segunda-feira, 30 de abril de 2018

A Luta pela eleição Honesta no Brasil



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Dia 15 de agosto começa, oficialmente, a campanha eleitoral – que já está em andamento, de forma disfarçada, com as pré-candidaturas a topo vapor. Os brasileiros amam dar um driblinho na lei que proíbe propaganda antecipada. O “jeitinho” eleitoreiro vende a falsa ilusão de que o próximo presidente eleito resolverá todos os nossos problemas, porque ele vai mudar o Brasil. A Velhinha de Taubaté, que acredita em tudo e em todos, está em fase de orgasmo cívico.

Mais grave que a viciada mentiragem dos políticos é um comercial da tal “Justiça Eleitoral” que vende um conceito equivocado, quase criminoso: o de que “Eleição é Democracia” (ou vice versa). Pura mentira. Eleição é um mero mecanismo de escolha. Não é sinônimo de Democracia. Tal discurso é pura Demagogia. Na verdade, Democracia é a tríplice Segurança: Jurídica, Institucional e Individual. Sem as três seguranças juntas, não temos Democracia. O Brasil, logicamente, não é um País Democrático.

Uma eleição viciada pela ação do Crime Institucionalizado e sua ferramenta-mor, a corrupção, não pode ser chamada de “democrática”. Quem já está eleito e pretende se reeleger deseja, basicamente, que pouco ou nada mude. Apesar da proibição legal para o financiamento das campanhas por empresas, quem “roubou” o dinheiro público conta com muita grana malocada para investir na “compra de votos”. Não há como controlar o famoso “caixa 2” eleitoral. As regrinhas do TSE são puro jogo de cena. Na vida real, fortunas rolarão soltas no submundo político-econômico para eleger os representantes (dos bandidos, é claro!).

Nossa eleição também se torna uma aposta no Cassino do Al Capone (com derrota programada contra o eleitor) graças ao inconstitucional sistema de votação e apuração eletrônica. O processo é criminoso e ilegal porque fere o princípio constitucional da publicidade. O brasileiro é obrigado pelo Judasciário Eleitoreiro a acreditar no dogma do voto seguro. Como pode ser confiável e seguro um processo em que você não vê a apuração dos votos?

Acreditar na confiabilidade absoluta da informática é, no mínimo, ingenuidade. Sem a conferência do voto, originalmente em papel ou por impressão pela urna eletrônica, com conferência imediata do eleitor, a confiabilidade é relativa – para não dizer temerária. Nosso modernoso esquema de votação é nulo, por princípio, pois não assegura a publicidade na apuração pública, física, humana, de cada voto.

Qual a saída para termos eleição honesta no Brasil? Antes de qualquer coisao, é preciso resolver nosso problema-mor: mudar o modelo de Estado-Ladrão brasileiro e seu sistema Capimunista – culturalmente encruado no modo de vida dos brasileiros. Problemaço é que o Mecanismo que controla o sistema não deseja e nem permite que as mudanças ocorram. No máximo, os donos do poder aceitam “reformas” que não mexem na essência dos erros e problemas estruturais e culturais.

A Eleição precisa ser mais simples e, sobretudo mais barata. A única saída é a adoção do Voto Distrital. É fundamental valorizar o poder local. O modelo aproximaria o candidato do eleitor. As campanhas custariam infinitamente bem menos. O representante eleito sofreria a pressão natural do eleitor, em função da proximidade. O modelo distrital garantiria a representavidade que hoje não existe.

Além da implantação do voto distrital, o Brasil terá de rever o modelo eletrônico de votação e apuração. Implantar a impressão, como manda a lei, pode não ser o ideal, porque o processo gasta muito dinheiro à toa. O retorno à cédula eleitoral de papel, que pode parecer um retrocesso, tem a capacidade de garantir ao eleitor a segurança do voto dado. A “dedada” na urna eletrônica não assegura, sem a comprovação via impressão, para quem o voto foi efetivamente dado. O problema da papelada é, também, a  conferência, que dependerá da qualidade e honestidade dos fiscais.

A eleição de 2018 ocorrerá no regime sob desconfiança. É altíssimo – e muito provável - 0 risco de eleger e reeleger bandidos. Grana (roubada) para isto não falta. Por isso, é burrice ou ingenuidade que a eleição deste ano vai gerar grandes mudanças no Brasil, a partir de 2019. A gente pode até votar no “melhor” ou no “menos ruim”. O Sistema pode eleger os piores, contando conosco, os eleitores, para legitimar a escolha dos canalhas.

A alternativa mais segura para permitir a eleição limpa seria o retorno ao voto no papel, com fiscalização rigorosa e transparência total na apuração, inclusive com direito a flimagem nos smartphones. O aparente “retorno ao passado” seria mais simples, muito mais barato e pode até ser mais seguro se houver fiscalização eficaz, eficiente e efetiva.

A fraude eleitoreira é previsível e inerente ao sistema. O que deixa a gente engasgado é uma omissão burra ou criminosa das autoridades. Responda: por que os representantes da máquina judiciária (TSE e PGR) não querem a transparência total do voto e da apuração no Brasil dominado pelo Crime Institucionalizado?

#Exijovotonopapel!
#Eleiçãolimpajá!
#TSEPGRvãotomarnoBU!
#Corruptosidefuder-vos!

Reveja o artigo de domingo: Eleição Eletrônica no Brasil é Inconstitucional

Releia  o artigo de sábado: O Tiro pela Culatra no ataque aos militares



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Abril de 2018.

3 comentários:

Anônimo disse...

Não querem cumprir a lei primeiro pq essas urnas realmente são fraudáveis e pq fazem parte do crime organizado que querem reeleger seus bandidos de estimação fraudando as urnas.
Boa, Serão, vamos malhar as urnas eletrônicas fraudáveis.

#Exijovotonopapel!
#Eleiçãolimpajá!
#TSEPGRvãotomarnoBU!
#Corruptosidefuder-vos!

Anônimo disse...

Já imaginaram, já que a LILS faliu, agora o Lula vai montar um escritório de advocacia tendo ele como titular, mesmo estando preso, e contando com a colaboração dos sócios, Dilma e os três "mosqueteiros" do STF. A clientela vai ser enorme, mais que as palestras fantasmas.

Anônimo disse...

CONVERSA FIADA que "comunista só sai a bala": como é que o Brasil a trancos e barrancos está metendo o pé no rabo dos cUmunistas, mais países já conseguiram, outros estão a caminho, caso Nicaragua, recentemente, um atrás do outro via pressão das ruas, das redes virtuais e de sites independentes?
Os cUmunistas jamais imaginariam na invenção da midia celular disponível a todos, vista até nos rincões do mundo, simultaneamente!
Como uma crítica à podridão desses canalhas e abutres como essa e mais sairiam a milhões de pessoas em todo o mundo, como? E ela está demolindo todos eles, bendita rede, se ela for bem utilizada!
Os cUmunistas do PT nada fizeram de cumprirem o que prometem de sangue, sendo as ameaças só bafo, verborragia, vômitos, se acaso o bandido preferido deles, o Lula, do ParTido Tenebroso ao acaso fosse preso e muitas mais, recordam?
Greizihoff: prender o Lula tem de passar em cima de nós - melhor: só se passar em cima de "nozes"!
As esquerdas amanhã apresentarão juntas uma peça teatral - ESTARÃO "UNIDAS" - APESAR DE SE ODIAREM ENTRE SI - NESSA HORA FARÃO UM ESPETÁCULO GRÁTIS QUE SE DEFENDEM UMAS ÀS OUTRAS PARA TENTAREM NOS INTIMIDAR!
EITA VERMEIOS QUE APRECIAM TEATRO - ESTAMOS SABENDO DA ENCENAÇÃO DESSA PEÇA TEATRAL PRÁ AMANHÃ, 1º DE MAIO!