade de investimentos do Catar, Abu Dhabi Investment Co PJSC, e a Mubadala Development Co PJSC e a canadense Brookfield Asset Management figuram entre os fundos soberanos convidados a participar dos "roadshows" que o Ministério das Relações Exteriores (com José Serra) pretende realizar em Londres e Nova York para anunciar e articular a negociação de lucrativos ativos das estatais (empresas de economia mista). O objetivo é faturar até US$ 20 bilhões de dólares nos próximos dois anos. O problema é se os investidores externos aceitarão botar seu rico dinheirinho em um País completamente desgovernado pelo crime organizado...

A lista do que pode ser negociado a preço de banana já é conhecida do mercado. Subsidiárias e várias Sociedades de Propósito Específico (SPEs) da Petrobras figuram como jóias da coroa. Aposta-se na venda de fatias do governo federal em até 230 empresas do setor elétrico, sendo 179 Sociedades de Propósito Específico nas mãos da Eletrobras. Entrariam na dança dezenas de empreendimentos nas áreas de geração, distribuição e transmissão de energia e em parques eólicos. Entram na listinha de vendáveis parte dos Correios e da Casa da Moeda. Também fazem parte do rol de ativos à venda fatias da Infraero, as companhias Docas, a Caixa Seguros e o IRB Brasil.

Quem defende um modelo de Estado Mínimo comemora. Mas é bom ficar esperto para não ser feito de "minorotário" durante a onda de compra-e-venda. O problema é saber se o Estado brasileiro passará, de fato e de direito, pelas reformas necessárias (conhecidas, porém nunca implementadas, por sacanagem, má vontade ou incompetência. Se não houver mudança no modelo, o Estado brasileiro prestará o mesmo desserviço de agora, roubando recursos dos cidadãos e das empresas através de um assalto tributário sem uma justa contrapartida social e produtiva.

O anúncio de um "Brasil à venda na bacia das almas" remete a uma belíssima reflexão sobre poder e dinheiro feita pelo personagem Francisco D’Anconia, um industrial rico e playboy, no filme "The Fountainhead", de 1949, baseado na obra de Ayn Rand, com título idêntico. O figurão parece estar falando de Bruzundanga:

"O dinheiro é o barômetro da virtude de uma sociedade. Quando há comércio não por consentimento, mas por compulsão – quando para produzir é necessário pedir permissão a homens que nada produzem – quando o dinheiro flui para aqueles que não vendem produtos, mas influencia – quando os homens enriquecem mais pelo suborno e favores do que pelo trabalho, e as leis não protegem quem produz de quem rouba, mas quem rouba de quem produz – quando a corrupção é recompensada e a honestidade vira um sacrifício – pode ter certeza de que a sociedade está condenada".

Reflexão justa e perfeita para resumir a tragicomédia vivida por uma sociedade brasileira condenada ao subdesenvolvimento e à destruição por regime Capimunista, rentista, cartorial, centralizador e corrupto.
Azar do Romero Jucá e de quem mais vier a ser pego pela lava Jato ou demais operações... Eles podem ficar de fora da intermediação de lucrativos negócios (ou negociatas)...

Confira a segunda edição desta segunda-feira: Temer acaba sem começar por causa de Jucá?

Releia a primeira edição desta segunda-feira: Militares exigem Justiça


A Hora de Temer

Confira o duro editorial de O Globo detonando Romero Jucá:

NÃO SE DISCUTE a legitimidade do governo interino de Michel Temer, eleito pelos mesmos votos que mantiveram a presidente Dilma no Planalto, hoje afastada à espera do julgamento do seu impeachment.

TEMER, porém, precisa entender a delicadeza do momento político e econômico, que lhe exige ações duras, rápidas, sem tergiversações. Na economia, a partir da qualidade da equipe que tem conseguido montar e das análises já feitas em público, o governo parece bem encaminhado.

NA POLÍTICA, nem tanto. Entende-se que Temer necessita de sólido apoio no Congresso para conseguir aprovar reformas imprescindíveis, sem as quais o país não superará a crise fiscal. Mas tudo tem limites.

COMO É O CASO DA REVELAÇÃO, feita pela “Folha de S.Paulo”, de diálogos do braço-direito do presidente, o senador licenciado Romero Jucá (PMDB-RR), ministro do Planejamento, com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, gravados por este.

O CONTEÚDO do que foi revelado, e não desmentido pelo ministro em entrevista coletiva, torna inviável a sua permanência no governo. O presidente interino pode inviabilizar sua gestão caso decida manter Jucá.

O MINISTRO dá explicações clássicas, reclamando de que frases estão fora de contexto e assim por diante. Mas fica translúcido que Jucá e Machado, dois apanhados nas malhas da Lava-Jato — o ministro ainda sendo investigado —, tramavam barrar a Operação num eventual governo Temer. O contrário do que o próprio presidente se comprometeu a fazer ao assumir. Os diálogos, portanto, também atingem Temer.

ATÉ PARA NÃO DAR RAZÃO aos lulopetistas que denunciam uma trama contra a Lava-Jato por trás do impeachment de Dilma, o presidente não pode demorar para afastar o auxiliar. Ou o próprio Jucá deve entregar o cargo, para poupar Temer de mais dissabores. O tempo corre contra o governo.

Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 23 de Maio de 2016.

8 comentários:

Anônimo disse...

Serrão :Já ficou mais que evidenciado que a troca de governo do "consórcio" PT+PMDB, para o "consórcio" PMDB+PSDB,só vai ter de diferença a troca de um foco de corrupção por outro. O PT ,durante os seus 13 anos governando,fez doutorado em corrupção valendo-se dos cofres das empresas paraestatais vinculadas ao Poder Excecutivo da União (Petrobás,Correios,BNDES,etc,etc.).Foi o tempo do suborno,das propinas e das falcatruas diversas. Tomando as rédeas do governo,agora o PMDB,consorciado com o PSDB,vai "investir" vendendo as melhores e mais rentáveis empresas da União,certamente subavaliadas,surgido aí um novo "nicho" de corrupção. A colaboração do PSDB nessa nova modalidade de "negócios" vai ser fundamental. Vão trazer da "Era FHC" toda experiência acumulada em, "torrar" empresas públicas,como a fizeram com a Embratel,"torrada" por 1,6 "bi",que tinha mais que esse valor somente em satélites artificiais. Como alguns avisaram,a única troca que houve foi a de "bosta" por "merda".Sérgio A.Oliveira.

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Um Estadista fortalece e protege o povo; um tirano fortalece o Estado, e é essa visão que marca Michel Temer como tiranete e os caminhos que seguirá, protegendo o Estado, protegendo os salários dos políticos, vereadores, prefeitos, deputados, governadores, deputados federais, senadores e os salários da restante máquina pública, e o povo que se dane.

carlos augusto galvão disse...

Mas foi bom... Pelo menos fizemos um rodízio de quadrilhas.

carlos augusto galvão disse...

Mas foi bom... Pelo menos fizemos um rodízio de quadrilhas.

Jayme Guedes disse...

Serrão, se não conseguimos evitar o roubo de nossos ativos, melhor vendê-los. Veja o exemplo da Petrobrás. Considere o que ela vale hoje e me diga se não seria melhor que tivesse sido vendida quando valia cinco vezes mais. No comentário acima, do Sérgio Oliveira, ele esquece que nenhum ladrão, seja de que quadrilha for, PT, PMDB, PSDB, etc, chegou ao "cofre" por seus próprios meios. A maioria que elege os colocou lá e pediu que nos roubasse. Os corruptos só fizeram o que lhes foi pedido pelo eleitor. Admitindo-se que a Embratel tenha sido "torrada", é inegável que a Petrobrás também o foi mas com uma diferença: no caso da Embratel o governo recebeu os $1.6 bi enquanto na Petrobrás o que recebeu foi o passivo de bilhões a ser coberto pelo povo que elege ladrões. A solução para o Brasil seria a troca de povo, o que, convenhamos, é impossível.

Anônimo disse...

Ao Jayme Guedes: Em nenhum momento absolvi o povo brasileiro de toda essa situação.De fato,a primeira culpa está no povo. Assim como o povo tem o governo que merece,também o governo tem o povo que merece. É por essa razão que os patifes da política prezam tanto o que eles chamam de "democracia",na verdade uma oclocracia,que é a democracia corrompida,degenerada, dos ignorantes e vendidos por um mísero prato de comida,sempre "utilizados" pelos políticos de mau caráter.Creio até que um rebanho bovino sabe mais sobre democracia do que esse povo.Sérgio A.Oliveira.

Anônimo disse...

SE NO BRASIL EXISTISSEM 2 PILANTRAS A MENOS O POVO ESTARIA BEM MELHOR... NADA QUE 2 BALAS NÃO RESOLVA...

Loumari disse...

Sérgio mon enfant, je suis tout à fait d'accord avec toi.