sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Sorumbáticos e Surubáticos


“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

A classe polititica tem dois tipos de membros: os que tem a temer e os que não (raríssimos).

A maioria triste porque pressente o fim da farra.

Outros aproveitam os últimos dias de Pompéia.

Festim, cujo prato principal é o surubim.

A batalha é uma verdadeira Trafalgar.

Nelson, chupim de águas turvas, sempre pronto a dar o bote nas próximas curvas.

Os corvos acham que as leis são estorvos.

Por detrás daquela serra, o bom cabrito não berra.

Que mistério aquele ministério !

O sainte, mais inteligente que os demais, sabe que a coisa vai feder.

O canetador cogita trocá-lo por cabreiro*. Também comunista desde o tempo a perder de vista, de bandido ex-motorista.

Outro cotado, tem nome de santo e de malvado que atravessou os Alpes pra não ser escalpelado.

Saibam ambos, por gansos ou elefantes, que este país jamais será como dantes.

Chegará o dia da vingonça. O que hoje é desabafo sentirá da felina o bafo.

Extra: Boechat e a Suruba do Caju
16 de jan de 2009 - Gíria: Cabreiro(a). Significado: Quando o sujeito fica preocupado; Quando a situação esta difícil. Gíria: Cabrita. Significado: Mulher bonita.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Loumari disse...

Quem deve sentir vergonha não é o pobre mas quem cria pobreza.

Trecho de discurso proferido por Mia Couto na abertura do ano letivo do Instituto Superior de Ciências e Técnologia de Moçambique:

“A pressa em mostrar que não se é pobre é, em si mesma, um atestado de pobreza. A nossa pobreza não pode ser motivo de ocultação. Quem deve sentir vergonha não é o pobre mas quem cria pobreza.

Vivemos hoje uma atabalhoada preocupação em exibirmos falsos sinais de riqueza. Criou-se a ideia que o estatuto do cidadão nasce dos sinais que o diferenciam dos mais pobres.

Recordo-me que certa vez entendi comprar uma viatura em Maputo. Quando o vendedor reparou no carro que eu tinha escolhido quase lhe deu um ataque. “Mas esse, senhor Mia, o senhor necessita de uma viatura compatível”. O termo é curioso: “compatível”.

Estamos vivendo num palco de teatro e de representações: uma viatura já é não um objecto funcional. É um passaporte para um estatuto de importância, uma fonte de vaidades. O carro converteu-se num motivo de idolatria, numa espécie de santuário, numa verdadeira obsessão promocional.

Esta doença, esta religião que se podia chamar viaturolatria atacou desde o dirigente do Estado ao menino da rua. Um miúdo que não sabe ler é capaz de conhecer a marca e os detalhes todos dos modelos de viaturas. É triste que o horizonte de ambições seja tão vazio e se reduza ao brilho de uma marca de automóvel.

É urgente que as nossas escolas exaltem a humildade e a simplicidade como valores positivos.

A arrogância e o exibicionismo não são, como se pretende, emanações de alguma essência da cultura africana do poder. São emanações de quem toma a embalagem pelo conteúdo.”

Loumari disse...

Ser pobre materialmente não é uma fatalidade (pois Deus diz e nos exorta a que não amemos as coisas do mundo). Mas a arrogância do indivíduo, a prepotência (abuso de poder e de autoridade), a cupidez do homem, isto sim, é uma fatalidade.
O pobre facilmente é salvo pela sua inocência e humildade e pelo cumprimento da lei de Deus. Em câmbio o arrogante, este prevarica descaradamente contra Deus e no seu juízo perverso, julga que é Deus de se curvar a sua vontade. E, este quando dá esmola ao pobre faz questão de que seja visto por toda gente. Convencido que este é um acto de senhorio (ostentando que tem autoridade; que é dono e proprietário de tudo quanto possui). Esta pessoa engordou dentro de si o espírito do Diabo e sufocou o Espírito Santo. Meditem no que quereis ser! Anjo a semelhança imagem de Deus, ou demónio a imagem da serpente?

"Isto diz o ÁMEN, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da CRIAÇÃO DE DEUS:
Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente!
Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.
(APOCALIPSE 3:14)


Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma?
(MATEUS 16:26)


E separarei de entre vós os rebeldes, e os que prevaricaram contra MIM; da terra das suas peregrinações os tirarei, mas à terra de Israel não voltarão; e sabereis que EU SOU O SENHOR.
(EZEQUIEL 20:38)


Quanto a vós, ó casa de Israel, assim diz o Senhor JEOVÁ: Ide, sirva cada um os seus ídolos, pois que a mim me não quereis ouvir; mas não profaneis mais o meu santo nome com as vossas dádivas e com os vossos ídolos.
(EZEQUIEL 20:39)


ÊXODO 20:7 Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão: porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.

Loumari disse...

Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção,
Recebendo o galardão da injustiça; pois que tais homens têm prazer nos deleites quotidianos;
nódoas são eles e máculas, deleitando-se em seus enganos, quando se banqueteiam convosco;
Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, FILHOS DA MALDIÇÃO;
Os quais, deixando o caminho direito, erraram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Bosor, que amou o prémio da injustiça;
Mas teve a repreensão da sua transgressão: o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta.
Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva;
Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastados dos que andam em erro,
Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção; porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo.
Porquanto, se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do SENHOR E SALVADOR, JESUS CRISTO, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro.
Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que fora dado;
Deste modo sobreveio-lhes o que, por um verdadeiro provérbio, se diz: O cão voltou ao seu próprio vómito, e a porca lavada ao espojadouro de lama.
(2 PEDRO 2:12)


Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra.
(TITO 1:16)


Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus?
(MATEUS 12:34)