quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

As armadilhas na Reforma da Previdência



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Membro do Comitê Executivo do
Movimento Avança Brasil

Ninguém, em sã consciência, discorda que o Brasil tem de resolver o problema do déficit do sistema previdenciário. O rombo atingiu R$ 195,2 bilhões no ano passado, consumindo todo o superávit primário obtido pelo governo central, estados e municípios. O número assustador seria um sinal de que estaria seriamente comprometido o futuro imediato de trabalhadores, aposentados e pensionistas.

No entanto, o Governo não pode cometer o erro estratégico (ou ingenuidade imperdoável) de errar na comunicação sobre as razões reais da “Reforma da Previdência” – apontada como prioridade pelo Superministro da Economia, Paulo Guedes, depois que a eleição presidencial foi vencida por Jair Bolsonaro e Antônio Mourão. Por enquanto, o discurso oficial não consegue esconder que a mudança só beneficia os mesmos banqueiros de sempre – e não quem irá se aposentar algum dia.

A questão previdenciária ainda vai gerar muita polêmica, muita negociação politicamente complicada e muita bronca contra o governo. Está claro que os banqueiros querem compensações para perdas previsíveis com a redução de lucros com a queda natural dos juros após a aprovação da reforma previdência – se tudo correr bem, por volta de agosto/setembro deste ano. Os grandes bancos – incluindo os federais que o time de Paulo Guedes gostaria de privatizar – só pensam nos bilhões que vão faturar com o regime de capitalização.

Os juros terão de baixar. Senão a economia não vai crescer... O diretor do Centro de Economia mundial da Fundação Getúlio Vargas e ex-presidente do Banco Central (1980 a 1983), Carlos Geraldo Langoni, espera que a autoridade monetária reduza ainda mais a taxa de juros selic para evitar um fortalecimento excessivo do real, tão logo se aprove a reforma da previdência no Congresso Nacional. Langoni aposta que, quando isto acontecer, o déficit primário cai pela metade. O famoso flamenguista e Chicago boy prevê câmbio a R$ 3 reais frente ao dólar.

Além da advertência de Langoni, o governo leva uma pancada pesada da Fenafisco (Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital). O presidente da entidade, Charles Alcântara, critica o decreto presidencial, assinado na última sexta-feira (08), que transfere mais de R$ 600 bilhões do Orçamento Fiscal e da Seguridade Social da União para pagamentos de encargos financeiros da União e para transferência a Estados, Distrito Federal e Municípios. Ou seja: grana para pagar juros aos bancos e para socorrer entes federativos irresponsavelmente falidos.

Charles Alcântara detona: “Não bastasse o já depredado orçamento da Seguridade Social, sobretudo por conta da DRU, que lhe subtrai 30%, o País é tomado de assalto com o ato presidencial que autoriza a retirada de R$ 600 bilhões também para cobrir encargos financeiros do governo, um valor que deve ir em grande parte para o mercado financeiro”. Resumindo: novamente os banqueiros entram na berlinda dos críticos.

Outra polêmica que merece atenção: a Medida Provisória que estabelece um pente-fino em benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Estudo feito pela consultoria de orçamento da Câmara concluiu que o governo não respeitou exigências da lei ao editar a MP. Ela foi editada em janeiro com o objetivo de melhorar a gestão do pagamento de benefícios, combater fraudes e permitir uma revisão de repasses que não se justificam. A expectativa do governo é auditar benefícios com indícios de irregularidade pagos a pelo menos 2 milhões de pessoas. O INSS pretende economizar R$ 9,3 bilhões em um ano.

Só pelas polêmicas aqui demonstradas, a Reforma da Previdência é muito mais complexa do que supõe a vã manipulação do noticiário. Já está mais que claro que a tal reforma necessita de muito debate, livre, honesto e inteligente. Existem várias medidas que devem ser tomadas antes da definição exata do projeto de reforma. É possível estabelecer uma lista básica de verdadeiras prioridades:

1)    Recadastramento geral de TODOS os funcionários públicos, ativos ou aposentados.

2)    Realinhamento de valores relativos para remunerar funções, segundo sua relevância na administração pública.

3)    Auditoria em todas as benesses pagas pelo governo a terceiros que nunca contribuíram.

4)    Cobrança das dívidas dos grandes devedores do INSS.

5)    Redefinição sobre as carreiras públicas que pagam altos salários e garantem vultosas aposentadorias – que pesam no caixa do INSS, diferentemente dos salários mínimos pagos aos Joãos e Marias.

Sem tais medidas prévias, a reforma da previdência será uma iniquidade cruel e monstruosa contra o sofrido povo brasileiro.

Fritado

A Rede Globo intrigou que o Presidente Jair Bolsonaro e seu filho Carlos fritaram o ministro Gustavo Bebianno.

O Secretário Geral da Presidência da República avisou que não vai pedir demissão, em meio à polêmica sobre sua conversa ou não com Bolsonaro sobre o caso dos problemas em financiamentos de campanha que serão investigados pela Polícia Federal.

Bebianno garante que nada fez de errado e que seu destino está nas mãos de Bolsonaro...

Crise amplificada


A deputada do PSL Joice Hasselmann (SP) criticou o fato de Carlos Bolsonaro ter escrito, nas redes sociais, que o ministro Gustavo Bebianno mentiu sobre conversas com Jair Bolsonaro:

“O filho do presidente não pode escrever mensagem para criar uma crise no governo. Quem tem que falar com ministro é o Presidente. O filho do Presidente está tentando criar uma crise dentro do governo. Não é compatível. É uma coisa de louco.

Joice classificou que a atitude de Carlos Bolsonaro talvez seja fruto de "imaturidade ou meninice".

Belo surrealismo vascaíno

Parabéns ao Vasco da Gama por entrado em campo ontem com uma bandeirinha do Flamengo em sua camiseta cruzmaltina.

Foi um exemplo civilizado e raro de solidariedade no complicado futebol brasileiro.

Devem estar brilhando, onde quer que estejam, as almas dos 10 craques mortos no incêndio do alojamento no Centro de Treinamento do Ninho do Urubu...

Pedido ao Criador

Prezado Deus: Faça Bibi Ferreira voltar imediatamente...


Uma mulher com quase 100 anos de palco é imortal.

O Brasil deu sorte de ter uma artista assim...

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 14 de Fevereiro de 2019.

7 comentários:

Anônimo disse...


Existe uma confusão no item 5. Os funcionarios de carreira, do serviço publico, não recebem

beneficios pagos pelo INSS. Quem recebe beneficio, pago pelo INSS, sao os trabalhadores

registrados como CLT. Normalmente vinculados a Empresas Estatais. Estes contribuem ate o

teto do INSS, atualmente R$ 5.839,45. E para sair com o valor de tal beneficio, o teto, devem
trabalhar 40 anos e ter no minimo 60 anos completos de idade quando da aposentadoria. no

calculo do valor do beneficio inicial existe um redutor denominado "Fator Previdenciario".

Anônimo disse...

Depois de décadas de inversão revolucionária na justiça da Nova República, tudo é urgente. Foi estranha a resposta dada a Paulo Pavesi pelos órgãos públicos de que não querem mexer com isso agora. A negativa a um homem honesto impacta a imagem de um governo, principalmente quando ainda estão tratando com condescendência os desonestos (como a reavaliação das pensões aos terroristas anistiados, em vez de extinção sumária do benefício a todos, por serem lesa-pátrias).

jomabastos disse...

Uma Reforma da Previdência, não pode comprometer o futuro de trabalhadores, aposentados e pensionistas e não pode aprofundar clivagens econômicas e sociais na sociedade. Seria uma desumanidade própria de países socialmente subdesenvolvidos.

Anônimo disse...

Bom dia, Serrão.
Explica isso aí: rombo de 195 bilhões na Previdência, e o governo desvia 600 bilhões da Previdência para cobrir despesas financeiras de outros órgãos. Pode isso, Arnaldo?
Grato. Pauo Onofre

Anônimo disse...

Onde estão as evidências irrefutáveis desse rombo de 195 bi. Técnicos afirmam que inexiste déficit na Previdência. Que mostrem os Balancetes, Orçamento, Receitas x desembolsos, etc. Abram a Caixa Preta e provem que não existem desvios da Previdência. Que mostrem os Sem Teto. Depois, tirem da campo da retórica a frase que repetem como um mantra "cortar na própria carne" e promovam uma reforma ampla e irrestrita, sem exceção de categorias e isenta de corporatismos. Com uma dívida interna de 5 trilhões, nem pagando somente o serviço da dívida, a conta não fecha. Isentam os Sem Defesa do equacionamento desse ralo e punam os verdadeiros responsáveis.

Anônimo disse...

Mexer na pensão das vagabundas que foram agraciadas pelos seus ¨patrióticos¨ papais das castas superiores, também não vai. Viva a informalidade!

Anônimo disse...

Em post sobre a aprovação em Nova York do aborto até um dia antes do parto, alguém comentou que estava compreendendo o nexo entre o incentivo ao aborto livre no Ocidente judaico-cristão e a importação de muçulmanos que têm muitos filhos: efetuar a troca da população branca ocidental. Todos os organismos internacionais doutrinaram a população brasileira para diminuir o número de filhos, alegando que não haveria recursos no planeta em caso de explosão populacional.Sempre cobrando contenção de gastos à classe média enquanto Lula incentivava os pobres a se mutiplicarem graças ao estímulo do Bolsa-Família. Agora que a população atendeu essa orientação, vêm os economistas dizer que não haverá trabalhadores suficientes para custear as aposentadorias, mas incentivam a migração descontrolada de "refugiados" que sobrecarregam os serviços assistenciais do país. Dá para perceber que essas reformas da previdência são parte do projeto globalista de exterminar em primeiro lugar a civilização judaico-cristã, e por isso querem fazê-las a toque de caixa, sem prévia auditoria e balancetes para conhecimento público. Bolsonaro colaborando com essa agenda? http://aluizioamorim.blogspot.com/2019/02/o-lobby-do-aborto-nos-eua-e-o-mesmo que.html