sábado, 11 de junho de 2016

O Bibliófilo Obstinado


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

O livro impresso está ficando obsoleto; como o abotoador de botina. Nem no Google consegui uma imagem!

Artes gráficas refinadas desaparecerão (Elvino Pocai). Tipos de impressão (adeus Bodoni). Editores de luxo (saudades de Franco Maria Ricci). Encadernações artísticas, babau.

Sempre haverá um retrógado obstinado.

Também sumirão o alfaiate, o barbeiro e o restaurador de quadros.

Talvez ninguém mais se lembre do limpador de chaminés, do distribuidor de pedras de gelo para refrigeração e da telefonista de interurbano.

Problemas teremos quando as gerações imbecilizas pela cartilha gramscista chegarem ao nível gerencial de nossas empresas.

Hoje ainda estão vivos os “tios” a quem recorrer. Não há paciência para ouvir uma explicação. Querem tudo rápido, ainda que mal feito.

Um dos homens mais cultos que conheci, num Natal dos anos oitenta, disse ao sobrinho de trinta anos:

- Fulano, penso em dar para você um livro...

- Obrigado tio, mas já tenho um...!

Aliás, deve lhe ser muito útil. Serve para calçar um pé de móvel quebrado.

Confunde Seu Germano com gênero humano; meritíssimo com meretríssimo; crepúsculo com pêlo crespo do... (vocês sabem de onde).

Formados e deformados pelo gramscimo, analfabetos funcionais e políticos são perigosíssimos, por não lêem e nem sabem fazer leitura da realidade.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Anônimo disse...

Senhor Maurício,
Por falar em profissões extintas, alguém ainda lembra do CUBEIRO e de sua fétida atividade?
Meu pai, quando ouvia um dos filhos usando expressões chulas, dizia que usávamos linguagem de cubeiro.
Eita tempo bão!