domingo, 31 de março de 2019

Há muitas pessoas de Bem Bocós



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Gente culta e preparada, patriotas sinceros, defendem a reforma da previdência nas redes sociais, por total desinformação.

Como se pode reformá-la antes de uma auditoria séria, antes de cobrar TODOS os devedores, antes de recadastrar os beneficiários de pagamentos pelo governo, a qualquer título?

Essa reforma NÃO foi promessa de campanha e nem é a mais urgente. Devemos primeiro implantar a reforma TRIBUTÁRIA para desonerar quem produz e gera empregos, livrando-os da burocracia desleal.

O senhor Paulo Guedes, num passe de mágica, levou o nosso Presidente da República no bico.

Da forma que está, a tentativa só beneficia aos bancos.

O ministro da Economia é (ou foi) banqueiro. Seu DNA e sua natureza obrigam-no a priorizar o interesse da banca e não o do país.

Por essas e por outras é que chegará o momento em que sua excelência o Presidente da República será obrigado a convocar as Forças Armadas na forma do artigo 142 da Constituição Federal.

Nossos ilustres generais talvez prefiram não assumir essa tarefa. Em sua grande maioria, eles não têm cultura de combate.

Num país que sofre há décadas uma guerra assimétrica, de quinta geração, não é possível melhorar nada com um Congresso e um Judiciário apodrecidos.

Quê fazer? Só não vale perguntar ao Lênin... Nem aos Bocós...

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Anônimo disse...

🇧🇷 Seu discurso e pensamento são justamente os pontos que defendo e por isso sou chamado de ignorante.
🇧🇷 Reforma da previdência nunca foi promessa de campanha, e é fundamental uma auditoria isenta antes de qualquer proposta. Parabéns por seu lúcido e cristalino artigo

Rossana Guimaraes disse...

Concordo plenamente! E vejo a necessidade de urgencia de votar nessa mudança como a necessidade dos mesmos, de corroper a sociedade, expoliar o governo e empobrecer cada0 vez mais o povo!

Anônimo disse...

Nem perguntar ao Olavo, apesar de ele sempre ter razão por sua anterior experiência no meio comunista e por estudar seriamente o que a maioria dos abduzidos pela Nova Ordem Mundial sequer enxerga. As informações de Olavo de Carvalho são subsídios para a ação, não imposições. Quando alguns militares não entendem essa diferença, instala-se o ruído crescente na comunicação.