quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Gaudeamus


“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Para efeitos de estudos genealógicos, temos uma nova geração a cada vinte e cinco anos. Assim, desde o descobrimento do Brasil em 1.500, tivemos cerca de vinte gerações.

Esse fato nos ensina várias coisas. Em primeiro lugar, a brevidade de nossas vidas em comparação a majestosa grandeza da Pátria.

Os trisavós dos trisavós de nossos trisavós (e ainda antes) viveram e lutaram por sua fé, suas famílias e por esta terra.

Choraram a morte de El-Rey Dom Sebastião em Alcácer Quibir; sobre as ruínas de Lisboa após o Grande Terremoto e o regicídio de 1.910.

Os estragos cometidos pela canalha nos últimos trinta e cinco anos, mal arranharam levemente a grandeza do Brasil.

Cabe a nós, apoiar o novo governo eleito, fazendo críticas CONSTRUTIVAS e sugerindo novas ideias para melhorar nossas vidas.

O ódio pelo ódio só traz consequências horríveis.

A primeira tarefa é restaurar a honra perdida, a ética e o exemplo edificante.

Garantia alimentar do mundo e o maior fornecedor de matérias primas, conferem ao Brasil uma condição proeminente no cenário internacional.

Após cinco gerações, volta ao cenário político nacional um membro da abençoada Casa de Bragança, do ramo de Orléans, descendente de dois Santos e do Pai de nossa Pátria.

Com trânsito livre em todos os países civilizados, o novel deputado federal eleito, elevará ainda mais o prestígio do Brasil.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: