quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Vitória espetacular do plebiscito da Independência do Sul


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Ninguém esperava a espetacular vitória da proposta INDEPENDENTISTA do SUL (PR,SC e RS) alcançada no plebiscito (Plebisul), realizado no sábado (1.10.16), em toda a Região Sul. Nem mesmo os dirigentes e militantes do MOVIMENTO O SUL É O MEU PAÍS, responsáveis pela consulta ao povo, supunham que a aceitação da proposta beirasse a  quase  unanimidade, ou seja, 95,75% pelo SIM, e 4,25% pelo NÃO, num universo de 617.543 eleitores, que optaram em se manifestar democraticamente nas urnas colocadas em pontos estratégicos amplamente divulgados.                                                                                                           

Importante é sublinhar que a quase totalidade dos eleitores que compareceram às urnas nem tinha conhecimento mais detalhado sobre a citada consulta, em vista dela ter sido “escondida” todo o tempo pela mídia, normalmente “interesseira, mas que  entenderam logo o que significaria a opção pelo SIM ou pelo NÃO, ou seja, se desejavam, ou não, que o SUL se tornasse um país independente. Os especialistas em opinião política pública  saberão melhor que ninguém interpretar  e avaliar esse fenômeno.

O sucesso dessa consulta pública, acessível a todos os eleitores da região, não foi afetado nem mesmo pelos “carnaval” e outras mobilizações similares, das eleições municipais que aconteceriam no dia seguinte, domingo, (2.10.16), e muito menos pelo silêncio sepulcral da Grande Mídia, servil ao pútrido sistema político e econômico que sempre dominou esse país, onde discussões libertárias, como a  protagonizada pelos  independentistas, jamais tiveram qualquer espaço imparcial, mas que, ao contrário, invariavelmente sempre foram alvo de esculachos midiáticos.

Quero ver se a partir de agora essa mídia e seus capachos terão coragem de dizer que o movimento autodeterminista do SUL seria “coisa” de meia dúzia de malucos, como habitualmente fazem.

O Plebisul, como foi denominado, em virtude da estúpida proibição do TRE/SC que se usasse o termo “plebiscito” ,como originalmente planejado, julgando-se esse tribunal, portanto, ”dono” do dicionário da língua portuguesa, teve o mérito de apresentar uma modalidade de democracia alternativa, uma verdadeira democracia, uma autêntica democracia direta, organizada  fora dos organismos oficiais brasileiros, sem contar com os “bilhões” dispêndidos pelos cofres públicos, pagos pelo povo, para sustentar um aparato eleitoral e uma democracia degenerada, corrompida e deturpada, e sem contar também com as “generosas” ajudas empresariais  sempre presentes  para pagar a defesa dos seus interesses particulares na política. Todo o plebiscito foi sustentado exclusivamente pelos seus próprios militantes, que de uma ou outra forma participaram da sua organização, sem qualquer ajuda ou patrocínio de terceiros

Oportuno é que se esclareça que antes que se optasse por esse iniciativa própria do “Movimento” tentou-se percorrer outro caminho, perfeitamente compatível com as leis existentes, que seria a provocação, junto ao PARLAMENTO DO SUL-PARLASUL, organização composta  pela reunião das  Assembleias Legislativas dos três Estados do Sul, mediante um requerimento, no sentido que os eleitores desses três Estados  fossem consultados num plebiscito meramente CONSULTIVO (sem caráter deliberativo), sobre esse tema, usando-se para tanto toda a estrutura da Justiça Eleitoral. Essa modalidade de plebiscito está prevista nas respectivas Constituições desses Estados.

Vivenciei de perto esse projeto inicial, visto que a pedido da direção do “Movimento”, cheguei a minutar um requerimento ao PARLASUL, com fundamentação jurídica, fazendo essa solicitação, apesar de consciente que esse pleito seria indeferido. Mas, conforme o ditado, às vezes “o diabo pode estar no detalhe”. Minha ideia seria remeter cópias de todo o expediente entregue ao PARLASUL à Organização das Nações Unidas-ONU, e à Organização dos Povos e Nações Não Representadas-UNPO, sediada em Haia, Holanda.

É evidente que mediante o indeferimento do requerimento pelo PARLASUL, o Movimento estaria com toda a moral para realizar o plebiscito, diretamente, com pleno conhecimento e sob as vistas das referidas organizações internacionais. E na verdade fiquei muito “chateado” no episódio, não pelo engavetamento do meu trabalho ,porém por estar esperando até hoje, após tantos anos, alguma satisfação sobre o “andamento” daquele projeto. Esse episódio provocou o meu afastamento voluntário do “Movimento”. Mas creio que esse episódio do passado deve ser enterrado e comemorado o resultado do plebiscito realizado no último sábado, com a vitória retumbante do SIM, com destaque especial à competente direção do Coordenador Geral do Plebisul, Jornalista Celso D. Deucher.

Esse “engavetamento” do requerimento ao PARLASUL deve ter sido causado por uma prévia “sondagem” junto aos dirigentes dessa entidade  ,que certamente se mostraram “borrados” de medo ante essa proposta inusitada na política brasileira, fazendo com que o “Movimento” desistisse da ideia, uma vez que não foi dada nenhuma esperança, nem mesmo para protocolar o pedido. 

Outra questão que faz-se necessário abordar é a repercussão desse plebiscito junto à opinião pública. Sem dúvida qualquer brasileiro, inclusive das outras regiões, fora do Sul, tem o  direito de gostar, ou não, do projeto independentista do Sul. Mas se observa muito por aí que tem gente com visão completamente caolha sobre esse tema, considerando  o país como uma espécie de propriedade própria em “condomínio”, ou seja, numa  visão puramente patrimonialista, do “mundo TER de existência”. Essa é a ilusão de muito pobre coitado que anda por aí e  que não tem nem onde cair morto, mas ao mesmo tempo sente-se “dono” do país. Por isso muitos desses não admitem a saída do SUL  das correntes de Brasília, porque estariam perdendo “patrimônio”.

Ora, mesmo olhando essa questão sob o aspecto puramente “patrimonial”, os de outras regiões que porventura pensassem assim não estariam perdendo nada  , porquanto a parte “remanescente” do Brasil ficaria com menos “proprietários”, excluídos os do Sul. “Patrimonialísticamente” falando, ficaria tudo igual. Dar-se-ia o mesmo que ocorre na divisão de áreas com diversos proprietários em condomínio. Ninguém sai perdendo.

Mas o detalhe que não pode ser esquecido é que apesar de todos os brasileiros terem o direito de gostarem, ou não, da secessão do SUL, somente aos sulistas compete essa decisão, e a mais ninguém. E se projetos semelhantes surgirem em outras áreas do Brasil, certamente os sulistas não se intrometerão, mas em contrapartida exigem o mesmo tratamento.

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

Nota da Redação do Alerta Total: Nosso site não é favorável à desintegração do território do Brasil. No entanto, o direito ao debate sobre o polêmico tema é essencial e merece ser livre e democrático.

17 comentários:

Anônimo disse...

O SUL NÃO TEM CÚ, TUDO QUANTO PORCARIA VEM DE LÁ ACABAM SEMPRE COM TUDO E TUDO VAI A FALENCIA, RACISTAS, ESPIÕES NAZISTAS, EUROPEUS COM AS CABEÇAS CHEIAS DE CHIFRES, SABOTADORES, TRAIDORES, MAFIOSOS O RS É UM ESTADO DE ESTRANGEIROS FALIDOS, SC E PARANÁ ATÉ PODEM CAIR NESSA LÁBIA MAS PARA SE DAREM BEM PRECISAM DE SP. DAI SE FUDERAM SÃO PAULO É UMA MISSIGENAÇÃO DE TODOS OS ESTADOS E DO MUNDO UM POVO QUE TRABALHA DE DIA E DE NOITE E NUNCA ACEITARIA TRATAR DE UM BANDO DE VAGABUNDOS E INCOMPETENTES, É LÓGICO QUE TODOS OS SULISTAS QUEREM SEPARAR OS ESTADOS E MAMAREM NAS TETAS DE SP O UNICO ESTADO QUE TEM CÚ MARA SE MANTER... O RS É O ESTADO ONDE MAIS TEM HOMEM POIS TODO GAUCHO TEM NO MINIMO UM...

jc disse...

É o caminho certo..............

JC Kerber disse...

Não concordo com a separação. Mas se ela ocorrer, os líderes do movimento devem ser proibidos de ocupar cargos públicos por pelo menos 20 anos.

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Senhor Advogado e Sociólogo Sergio Alves de Oliveira: Não pretendia, mas agora não consigo sopitar minha indignação por sua contínua busca em destruir a integridade territorial brasileira, inclusive a integridade nacional; assisti suas ações, principalmente aqui no Alerta Total, e já antes lhe havia proposto que buscasse voltar-se para o Federalismo como forma de manter a integridade territorial brasileira, mas que desprezou valentemente. Sei que têm poderosas razões para desgostar de cidadãos brasileiros, principalmente aqueles do Centro Este, do Norte e Noroeste que têm produzido, em abundância, figuras políticas corruptas e envolvidas em crimes de todos os tipos, desgosto que me atinge profundamente também, mas que não me leva a ações insanas como as suas; não consegue perceber que também no sul do Brasil, emergem corruptos de tão ou igual mau caráter, tal como surgiram em outros pontos do Brasil, que surgiram comunistas tão ou mais perigosos no Sul, do que Lulla, Dillma, Dirceu, Genoíno e outros mais.

Repudio suas ações, considerando-o um homem perigoso e nem um pouco patriota.

Sehm Nomeh disse...

Ainda que o site Alerta Total venha com essa conversa fiada de "não ser favorável à desintegração do território nacional", dou total apoio à independência do Sul. Espero que se isto ocorrer, o novo país faça uma constiuição sob a proteção de DEUS, baseada somente no DIREITO NATURAL e que não inventem um monte de papagaiadas legislativas que só servem de intromissão estatal na vida do cidadão. Que seja uma pátria de estado mínimo, serviços públicos somente de JUSTIÇA e SEGURANÇA, quanto ao resto, tudo conduzido pela INICIATIVA PRIVADA. Que seja uma pátria com a cara dos conservadores e libertários sofredores, deste Brasil, os quais temos que suportar as consequências políticas do voto de uma legião de indigentes, socialistas e parasitas estatais.

Sehm Nomeh disse...

Ainda que o site Alerta Total venha com essa conversa fiada de "não ser favorável à desintegração do território nacional", dou total apoio à independência do Sul. Espero que se isto ocorrer, o novo país faça uma constiuição sob a proteção de DEUS, baseada somente no DIREITO NATURAL e que não inventem um monte de papagaiadas legislativas que só servem de intromissão estatal na vida do cidadão. Que seja uma pátria de estado mínimo, serviços públicos somente de JUSTIÇA e SEGURANÇA, quanto ao resto, tudo conduzido pela INICIATIVA PRIVADA. Que seja uma pátria com a cara dos conservadores e libertários sofredores, deste Brasil, os quais temos que suportar as consequências políticas do voto de uma legião de indigentes, socialistas e parasitas estatais.

fernando max disse...

Foi assim que os verdadeiros brasileiros anexaram o Acre ao Brasil. Brasileiros machos conquista território ao seu povo e não o inverso. Quem está incomodado que se mude. A terra e nossa é ponto final.

Anônimo disse...

Só concordo se me deixarem ir junto!O PT também vai junto????Só uma resposta afirmativa me faria desistir!!!

Anônimo disse...

Pé na bunda dos Hitlers do Brasil.

Fazer o que.

O Brasil é dos brasileiros, e não dos caipiras com viés petista.

Tá ligado?

Tentem que terão o mesmo destino.

Está insatisfeito, vão pra Europa.

Sou do Sul e moro no norte.

VERGONHA DISSO.

Hitlerssssssss

Anônimo disse...

Os novos nazistas

Ou seja, os "virtuosos" novos nazistas

Essa matéria aqui explica bem esse raciocínio de pudim, de tentar conversar a si mesmo que são superiores, na força.



http://www.midiasemmascara.org/artigos/movimento-revolucionario/16743-repugnante-os-qvirtuososq-novos-nazistas.html

O Brasil vai mostrar como se pisa na cabeça dos INFERIORES e novos nazistas.

Antônio Sérgio disse...

Ridículo este sujeito. Deveria ser preso por atentar contra a unidade e a soberania nacionais. Não quer viver no Brasil? Vá para o exílio seu apátrida.

Anônimo disse...

Isso me faz lembrar o velho ditado que diz: ¨time que esta ganhando não se mexe¨. Então para que mudar se esta indo tudo tão bem, tão maravilhoso e próspero fazem já 500 anos, não!? Me fez lembrar também de quando o então presidente Jânio Quadros inventou de anexar (a força se fosse preciso) ao Brasil a Guiana Francesa que só não aconteceu por causa do contra-golpe de 1964. Sabe lá a reação da França mas que ¨azar¨ do pessoal da Guiana Francesa que não pode aproveitar das maravilhas que é ser brasileiro vivendo batendo cabeça em um território bem grandão que é ¨coisa de macho¨. Não é verdade isso, bando de ufanistas baratos preocupadíssimos com a integração nacional e com os ¨nazistas¨!?

mt disse...

Não perderemos de forma pacífica a desintegração do país.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Sr.Estefani JOSÉ Agoston: Lamento muito a virulência com que VªSª se dirigiu a mim.Sou tão "culpado" quanto as mais de 500 mil pessoas sulistas que optaram pelo SIM no plebiscito. O Senhor estende para eles esses "elogios" que me dedicou? Além do mais, tenho certeza que sou mais brasileiro que Senhor. Quem opta pela prática de uma eutanásia em uma pessoa querida em estado terminal não significa que não tenha amor por ela.E o Brasil,que o Senhor tanto "ama", merece ser desmanchado, porque "não deu certo". A própria história demonstra. Parece que o senhor dá mais valor para o território do Brasil do que para o seu Povo. Penso que o Estado foi feito para servir o homem,não o contrário,como parece ser seu entendimento.Ademais não sou idiota e consigo enxergar que essa tal de "federação",pela qual o senhor tanto luta,já está instalada no Brasil desde a Constituição de 1891 ,mas NUNCA funcionou.No seu lugar instalou-se a tirania política e o estado unitário.A tal "federação" está só no papel. Estamos conversados?

Antônio Sérgio disse...

Este sujeito é mais ridículo e perigoso do que eu pensava. Afirma que 500 mil optaram pelo sim quando há 3 anos atrás, em 2013 e segundo o TSE, a Região Sul do Brasil já possuía quase 21 milhões de eleitores. Isto em um país com mais de 200 milhões de habitantes.

Então, se verdadeiro o fato, trata-se uma minoria inexpressiva liderada por um bando de subversivos que já deveriam estar respondendo por seus atos junto ao Ministério Público e junto a Polícia Federal.

Link da consulta:
http://www.tse.jus.br/eleitor/estatisticas-de-eleitorado/consulta-quantitativo

Ridículo, enganador e perigoso este vendilhão da pátria. A Polícia Federal já tem a ficha deste subversivo e apátrida?

Jorge Serrão meu caro, não dê guarita a covardes subversivos em seu site.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Infelizmente parece que voltamos ao tempo da Antiga Grécia,época de domínio dos sofistas e dos idiotas,onde o maior dos crimes era dizer a verdade.Sócrates foi condenado à morte e teve que beber o veneno "cicuta" por não abdicar em dizer a verdade. Esse "crime" era maior que matar,roubar ou estuprar. Sugiro ao "inteligente" e destemperado "meio xará" (para meu azar),que solicite ao Ministério público a abertura de processos contra mim e contra a "minoria" dos 500 mil "criminosos" que votaram pelo SIM no citado plebiscito. Ademais,as urnas estavam à disposição de TODOS,inclusive dos "NÃO",e quem não foi não tem direito a reclamar de nada. Assim ocorre em qualquer assembléia geral de pessoa jurídica. Os omissos submetem-se à votação dos que compareceram.O pior de tudo é que esses débeis mentais nem se dão conta que a citada consulta pública era somente para ouvir a opinião dos sulistas a respeito do assunto,nada mais.Ninguém estava querendo separar nada. E se chegar-se a esse ponto,certamente vai ser com inteiro amparo legal. Ninguém pode impedir que se lute pela mudança das leis.

Anônimo disse...

Que engraçado. O IBOPE, Datafolha, etc quando fazem pesquisas para presidente da república, por exemplo, não pesquisam com mais do que 1.500, 1.800 pessoas para representar o país todo. E querendo ou não essas pesquisas mais acertam do que erram, não!? Agora os sulistas colocam 600.000 para opinar e isto é ¨uma minoria inexpressiva¨. E os ¨indignados¨ que estão dando chiliques com esse plebiscito são os parasitas do norte e do nordeste e uns poucos esquerdistas progressistas do sul travestidos de ufanistas preocupadíssimos. Não sou do sul mas se essa separação acontecer vendo tudo aqui e vou morar em Canoas!