domingo, 12 de fevereiro de 2017

O Círculo Vicioso do Socialismo


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

O texto abaixo foi escrito por Claude Frédéric Bastiat (Baiona30 de junho de 1801 — Roma24 de dezembro de 1850), economista e jornalista francês.

A maior parte de sua obra foi escrita durante os anos que antecederam e que imediatamente sucederam a Revolução de 1848. Nessa época, eram grandes as discussões em torno do socialismo, para o qual a França pendia fortemente. Como deputado, teve a oportunidade de se opor vivamente às idéias socialistas, fazendo-o através de seus escritos, em estilo cheio de humor e sátira.

Entre os economistas franceses, Frédéric Bastiat ocupa um lugar de destaque. Sua obra completa se compõe de sete volumes. Um princípio domina sua obra: A lei deve proteger o indivíduo, a liberdade e a propriedade privada. É desta forma que Bastiat analisa o funcionamento do Estado, esta "grande ficção através da qual todos se esforçam para viver às custas dos demais". Para ele, protecionismo, intervencionismo e socialismo são as três forças de perversão da lei.
             _______________________________

Não escaparemos jamais do Círculo Vicioso do Socialismo:a humanidade passiva e um grande homem que a move por intervenção da lei.
    
Uma vez nessa ladeira, poderia a sociedade gozar de alguma liberdade? Sem dúvida! E o que é liberdade?
    
De uma vez por todas, a liberdade não consiste somente em um direito concedido, mas no poder dado ao homem para exercer e desenvolver suas faculdades sob o império da Justiça e a salvaguarda da Lei.
    
E não se veja aí uma distinção vã: seu sentido é profundo e suas conseqüênias, imensas. Pois uma vez admitido ser necessário ao homem, para ser verdadeiramente livre, o poder de exercer e desenvolver suas faculdades, resulta daí que a sociedade deve a cada um de seus membros uma educação adequada, sem a qual o espírito humano não pode se desenvolver, e instrumentos de trabalho, sem os quais a atividade humana não pode acontecer.
    
Ora, por intervenção de quem a sociedade dará a cada um de seus membros a educação conveniente e os intrumentos de trabalho necessários, senão por intermédio do Estado?
    
Assim, a iiberdade é o poder. Em que consiste esse poder? Em possuir instrução e instrumentos de trabalho. Quem dará a educação e os instrumentos de trabalho? A sociedade, que tem o dever de fazê-lo. Por intervenção de quem a sociedade dará instrumentos de trabalho a quem não os possui?
    
Do Estado. E de quem o Estado os tomará?    
    
Cabe ao leitor deste texto responder a essa pergunta e descobrir até onde tudo isso vai chegar.


Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

Nenhum comentário: