terça-feira, 4 de setembro de 2018

Comunicado ao Povo Brasileiro (1)



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Você lembra que estamos na Semana da Pátria, certo? Um amigo, engenheiro e arquiteto, escreveu um texto conceitual. Ele prefere não se identificar e assinar o artigo, por questões profissionais. Trabalha para a Justiça do Trabalho. O Alerta Total avalia que vale a pena reproduzir, espalhar, viralizar. Faço a minha parte copiando e colando aqui. Refletir e agir corretamente no Brasil é preciso... Boa leitura...

Meu senhor, minha senhora
Vou falar com precisão
Não me negue nessa hora
Seu calor, sua atenção
A canção que eu trago agora
Fala de toda a Nação
(Geraldo Vandré)

Em primeiro lugar, mais uma vez, este é um ano de alegria democrática para todos os brasileiros, pois teremos a oportunidade de votarmos de forma democrática em nossos representantes, tanto na figura do nosso representante maior, que é o Presidente da República, o(s) Governador(es) de cada estado, em nosso caso, o estado de São Paulo; do Prefeito municipal(*), como de nossos representantes em ambas as casas Legislativas, que é o Senado, onde estão os representantes dos Estados, como na Câmara Federal, onde estão os deputados federais, como legítimos representantes do povo.

Uma questão me vem à cabeça, ouvida outro dia, dentro de um coletivo comum, onde escutei o diálogo entre duas pessoas, se desejando felicitações pela entrada neste ano novo, e fazendo uma referência ao ano eleitoral, como um enfado ou uma obrigação que se cumprirá com muita má vontade, face não só a situação atual, como ao despreparo político, que no caso em meu modesto entender, seria de ambas as pessoas.

Trazendo para o nosso tempo e momento, uma pergunta fica em nossas mentes e corações: O que é o Estado Nacional? O que é o Estado Brasileiro?  O que é o Estado? O que é essa organização política em que vivemos e que temos de votar nos representantes desse estado, de quatro em quatro anos. O que é isso? Será que sabemos realmente o que é isso?  Será que sabemos realmente nos expressar se alguém que não conhecemos, nos perguntar tal questão? Como você leitor, responderia esta pergunta (pare de ler, amigo leitor, neste ponto e reflita sobre esta questão antes de prosseguir).

O Estado é um ente, ou um ser imaterial, como uma empresa ou uma firma, que tratamos em nosso cotidiano; exemplo, é uma loja de comércio, uma loja de consumo de bebidas (popularmente chamados de bar, ou mais comumente, em boteco, etc.), ele existe, e tem forma física; porém, não é palpável em sua essência; existe materializado em nosso mundo, dentro de suas três divisões políticas, que vem desde o século XVIII, com a clássica divisão do pensador francês Montesquieu.

O Estado como um ser imaterial, porém, presente a todo momento em nossas vidas, é materializado por três poderes devidamente constituídos pelos homens, num simples exemplo, que temos em nossas casas, como sendo um vaso, aquele que sustenta flores ou floreira, composto de um tripé de três pernas que sustenta um prato, sendo este prato, representado pelo Estado, e cada perna um poder, assim temos, o Poder Executivo, o Poder Judiciário, e o Poder Legislativo.  

Este tripé, com as suas três pernas, é que mantém a existência do Estado brasileiro, e o seu equilíbrio.  Um poder (uma perna) não pode faltar, pois acarreta a queda do prato, que é o Estado.  

Entendido esse exemplo, fica uma pergunta: Qual é o poder (perna) mais importante para a sustentação e equilíbrio do Estado (ou do prato)?  

Pense amigo leitor, pense!

Na próxima eu venho falar sobre esta resposta.

Povo brasileiro, abra os olhos, você vai as urnas e não ao cocho! 
No cocho vão comer os animais; nas urnas, vão votar os cidadãos.
Você votou e olha no que deu!

Eu sou um brasileiro, que ama e respeita sua pátria, não sou candidato a cargo algum eletivo, e estarei sempre divulgando as minhas idéias e ideais políticos.

Caro amigo, você que leu e gostou do que leu, faça como eu estou fazendo, tire cópias e faça o texto circular....

(*) Nestas eleições de 2018, não teremos eleições para Prefeitos das capitais de nosso país.

Leia sobre o Brasil. Vou deixar como sugestão de leitura, os três livros do escritor Laurentino Gomes que são: 1808 – A vinda da família Real ao Brasil; 1822 – A Independência do Brasil e finalmente 1889 – A República.


Ler esse texto é melhor do que ficar chorando no rescaldo do incêndio do Museu Nacional pela perda de um acervo cultural insubstituível para a humanidade...



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 4 de Setembro de 2018.

6 comentários:

Sempre Mais do MESMO disse...

Os estelionatários sempre oferecem excelentes negócios às vítimas.

A esquerda socialista nasceu como uma REAÇÃO às idéias liberais quando estas se popularizaram em sua lógica incontestável.

O esquerdismo denominou-se com o surgimento dos jacobinos. Os jacobinos reuniam-se num CONVENTO (S. Thiago) e se enquadram na idéia socialista de antagonizar irracionalmente setores da sociedade, no caso reeditando POBRES x RICOS. Defendiam a República e hegemonia estatal ou ditadura. Claro que tinham FINS Redentores a justificar o governo de TERROR que defendiam. Tiveram sucesso por inexpressivo período.

As idéias liberais prosperaram ainda mais e surgiu Marx-Engels, agora criando um NOVO ANTAGONISMO: PROLETÁRIOS x BURGUESES. Afinal gerar ANTAGONISMOS BINÁRIOS é forma de aliciar um dos lados: INVENTAR INIMIGOS para ALICIAR AMIGOS. Patrões não são inimigos de seus empregados, tão pouco os querem exterminar, mas assim inimizaram empregados a estes, com fofocas, intrigas. Afinal, para destacar o BEM inventa-se o MAL, sempre tem que existir "demônios malvados" para assustar e empurrar a massa para os "salvadores bonzinhos": Os FATOS da história BEM O MOSTRAM.

Os antagonismos SEMPRE oferecem superioridade moral a um dos lados COM BASE NUM FIM REDENTOR, onde os "ESCOLHIDOS" alcançarão o Paraíso. Sempre a defesa de um SUPREMACISMO MORAL para SEDUZIR e ALICIAR os vaidosos que se querem "superiores" com a SIMPLES ADOÇÃO de uma IDEOLOGIA que alardeia um FIM REDENTOR. Logo, adota-la é como desejar o FIM REDENTOR que atribui superioridade moral àqueles que são fiéis às LIDERANÇAS que CONDUZIRÃO o REBANHO HUMANO ao tal "OBJETIVO SUPREMO", embora SEM DATA e INCERTO, tanto como possibilidade QUANTO como OBJETIVO sincero.

Como os "escolhidos" são sempre liderados pelos "ungidos", em tese, objetivam o FIM REDENTOR. Assim, tudo que fizerem em nome deste "FIM" estará moralmente justificado: Perseguir, torturar, queimar, destruir, aterrorizar e etc., torna-se moralmente nobre APENAS justificado no alegado objetivo. Fora isso seriam atitudes perversas e imorais. Ou seja com base nesse engôdo justificam uma "GUERRA ASSIMÉTRICA" ante seus fiéis: o outro lado não têm direito de REAGIR às atrocidades sofrida da mesma forma, pois só os "BONZINHOS" têem direito de PRATICAR ATROCIDADES.

Por isso seguidores de ideologias EM NADA se CONSTRAGEM diante das ATROCIDADES que orgulhosamente paraticam: é tudo em nome do bem. Enquanto os adversários estão a serviço do mal. SEGUNDO diz a IDEOLOGIA que os SEDUZ e IMBECILIZA, tanto quanto desumaniza. Permitindo que emulem DISCURSOS SENTIMENTALÓIDES, PIEGAS, tanto quanto se ufanam em PERORAÇÕES MORALÓIDES sempre valendo-se de palavras com conceitos cristalizados, porém com significados adaptados a sua causa. Assim usufruem dos conceitos ao colarem estes em fatos diferentes daqueles que os originaram através da GINASTICA VERBAL. Alcançam seu intuito aproveitando-se da HERANÇA SÍMIA ao expressarem-se com gestos, caretas de repulsa e gritos de horror como os melhores "argumentos", perfazendo um ambiente de FRENESI EMOCIONAL CONTAGIANTE que leva a platéia a IMITAÇÃO, buscando a autosatisfação exarcebada como superioridade moral que lhes é exibida TEATRALMENTE.

(não esqueço o "que é isso" da Maria do Rosario como a mais emblemática prova dessa TÉCNICA: jogando papéis ao chão e exarcebando indignação teatral)

(continua)

Sempre Mais do MESMO disse...

(Continuando...)

(não esqueço o "que é isso" da Maria do Rosario como a mais emblemática prova dessa TÉCNICA: jogando papéis ao chão e exarcebando indignação teatral)

Com esse estratagema de tudo justificar em nome de um "FIM REDENTOR", Paraíso ou nirvana qualquer, se pode atacar moralmente a REAÇÃO dos inimigos e louvar a própria AÇÃO contra inocentes e indefesos, "justificando" a ação muitíssimo mais abjeta que a justa reação que repudiam afetando-se de indignação moralizadora.

Louva-se Fidel que assassinou dezenas de milhares, de inocentes e indefesos, ao mesmo tempo que se exibe caretas de indignação e gritos horrorizados contra a dita dura bananeira que matou EM COMBATE menos de 4 centenas de guerrilheiros, assaltantes, assassinos e aquadrilhados com estes facínoras.

O CONTÁGIO EMOCIONAL se dá pela MACAQUEAÇÃO da exibição teatral em PERORAÇÕES MORALÓIDES que supostamente atribuem superioridade aos artistas que o proferem.

Pronto, inexiste ARDIL mais eficiente que esse, o ARDIL MORAL: ao mesmo tempo que amarra moralmente o inimigo em sua REAÇÃO, concede-se total apoio moral à própria AÇÃO sempre covarde, seja ela qual for.

Essa estratégia não é coisa do acaso, mas sim uma "arte da guerra" caracteristica de setores sociais que VIVEM do PODER e NÃO do TRABALHO: posta em prática sempre que o Poder estiver sob ameaça.
.

OBS.: Por que aos governos é moralmente autorizado e louvado fazer aquilo que é crime para o cidadão???

Porque o governo, em tese, conduzirá o rebanho popular a objetivos maravilhosos como saúde, aposentadoria, educação, segurança, igualdade e etc..

CRIMES: Extorquir, tomar/roubar bens, coagir e etc., até escravizar e matar são crimes que governos praticam com autorização e louvor das "boas pessoas" que a isso justificam nos alegados "beneficios" que um governo proporciona.

jomabastos disse...

Ótimo texto!

O Estado é composto pelo Poder Executivo, pelo Poder Judiciário e pelo Poder Legislativo - um prato suportado por um tripé.
Este tripé, com as suas três pernas, é o que mantém a existência do Estado brasileiro, e o seu equilíbrio. Um poder (uma perna) não pode faltar, nem dois poderes (duas pernas) se podem ajuntar, pois acarreta a queda do prato, que é o Estado.

Liliane Carlos disse...

Não gosto de responsabilizar o povo pela situação do Brasil, pois toda a vida política está sob manipulação. E as urnas eletrônicas são facilmente fraudáveis. Então, quem pode dizer que isto aí foi a escolha do povo? Mas Lula continua a ser um perigo para o Brasil, entenda como: http://carlosliliane64.wixsite.com/magiaeseriados/a-militancia

Anônimo disse...

Qto ganhas nobre esTaTisTa???
Haja oapaciência. Em ²6 TD mudará...

Anônimo disse...

Lá vem o Rabada, descendo a ladeira!!