domingo, 7 de agosto de 2016

Brasil, Medalha de Ouro, Parabéns!


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laercio Laurelli

Mercê de Deus, indescritível o espetáculo que o Brasil, através de brasileiros patriotas, apresentou no Estádio do Maracanã, por ocasião da abertura dos jogos das olimpíadas; mostrou-se o fascínio da criatividade e o esplendor da maior nobreza espiritual, porque está na consciência, está no homem,o princípio Divino da existência nessa marcha jubilosa, comungando a mesma fé; presentearam o mundo com um circulo mágico representando a concentração de energia entre o ser humano e o Universo através de uma figura geométrica simbolizada por uma mandala multicolorida; vimos o inicio de uma caminhada em direção da pira cuja chama enraizada por um sonho que ultrapassa fronteiras viu-se a projeção de um sol reluzente, pelo reflexo de uma luz intermitente erguidaem direção ao céu como o símbolo da liberdade e o expurgo da hegemonia cultural comunistaimplantada por agentes do “mal”, neste Brasil glorioso.

Parabéns aos organizadores da maior e o do mais perfeito engenho na apresentação que se viu até hoje quanto ao espetáculo da abertura das olimpíadas; nenhum país mostrou um legado de verossimilhança de todos os ciclos históricos desde que se iniciou no ano 776 A.C. na cidade de Olímpia na Grécia os Jogos Olímpicos antigos formados por competições entre representantes de várias cidades-estados da Grécia antiga de fundamental importância com eventos esportivos em honra tanto a Zeus, quanto a Pélope, herói divino e rei mítico de Olímpia.

Viu-se a inspiração que o brasileiro apresentou com consciência, respeito e dedicação aos jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Ao meu sentido, o Brasil, considerado o ganhador da primeira medalha de ouro, passando para a categoria “Hours Concours” de todas as Olímpiadas já concretizadas.
Sempre fui e hei de ser sempre um pregoeiro da consciência da liberdade e do patriotismo deste país, que em uma reversão do curso da história, certamente visará à conquista da Ordem e do Progresso real e firmará pela natureza social, o princípio deontológico, monitorado pela conduta ética esculpida no Estado Democrático de Direito.

Na abertura deste suntuoso espetáculo, mostrou-se ao mundo que vivemos em dois patamares: o Brasil das autoridades corruptas manejadas por políticos  e por comunistas infiltrados nas instituições constituídas e, um Brasil das verdades sublimes manejado por pequena parte de políticos e autoridades sérias, somadas à uma sociedade, igualmente séria, extraída de um povo sério, simples, consciente e de elevada capacidade de ações criativas, que aflorou-se graças ao bom senso estrutural de se colocar no lugar certo pessoas certas, possuidoras de elevada eficiência, suficiência, para tornar eficaz o resultado sempre crescente para o belo, para o verdadeiro e para o bem, tríplice realização do Divino. 

Parabéns às Olimpíadas do Rio-Brasil. Parabéns aos organizadores. Parabéns ao povo brasileiro por aplaudir a apresentação instalada na abertura dos jogos olímpicos do Rio de Janeiro;espetáculo que antecedeo conserto da contumaz corrupção pela redenção ungida aos sucessivos momentos de glória e louvor da consciência pública;da independência; dos sentimentos de direito e justiça. Viva o Brasil.


Laercio Laurelli – Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ( art. 59 do RITJESP) – Professor de Direito Penal e Processo Penal – Jurista – Articulista – Idealizador, diretor e apresentador do programa de T.V. “Direito e Justiça em Foco” - Patriota.

4 comentários:

Anônimo disse...

.

acp

Absurdo! Foi uma desfaçatez de marxismo cultural. Puro esquerdismo. Um dos cometedores, o mereles, disse que Bolsonaro e Trump não gostariam.

Qualquer pessoa normal tem de odiar a glorificação da favela e da miséria. Cantaram até o hino das favelas. Tocaram músicas esquerdistas como construção.

Uma monstruosidade.

Como será o lamentável evento de fechamento?

acp

.

Anônimo disse...

.

acp

Absurdo!

Foi puro esquerdismo!

Marxismo cultural!

Glorificação daws favelas com o hino delas!

Um dos cometedores, o mereles, disse que Bolsonaro e Trump odiariam!

Qualquer pessoa normal odiou aquele monte de miolo-mole!

C9omo será o absurdo show de fechamento?

acp

.

Anônimo disse...

.

acp

E a bobagem sobre o multi-milionário franco-brasileiro...

acp

.

Anônimo disse...

Puro esquerdismo, desfaçatez. Puro proselitismo. Não consigo entender. O sujeito passa o ano, a vida, excomungando o comunismo, e basta uma cerimônia com o pobrismo crônico do Bananão para ele se emocionar. Li diversos jornalistas, escritores, enaltecendo essa cerimônia que só fez mostrar nossa pobreza e nossa conformação com as misérias do país. Nada mais fizemos do que mostrar que gostamos mesmo é circo e pão. O que tinha ali de progresso, de ciência, de um prêmio Nobel, que pudéssemos nos orgulhar. Sempre a mesma ladainha, que somos um povo amigável, amistoso, sem violência, quando pessoas são assaltadas em plena Olimpiada. Bala perdida, violência. Mas é sempre assim, basta uma festa e tudo se esquece. Esquece-se da fortuna gasta nessa Olimpiada desnecessária, no pais onde a miséria se alastra, hospitais sem remédios e médicos, imundos. Esquece-se que esses elefantes brancos custarão 59 milhões de reais por ano a um estado falido, quebrado. Mas é sempre assim, primeiro vamos festejar, depois a gente vê o que fazer com nossas mazelas. Até mesmo um escritor que escreve um um Blog que leio me decepcionou, chegou a dizer que caiu em prantos diante daquela comemoração eivada de proselitismo, até mesmo o tal 14 Bis não passou de uma provocação aos impreialistas, como que querendo dizer: Viu, fomos nós que voamos primeiro, não vocês. Esquecendo que tudo foi feito em terra estranha. Fala sério!
Quero comemorar é Prêmio Nobel de ciência. Quero é mais Oswaldo Cruz, mais Vital Brasil, mais Carlos Chagas, mais Manoel de Abreu, mais Fernando Arens Jr. (esse merce ser lembrado). Quero mais Butantãs, mais Manguinhos (Fiocruz). Quero menos favelas, menos MST, menos CUT, menos Stédiles e Boulos. Já estou cansado de ver esse Bananão ficar comemorando Ayrton Senna, Pelé, Garrincha (meu ídolo no futebol), Neymar, Guga, chamados de herois, quando não passaram de ídolos. Herois são os acima citados. Quero um país sério, comprometido com o progresso, com a qualidade vida de sues filhos, com a educação, saude e segurança. E quero ver quem pagará as contas acumuladas do PAN, da Copa e agora da Olimpíada.
Mauro Moreira