terça-feira, 5 de julho de 2016

Espremo o Supremo?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Estou numa idade na qual por quase nada tremo.

Nunca vi a coisa chegar neste extremo.

Cruzador virou barco a remo.

Urubu, meu louro.

Político, interlocutor de mouro.

O que era simples traque, hoje é estouro.

O que parecia epopéia, na verdade é diarréia.

Gente sem eira nem beira, exibe tornozeleira.

Gente da capa preta sairá do armário ou da gaveta.

“Adevogado” ou “avôdogado”?

Se o povo um pouco mais se assanha, virarão bois de piranha.

Delação de amante é igual a laxante.

Muitos, como Jacinto*, dirão :”Cá mais não fico!”.

Coçar-se-ão muito com pó de mico.

Pedirão água ou, talvez, penico.

Merda estática ou merdandantes, nada será por aqui como dantes.

Veremos a fuga do bigode. Se não escafeder sabe que se fo...

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.


PS - Homenagem ao Jacinto de Tormes, como já sinto há muito, fazendo muita falta no Brasil que precisa ser criticado e passado a limpo.

Nenhum comentário: