domingo, 29 de outubro de 2017

Princípio Republicano


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio José Ribas Paiva

Nas ditaduras o poder é do tirano. 
       
Na democracia, o Estado existe para proteger as pessoas. O Poder do Estado ê exercido pelos agentes públicos, para o povo.
         
Na República o governo exerce o Poder do Estado, que não se estende à pessoa do governante ou de qualquer agente público, é impessoal. Ou seja: no trato da coisa pública, a ninguém é dado ser complacente ou rigoroso, há que ser justo! 
       
Portanto, como o Poder é do cargo e não da pessoa, o agente público não pode imprimir personalismos no exercício da função, sob pena de usurpar o Poder do Estado e incorrer no crime de abuso de autoridade.
         
O Poder é do cargo, ao passo que a autoridade emana da capacidade do agente.
         
Obedecido o Princípio Republicano,  o agente público não exerce o poder em nome próprio, mas em razão do cargo. Exerce a  autoridade do cargo apenas para servir  , nunca para se servir. Ele não é o cargo é apenas um cidadão guardião da coisa pública, com responsabilidades inerentes.
         
Todas as mazelas do povo brasileiro ocorrem devido à confusão do público com o privado.
         
A simples postura autoritária já caracteriza abuso.
         
É o que se vê nas caras e bocas dos agentes públicos, que fazem caretas e desatendem à urbanidade, para demonstrar poder.
       
Mulheres até bonitas, como a Raquel Dodge, torcem a boca e franzem os sobrolhos, para demonstrar rigor pessoal, incompatível com as obrigações do cargo. Olvidam, que o poder que exercem é do Estado e, portanto nosso.
       
Na República, obedecidos os princípios republicanos, o Poder é impessoal!!!

Também por isso, VIVA A INTERVENÇÃO!!!


Antônio José Ribas Paiva, Jurista, é Presidente do Nacional Club.

Nenhum comentário: