terça-feira, 4 de setembro de 2018

Tragédia e Comédia



Fogo no Museu - Uanderson Fernandes, Agência O Globo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

O Brasil se transformou num País tragicômico. Pouco tempo atrás o incêndio em São Paulo destruindo prédio do Governo,agora outro mais grave destruindo o Museu Nacional, com obras históricas e um prejuízo de 200 anos que jamais será recuperado. Falta é vergonha na cara e boa gestão um verdadeiro choque pois que o Rio de Janeiro desviou recursos na copa e nas olímpiadas, além do que há a comédia das eleições cujos candidatos são figurantes e decorativos. Que democracia realmente queremos?

Enquanto não sepultarmos as mazelas e todas as falcratruas internas continuaremos a ser dominados pelas facções criminosas,são mais de 70 somente no Brasil que foram reconhecidas pelas autoridades governamentais. Não nos preocupamos com a história,na semana da independência preferimos a dependência e ao  mesmo tempo as chagas da morte anunciada da cultura,da civilização e do saber, já que não cultivamos os dados do passado,rompemos com o presente e nos alienamos em relação ao futuro.

Qual o motivo pelo qual grandes entidades privadas não assumem Museus de relevância incomum, ou mesmo as estatais, por via dos fundos de pensão, numa direção profissional e com equipes que conheçam não apenas os fundamentos mas saibam administrar. Caímos na boca do mundo e já somos conhecidos há muitos anos por não sermos um País sério e cheio de bandalheiras aonde prevalecem o PCC que seria o partido dos corruptos contumazes que nunca larga o osso e sempre é obcecado pelo poder e o PCC que dentro dos presídios comando os atos e fatos relacionados aos mais de 700 mil encarcerados.

O TSE decidiu que o preso de Curitiba não pode ser candidato e mesmo assim vão recorrer quem sabe até para o Papa buscar um salvo conduto eleitoral, o que mais impressiona é a fragilidade da nossa democracia o desrespeito à lei da ficha limpa e das decisões da Justiça,de toda forma soberana para não se curvar à manifestação desprovida de finalidade de um órgão administrativo internacional.

Rumamos a passos largos,se não houver mudança de rumo e de mentalidade,para o choque do Titanic, nosso Brasil com as rochas cabeças duras da intolerância e radicalização, cujo resultado será o aprofundamento e afundamento da crise. A economia petrificada,vejam a Argentina de hoje roubada que fora e escamoteada com o chapéu junto ao FMI e realizando cortes substanciais para equilibrar as contas, não somos diferentes se não fizermos logo a lição de casa o desfiladeiro logo próximo estancará os sonhos e transformará em pesadelo nossa democracia.

O pior é que não aprendemos o incêndio de ontem será o de amanhã e assim por diante as autoridades não sabem de coisa alguma e somente se preocupam quando o mundo clama e se levanta agigantando a sordidez com a cultura e uma Lei Rouanet a qual beneficiou poucos amigos do Rei.

A tragédia é diária a comédia sempre presente,ambas fazem parte do nosso cotidiano e somente comprovam que estamos longe de saber o que é a autêntica democracia enquanto brincamos de política e da mendaz eleição cujos candidatos,na sua maioria,é deveras sofrível e lamentável.

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo.

2 comentários:

Anônimo disse...

600 mil de despesa anual. 200 mil visitantes ano. Fica claro que a cobrança de um ingresso de 3 reais por visitante tornaria o Museu Autônomo, independente da UFRJ e das esmolas do Governo. O Louvre e o Museu de NYC, cobram 30 reais o ingresso. A cobrança de 10 reais do turista, 5 Reais se adulto morador do Rio e 3 reais para criança e ou estudante. Tornaria o Museu lucrativo e permitiria sua expansão e melhorias. Mas o Brasileiro gosta de esmola, quase fechado, mas de graça. Praticamente um puxadinho da UFRJ.Só faltava fechar o Museu de vez, e transformar tudo em escritório e laboratório para poucos. Infelizmente o incêndio chegou primeiro.

Anônimo disse...

🇧🇷 Só trinta e quatro facções criminosas estão disfarçadas de partidos políticos e contam com a proteção do judiciário. Primeiro BOLSONARO 🇧🇷 presidente depois intervenção militar e depois caçar todos os traficantes, ladrões e comunistas e cancelar o CPF de todos.