terça-feira, 8 de agosto de 2017

Meirelles só pensa “naquilo”: imposto...


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O “Presidente Real” do Brasil é o Ministro da Fazenda. Henrique Meirelles parece a “Dona Bela”. A famosa personagem feiosa da Escolinha do Professor Raimundo tinha um bordão: “Só pensa... Naquilo...”. A aluna achava que tudo que o amado mestre falava tinha sentido pornográfico. Meirelles só pensa naquilo: aumentar em aumentar imposto. O banqueiro aposentado e ex-dirigente da holding da família daquela dupla caipira Joesley e Wesley agora lança o 25º Refis para arrecadar R$ 13,3 bilhões com a renegociação de impostos atrasados e devidos ao Estado-Ladrão, Capimunista Rentista e Corrupto, de Bruzundanga.

A meta do Meirelles é modesta. Um sistema recém implantado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional descobriu que a União tem R$ 129,4 bilhões em créditos com grande potencial de recuperação. A PGFN gostaria de reaver R$ 20 bilhões dos “contribuintes”. O número é hiper modesto. Os valores inscritos na Dívida Ativa da União atingem impagáveis (?) 1,8 trilhão. Apenas 50 mil pessoas e empresas devem R$ 1 trilhão em valores “não-previdenciários”. Estima-se que cerca de R$ 500 bilhões não são repassados pelas empresas ao INSS. Assim, na prática, não existiria “déficit” da Previdência – argumento usado pelo governo para as “reformas”.

O calote gigantesco chama atenção para fenômenos contraditórios. Primeiro: parece haver uma tradição de calote, com previsível perdão ou renegociação que acabam beneficiando grandes empresas. Segundo: cidadãos e empresas no Brasil são obrigados a pagar quase 100 impostos, taxas e contribuições, além de multas ou outros valores tungados em multas ou instruções normativas da “burrocracia” estatal. Em resumo: o “contribuinte” perde muito tempo e gasta muito dinheiro para saciar a fome compulsiva por impostos truculentamente cobrados pela uma máquina pública perdulária, corrupta e sem transparência. O voraz sistema de arrecadação opera na base do “rigor seletivo”.

A Procuradoria Geral da Fazenda Nacional trabalha focada na classificação da dívida ativa. O objetivo é fazer isso em tempo real, antes de negativar o contribuinte na Dívida Ativa. Planeja-se um convênio com a Receita Federal para que a PGFN tenha acesso de forma automática às bases de dados do fisco. Haverá polêmica legal sobre a quebra de sigilo fiscal dos CPFs e CNPJs... Apesar disso, o sistema de cobrança vai se aprimorar. Fundamental seria que o pagador de imposto também tivesse como contrapartida a transparência total sobre os gastos do governo.


Na verdade, isso só seria viável com uma Intervenção Institucional – que reinventaria o sistema estatal no Brasil. O redesenho estatal, na União, Estados e Municípios, teria condição de reduzir despesas e eliminar gastos inúteis, enquanto promove a transparência total sobre o que é arrecadado, gasto ou investido. A Intervenção seria a chance de acabar com impostos inúteis e injustos (como o tal Imposto de Renda), criando uma espécie de Imposto Justo (nas operações de compra e venda), sem risco de sonegação e evitando a despesa altíssima com a máquina de arrecadação – uma das principais fontes originárias de corrupção.     

Cansada de pagar tanto imposto sem a justa contrapartida dos governos, a população precisa pressionar os políticos e “burrocratas” para gastarem menos, não roubarem e garantirem a transparência total aos gastos públicos. É por isso que cresce o apoio à Intervenção Institucional, mesmo que a mídia tradicional não divulgue manifestações espontâneas e organizadas, como a dos caminhoneiros e outros segmentos cansados de serem tungados pelo modelo de Estado-Ladrão.

A revolta é gigantesca nas redes sociais. Os caminhoneiros já levam a bronca para as estradas. Não demora, o fenômeno explode nas ruas. As pessoas, com medo concreto do desemprego, e os empresários, com risco concreto de falência, e os militares, sem orçamento e tomando chumbo de traficantes mequetrefes, terão de aderir, inevitavelmente, à tese da Intervenção Institucional. É para ontem, pessoal...

Quem não acordar para a realidade terminará dormindo para sempre, em berço nada esplêndido...

Lamentável escolha


Limpeza Ameaçada




Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 8 de Julho de 2017.

25 comentários:

Anônimo disse...

ANONIMO DIZ....

SENHOR SERRAO SUA LUTA NO SENTIDO DE ACORDAR O GIGANTE TEM SIDO GIGANTESCA.O SENHOR TEM SE ESMERADO CADA DIA NA APRESENTAÇAO DE ARTIGOS QUE MOSTRAM AO POVO BRASILEIRO, PRINCIPALMENTE PARA QUEM NAO TEM PREGRIÇA DE LER E NAO E ANALFABETO EM QUE MATO ESTAMOS METIDOS. SE NAO OUVER UMA MOVIMENTAÇAO URGENTE DO POVO BRASILEIRO OU SEJA TODO AQUELE QUE GOSTA DE SUA PATRIA, GOSTA DE SUA FAMILIA, GOSTA DE SEU TRABALHO, GOSTA DOS COM LICENÇA DA MA PALAVRA, MAS PARA UM POVO CHULO TEMOS QUE APLICAR TERMOS CHULOS PARA QUE CAIA A FICHA SENAO NAO CAI. GOSTA DOS PANOS DE BUNDA QUE ADQUIRIU COM O TEMPO DE TRABALHO E O ESFORÇO ENORME PARA CONSEGUIR POR CAUSA DE NEM NENS DE 1944,54, A PIOR DE TODAS 64 QUE SAIRAM DAQUI ASSIM QUE AS FFAA TOMARAM POR PEDIDO DE ZE POVAO A DIREÇAO DOS TRABALHOS, O QUE REALMENTE ACONTECEU? OS BANDIDOS TRAVESTIDOS DE BOA GENTE SE APROPRIARAM DA CHAVE DO COFRE E NAO QUEREM LARGAR. COMUNISTA E ASSIM. VIVERAM FORA DO PAIS UM BOM TEMPO E QUANDO RECEBERAM ALFORRIA MUDARAM A HISTORIA TODA. NOSSO POVO E PREGUIÇOSO NAO LE ELES PREFEREM SER INFORMADOS PELOS CINCO EMPRESARIOS VITALICIOS, CARTAS MARCADAS UZEIROS E VEZEIROS DA DOUTRINA DE USAR BANCOS E BANQUEIROS QUE ADORAM JUROS A FAZER DE NOSSO PAIS ESTE BARRACO QUE AGRUPOU NULIDADES INTELECTUAIS PARA FALIR O PAIS. OS TRES PODERES ESTAO RECHEADO DE CINQUENTA PARTIDINHOS MEIA BOCA, OU SEJA CINQUENTA PAUS MANDADOS QUE OBEDECEM DE CABRESTO A COMANDITA VERMELHA A SABER, PT. PSDB,PMDB COM A FRATULENCIA MENTAL DO MEDIOCRE SABOTADOR DA CONSTITUINTE DE 88 E AGORA ESTA QUERENDO PASSAR POR SANTO. O SABOTADOR DA CONSTITUINTE E O CRAVO QUE PREGOU NA CRUZ JESUS CRISTO E ELE ESTA PREGANDO NA CRUZ O POVO BRASILEIRO, POR MALDADE, BURRICE OU QUER DEFECAR NA PROPRIA BIOGRAFIA DANDO GUARIDA A MALANDROS. A CRETINICE E TAO GRANDE QUE ELE E UMA COPIA CARBONO CUSPIDA E DEFECADA DA VAGABUNDA SEM VERGONHA TERRORISTA DE 64 ESTELA. CONTINUA...

Anônimo disse...


ANONIMO DIZ....II

ELA E SUA COMANDITA TODA ESTA AMEAÇANDO A LIBERDADE DO POVO BRASILEIRO. HOJE SOMOS UMA MASSA FALIDA E ELES ESTAO VOLTANDO OS OLHOS PARA RASPAR TUDO. ESSA COMANDITA INFELIZ TEM QUE SER EXPELIDA DOS TRES PODERES. NOSSO SUPREMO FEDERAL E ELEITORAL SERVE SOMENTE PARA ESCONDEREM E POSTERGAREM O PROCESSO ATE O JUIZO FINAL. CAMARAS 2,3,4, E AGORA O GILMAR FEDES QUER CRIAR UMA 5 ZONA DE APELAÇAO. O QUE ELES PRECISAM REALMENTE DE PROVA PARA CASSAR MANDATOS. A PRTMEIRA EMBROMAÇAO E O INDIVIDUO TER CARTA BRANCA PARA ROUBAR. O LADRAO DO LULA FAZ ACORDOS VERBAIS DESDE QUE TOMOU O PLANALTO EM 2002. ACORDO VERBAL SIGNIFICA ORDEM E NAO SE INTERESSOU EM FAZER CONCORRENCIAS PUBLICAS, TIROU TUDO QUANDO FOI AUTORIDADE DAS FFAA. ESSES VIGARISTAS VERMELHOS ACEITARAM CONCHAVOS COM MERDA SUL, MERDA EUROPA, MERDA AFRICA E OUTROS COM DINHEIRO SUFICIENTE PARA COMPRAR O NOSSO PAIS E FAZER DE NOS ESTE FATIAMENTO HIPOCRITA. PORQUE UM VAGABUNDO TRANSITORIO DOS TRES PODERES PODE FICAR AD AETERNUM SEM SEREM PROCESSADOS. O POVO BRASILEIRO SE ACOMODOU DENTRO DA SITUAÇAO DE SEREM ROUBADOS INCLUSIVE OS APOSENTADOS QUE ESTAO MAIS INTERESSADOS NA AZULZINHA DO QUE NO NOSSO PAIS, ESTAO MAIS INTERESSADOS EM BAILES DA TERCEIRA IDADE. ACHATARAM TODAS AS APOSENTADORIAS FUNDINDO OS INSTITUTOS TODOS PARA METER A MAO NAS APOSENTADORIAS DOS QUE NAO SAO FUNCIONARIOS PUBLICOS. CONTINUA...

Anônimo disse...



ANONIMO DIZ....III

NOSSAS ATUALIZAÇOES DE APOSENTADORIAS SAO UM FIASCO SEMPRE ABAIXO DO SALARIO MINIMO. E TEMOS AINDA QUE PAGAR IMPOSTO DE RENDA SOBRE A APOSENTADORIA. O GOVERNO COM MEIA DUZIA DE EMPRESARIOS VAGABUNDOS VENDEM OBRAS E COLOCAM TRINTA MINISTROS SOMENTE PARA QUE ELES CARREGUEM AS MALAS DOS PIXULECOS E VEM O SUPREMO FEDERAL E ELEITORAL NAO FAZEM NADA, NAO PROCURAM NADA E SAO SOMENTE A VALVULA DE ESCAPE DA DOENÇA VERMELHA INSTALADA NOS TRES PODERES. ESSA DOENÇA SIGNIFICA POLITICOS QUE NAO QUEREM DEIXAR A BOQUINHA. AGORA ESTAO SE ARMANDO PARA PEGAR TUDO QUE ACHAREM PELA FRENTE JOGANDO SEMPRE A SORDIDEZ DELES EM CIMA DE ZE POVAO. FINALMENTE PARA NAO CANSAR SO TEMOS UMA SOLUÇAO FECHAR O CONGRESSO PARA BALANÇO NINGUEM ENTRA E NEM SAI. TEMOS QUE FAZER UMA DEVASSA EM TUDO QUE ACONTECEU DE GETULIO PARA CA. DAR UM RESET NA NAÇAO E COMEÇAR DO ZERO INCLUSIVE COM UMA CONSTITUIÇAO CIDADAO. NAO INTERESSA SE E PRETO, VIADO, SAPATONA, ONGS, DIREITOS DOS ARTISTAS, DIREITOS DAS EMISSORAS DE TELEVISAO, DIREITOS DAS OTORIDADES DE MERDA E EXCESSOES. LUGAR DE LADRAO E NA CADEIA. A CADEIA BRASILEIRA E OUTRA PIADA ELES GOSTAM DE TUDO QUE E MAU FEITO, MAU ACABADO, SAO O MAU EM TUDO. NAO SABEM NADA, SAO INUTEIS E O TEMPO DE VALIDADE DELES JA ACABOU. SOMENTE AS FFAA MAS OM UM GENERAL DE FATO NAO ESSES BONECOS MAMBEMBES QUE ESTAO ENFRENTANDO A CORJA ENTREGANDO SUAS ARMAS A ELES. DE MINISTERIOS QUE TIVERAM NO PASSADO MINISTERIO DA GUERRA, MINISTERIO DA AERONAUTICA E MINISTERIO DA MARINHA COLOCARAM LA BONECOS QUE SAO PAPAGAIOS HOJE MANOBRADOS POR VERMELHO PORCO EGRESSO DO CAO GRESSO QUE NAO SABE NADA DE GUERRA, UM IDIOTA QUE DE REPENTE SENTOU O RABO PARA SERVIR DE ROLHA PARA OS MILITARES. TEM QUE ACABAR A FARRA DO BOI. SE O BRASIL NAO FOR PARA AS RUAS PEDIR INTERVENÇAO CIVILIZATORIA E CONSTITUIÇAO NOVA COM LEIS IGUAIS PARA TODOS NAO VAMOS SAIR DA PRAÇA E NOSSA.OS PAULINHOS GOGOS DOS TRES PODERES VAO FICAR CHEIOS DE MORDOMIAS E SEM CORTAR NADA DELES PARA ACABAR DE NOS ENTERRAR VIVOS. QUEM VIVER VERA.TEM QUE FECHAR OS TRES PODERES PARA BALANÇO SE POSSIVEL ONTEM.CONTINUA..

Anônimo disse...




ANONIMO DIZ.... IV E TERMINA

ELES CONTINUAM AGINDO NOS BASTIDORES E USANDO OS BANCOS BRASILEIROS PARA FAZER A AGIOTAGEM EM CIMA DO POVO INCLUSIVE ENCHENDO O NOSSO SACO COM PROPOSTAS DE BENESSES DIARIAMENTE. NAO TEMOS MAIS SOCEGO NEM DENTRO DE NOSSA CASA ONDE ESTAMOS CONFINADOS E SEM ARMAS PARA COMBATER OS DEMONIOS DO PODER.PELO DESCULPAS POR TERMOS CHULOS O SENHOR MERECE UMA PEÇA MAIS BEM ESCRITA E DESCULPE NAO ME IDENTIFICAR, INFELIZMENTE O PAIS ESTA CHEIO DE MERDA EM TODOS OS LADOS E ESTAMOS NO MEIO DELA.MUITAS BENÇAOS DE DEUS NA RELIGIAO QUE O SENHOR TIVER COMO SUA E MUITA SAUDE PARA FAZER O EXCELENTE SERVIÇO QUE O SENHOR VEM FAZENDO. ABRINDO OS OLHOS DE QUEM LE E FINGE QUE NAO LE, SENTE E FINGE QUE NAO SENTE. TEM MUITA GENTE JOGADA NESTE PAIS ENORME E RICO EM TUDO QUE ESTA SENDO MAQUIADO POR UMA GENTALHA VAGABUNDA, SEM VERGONHA QUE NAO APROVEITA O BEM, O BELO PARA FAZER UM MUNDO MELHOR SO SE ASSOCIA A CORJA IGUAL A ELES.POVAO NA RUA PEDINDO INTERVENÇAO INSTITUCIONAL CIVILISATORIA, PAIS SEM LEI NAO PODE FUNCIONAR BEM E MUITO MENOS DAR GARANTIAS AOS CIDADAOS HONESTOS PORQUE NAO TEM PALAVRA, NAO CUMPREM O QUE DIZEM E O PIOR DE TUDO SAO AGENTES QUE NAO PODEM SER PRESOS PORQUE SE COLOCARAM ACIMA DA LEI. FECHAMENTO DOS TRES PODERES E CONSTITUIÇAO NOVA. FAZER UM GRUPO TRANSITORIO PARA APURAR TODOS OS ILICITOS E CADEIA PARA QUEM FEZ E DEIXOU DE FAZER E PUNIÇAO DE TODOS OS ILICITOS. ISTO FOI CRIME DE GUERRA E CRIME DE GUERRA TEM QUE SER APURADO NOS MINIMOS DETALHES O RESTO E CONVERSA DE SUBDESENVOLVIDO QUE QUER SE DAR BEM SEM FAZER NADA.O TEMPO DE AÇAO DO QG DOS CRIMINOSOS ESTA VENCIDO. TEM QUE HAVER RENOVAÇAO EM TUDO, COM EXCLUSAO DEFINITIVA DE TODA CELULA CANCEROSA DO PODER.

Anônimo disse...

Coisas do Brasil varonil,o presidente com índice de aprovação baixíssimo, ainda consegue derrubar a denuncia contra ele pelos deputados "representantes", do povo cego.E ainda vão se reeleger.
Será que ainda existe flecha, no arsenal do Janot, para atingir o véio?

Anônimo disse...

Radar da mídia
segunda-feira, 7 de agosto de 2017
As (in)seguras urnas eletrônicas
As (in)seguras urnas eletrônicas
Vejo que alguns espíritos já se assanham com a disputa presidencial de 2018.

Lula – o condenado – deu o mote ao espalhar a tese de que uma eleição sem sua candidatura seria uma eleição ilegítima. Repetida religiosamente por serviçais ideológicos, tal torpeza é também vocalizada pelos “isentões” de plantão.

Mas há outras candidaturas que se vão desenhando e o clima de disputa já se acende, embora, pessoalmente, creia que ainda teremos surpresas a pavimentar o percurso eleitoral.

Sistema eletrônico de votação
Mas... mas, eleições falam de votos; e votos falam de urnas; e urnas falam de urnas eletrônicas. É para elas que volto neste momento o meu olhar.

Enquanto os ânimos se acirram em torno de possíveis candidaturas, o sistema de urnas eletrônicas pode condicionar tudo e deixar a disputa eleitoral sem sentido. Afinal já houve quem afirmasse que, no presente, urnas estão vencendo eleições.

Há já um bom tempo alguns heróis vêm batalhando para fazer chegar ao debate público as suspeitas sobre urnas eletrônicas.

Chamo-os de heróis, propositadamente, pois as máquinas da publicidade, os meios ditos “oficiais” (político, jurídico, midiático) sempre tentam esmagar esses esforçados batalhadores sob o peso de epítetos de “lunáticos”, “teóricos da conspiração”, etc.

Nos últimos dias, entretanto, o debate ganhou dimensão internacional. E acendeu as luzes amarelas (ou vermelhas) no TSE e nos defensores à outrance da “segurança” das urnas eletrônicas. CONTINUA....

Anônimo disse...


Radar da mídia CONTINUA II
Smartmatic constata fraude
Antonio Mugica, o CEO da empresa Smartmatic – que desde 2004 controla o sistema eleitoral venezuelano – em conferência de imprensa em Londres (sede atual da empresa) atestou que o sistema das urnas foi fraudado pelo Conselho Nacional Eleitoral venezuelano, no que diz respeito ao número de votantes no ilegítimo processo eleitoral para a escolha de uma Assembleia Nacional Constituinte, promovida pelo ditador Nicolás Maduro.

Conclusão: as tão seguras e invioláveis urnas eletrônicas foram fraudadas e muito.

Antes de prosseguir formulo aqui dúvidas que assaltam o espírito e são difíceis de elidir: como não suspeitar (e muito!) da última eleição presidencial no Brasil, em 2014, e da estranhíssima e secreta apuração de resultados que deu uma vitória diminuta a Dilma? Será que só na Venezuela o sistema das urnas eletrônicas é fraudável?

Hackers violam urnas
Outro evento internacional, de grande porte, veio reforçar o debate sobre a (in)segurança do sistema eleitoral por meio de voto eletrônico.

Todas as urnas – de qualquer marca e qualquer modelo – são facilmente fraudáveis. Não, não sou “teórico da conspiração” e a afirmação não é minha. A conclusão é da maior conferência “hacker” do mundo, a Defcon, realizada anualmente em Las Vegas.

A grande novidade na sessão deste ano foi precisamente a decisão dos “hackers” de investigarem, pela primeira vez, a segurança das urnas eletrônicas. CONTINUA...

Anônimo disse...


Radar da mídia CONTINUA III

Todos os modelos testados – inclusive os usados no Brasil – foram violados facilmente, em menos de duas horas. E a manipulação das urnas digitais pode não deixar qualquer tipo de rastro.

Leia abaixo o importante artigo de Ronaldo Lemos, advogado e diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro, Mestre em Direito por Harvard, Pesquisador e representante do MIT Media Lab no Brasil, publicado na Folha de S. Paulo (07.08.2017) sob o título “Hackeando as urnas digitais”:

“Foi realizada há poucos dias a maior conferência "hacker" do planeta, a Defcon, que acontece anualmente em Las Vegas, nos EUA.

Nesta edição, a novidade foi que hackers investigaram pela primeira vez a segurança das urnas eletrônicas. A conclusão não é animadora. Todos os modelos testados, invariavelmente, foram facilmente invadidos em menos de duas horas.

Esse experimento acende uma luz amarela para o Brasil, grande usuário de urnas digitais, especialmente em face das eleições vindouras.

A Defcon acontece desde 1993. Neste ano, atraiu mais de 20 mil pessoas, incluindo profissionais de segurança, advogados, jornalistas, agentes governamentais e, obviamente, hackers.

A decisão de se debruçar sobre as urnas eletrônicas decorre de um contexto em que ciberataques internacionais estão se tornando cada vez mais comuns nos processos eleitorais das democracias do Ocidente. Nesse cenário, qualquer sistema digital pode ser vítima de manipulação, e as urnas não são exceção.

Mais de 30 máquinas foram testadas, de várias marcas e modelos, incluindo Winvote, Diebold (que fabrica as urnas brasileiras), Sequoia ou Accuvote. CONTINUA...

Anônimo disse...


Radar da mídia CONTINUA IV

Algumas foram hackeadas sem sequer a necessidade de contato físico, utilizando-se apenas de uma conexão wi-fi insegura. Outras foram reconfiguradas por meio de portas USB. Houve casos de aparelhos com sistema operacional desatualizado, cheio de buracos, invadidos facilmente. O fato é que todas as urnas testadas sucumbiram.

Nas palavras de Jeff Moss, especialista em segurança da internet e organizador da conferência, o objetivo do experimento foi o de "chamar a atenção e encontrar, nós mesmos, quais são os problemas das urnas. Cansei de ler informações erradas sobre a segurança dos sistemas de votação".

Um problema é que a manipulação de uma urna digital pode não deixar nenhum tipo de rastro, sendo imperceptível tanto para o eleitor quanto para funcionários da justiça eleitoral.

Uma máquina adulterada pode funcionar de forma aparentemente normal, inclusive confirmando na tela os candidatos selecionados pelo eleitor. No entanto, no pano de fundo, o voto vai para outro candidato, sem nenhum registro da alteração.

Há medidas para se evitar esse tipo de situação. Por exemplo, permitir que as urnas brasileiras possam ser amplamente testadas pela comunidade científica do país, em busca de vulnerabilidades. Quanto mais gente testar e apontar falhas em uma máquina, mais segura ela será. Outra medida é fornecer mais informações públicas sobre as urnas. No site do TSE, o único documento sobre segurança é um gráfico que não serve para qualquer tipo de análise. CONTINUA...

Anônimo disse...


Radar da mídia CONTINUA V E TERMINA

Nenhuma dessas soluções está em prática hoje no Brasil. Com isso, ou acreditamos que as urnas brasileiras são máquinas singulares, muito superiores àquelas utilizadas em outros lugares do planeta, ou constatamos que elas são computadores como quaisquer outros, que se beneficiariam e muito de processos de transparência e auditabilidade”.

Curiosamente o TSE assegura a total segurança e inviolabilidade das urnas eletrônicas e sempre se esquivou de implantar sistemas de controle do voto eletrônico, como por exemplo o voto impresso, em afronta aos dispositivos legais aprovados no Congresso.

Ainda agora o Presidente do TSE, Ministro Gilmar Mendes, apresenta uma versão enganosa de “problemas” para a implantação do sistema do voto impresso, aprovado em lei pelo Congresso, a fim de manter o sistema inauditável.

Quem garante dogmaticamente a segurança das urnas inseguras e violáveis? Com que finalidade?

Postado porJ. Sepúlveda às16:01:00 Marcadores:Brasil,Defcon,Eleições,Folha de S. Paulo,Gilmar Mendes,Lula,TSE,urnas eletrônicas.

Anônimo disse...

terça-feira, 18 de julho de 2017
RADAR DA MIDIA
As “leis” do Supremo
As “leis” do Supremo

Uma das heranças malditas de treze anos de governos lulopetistas foi, por certo, o debilitamento e a agonia das instituições.

STF fonte de insegurança jurídica
O Supremo Tribunal Federal, outrora respeitado pela sua acentuada discrição e habitual equilíbrio, encontra-se envolto em polêmicas, dissensões internas e decisões imprevisíveis. Há quem fale até em onze STFs, de tal maneira assistimos a uma “balcanização” do Supremo Tribunal Federal.

A insegurança jurídica é disseminada para o resto do País pela Corte que deveria ser a guardiã da Constituição e da estabilidade.Por tais motivos, o Supremo e seus ministros estão cada vez mais desacreditados e desprezados junto ao grande público.

Nervos à flor da pele
“A plateia, atônita, fica sem entender” e a “sociedade acha que os Ministros estão fazendo alguma pegadinha”, comenta Vera Magalhães, em artigo para O Estado de S. Paulo (02.07.2017), sobre as decisões contraditórias ou infundadas do STF.

Eliane Cantanhêde, por sua vez, analisa em concreto um desses embates decisórios na Suprema Corte do país que contrapõe princípios e regras e deixa os ministros com os nervos à flor da pele:

“Marco Aurélio, meia hora antes do início do recesso, surpreendeu Fachin e todo o STF ao desfazer as decisões do relator da Lava Jato sobre Aécio. (...) Marco Aurélio citou o voto popular e a independência entre os Poderes, mas foi ele quem mandou destituir o então presidente do Senado, Renan Calheiros, criando uma crise entre Judiciário e Legislativo e mal-estar entre os colegas” (O Estado de S. Paulo, “Campeonato no STF”, 02.07.2017). CONTINUA...

Anônimo disse...

QUE VÃO INTERVIR NA PQP, JÁ ESTIVERAM AQUI E TUDO O QUE NÃO PRESTA FOI SACRAMENTADO POR ELES, LÓGICO QUE A MAÇONARIA E O JUDICIARIO AJUDARAM, ESCRAVIZARAM, TORTURARAM, ASSASSINARAM E DEIXARAM O POVO NA MISÉRIA E CONHECIDOS COMO, ANALFABETOS, DESDENTADOS DESCAMIZADOS E OUTROS ADJETIVOS VERGONHOSOS QUE TIRARAM A HONRA E A DIGNIDADE DO CIDADÃO E AQUI ESSA MAFIA PERMANECEU, SABOTANDO, CONTRABANDEANDO, TRAFICANDO E DISTRIBUINDO O CAOS POR TODO O PAIS E O PIOR CRIARAM LULA E O PT... FFAA É APENAS FRESCURA POIS PARA DESEMPENHAR ESSAS ATIVIDADES CRIMINOSAS A MAFIA FUNDOU AS FACÇÕES CRIMINOSAS, NOS TIROU O DIREITO DAS LEGITIMAS DEFESA E SE VOCÊ PEGAR UM BANDIDO VOCÊ É QUEM VAI PARA CADEIA...

Anônimo disse...


RADAR DA MIDIA CONTINUA II

Politização da Justiça
No jornal O Globo (01.07.2017), o Professor de Direito na FGV do Rio de Janeiro, Joaquim Falcão, aborda igualmente as decisões opostas dos Ministros Edson Fachin e Marco Aurélio Melo sobre o Senador Aécio Neves, ambas teoricamente baseadas na interpretação constitucional de dispositivos.

Este modo de ser do STF, desestabilizador da vida nacional, leva a uma preocupação grave, ressalta Joaquim Falcão: “As consequências políticas conflitantes das duas decisões levantam e expõem a todos os cidadãos problema muito maior do que a judicialização da política; é a politização da Justiça” (“Decisões conflitantes e a politização da Justiça”).

Poderes supremocráticos
Os professores Dimitri Dimoulis (Direito Constitucional na FGV-SP) e Soraya Lunardi (Direito Público na Unesp) escrevem para seção Tendências/Debates, do jornal Folha de S. Paulo (17.07.2017) um artigo intitulado “As leis do Supremo”, em que tecem considerações a respeito do papel do STF no cenário político-institucional do País e seus poderes “supremocráticos”:

“A Constituição é aquilo que o STF diz que ela é. Se pudéssemos sintetizar algum padrão de decisão em relação a assuntos constitucionais, essa frase seria a mais absoluta verdade. (...)

Chegamos em 2017. Os comentaristas das recentes prisões e afastamentos relacionados à corrupção sistemática concordam em um ponto: o STF terá a última palavra em todas as importantes questões.

Caberá à Suprema Corte decidir se a eventual eleição de presidente da República será direta ou indireta; afastar parlamentares de sua função, se o considerar oportuno, mesmo na falta de previsão constuticional para tanto; intervir na ordem sucessória, afastando candidatos; definir normas de possível eleição indireta e apreciar a constitucionalidade de eventuais emendas e leis sobre eleição para presidente.CONTINUA...

Anônimo disse...


RADAR DA MIDIA CONTINUA III E TERMINA

Em todos esses casos, o STF poderá dizer o que a Constituição é. Ou decidirá o que a República deverá ser. Nada indica que isso será feito respeitando regras procedimentais e substanciais da Constituição que estabelecem a divisão do poder entre autoridades estatais. (...)

O STF recorre aos poderes que Oscar Vilhena apelidou supremocráticos para alterar regras constitucionais em nome de algo tão fluido e subjetivo como o “espírito” da Constituição.

Se o país confiasse seu futuro a juízes que dizem querer fazer o Bem, extirpando o Mal a todo custo, não precisaríamos da Constituição.”
Postado porJ. Sepúlveda às16:18:00 0 comentários Marcadores:Fachin,Folha de S. Paulo,Justiça,Lava Jato,O Estado de S. Paulo,O Globo,STF

Anônimo disse...

terça-feira, 30 de maio de 2017
RADAR DA MIDIA
Há precisamente 80 anos
Há precisamente 80 anos

A confusão é a nota predominante na presente situação nacional, delicada e incerta.

Os desvãos corruptos e sujos do projeto de poder lulo-petista estão hoje escancarados diante da Nação.

Cifras bilionárias foram desviadas do erário público, em sofisticados esquemas, com a colaboração de empresários inescrupulosos, que viram seus negócios florescerem numa relação espúria e umbilical com o poder político.

Em nome da “defesa dos pobres”, essas somas irrigaram, aqui e no exterior, os mecanismos de imposição e consolidação do chamado “socialismo do século XXI”, além de terem comprado consciências e subvencionado oportunistas de todos os calibres.

Cumplicidades e complacências
Mas o lulo-petismo contou para seus intentos malignos com a complacência e até a cumplicidade de boa parte do mundo político (inclusive com elementos destacados da chamada “oposição”); não foram apenas parlamentares comprados, mas partidos inteiros “adquiridos”; parte substantiva da imprensa deu seu contributo também ao projeto de poder lulista; inúmeros eclesiásticos (por vezes na surdina) o inspiraram e sustentaram; e a manipulação inescrupulosa da propaganda conquistou muitos desavisados.

As instituições, inclusive a Justiça em seus mais altos órgãos, foram vilipendiadas; foi prostituída a representatividade do regime dito democrático; e a legítima prosperidade econômica, prejudicada. CONTINUA...

Anônimo disse...


RADAR DA MIDIA CONTINUA II

Abalo sísmico salutar
Um sobressalto salutar, de dimensões imprevistas, levou às ruas de todo o País, por mais de uma vez, milhões de brasileiros. Em manifestações multitudinárias e pacíficas, eles pediam seu País de volta e proclamavam que sua bandeira jamais seria vermelha.

Esse lento mas convicto despertar causou um abalo sísmico e derrubou parte considerável do edifício político-institucional, com destaque para o lulo-petismo, inclusive com o impeachment. Mas a derrocada prossegue.

Nessa derrocada todas as forças parecem querer amparar-se e preocupam-se apenas com o “salve-se quem puder”.

Qual o rumo das presentes encenações?
No momento em que os acontecimentos parecem encaminhar o País para uma eleição indireta para um mandato presidencial tampão – mais um fator complicador da crise – os conchavos são públicos e desavergonhados: forças opostas se conluiam; nos tribunais superiores a aplicação das leis é anunciada à medida do freguês (do réu); os cálculos políticos parecem só visar o livramento dos malfeitores; os que mataram a democracia representativa, como Lula, são chamados por gurus, como FHC, para “salvar” a política; os diversos nomes que circulam para um novo governo parecem ter como única credencial ser inimigos da Lava-Jato; e os “movimentos sociais”, gozando de estranha impunidade, alimentados por clérigos de esquerda, milícias sindicais e políticos inescrupulosos, parecem estar dispostos a “incendiar o País”.CONTINUA...

Anônimo disse...


RADAR DA MIDIA CONTINUA III

Com estas encenações, para que novos rumos pretendem levar o Brasil os atores da tragicomédia oficial?

E os espectadores? Estes parecem estar com um profundo asco diante de tudo o que se passa e se trama. Desconfiados, eles procuram meios de reagir a tanta incoerência.

Ontem, hoje e sempre
Nos dias que correm, alguns jactam-se de ter antevisto uma situação complexa com uma ou duas semanas de antecedência; outros, com um dois meses; e alguns outros, com um ou dois anos.

E o que dizer de um artigo escrito, há precisamente 80 anos, que parece descrever na sua essência a crise presente? (*)

Quem é capaz de discernir as sinuosidades da alma humana, dissecar as entranhas do jogo político, perscrutar os bastidores do mundo dirigente, este sabe guiar-se na confusão, ontem, hoje e sempre

Convido-os, pois, a ler um artigo publicado por Plinio Corrêa de Oliveira, no jornal O Legionário, precisamente em 30 de Maio de 1937, sob o título A solução Mariana. Exceto por algumas pequenas referências circunstanciais da época, parece ele uma descrição dos dias que correm:

“Não é nossa intenção tratar, neste artigo, da sucessão presidencial, estabelecendo um cotejo, sob o ponto de vista católico, entre os candidatos que se apresentam para disputar a suprema magistratura da República. Queremos tão somente, à margem dos acontecimentos e sem tomar posição neles, fazer um comentário que se relaciona com os mais altos interesses da vida política do Brasil.CONTINUA...

Anônimo disse...


RADAR DA MIDIA CONTINUA IV

Há duas espécies de atitudes perante a política: a de ator e a de espectador. Atores são todos os que, direta ou indiretamente, cooperam na preparação dos acontecimentos políticos de que o Brasil está sendo teatro. Uns desempenham o papel de figuras centrais da tragédia - ou da comédia, se quiserem - representando os papéis mais importantes. Outros, são meros comparsas que passam rapidamente pelo palco, para desempenhar uma missão pequena e obscura. Finalmente outros nem aparecem no palco. São os inúmeros empregados que, nos bastidores, levantam o pano, acendem as luzes e cooperam para a manutenção da ordem nas coulisses. Na vida política, esta categoria de gente é representada pelos políticos de 3ª importância, que querem furiosamente algum emprego ou alguma pequena suserania municipal e que, sem aparecer no cenário da política, não deixam de ter certa influência, nos bastidores, sobre o curso da representação.

Espectadores são os que não têm interesses pessoais relacionados com a política e que, portanto, não cooperam com a representação da tragicomédia. Assistem de longe e do alto. Não lhes preocupa, de maneira nenhuma, o formigar das rivalidades e o choque das vaidades nos bastidores. Só o que lhes desperta interesse é a representação correta da peça e a fiel interpretação dos papéis de cada ator.

Não nos interessam, neste artigo, os primeiros. Estão com as vistas deslumbradas pela claridade do palco, e com a atenção monopolizada pelos acontecimentos da cena. São incapazes de vislumbrar o que sente o público distante que, na meia obscuridade, os contempla... e os julga. CONTINUA...

Anônimo disse...


RADAR DA MIDIA CONTINUA V

O que nos interessa sobremaneira são os espectadores. Porque eles, afinal de contas, são o Brasil. E os atores do palco não são em geral senão inofensivas marionetes que oscilam do centro para a direita ou para a esquerda, não ao sabor de convicções que lhes faltam, mas ao impulso dos dedos que os manejam, e vão desenvolvendo gradualmente um jogo que pode parecer moderno, mas que na realidade é muito velho.

Que atitude vem tomando este público em matéria de sucessão presidencial? A dizer com franqueza, a primeira impressão que se nota, em todos os brasileiros imparciais, é de asco. Não asco pela pessoa dos candidatos, a quem não queremos negar qualidades. Mas de asco profundo pela instabilidade das atitudes políticas, pela incoerência flagrante e despudorada entre atitudes da maior parte de seus sequazes, hoje, ontem e anteontem. A bem dizer, serão pouquíssimas as correntes políticas que não se encontram, agora, em uma situação que condenariam formalmente há dois ou há três anos atrás. Se um profeta tivesse descrito de antemão as variações que sofreriam as alianças e as hostilidades que existiam, todo o mundo se teria rido dele, acoimando-o de louco. Porque absolutamente não pareceria possível a ninguém que os políticos brasileiros - sobre os quais já não havia, entretanto, grandes ilusões - dessem a seus ressentimentos e a suas simpatias a inconsistência, a mutabilidade, a futilidade de brigas de meninas de colégio; que fossem tão pequeninos na vaidade e tão imensos na ambição, tão corajosos na ganância e tão tímidos no cumprimento do dever.

Esta nota dolorosa não é privativa de uma das correntes políticas. Encontra-se, pelo contrário, em quase todas. Porque a política brasileira é feita de incoerências.

* * *CONTINUA...

Anônimo disse...


RADAR DA MIDIA CONTINUA VI

Qual é o resultado de tudo isto? Não é difícil percebê-lo: agonizam nossas instituições, desprestigiam-se os princípios que até ontem eram convicção política unânime (boa ou má, não vem ao caso discuti-lo) dos brasileiros, e decaem irremediavelmente no conceito público quase todos os homens da geração passada, que o Brasil vinha, se não admirando, ao menos tolerando na administração do País.

Como conseqüência deste formidável desgaste de homens, de instituições e de idéias, uma grande transformação se prepara. O Brasil aí está, como matéria amorfa, para ser plasmada pela corrente de homens que tenha maior sucesso na tarefa de conquistar o poder em nome de idéias novas.

Significa isto, em outros termos, que o Brasil está no momento em que deverá tomar nova forma. Se esta forma obedecer à concepção da esquerda, o Brasil será não mais o Reino de Nossa Senhora Aparecida, mas uma China ou um México qualquer. Se a forma for plasmada por mãos direitinhas, erguer-se-á ante nós o receio do estado totalitário, com o qual a Igreja é incompatível.

Pobre Brasil! Navegando por um mar revolto, parece que está fadado a naufragar de encontro a um destes dois escolhos extremistas: Berlim ou Moscou. Isto, se não se quiser submergir inteiramente no lodaçal do liberalismo.

Muita gente dirá: entre dois escolhos, convém optar pelo menos mau. CONTINUA...

Anônimo disse...


RADAR DA MIDIA CONTINUA VII E TERMINA

Mas nós perguntamos: não será a mocidade mariana o braço forte com que Nossa Senhora dotou seu Reino na hora do perigo, para derrubar um e outro escolho, e realizar no Brasil uma política tendo por ideal o Catolicismo, como norma de agir o Catolicismo, e como solução para todos os problemas o Catolicismo? (O Legionário, n.º 246)”
(*) Artigo escrito durante a campanha para as eleições presidenciais de 1937. No dia 10 de novembro desse ano Getúlio Vargas anula as eleições, derroga a Constituição de 1934, impõe a "polaca" e proclama a ditadura presidencialista do Estado Novo.
Postado porJ. Sepúlveda às18:26:00 Marcadores:Brasil,Economia,Fernando Henrique Cardoso,Legionário,Lula,Plinio Corrêa de Oliveira,PT,Socialismo

Anônimo disse...

Os petistas e outros de esquerda, fajutas, adoram se passar por vítimas da ditadura, propalar que lutam pela democracia mas participam e apoiam governos ditatoriais, reuniões de grupos comunistas(?), socialistas(?) e de guerrilheiros. Eles acham que somos todos cegos, surdos e mudos. Se eu tivesse o poder, pegaria todos e "exportaria" essa porcaria toda para Venezuela, Cuba e Bolívia.

Loumari disse...

VENEZUELA HOY 08 DE AGOSTO 2017. HACKERS ATACAN AL GOBIERNO DE MADURO.
Asistan por favor.

https://youtu.be/NMrtVMVZABw

pvnam disse...

O contribuinte preguiçoso é o culpado!
.
O CONTRIBUINTE TEM DEIXAR DE SER PREGUIÇOSO!
.
Leia-se, DEMOCRACIA SEMI-DIRECTA: isto é, votar em políticos não é (não pode ser) passar um cheque em branco... isto é, ou seja, os políticos e os lobbys pró-despesa poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a 'coisa' terá que passar pelo crivo de quem paga (vulgo contribuinte).
-» Explicando melhor, em vez de ficar à espera que apareça um político/governo 'resolve tudo e mais alguma coisa'... o contribuinte deve, isso sim, é reivindicar que os políticos apresentem as suas mais variadas ideias de governação caso a caso, situação a situação, (e respectivas consequências)... de forma a que... o contribuinte/consumidor esteja dotado de um elevado poder negocial!!!
-» Dito de outra maneira: são necessários mais e melhores canais de transparência!
[mestres/elite em economia já 'enfiaram' trapalhadas financeiras monumentais... quem paga, vulgo contribuinte, não pode deixar de ter uma palavra a dizer!]
.
Exemplo:
Todos os gastos do Estado [despesas públicas superiores, por exemplo a 1 milhão (nota: para que o contribuinte não seja atafulhado com casos-bagatela)], e que não sejam considerados de «Prioridade Absoluta» [nota: a definir...], devem estar disponíveis para ser vetados durante 96 horas pelos contribuintes na internet num "Portal dos Referendos"... aonde qualquer cidadão maior de idade poderá entrar e participar.
-» Para vetar [ou reactivar] um gasto do Estado deverão ser necessários 100 mil votos [ou múltiplos: 200 mil, 300 mil, etc] de contribuintes.
{ver blog « http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/ »}
.
Uma nota: a Democracia Directa não tem interesse - serve é para atafulhar o contribuinte com casos-bagatela.

Anônimo disse...

Sobre "as urnas..."

"Não voto mais" desde que a urna eletrônica (joguinho de vídeo "game") entrou na eleição,
azar de quem levou isso a sério...

-- Meu título de eleitor está cancelado ...
-- Não vou colocar minhas inpressões digitais em computador nenhum...
-- Não vou colocar minha assinatura em computador nenhum...

PS: Voto novamente, no momento que o voto de papel voltar, e... parar com essa maldição de ficar jogando na "internete" a vida inteira de alguém...
Pergunta número um, qual o motivo dos militares usarem indentificação pessoal própria (RG),
pergunta número dois, qual o motivo do Japão e outros países (de verdade, isto é, com soberania real), não usarem "RG",