sábado, 8 de dezembro de 2018

O avião em silêncio


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Milton Pires

O Brasil é um gigantesco avião, um avião em silêncio. É o silêncio dos passageiros vendo Lewandowski mandar prender o advogado, é o nosso silêncio com Osmar Terra, com Joaquim Levy entrando no Governo que nem começou...É o silêncio com manutenção do "Ministério da Cidadania", com "Ministério dos Direitos Humanos"....

É o silêncio com Onyx ao lado de Bolsonaro respondendo às perguntas por ele (na frente dele) feitas pela imprensa e a loucura do Mandetta que quer, nesse momento, avaliação permanente até para médicos brasileiros formados aqui mesmo. 

É...é um avião bem grande, bem maior que um B17. Nosso silêncio permite que o quadrúpede búlgaro que destruiu a Nação siga viajando pelo Mundo dizendo que vai “fazer pacto com Satanás”, permite que uma vagabunda comunista qualquer dentro do "Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde" chame as médicas brasileiras grávidas e os médicos idosos de LIXO…Permite que Alexandre Padilha continue em liberdade. 

Nosso silêncio, às vezes, é quebrado. É, mataram o cachorrinho lá no Carrefour! Não, matar cachorro, não! Aí já é demais...Médico cubano saindo do país afirmando que estava treinado para pegar em armas? Até aí tudo bem, mas matar cachorro já é demais… 

A verdade, meus amigos, é a seguinte: nós elegemos um Governo Militar, cheio de civis querendo “bancar os militares”, temos um STF cheio de canalhas colocados lá dentro pelo PT e um Congresso que é (e sempre será) um esgoto controlado pelo MDB. 

Pior do que isso: conscientemente ou não, Jair Bolsonaro está se cercando de bandidos e criminosos de todos os tipos que, em comum, só tem o fato de não serem vagabundos petistas. 

Até o General Mourão, que como eu não se calou durante o Regime dos Vagabundos Petistas, está em silêncio. Bolsonaro mandou e ele ficou calado.

Lewandowski agradece, capitão, e o único barulho que se escuta no final de ano é feito por Joice Hasselmann e Eduardo Bolsonaro (além daquele que é feito por Antônio Palocci).

Mas no fundo, no fundo, sabemos que que não adianta ficar quietinho, não adianta ficar em silêncio. Não adianta, também, dizer que eu estou sendo pessimista.

Eu acho que foi Arthur Schopenhauer (esse sim: não era exatamente um animador de auditório) que certa vez disse que "a felicidade de uma pessoa é proporcional à quantidade de silêncio ao redor dela" (ou algo assim).

Ele deveria conhecer o "Brasil da Transição em 2018" - esse silêncio todo, aqui, vai terminar mal...

Dezembro de 2018.

Milton Simon Pires é Médico.

2 comentários:

LUIZ REGO disse...

O STF não é uma vergonha! Vergonha, desavergonhados somos nós. Valei-me minha Nossa Senhora da Bastilha!

Vergilio disse...

Perfeito.