terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Estão todos muito vivos!


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Gilberto Pimentel

Vimos centenas de mensagens de internautas indignados com o oportunismo político de Lula por ocasião do velório de sua mulher. De fato, condenável sob todos os aspectos, inclusive os termos odientos que utilizou, dirigidos, de forma quase que direta, aos responsáveis pelas investigações em curso no âmbito da Lava Jato. Mas onde a surpresa? Será que ainda há alguém que se iluda quanto ao caráter do ex-presidente?

Surpresa para nós, e preocupante ao extremo, foi a repercussão do fato, em especial na mídia e mais especial, ainda, na mídia global. Os dedos das mãos são insuficientes para indicar as vezes em que o triste espetáculo foi reproduzido na íntegra pelos noticiários da empresa, sem o cuidado de ao menos evitar, como faz em outras circunstâncias, expressões grosseiras e ofensivas como “facínoras” e “canalhas” que, como dissemos acima, embora não explicitamente, tinham endereço certo, a própria Lei.

Há, também, mais uma coisa que para nós ficou claro. Os apresentadores globais estavam muito longe de demonstrar qualquer tipo de reprovação ao comportamento de Lula, como ocorre, frequentemente, quando o protagonista da notícia não lhes é simpático seja lá por que motivo for. Nessas ocasiões suas caras e bocas são denunciadoras para quem os conhece. Pareciam felizes com o triste espetáculo.

Sem querermos comparar Lula com Getúlio, recomendaria aos amigos, por muito oportuno, a leitura do excelente livro (Getúlio - 1945/54) de Lira Neto, ao menos nos trechos em que o biógrafo nos mostra com toda a clareza e competência como um líder populista (O Pai dos Pobres), considerado morto e enterrado para a política depois de deposto em 1945, retorna dos confins dos Pampas, nos braços povo em 1950 para, uma vez mais, jogar o País na desordem e no caos político e econômico.

O populismo é uma praga, o líder populista não desperdiça as oportunidades, menos ainda aqueles desprovidos de caráter. A sociedade brasileira ainda é campo fértil para o surgimento do fenômeno. Grande parte do nosso povo, mantido durante anos em estado de carência, é apático, mal informado e, pior, completamente desmemoriado. Lula não está morto como querem crer muitos.

O governo que aí está que trate de fazer seu dever, com coragem, patriotismo, honestidade, determinação, dando as respostas que a sociedade está a exigir e que ele prometeu dar. Do contrário, a tragédia vivenciada há pouco poderá se repetir em 2018, mas as proporções, podem crer, serão muito mais arrasadoras.


Gilberto Pimentel, General, é Presidente do Clube Militar.

3 comentários:

Paulo Robson Ferreira disse...

É ainda importante lembrar que o que move um líder populista é exclusivamente o poder, a nação pode atingir o desastre que for mas o líder não entrega o poder nem a pau. Só sai no cacete.

Anônimo disse...

Se depender do Temer,Lula vai voltar!Temer só quer salvar sua própria pele e de seus companheiros do PMDB e outros aliados!Está longe de fazer o dever de casa!Por um momento pensei que fosse pelo menos tentar,mas pelo andar da carruagem a coisa não vai andar!Pobre país,sinto pelos meus filhos e netos!

Anônimo disse...

Estamos em guerra: precisamos urgentemente de saber quem serão o Marechal, o Almirante e o Marechal-do-Ar que nos conduzirão à retomada do verdadeiro caminho do Bem, da Ordem e do Progresso!