sábado, 8 de outubro de 2016

Damasco Estragado


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

A situação de beligerância instaurada por meio da primavera Árabe contaminou diversos países, apresentando cada um deles, respectivamente, solução doméstica ou banhada pela racionalidade econômica.

Ao contrário, a Síria enfrenta estado de guerra que já dura mais de cinco anos, com milhares de mortes e um tanto outro número de refugiados em outros países, e somente agora a ONU convocou reunião de emergência para encontrar um denominador comum.

Ao que tudo indica russos e chineses preferem sustentar o governo Assad enquanto que os americanos tentam, de todas as formas, tirá-lo do poder, nada obstante a região esteja completamente solapada e muito distante de qualquer abertura democrática.

E para agravar ainda mais o retrato sombrio daquele território, segundo fontes de segurança, estão instalados na região membros do Estado Islâmico, os quais realizam seus treinamentos no escopo de atos terroristas mundo afora.

A crise de organismos internacionais é crescente e marcante, perdendo a Organização das Nações Unidas seu papel chave de intervir e colocar o dedo na ferida para evitar que milhares de civis sejam mortos brutalmente.

Não há outra solução, exceto o deslocamento de tropas internacionais para a região e o completo cessar fogo a ser permanentemente vigiado até que se normalize os atendimentos, socorros e abastecimentos, e para reconstrução do país serão necessários gastos enormes, os quais poderiam ser adiantados pelos países produtores de petróleo e depois subvencionados pelos americanos e chineses.

Essa guerra sangrenta e sem perspectiva de cessar fogo já deveria ter sido objeto da intervenção da ONU, mas somente agora aconteceu, em função da desinteligência entre americanos e russos.

E dizem as más línguas que o candidato republicano à presidência americana está sendo apoiado pelos russos e reconhecerá Jerusalém como a capital do Estado de Israel.

Sem embargo, o fundamental agora é deliberar pelo conselho de segurança da ONU o imediato cessar fogo, com o deslocamento de tropas internacionais, as quais fiscalizem e zelem pelo estado de paz, com a reconstrução os serviços essenciais, atendimento da população civil, sem perder a governabilidade e também a vontade soberana do povo abalado pela insana ideologia do poder.

Várias cidades foram danificadas, centros culturais históricos e de enorme contribuição para a civilização, inclusive a capital, Damasco.

Se não houver a intervenção rápida, com deslocamento de tropas por terra, ar e mar, o estrago não será somente de damasco, porém de todo o país e a contaminação de outros territórios árabes poderá dar ensejo ao inverno rigoroso, de grande repercussão, marcado pelo radicalismo, de consequências imprevisíveis para o futuro da paz no continente.

Carlos Henrique Abrão doutor pela USP com especialização em Paris, professor pesquisador convidado da Universidade de Heidelberg, é desembargador do TJSP 


Laercio Laurelli – Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (art. 59 do RITJESP) – Professor de Direito Penal e Processo Penal – Jurista – articulista – Idealizador, diretor e apresentador do programa de T.V. “Direito e Justiça em Foco”

4 comentários:

Loumari disse...

Profecia contra Damasco e Efraim

PESO de Damasco. Eis que Damasco será tirada, e já não será cidade, mas um montão de ruinas.
As cidades de Aroel serão abandonadas; hão-de ser para os rebanhos, que se deitarão sem haver quem os espante.
E a fortaleza de Efraim cessará, como, também, o reino de Damasco e o resíduo da Síria; serão como a glória dos filhos de Israel, diz o Senhor dos Exércitos.
E será diminuida naquele dia a glória de Jacob (homem na carne), e a gordura da sua carne desaparecerá.
Porque será como o segador que colhe o trigo, e com o seu braço sega as espigas; e será, também, como o que colhe espigas no vale de Rafaim.
Mas ainda ficarão nele alguns rabiscos, como no sacudir da oliveira: duas ou três azeitonas na mais alta ponta dos ramos, e quatro ou cinco nos ramos mais exteriores de uma árvore frutífera, diz o SENHOR, DEUS DE ISRAEL.
Naquele dia, atentará o homem para o seu Criador, e os seus olhos olharão para o Santo de Israel,
E não atentará para os altares, obra das suas mãos, nem olhará para o que fizeram seus dedos, nem para os bosques, nem para as imagens do sol.
Naquele dia, serão as suas cidades fortes como os lugares abandonados no bosque ou sobre o cume das montanhas, os quais foram abandonados antes os filhos de Israel: e haverá assolação.
Porquanto te esqueceste do Deus da tua salvação, e não te lembraste da rocha da sua fortaleza: pelo que, bem plantarás plantas formosas, e as cercarás de sarmentos estranhos.
No dia em que as plantares, as cercarás, e pela manhã farás que a tua semente brote; mas a colheita voará no dia da tribulação e das dores insofríveis.
(ISAIAS 17)

Loumari disse...

Profecia contra Damasco

Contra Damasco. Envergonhou-se Hamath e Arpad, e, porquanto ouviram más novas, desmaiaram: no mar há angústia; não se pode sossegar.
Enfraquecida está Damasco; virou as costas para fugir, e tremor a tomou; angústia e dores a tomaram, como da que está de parto.
Como não está abandonada a afamada cidade, a cidade de meu folguedo?
Portanto, cairão os seus mancebos nas suas ruas; e todos os homens de guerra serão consumidos, naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos.
E acenderei fogo no muro de Damasco, o qual consumirá os palácios de Benadad.
(JEREMIAS 49:23)

Loumari disse...

Então ouvi Zorobabel (no Bachar), filho de Sealtiel, e Josué (no Putin), filho de Josadac, sumo sacerdote, e todo o resto do povo, a voz do SENHOR, SEU DEUS, e as palavras do profeta Ageu, como o SENHOR, SEU DEUS, o tinha enviado; e temeu o povo diante do Senhor.
Então Ageu, o embaixador do Senhor, falou ao povo, conforme a mensagem do Senhor, dizendo: EU SOU CONVOSCO, DIZ O SENHOR.
E o Senhor levantou o espírito de Zorobabel, filho de Sealtiel, príncipe de Judá, e o espírito de Josué, filho de Josadac, sumo sacerdote, e o espírito do resto de todo o povo; e vieram, e trabalharam na casa do SENHOR DOS EXÉRCITOS, SEU DEUS.
(AGEU 1:12)

maria crivell disse...

E bom mesmo que reconhecam Jerusalem como capital de Israel. Jerusalem nao pode cair nas maos dos palestinos!!