domingo, 8 de julho de 2018

Lula Livre sentará mamona no Supremo


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


A Petelândia vai insistir na farsa do registro da candidatura de Lula, na data limite de 15 de agosto. Muito provavelmente o PT deve registrar Fernando Haddad como vice. Lula deve ser barrado pelo Tribunal Superior Eleitoral. Haddad deve substituí-lo. Os petralhas confiam em pesquisas – como a do Datafolha – que indicam um poder de transferência de votos de Lula para quem for por ele apadrinhado. Possibilidade real ou não, a prioridade de Lula é deixar a “prisão privilegiada”. Seus caríssimos advogados confiam em “Lula Livre” no mês de agosto ou setembro. Mas se o companheiro José Toffoli fizer um milagre ainda em julho, a Petelândia pira...

Vale repetir: os defensores do companheiro $talinácio listam mais de 140 políticos condenados em segunda instância, inclusive por órgão colegiado, que tiveram a direito à candidatura e se elegeram. Por isso, apenas será reivindicada isonomia para Lula. A “tese” tende a ser acatada por alguns ministros do Supremo Tribunal Federal – que devem ao “Padrinho” o favor da indicação ao emprego supremo. A gratidão pode facilitar a “interpretação” das leis no pedido de libertação... Lula Livre será a desmoralização da Lava Jato e afins... Tudo que boa parte do STF deseja...


José Dias Toffoli, que já trabalhou como advogado do PT na gestão José Dirceu, assume a presidência do STF em setembro. Seus dois anos de gestão prometem ser eletrizantes. Além de jogar pesado no aprimoramento dos processos de informatização do Judiciário, a tendência é que Toffoli também jogue pesado contra a Lava Jato. Toffoli é um dos inimigos das delações premiadas sem provas materiais e objetivas que incriminem os denunciados. O jogo será brutíssimo...

Antes de Toffoli assumir o comando, o STF será alvo de grandes questionamentos populares. O Movimento Avança Brasil lidera uma expressiva manifestação para 5 de agosto, pedindo a substituição de todos os supremos togados. Além disso, tramitam duas Propostas de Emendas Constitucionais no Senado, propondo mudanças supremas. Algumas delas: 1) Acabar com a vitaliciedade do cargo, estabelecendo um prazo de 10 anos de mandato; 2) Para ser indicado, o cidadão não poderia ter pertencido ao poder Executivo num prazo de três anos anterior a indicação; 3) A indicação seria feita pelo STF, STJ, OAB, TST, Defensoria Pública, Procuradoria Geral da República e pelo próprio Senado Federal, de onde sairia uma lista tríplice que seria encaminhada ao presidente da República; 4) O escolhido ainda enfrentaria a sabatina do Senado Federal.

O STF experimentará uma pressão nunca antes sentida na História desse País. O torniquete moral ficará mais apertado se o supremo poder togado beneficiar Lula... A eleição e a pós-eleição serão mais picante que comida mexicana em final de Copa do Mundo... É por isso que vale o famoso ditado: “Quem tem... Tem medo...”. Inclusive o “Supremo Lula”...

É por isso que o negócio, a partir de agora, é sentar o cavaco na mamona...





Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 8 de Julho de 2018.

Um comentário:

Anônimo disse...

Foi deflagrado o movimento armado ocorrido no estado de São Paulo, entre julho e outubro de 2018, que tinha por objetivo derrubar o governo temerário do Temer e a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte.[4] O golpe de estado decorrente da Revolução de 2018 derrubou o então presidente da república, Temer; impediu a posse do seu sucessor eleito nas eleições de março de 2018, Júlio Prestes, digo, Lula da Silva, depôs a maioria dos presidentes estaduais (atualmente se denominam governadores); fechou o Congresso Nacional, as Assembleias Legislativas Estaduais e as Câmaras Municipais; e, por fim, cassou a Constituição de 1988, até então vigente.