domingo, 31 de dezembro de 2017

Etiqueta ao Telefone

Roubo até na pelada?

“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira                  

Todo progresso é uma faca de dois gumes. Depois do surgimento do telefone celular nossas vidas  mudaram para sempre.

As “gentis”  companhias telefônicas, bancos, administradoras de  cartões de crédito, etc. sabem de  toda nossa vida e nos bombardeiam com chamadas de  telemarketing, obviamente não solicitadas, invariavelmente inoportunas.

Assim, a maioria dos seres pensantes não atende mais chamadas de números não cadastrados  em seus smartphones.

Se  alguém de  nossas relações tiver que  ligar de  um número de terceiros, por favor, mande antes um “torpedo”: Fulano vou  te  ligar pelo número X!

Pode, ainda, chamar a cobrar e identificar-se  no momento adequado.

A soberba e arrogância sempre  foram notáveis nos súditos  de Castella.

De Santo André a um relés borrabotas,vivo ou morto, esses “conquistadores” nos tratam mal. É uma questão cultural.

Mas quem planta ventos colhe  tempestades.

Chegará o dia  em que as pessoas perceberão que  podem viver muito bem sem celulares e sem bancos.

As fintechs causarão a morte dos mastodontes.

Já tomaram o tiro mortal. Talvez demorem um pouco para sucumbir.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Loumari disse...

As eleições presidenciais e legislativas de 2017 provocaram uma grande onda de "dégagismo" na França. Alguns ex-ministros não conseguem encontrar um emprego como diz Le Figaro.

"Se o que devo fazer é ir vender pizzas, irei vender pizzas": a galera desses antigos ministros que não conseguem encontrar emprego.

Pois é, o facto de alguém ter sido ministro não representa garantias de achar facilmente um emprego. Longe disso.

Vários dos ex-ministros do período de cinco anos de François Hollande confiaram a revista Figaro suas experiências pessoais, e muitos estão lutando para encontrar trabalho, mesmo que estejam registados no Pôle Emploi. (Job center)

Num tom muito amargo, um deles, que quis permanecer anónimo, explica: "Tu atendes e serves ao teu país como parlamentar e como ministro, tentando fazer e dar do seu melhor,

Dedicas uma boa parte de tua vida ao longo de tua carreira ao teu país, para depois não ter nada em troca, nenhum status do funcionário eleito ou criação de pontes para ajudar a encontrar um emprego.

Desde 2012 em um decreto assinado por François Hollande, os ex-ministros recebem seus subsídios por três meses após o término do mandato, o tempo de encontrar outro emprego.

Outro ex-ministro, furioso, explicou: "Não é fácil encontrar trabalho quando você não faz parte de uma rede, o serviço civil sénior, que não é enarque. (é chamado enarque aquele que foi graduado na mais alta e prestigiosa escola pública do ensino superior que forma os maiores quadros e futuros funcionários)

O corporatismo funciona em cheio. Não existe um tipo de promoção Voltaire (a promoção de François Hollande na ENA - Ed) que está desempregado."

Algumas pessoas já não lutam mais para encontrar uma colocação nas esferas mais altas, mas unicamente um trabalho para poder viver": "Se se deve que ir vender pizzas, vou sair e vendê-las, eu tenho que trabalhar".

Fonte: https://fr.yahoo.com/news/s-apos-faut-vendre-pizzas-101015135.html


OBS: Na França todo aquele que sai da escola superior ENA (École nationale d'administration), facilmente são recrutados porque são pessoas aptas a diversas áreas de gestão seja pública ou privada.

Esta Escola Nacional de Administração (ENA) foi criada em 1945 para democratizar o acesso ao mais alto grau do serviço civil do estado e a entrada é por via de concurso.
Por ano só se admite apenas 80 a 100 candidatos e um terço deles deve ser estrangeiros. É o compromisso de cooperação da escola com outros países.

Durante a Quinta República, os enarques desempenham um papel central na política francesa.

Sabem quanto ganha o presidente da França Emmanuel Macron? 14.910 € bruto por mês.
E deduzido todos os impostos e cotizações sociais, acho que lhe sobra como algo de 10.000 € Neto.
Emmanuel Macron é um enarque. Também François Hollande e Jacques Chirac.

Enquanto outros países, seus povos votam para os seus dirigentes pessoas analfabetas. E hoje o pior é ver povos a votarem para seu presidente pessoa com cadastro criminal.
Hoje ser analfabeto está na moda. E ser criminoso também, hoje está na moda.