quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

“Sou Pacificador. Não quero brigar...”


“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Marchinhas de Carnavais de outrora. Hoje a coisa mudou.Todo mundo morde.

Na lista da cadeia alimentar dos cãorruptos, mordem até o próprio rabo. Solto ou preso.

Um pensador florentino (não sei se tão livre como o autor destas linhas) já dizia há quinhentos anos atrás, que as pessoas atacam por medo ou por ódio.

Em Pindorama à deriva, entraremos no período da água-viva.

“Mas escapará alguém?”

A resposta é d'annunziana : FORSE CHE SI', FORSE CHE NO.

Nosso maior vate nos acode no meio do debate:

“Onde pode acolher-se um fraco humano,

Onde terá segura a curta vida,

Que não se arme e se indigne o céu sereno,

Contra um bicho da terra tão pequeno” ...”

Com a velhice, nos piora o hardware e melhora osoftware.

Vejamos cenas dos próximos cãopítulos:

O novo deus agira com muito tato.

Como sabujo que perdeu olfato, o vampiro dará seu último suspiro.

O resto dos canalhas cairão nas finas malhas.

Gato virará pandeiro ou tamborim.

O bocozinho desmaia.

A tiazona, impotente pra botar ordem na zona, apela pra Onça.

Docemente constrangida, começara a suruba final.

Não se salvará nem quem acabou no Irajá.

Caia na folia; até o poderoso cai.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: