segunda-feira, 9 de abril de 2018

CREDIBILIDADE


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Rômulo Bini Pereira

No recente julgamento do HC do ex-presidente Lula, o Ministro Celso de Melo, decano do STF, ao iniciar sua fala, criticou a nota emitida pelo Comandante do Exército, relacionada ao grave momento pelo qual passa o Brasil. Segundo Sua Excelência, o pronunciamento do General Villas Boas foi inoportuno, insinuando que tal autoridade militar deveria permanecer voltado exclusivamente para as suas missões constitucionais.

Como cidadão e Comandante da Instituição de maior credibilidade do País, o General Villas Boas não pode se furtar, e é seu dever se pronunciar, sob pena de descrédito junto aos seus comandados. Sua palavra de chefe e líder castrense representa um alerta à Nação, neste momento de descalabro e deterioração dos Poderes constituídos. Em toda a sua nota não existe uma assertiva de qualquer adoção de medidas "manu militari" ou apoio ao crescente clamor popular relativo a uma intervenção militar.

Por oportuno, convém assinalar que o STF está atingindo níveis de credibilidade preocupantes junto à sociedade brasileira, níveis situados abaixo de um patamar razoável. As sessões televisivas dos debates ocorridos em seu Pleno bem demonstram a desintegração interna e as discórdias, inclusive pessoais, não condizentes com uma Alta Corte. Tais demonstrações denigrem a imagem do Poder Judiciário, que ainda é a grande esperança de expressiva maioria do povo.

Mas, vinda a descrença, certamente trará consigo situações adversas que poderiam abrir caminhos a soluções não democráticas. Esse é, sem dúvida, um verdadeiro desafio que poderia ser conduzido, principalmente pelo decano da Corte, nesse momento em que a esquerda brasileira, sem medir consequências, realiza atos que vão de encontro aos princípios democráticos que as Forças Armadas tanto prezam.

A procrastinação, ora em andamento, observada no processo de prisão de um ex-presidente, afronta decisões judiciárias e têm como objetivo maior, colocá-lo como vítima do Poder Judiciário. A pichação de um prédio em Belo Horizonte, onde um dos apartamentos pertence à Ministra Cármen Lúcia e os desencadeamentos de atos agressivos de toda ordem, inclusive contra órgãos da imprensa, são fatos que solicitam a intervenção do Supremo Tribunal Federal que, tendo como vítima a sua presidente, exigem de quem se assenta na cadeira reservada a quem mais tempo ali está, uma manifestação de repúdio, no mesmo quilate da que fez em relação ao que escreveu recentemente o General Villas Boas, Comandante do Exército Brasileiro.

General-de-Exército R/1 Rômulo Bini Pereira foi Chefe do Estado-Maior  do Ministério de Defesa.

Leia também o artigo do General de Exército na reserva Maynard Marques de Santa Rosa: Ecos do Passado

Nenhum comentário: