terça-feira, 23 de outubro de 2018

“Atacar o Judiciário é atacar a Democracia”


2ª Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Em meio ao incêndio eleitoreiro da violenta campanha presidencial de 2018 – com direito a facada em Bolsonaro e farta distribuição de mentiras pelos MAVs (embora a bem remunerada militância virtual de canhota não consiga vencer a verdade espalhada gratuitamente pelas pessoas honestas) -, nada custa lembrar a pesquisa anual que mede o grau de confiança dos brasileiros nas instituições. No levantamento de 2017, a mais confiável era o “Corpo de Bombeiros”.

As Forças Armadas brasileiras – que agora voltam a ter destaque na Política através do voto direto em ex-oficiais fica em 4º lugar. No entanto, merecia uma atenção especial dos estudiosos a posição do Judiciário. O Poder Togado ocupa apenas a 12ª posição no índice de Confiança Social medido pelo Ibope. A tendência ruim vem desde 2009. Segundo a pesquisa ICS, o Judiciário só está à frente mesmo dos Políticos, Congresso Nacional, Presidente Temer, SUS e Sindicatos. A magistratura perde até para os bancos...

Aliás, por falar em juízes e banqueiros, o Superior Tribunal de Justiça acaba de tomar uma decisão esquisita e inédita. A Constituição brasileira é clara sobre a impossibilidade de penhora de salário. No entanto, o STJ autorizou a penhora de 30% do salário de um devedor de Belo Horizonte que recebia mais de R$ 20 mil por mês, porém devia a um concunhado. Embora a decisão tenha efeito imediato de jurisprudência, fica uma dúvida no ar: será que, brevemente, os bancos serão judicialmente autorizados a penhorar salários dos inadimplentes clientes “caloteiros”, independentemente do quanto os “vilões” ganham?

Resumindo: O impopular judiciário precisa ir muito além de usar os meios de comunicação ou emitir notas oficiais pregando que “respeitar o Judiciário é respeitar a Democracia”. A maioria da população “ataca” (na verdade, critica) o Judiciário quando o poder se deixa corromper e se transforma em “judasciário”, afrontando o sistema, os princípios e os valores democráticos.

O Judiciário precisa ser menos retórico e garantir, efetivamente, em decisões coerentes, a plena Segurança do Direito (base da Democracia). Como bem lembrou o quase Presidente Jair Bolsonaro, o Judiciário é fundamental para atuar na pacificação do Brasil, junto com o Executivo e o Legislativo – e, o “Mito” não falou, o Poder Militar, guardião maior da Segurança Nacional de qualquer Nação civilizada e democrática.

Qualquer um que seja conivente com o desrespeito às Leis e ataque a Democracia merece condenação imediata de qualquer cidadão honesto e da própria História.

Repetindo os juristas Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli, em recente artigo neste Alerta Total: “A República precisa ser reinstaurada, o Estado reconstruído e a Federação remodelada”.

Haddad nos tortura com mentiras

O candidato de Lula, Fernando Poste, praticou o crime hediondo de torturar a verdade em uma entrevista ao Jornal O Globo, Valor Econômico e Época:

"Bolsonaro nunca teve nenhuma importância no Exército. Mas o Mourão foi, ele próprio, torturador. O Geraldo Azevedo falou isso. Ver um ditador como eminência parda de uma figura como Bolsonaro deveria causar temor em todos os brasileiros minimamente comprometido com o Estado Democrático de Direito".

Antes de Haddad, a verdade fora torturada pelo compositor pernambucano Geraldo Azevedo – que usou um show na Bahia para mentir que foi torturado por Mourão, quando foi preso duas vezes, em 1969, durante o “regime militar”.

O Artista mentiu, e Haddad repetiu: Antônio Hamilton Mourão tinha apenas 16 anos de idade em 1969 e só entrou para a carreira militar, no Exército, em 1972...

Releia o artigo: Só o PT esculacha o STF e nada acontece?


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 23 de Outubro de 2018.

Um comentário:

Anônimo disse...

Porque os comentarios não estão mais sendo publicados?