quinta-feira, 2 de julho de 2020

“Botafogo” no meio da guerra Flamengo x Globo


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

O botafoguense Rodrigo Maia conspira, nos bastidores e fora deles, para que a Câmara reprove ou deixe caducar a Medida Provisória que dá liberdade ao clube de futebol mandante do jogo negociar seus direitos de transmissão da maneira que mais bem lhe aprouver. A manutenção da regra, virando lei, será o grande teste para atestar se o Presidente Jair Bolsonaro conseguiu, realmente, realinhar sua base aliada no parlamento, depois das concessões feitas aos parlamentares e líderes do chamado “Centrão”.

Rodrigo Maia aposta que tem plenas condições de impor a Jair Bolsonaro mais uma derrota na Câmara dos Deputados. O filhão de César conta com o poder de pressão do Grupo Globo – inimigo escancarado do Presidente – para detonar a MP. Até agora, a única grande pedra no sapato global é o Clube de Regatas do Flamengo. O clube que detém a maior torcida do Brasil – e que mais bem negocia suas cotas de transmissão de jogos – teria inspirado a solução bolsonarista para dar mais liberdade nas relações de marketing esportivo no País.

A noite de quarta-feira, 1º de julho de 2020, foi histórica para o Futebool brasileiro e para o Flamengo. Depois de uma batalha judicial contra a Globo, que tinha o direito de transmissão do Campeonato Carioca negociado com todos os clubes (exceto o Mengão), o rubro-negro conseguiu o feito inédito de transmitir a partida contra o Boavista, ao vivo, via streaming. Até agora, foi a maior live da história do YouTube no mundo. O sucesso foi arrebatador: 14 milhões de views no Youtube; 2,2 milhões de acessos simultâneos; 4,2 milhões de inscritos no canal FlaTV. O evento foi Top 10 lives em todos os conteúdos da rede social.

A Globo nem chegou perto da humilde-grandiosa FlaTV. A tradicional emissora, aliada do “Botafogo” que comanda a Câmara dos Deputados, passou o jogo do Botafogo para o Rio de Janeiro e mais alguns estados. Segundo o Ibope, a partida atingiu um público de 8 milhões de telespectadores no Brasil afora. Apesar da excelente exposição, a Globo não teve o mesmo impacto da FlaTV. O Flamengo ainda arrecadou uma boa grana via doações de torcedores. Muitos até compraram o ingresso simbólico do jogo no “gigante do Maracanã deserto e adormecido” (como diria o lendário locutor esportivo Waldyr Amaral).

O jogo foi um treino de luxo. O Mengão venceu por 2 a 0. O Boavista não foi páreo para o time do português Jorge Jesus. O time manteve o toque envolvente, mas deu menos chutes a gol que o ideal. Poderia ter ocorrido uma goleada. Pouco importa. O placar foi suficiente para manter o Flamengo na liderança geral do Campeonato. Se vencer o segundo turno, será campeão sem precisar jogar uma partida final. Assim, se o campeonato interrompido na pandemia não der lucro, ao menos vai render um prejuízo econômico menor para o Flamengo.

No mais, é aguardar como ficará a batalha de Bolsonaro contra a Globo e seu aliado “Botafogo”. Haja narrativa! Haja resenha! Rodrigo Maia pode até se achar, nas ele não é a "estrelinha solitária" do Mecanismo...

E nós seguimos no campeonato, com juiz roubando, contra o time do Mecanismo. Haverá muita derrota. Mas pode dar zebra para os bandidos, na “grande final”.

Releia o artigo: Carta Aberta ao Povo, ao STF e à PGR  








Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 2 de Julho de 2020.

VERBO BEM-HUR



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Talvez tenhamos todos que aprender a conjugação do verbo acima referido.

Muitos dos amáveis leitores dirão: “Mas esse verbo não existe !”

No entanto, devemos criá-lo.

Já que dona Onça tem feito ouvidos de mercadora a nossos reclamos por saneamento amplo, geral e irrestrito, iremos exortá-la a se mexer gritando em uníssono:

Eu bem urro,
Tu bem urras,
Ele bem urra,
Nós bem urraremos,
Vós bem urrais,
Eles bem urram....

Nosso último refúgio é a toca da felina. Devemos tê-la como amiga. Mas isso não impede que nos esgoelemos dia sim, outro também, pedindo socorro.

A outra opção é Mato ou Morro.

Embrenhemo-nos na mata atlântica ou subamos no monte Castelo em busca de um destino mais belo.

Estudemos mais semântica e pratiquemos alpinismo para escapar de iminente sismo.

Que cada um faça o que puder, com os meios que tiver e no tempo de que dispuser.

De minha parte, mesmo farto, só me calará um enfarto.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Só a democracia deturpada poderia eleger Sarney, Collor, Itamar, FHC, Lula, Dilma e Temer



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Vou correr para escrever e  publicar logo esse texto antes que “Suas Excelências” aprovem o PL da “Censura” (PL 2630) e , em decorrência desse “crime” que estou cometendo ,seja decretada a minha prisão, em homenagem à “liberdade constitucional de pensamento e sua expressão”.

Fico pasmo com a guerra deflagrada entre os apoiadores do Presidente Jair Bolsonaro e os seus opositores, cada qual reivindicando para si próprio a qualidade de “democrata”, excluindo o “concorrente” dessa condição.

Para os bolsonaristas, a oposição, predominantemente de esquerda, não passa de um bando de ladrões que destruíram o país; por seu turno, os seus opositores, da esquerda, denunciam o espírito “ditatorial” como principal marca  do governo. Em suma, cada qual se julga mais “democrata” que o outro !!!

Bolsonaro usa como argumento da sua “democracia” a vitória que teve no pleito eleitoral de outubro de 2018,  derrotando o candidato de esquerda, Fernando Haddad. E a esquerda se julga ser só  ela mesma  a “democrata”, porque o governo federal estaria montado com muitos militares à sua volta, com isso insinuando que seria a reimplantação  do Regime Militar de 1964.
A verdade é que os dois lados reivindicam, concomitantemente, a titularidade de defensor da democracia.

Mas da mesma forma que a gente deve desconfiar daquele sujeito que em todas oportunidades que lhe surgem faz absoluta questão de sempre dizer bem alto que é “honesto”, quando na maioria dos casos é exatamente o contrário, com a democracia se dá o mesmo. Quanto mais o “cara” grita que é um democrata, provavelmente menos democrata  ele será.

Há poucos dias tive a (in)felicidade de assistir o ridículo de uma enorme quadrilha de “esquerdopatas”, composta por autoridades e ex-autoridades públicas,políticos,artistas,”famosos”,e outros “bagulhos” mais, que não deixaram nenhuma “saudade” enquanto  estiveram no ou ao lado do poder, defendendo uma  “democracia”,que no frigir dos ovos se confunde com os seus próprios interesses, em  grande parte “feridos” por perderem a “teta” governamental  onde  sempre mamaram e roubaram ,em 1º de janeiro de 2019.

Mas tenho para mim que nenhum desses dois grupos, situação, ou oposição, é  verdadeiramente “democrata”,seja por contrariá-la, na prática,seja por não possuir  a mínima noção do que seja a verdadeira democracia,embora possam preencher e se enquadrar nos  falsos requisitos da  sua definição  previstos nas leis, nos manuais políticos, e nos “discursos”  “democráticos”dos políticos delinquentes  que dela fazem uma profissão permanente.

Uma verdadeira democracia pressupõe “qualidades democráticas” nos seus dois polos, primeiro no eleitorado, depois nos políticos concorrentes a algum cargo eletivo nos poderes executivo ou legislativo. Mas geralmente a “qualidade” dos políticos eleitos vai estar em estreita sintonia com a  “qualidade” dos seus  eleitores. Bons eleitores,  escolhem bons políticos. Mas o contrário também acontece. E acontece muito. Particularmente no Brasil. Não fora isso, o povo brasileiro  não teria sido “contemplado” com o  “lixo” humano que o presidiu,  de 1985 a 2018.

Nelson Rodrigues deixou uma frase que ficou imortalizada :”A maior desgraça da democracia é que ela traz à tona a força numérica dos idiotas, que são a maioria da humanidade.”. Também o filósofo francês Joseph Marie de Maistre andou “garimpando” esse assunto, garantido que “o povo tem o governo que merece”.

Não basta, por conseguinte, previsão na constituição e nas leis para configurar uma verdadeira democracia,a qual na prática  só se mostra útil para o bem comum  quando as duas  partes nela envolvidas possuem “qualidades” democráticas.

O filósofo Aristóteles,da Antiga Grécia, desenhou bem essa situação. Em “Política”,ele classificou as formas de governo em duas grandes vertentes: as formas PURAS e as IMPURAS. Na primeira (PURAS),estariam a “Monarquia”(governo de um só),a “Aristocracia”(governo  dos melhores), e a “Democracia” (governo do povo); nas segundas (FORMAS IMPURAS),que respectivamente seriam as formas corrompidas das primeiras, estariam a “Tirania” (tipo ditadura), a “Oligarquia” (degeneração da oligarquia); e a “Demagogia”(corrupção da democracia).

Mais tarde o geógrafo e historiador também da Antiga Grécia, Políbio, manteve a classificação aristotélica, porém substituiu a “demagogia” pelo que ele chamou de OCLOCRACIA, com isso “ampliando” os vícios da democracia. Na oclocracia são chamados a fazer política exatamente a pior escória da sociedade. E parece não ser preciso ir muito longe para detectá-la “ao vivo”.

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Carta Aberta ao Povo, ao STF e à PGR


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

O Alerta Total tem a honra de veicular um documento que o Movimento Avança Brasil envia ao Povo, ao Supremo Tribunal Federal e à Procuradoria Geral da República. Trata-se de uma mensagem histórica que reafirma o compromisso firmado por patriotas conservadores a favor de reformas e mudanças estruturais no Brasil.

----------

Movimento Avança Brasil vem por meio desta CARTA ABERTA esclarecer e reforçar em quais bases somos forjados, já que fomos incluídos nos inquéritos das fake news e de atos antidemocráticos e por esse motivo tivemos nosso sigilo bancário e fiscal quebrados pelo Vice-Procurador Geral da República e Ministro Alexandre de Moraes. Não tememos nada em relação a supostos crimes cometidos, mas algumas coisas precisam ficar muito claras!

O Movimento Avança Brasil foi fundado em 15/02/2015 por um grupo de CIDADÃOS LIVRES E DE BONS COSTUMES, que vem desde esta data trabalhando para a TRANSFORMAÇÃO do Brasil em um ESTADO LIBERAL, com uma sociedade próspera, livre e aberta, permeado pela TRANSPARÊNCIA e EFICIÊNCIA de tudo que é público, com LIMITAÇÃO e SEPARAÇÃO clara de poderes.

Participamos ao longo deste período em mais de 50 manifestações ou atos, sem nunca termos extrapolado os limites de nossas leis ou da democracia Brasileira.

Os princípios fundamentais dos fundadores do Movimento são:
1- Crença em um princípio criador que é DEUS! Este DEUS que vê tudo que os homens fazem e que julgará a todos no final de sua existência. Portanto, nos momentos mais difíceis de nossas vidas, é nesse DEUS que depositamos toda nossa confiança e obediência acima de tudo;
2- Nunca imporemos a nenhum de nossos membros e colaboradores, NENHUM LIMITE À LIVRE INVESTIGAÇÃO DA VERDADE, e é para que possamos garantir a todos essa LIBERDADE, que exigimos de todos nossos membros e colaboradores que todas as opiniões de pensamento sejam respeitadas, mesmo daqueles que possamos discordar;

3- O Movimento é acessível a todos cidadãos, classes sociais e todas as crenças religiosas e políticas, com exceção daqueles tiranos que privem a humanidade da liberdade de pensar, restrinjam os direitos e a dignidade da pessoa humana, exijam submissão incondicional às diretrizes e dogmas de seus chefes, tais como Nazistas, Comunistas e Fascistas, que sempre utilizaram da tirania para chegar ao poder e subjugar o povo para manterem-se nessa posição;
4- Temos por finalidade combater a ignorância em todas suas modalidades, e impomos a nós mesmos de forma inegociável os princípios conservadores, obedecer às leis do Brasil, ditar todos nossos atos segundo a HONRA, segundo a defesa da FAMÍLIA e praticar a JUSTIÇA, trabalhando por uma pátria livre e prospera, sempre através de atos pacíficos;

5- Acreditamos em nossos princípios e deveres, para com a nossa família, nossa pátria e para com a humanidade. O combate à tirania, à ignorância, aos preconceitos e aos erros é tema constante em nossa agenda. 
Nossa carta constitutiva, que foi divulgada na data de nossa fundação, e que sempre esteve disponível a todos em nosso site ( https://avancabrasil.site/agenda-avanca-brasil/ ) ditam nossa linha de pensamento e ação. Repetimos abaixo os principais pontos:
Nossos Credos e Princípios

 

LIBERDADE INDIVIDUAL e SOCIEDADE


·                                 O povo tem que ter poder sobre todos os agentes do Estado que tem poder sobre o povo. O cidadão não pode mais ser submetido à humilhante e excessiva burocracia, que também é mãe dileta da corrupção. É por isto que todas as estruturas de governo, dos Três Poderes, devem ser reformuladas, diminuindo gastos, privilégios e a insanidade documental que trava a vida de todos e o País.
·                                 Defendemos o direito à propriedade privada como uma das formas de assegurar a liberdade individual, assim como o direito à autodefesa individual, um direito que deve ser constitucional.
·                                 Não existe liberdade sem igual dose de responsabilidade, sendo a autonomia individual decorrente disso.
·                                 As decisões devem ser tão próximas quanto possível do cidadão. Dentro da União, a esfera superior só pode interferir na inferior em emergências, e graves crises locais, com respeito à autonomia estadual.
·                                 Decisões de natureza moral e de costumes devem ser tomadas por munícipes e não impostas por diretrizes e ideologias dos governantes da esfera federal.

 

ESTADO

 

·                                 Somos contra o Estado unitário, centralizador de poder, de recursos, e que impõe leis e regras aos estados e municípios. O Estado deve se reger por princípios consignados em uma Constituição sintética, simples e clara. Tudo o que não estiver previsto constitucionalmente à União, caberá aos estados e cidades, subsidiariamente.
·                                 A única forma de eliminar o risco da existência de um Estado Totalitário e interventor é a descentralização dos poderes e recursos.
·                                 Defendemos, portanto, uma nova Constituição que garanta a perpetuação de um Estado Liberal na Economia e Conservador das melhores tradições da família brasileira, da ética, moralidade, liberdade individual, transparência e democracia.
·                                 A Constituição Federal, em um Brasil sob um Federalismo Pleno, só poderá ser alterada se aprovada por 80% dos estados federados, sem direito a veto presidencial.
·                                 Acreditamos que um Estado Forte só tem como se realizar nas suas funções mínimas de garantia dos contratos, da Educação e Saúde básicas, da Segurança e Soberania, além de inteligente atuação no teatro das nações neste novo Milênio.
·                                 A geração de indicadores para orientar as administrações locais de forma a fomentar o pleno desenvolvimento, evitar distorções e formação de governos ilegítimos, é uma das poucas funções de um Governo Central Federal.
·                                 Municípios são entes do respectivo estado federado, nunca como entes federados e parte do Estado Central. E devem ter autonomia plena para a sua gestão, de forma que possam até mesmo escolher pela contratação de administrador urbano no lugar de um prefeito, ou um prefeito eleito sem partidos e, conselheiros voluntários no lugar de vereadores remunerados.

 

POLÍTICA


·                                 Descentralização e fragmentação completa do poder político.
·                                 O sistema eleitoral tem de ser construído de forma que o eleitor tenha o controle sobre o seu voto (voto livre, facultativo e distrital puro) regulado por cada estado federado. A eleição do presidente da República deverá obedecer ao peso eleitoral dos estados federados, em respeito ao equilíbrio da Federação.
·                                 O eleitor deve ter o direito de recuperar (recall) o seu voto sempre que o seu representante não esteja agindo de forma coerente com os interesses do povo.

ECONOMIA DE MERCADO

 

·                                 Acreditamos e estimulamos a livre iniciativa. O Estado não é o agente, é apenas o garantidor dos contratos por meio de instituições ágeis, sem excessos regulatórios que impeçam a livre competição entre empresas. Somos contra a concentração econômica de qualquer natureza.
·                                 A perspectiva de um Estado com Federalismo Pleno é de estabilidade jurídica, com cada estado e municípios estabelecendo suas regras funcionais

Desta forma, como não devemos nada e não temos absolutamente nada a esconder, e também não temos absolutamente nada com divulgação de Fake News ou com atos antidemocráticos, já nos colocamos oficialmente e protocolarmente à disposição do STF e da PGR para esclarecimentos que se façam necessários em relação a nossa atuação, sem que seja necessária a continuidade da forma e procedimentos usados nos chamados inquéritos das “fake news” e atos “antidemocráticos”.

Brasília, 30/06/2020 - Movimento Avança Brasil   





Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 1º de Julho de 2020.

DEDOPODRINA



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Algum médico Cãopetente precisa receitar ao nosso querido Mito, o medicamento epigrafado, urgentemente.

Enquanto durar a infecção causada pelos “aceçores”, não há risco de a gestão melhorar.

O “décolletage” (ou quase isso) foi uma defecada no tênis semelhante às do Lex Luthor.

Tudo culpa do ambiente insalubre do Rio de Nojeira; pior do que no Vale do Ribeira.

Os atuais habitantes da outrora cidade maravilhosa, hoje mostram a pior face do povo brasileiro. Quem elegeu cinco desgovernadores levados à prisão não foi o oráculo de Delfos.

Em uma de suas telas, Eugène Delacroix imaginou Licurgo consultando a Pítia. Bolsonaro consulta uma equipe Pífia.

Um grande e decadente jornal traz hoje (30 de junho) uma notícia de que o excelentíssimo senhor Presidente da República teria sido aconselhado a substituir os ministros Ricardo Salles e Ernesto Araújo (fake news ?).

Se der ouvidos a tal Cãoselheiro, ouvirá dos patriotas transformados na personagem título na ópera Carmen: ”Prends garde à toi”.

Consumada essa hipótese, serei forçado a repetir as palavras de Talleyrand a Napoleão quando este casou-se com Maria Luísa da Áustria; “Sire, vous êtes perdu !”

No país do Mascarado tarado, tudo é possível; do trágico ao risível.

Espero que a boneca não torne o supositório obrigatório.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

A Omissão nossa de cada dia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant’Ana

Ainda são muitos os que têm uma atitude perante a vida que pode ser traduzida assim: "Alguém tem que fazer alguma coisa!"

"Alguém"? Mas, por que não "eu"? Por que não "nós"? Por que não "todos"?

Que uma criança abra o berreiro quando não tem suas necessidades satisfeitas é de todo plausível: ela ainda não tem autonomia para bastar-se a si mesma.

Agora, que adultos só reclamem e não tenham iniciativa, sem se perguntar "O que posso eu fazer para ajudar a que as coisas mudem", ficando naquelas de "já sou do bem", é, no mínimo, debilidade moral.

Há pelo menos cinco anos, circula apócrifo o texto abaixo transcrito. Mas nunca foi tão oportuno como nestes dias em que, além doutras agressões a valores da democracia, há brasileiros sendo presos por suas manifestações políticas, ao passo que uns quantos aplaudem o arbítrio.

"Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados", diz Edmund Burke. E é o lema desta coluna.

O texto:
No primeiro dia de aula, o professor de "Introdução ao Direito" entrou na
sala e a primeira coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que
estava sentado na primeira fila:

- Qual é o seu nome?

- Chamo-me Nélson, senhor.

- Saia de minha aula e não volte nunca mais! - gritou o desagradável professor.

Nélson pareceu desconcertado. Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala. Todos estavam apreensivos e indignados. Mas ninguém falou nada.

- Agora sim! Vamos começar - disse o professor. E perguntou:
- Para que servem as leis?

Seguiam assustados ainda os alunos, porém pouco a pouco começaram a responder à pergunta:

- Para que haja uma ordem em nossa sociedade - disse o primeiro.

- Não! - retrucou o professor.

- Para cumpri-las.

- Não!

- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.

- Não!
Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?!

- Para que haja justiça - falou timidamente uma garota.

- Até que enfim! É isso, para que haja justiça. E agora, para que serve a
justiça?

Todos começaram a ficar incomodados com aquela atitude tão hostil. No entanto, continuavam respondendo:

- Para salvaguardar os direitos humanos...

- Bem, que mais? - perguntava o professor.

- Para diferenciar o certo do errado, para premiar a quem faz o bem...

- Ok, não está mal, porém respondam a esta pergunta:
Agi com justiça ao expulsar Nélson da sala de aula?

Todos ficaram calados. Ninguém respondia.
Parecia faltar coragem de enfrentar àquele simulacro de autoridade.

- Quero uma resposta decidida e unânime!

- Não! - responderam todos a uma só voz.

- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça?

- Sim!

- E por que ninguém fez nada a respeito? Para que é que  queremos leis e regras se não dispomos da vontade necessária para praticá-las? Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar quando presenciar uma injustiça. Todos. Não voltem a ficar calados, nunca mais! Agora, vou buscar o Nélson- disse. - Afinal, ele é o professor, eu sou aluno de outro período.

Renato Sant'Ana é Advogado e Psicólogo.
E-mail sentinela.rs@uol.com.br

terça-feira, 30 de junho de 2020

Mask Dória merece o troféu de “Jênio Jestor”


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

Nem adianta recorrer ao Supremo Tribunal Federal para questionar o decreto estadual de São Paulo que obriga todo mundo a usar máscaras em espaços públicos, até que a “pandemia termine” e você também seja obrigado a tomar a vacina que deverá conter o vírus. O STF já deu poder aos governadores e prefeitos a fazerem o que quiserem em tempos de Kung Flu. Além disso, como definiu o ministro Marco Aurélio no julgamento do esquisito inquérito das “fake news”, como o Supremo virou “verdadeiro juízo de exceção”, a tendência é que a maioria togada legitime a imposição autoritária.

Depois de mais uma medida autoritária inútil de engenharia social, o pimpão João Dória Júnior já pode largar o PSDB e pedir filiação ao Partido Comunista Chinês. A equipe do governador não teve competência comprar respiradores a preços não-superfaturados para os hospitais de campanha contra coronavírus. No entanto, o time doriano aposta que seus 5 mil fiscais sanitários terão pleno sucesso na repressão a quem não usar máscara, sob pena de multa individual de R$ 500 reais. O absurdo valor dispara R$ 5 mil para o comerciante que for flagrado com cada não mascarado em seu estabelecimento.

Dória merece o troféu de “Jênio Jestor” (com Jota de Jegue) pela imposição da máscara ou multa. A canetada doriana definiu que “não usar máscara é infração sanitária”. Duro é ouvir que a grana arrecadada pelas infrações irá para o programa “Alimento Solidário” do governo estadual. Além dos fiscais da saúde, a repressão contará com a ajuda das autoridades policiais, principalmente a Polícia Militar. Mais triste é que a narrativa enganosa acerca do impositivo uso da máscara conta com apoio integral da Rede Globo e afins.

O uso da máscara é mais uma narrativa mentirosa usada na Engenharia do Controle Social. Primeiro, a “obrigação” foi vendida como imposição psicológica. A maioria esmagadora da população obedeceu à ordem de maneira bovina ou caprina rumo ao abate. Os “ditadores” comemoraram e avançaram no teste de repressão. Certamente, contarão com a ajuda dos dedo-duros voluntários para denunciar aos repressores estatais quem não estiver mascarado. Os camaradas da China Comunista sentirão inveja de nós, os capimunistas estúpidos de Bruzundanga.

Será que precisamos ter um fiscal em cima da gente para tudo? Este é o ideal dos comunistas ou socialistas sem-vergonha. Eles só defendem uma suposta “liberdade” quando é do interesse deles. O foco é “mais Estado”, cada vez controlando e mandando mais. A questão social se torna policial? Eis o deslumbre autoritário dos “Jênios Jestores”. Entramos, de fato, em um regime autoritário? A Ditadura das Máscaras, imposta por Dória e outros desqualificados para a Liberdade é mais uma prova de nossa “involução” democrática.

O povo se sente cada vez mais impotente diante do gigantismo estatal. Nós, os otários, não podemos aplicar multa (nem que seja moral) ao governante incompetente, sempre que a saúde não funciona, a segurança falha, o transporte público não atende, a escola não dá aula nem ensina direito, e por aí vai... Assim, viva a Ditadura dos Jênios Jestores.

Duro é ter um monte de idiota defendendo que a exceção se torne regra. No fundo, uma parcela expressiva dos brasileiros adora atos autoritários da máquina estatal. A máscara foi uma mania importada nesta pandemia, e tudo indica que veio para ficar, pois se tornou moda (fashion). Parabéns, novamente, aos ditadores, pois criaram mais uma situação babaca para desviar a atenção da massa – quase nunca atenta a problemas mais sérios.

Resumindo: Os comunistas camaradas da China devem estar morrendo de rir dos brasileiros. Se eles antes apenas achavam, agora têm certeza de que é muito fácil conquistar e dominar o Brasil, no curto prazo. Começaram enfiando a máscara. Depois, metem o resto.

Por enquanto, os ditadores vencem de goleada, graças ao amplo, ignorante e conivente apoio popular... Não adiantará reclamar quando o serviço estiver completo...

Ditadura Mascarada


 Repeteco: João Vaz e o questionável uso da máscara






Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Junho de 2020.

Mudar por Mudar


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Uma das coisas que mais me assustam é o frenesi de mudar dos engenheiros de grandes empresas.

O caso mais chocante que me vem à memória é o da Kibon.

Marca tradicional de sorvetes, as cores azul e amarela faziam parte do ideário nacional.

Algum idiota sênior desfigurou as embalagens de tal forma que mal podemos identificar nossas preferências de infância e juventude.

Também o tradicional molho inglês Lea & Perrins teve seu rótulo mudado de tal forma que os consumidores não mais o encontravam nas gôndolas dos supermercados. As vendas caíram; o fabricante voltou atrás e “ressuscitou” a antiga etiqueta.

Recentemente o leite tipo A da Xandô mudou seu envase de plástico leitoso para uma imitação de vidro, transparente, que não dá a sensação de higiene do anterior. Pior, substituíram o excelente lacre na boca do produto por uma nova tampa, dificilíssima de abrir.

A modernização de uma identificação consagrada deve ser feita de modo quase imperceptível. O melhor exemplo que conheço é a concha dos produtos Shell.

No ramo dos chocolates, a multinacional que comprou a Lacta também desfigurou os produtos mais conhecidos. O bombom Sonho de Valsa deixou de ser embrulhado para ser envolto por um saquinho. O Diamante Negro quase não se vê mais. A marca cucaracha Mondelez cresce cada vez mais enquanto a Lacta diminui de tamanho nas embalagens.

No setor financeiro, o cenário não é diferente. Mas isso fica para uma outra vez.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.