sábado, 15 de outubro de 2005

Agência de Inteligência investiga se perito foi morto por injeção letal

Edição de Domingo

A Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) não descarta a hipótese de que o legista Carlos Delmonte Printes tenha morrido depois de tomar uma injeção local. A Polícia Federal opera com a mesma possibilidade. A dúvida é se o perito do Caso Celso Daniel cometeu suicídio ou foi “suicidado”... Os investigadores que cuidam do caso do legista agora aguardam os exames dos órgãos retirados do seu corpo para confirmar a hipótese de suicídio por envenenamento. Os resultados deverão demorar 15 dias.

O governo Lula ainda trata como tabu o caso Celso Daniel. Na semana passada, a turma do Planalto ficou irada com um relatório do Conselho de Defesa da Pessoa Humana, órgão ligado ao Ministério da Justiça, recomendando que fosse reaberto o caso Celso Daniel. As investigações sobre o caso Delmonte precisam desvendar que fato, realmente, motivou sua morte. A única coisa concreta, até agora, é que ele foi encontrado sem vida, na tarde de quarta-feira, em seu escritório, em São Paulo.

Na mesma linha de dúvidas, a Comissão Parlamentar de Inquérito dos Bingos decidiu requerer a quebra do sigilo telefônico de Delmonte. Serão checados seu celular e as linhas de sua casa ou escritório. No caso do telefone móvel, as conversas dele, por ordem judicial, podem ser resgatadas – já que a operadora, tecnicamente, grava todas as conversas em seu dispositivo de segurança. Já as linhas telefônicas convencionais poderão indicar com que pessoas (ou a localização de números telefônicos) o falecido perito conversou nos últimos meses.

A morte do perito Delmonte, que cuidou do Caso Celso Daniel, pode se transformar em mais um motivo de desgaste político para o governo Lula. O caso será remexido no próximo dia 26, no Congresso, quando a CPI dos Bingos volta a colocar o governo Lula no olho do furacão da crise. Parlamentares farão a acareação entre o chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, e os irmãos do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, assassinado em 2002.

Bruno e João Francisco Daniel acusam Carvalho de ter revelado a eles um esquema de pagamento de propinas montado na Prefeitura de Santo André. Sustentam que o chefe de gabinete de Lula admitiu, em conversa privada, que era o encarregado de levar o dinheiro arrecadado pelo esquema de corrupção para o gabinete do deputado José Dirceu (PT-SP), em São Paulo. Gilberto Carvalho nega tudo.

A sessão deve ficar ainda mais desconfortável para o PT, com a morte do médico-legista Carlos Delmonte Printes, que afirmou que Celso foi torturado antes de morrer. A declaração dele é um dos indícios usados para questionar a tese de que Celso foi vítima de um crime comum. A CPI dos Bingos já havia aprovado depoimento do médico, agora morto.

Sorte do governo que morto não fala... E o falecido legista Delmonte não concluiu o laudo complementar solicitado pelo Ministério Público sobre o assassinato do prefeito Celso Daniel. O perito estava empenhado, há dois meses, em responder a 14 perguntas formuladas pelos promotores criminais da cidade a respeito da necropsia do corpo de Celso.

De concreto, até agora, só o fato de que os personagens do caso Celso Daniel continuam levando vida normal. Quase todos eles, como José Dirceu, Gilberto Carvalho, Miriam Belchior, Maurício Mindrisz, Ronan Maria Pinto, Klinger Luiz de Oliveira Sousa e o próprio Sérgio Gomes da Silva (o Sombra), continuam participando de governos do PT, próximos ao PT ou fazendo negócios com o PT.

Poder da Assombração

A revista Veja desta semana lembra que “o cadáver de Celso Daniel, que jaz embalsamado no Cemitério da Saudade, em Santo André, ainda assombra o PT”. A publicação recorda as relações de Daniel com vários personagens ainda muito vivos na política brasileira. Lembra que Celso Daniel gostava de se cercar de amigos íntimos, de extrema confiança:

“O empresário Sérgio Gomes da Silva, o 'Sombra', por exemplo, era de máxima confiança. Esteve próximo às atividades políticas de Celso até 1996, quando fez um novo amigo, Ronan Maria Pinto, e entrou em sociedade com ele em três empresas de ônibus. Além disso, Sérgio tornou-se consultor de Ronan na área de coleta de lixo, atividade pela qual os petistas nutrem uma curiosa atração. Os rendimentos declarados de Sérgio Gomes se multiplicaram por dez entre 1996 e 2000”.

Ainda na Veja: “Enquanto o 'Sombra' enriquecia, Celso Daniel também fazia um novo amigo. Arquiteto nascido no Maranhão, Klinger Luiz de Oliveira Sousa foi aluno do prefeito, que também era professor, na pós-graduação da Fundação Getulio Vargas de São Paulo. Acabou guindado ao cargo de secretário de Administração quando o prefeito se elegeu para o seu segundo mandato, em 1996. Corriam rumores de que Celso preparava Klinger para ser seu sucessor”.

“Gilberto Carvalho, um dos homens mais próximos de Lula na burocracia petista, foi um dos fundadores do PT no Paraná. Tornou-se próximo não apenas de Celso Daniel, mas também de Sérgio Gomes da Silva e Klinger Luiz de Oliveira Sousa, que os irmãos de Celso apontam como os chefões da corrupção. Em janeiro de 2002, uma semana antes do crime bárbaro, Celso resolveu ir ao restaurante Arabia, em São Paulo, para comemorar sua indicação a coordenador da campanha eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva, que considerava o ápice de sua carreira política. Sérgio, Klinger e Gilberto Carvalho brindaram com ele."

Proteção para os Daniel

A família do prefeito Celso Daniel, seqüestrado e fuzilado em janeiro de 2002, quer proteção especial porque tem medo de morrer. Ontem, a CPI dos Bingos informou que irá ao ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, para tomar providências imediatas a fim de garantir a segurança dos parentes do prefeito morto, principalmente seus irmãos João Francisco e Bruno. Os integrantes da comissão vão pedir ao ministro que receba em audiência os familiares de Celso Daniel. O esquema para garantia de vida aos Daniel deverá ser cumprido pela Polícia Federal.

Salvem o Pastor

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) pediu ao Ministério Público e ao diretor da Polícia Federal, Paulo Lacerda, proteção policial a um pastor evangélico que teria filmado por acaso o momento em que o prefeito de Santo André, Celso Daniel, foi seqüestrado em janeiro de 2002. O pastor Paulo Mansur Haddad e sua família seriam incluídos no programa de proteção a testemunhas.

Haddad teria filmado o momento em que o carro de Celso Daniel foi abordado por seqüestradores. A filmagem indicaria que o empresário Sérgio Gomes da Silva, que estava com o prefeito no momento da abordagem, comandaria o crime.

De acordo com o senador Eduardo Suplicy, o flagrante teria sido feito porque no momento do crime, o pastor filmava a festa de aniversário da neta quando ouviu freadas de carros na rua.

Corretora Camarada

Um Deputado da CPI dos Correios tenta impedir a abertura de pedido para a quebra de sigilo de uma corretora apelidada de “Camarada”.

A referida empresa teria relacionamento profissional com integrantes do PC do B – partido do Presidente da Câmara, Aldo Rebelo.

O próximo alvo certo

O Deputado Estadual Devanir Ribeiro (PT) deverá ser o próximo alvo das oposições para atingir o governo Lula. Devanir é muito amigo de Delúbio Soares, ex-tesoureiro e candidato à expulsão do Partido dos Trabalhadores. Devanir e Delúbio privam da amizade e da intimidade de Luiz Inácio da Silva.

A oposição começa a articular que Devanir Ribeiro também tenha seu nome levado ao Conselho de Ética. O ataque está previsto para acontecer até o começo de novembro. Devanir teria sido acusado pelo doleiro Toninho da Barcelona de movimentar dólares no Câmbio negro, em diferentes operações de US$ 20 mil.

Devanir desmentiu, mas admitiu que seu gabinete operou realmente operou com Barcelona, em valores muito menores: cerca de US$ 2 mil. O deputado só não entrou no rol dos acusados porque estava “blindado” politicamente. Se fosse atingido, por sua proximidade pessoal com Lula, o tiro acertaria, diretamente, o Presidente da República.

Irmão em ação

Continua operando, a pleno vapor, Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão do presidente Lula, que teria montado um escritório para "ajudar" empresários com interesses no governo – segundo revelou a revista Veja. A edição desta semana da revista revela que Vavá conseguiu fazer com que o assessor especial da Presidência, César Alvarez, recebesse o português Emídio Mendes, um dos controladores do Riviera Group, conglomerado que atua nos setores imobiliário, turístico e energético, e que, nos últimos tempos, vinha tentando fechar negócios com a Petrobras.

Oito dias depois da audiência, o dono do Riviera Group retornou ao Planalto, no dia 22 de setembro, novamente acompanhado por Vavá. E, dessa vez, encontrou-se com um superior de Alvarez: o chefe-de-gabinete pessoal do presidente Lula, Gilberto Carvalho. Quinze dias depois da audiência do dono do Riviera Group com Alvarez, e uma semana após seu encontro com Gilberto Carvalho, o empresário esteve no Rio de Janeiro – mais uma vez acompanhado pelo onipresente Vavá e sua "assessora" Cristina Caçapava – para uma visita à sede da Petrobras. Foi tratar da assinatura de um memorando de entendimento entre a estatal e uma das empresas controladas por seu grupo, a Nacional Gás. O negócio, segundo a Petrobrás, está em negociações.

Troco da Oposição

Contrariada com a convocação de Cláudio Mourão, ex-tesoureiro de campanha do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), para depor na CPI dos Correios, a oposição ameaça radicalizar a disputa política de agora em diante. Os tucanos dizem que a campanha à reeleição de Azeredo para o governo de Minas, em 1998, não é o foco da CPI, e prometem ampliar as investigações para pessoas próximas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Entre os casos estão o suposto tráfico de influência praticado por Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão de Lula, e o aporte de R$ 5 milhões feito pela Telemar, concessionária de serviço público, na Gamecorp, empresa de Fábio Luiz, filho de presidente.

Mais sujeira

Os promotores do Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco) de Ribeirão Preto decidiram devolver à Polícia Civil , na segunda-feira, o inquérito sobre a máfia do lixo, que atuaria em cidades do interior de São Paulo e Minas. Esse era o prazo para o MP encaminhar um parecer ao juiz da 3ª Vara Criminal, Paulo César Gentile, mas os promotores não ficaram satisfeitos com algumas informações do inquérito - 4.400 páginas, distribuídas em 22 volumes.

Temendo ser cobrado por falta de provas, o Ministério Público decidiu pedir novas providências da Polícia Civil. No final de setembro, o delegado seccional de Ribeirão Preto, Benedito Antonio Valencise, encerrou o inquérito e o remeteu à Justiça, pedindo a prisão preventiva de quatro ex-diretores do Grupo Leão Leão, entre os cinco indiciados por formação de quadrilha. O único excluído do pedido de prisão, por colaborar com as investigações, foi o advogado Rogério Tadeu Buratti, ex-secretário de Antonio Palocci na prefeitura de Ribeirão.

A verdadeira Caixa Preta

O ex-presidente do Refer, o fundo de pensão dos funcionários da Rede Ferroviária Federal, Jorge Moura, recomenda que a CPI dos Correios concentre suas investigações na 'terceirização' dos fundos exclusivos de investimento. Moura indica que aí pode estar uma das fontes de recursos do esquema montado pelo PT e pelo empresário mineiro Marcos Valério Fernandes de Souza. O ex-presidente do Refer explica que a política de investimentos dos fundos exclusivos costuma ser repassada para um banco ou corretora.

Moura revela que esses fundos são chamados de barrigas de aluguel. Não existe gestão compartilhada. Os gestores tomam as decisões com o dinheiro do fundo e ainda têm contrato que os exime de responsabilidades. Moura vai sugerir que a CPI levante quais fundos de pensão têm fundos exclusivos e quais os bancos e corretoras envolvidos. Em seguida, propõe que os parlamentares devem quebrar o sigilo dessas instituições.

A fundo nos fundos

O Ministério Público Federal vai pedir a abertura de investigações sobre oa negócios feitos por fundos de pensão das estatais, entre 1997 e 2004, que teriam sido lesivos às empresas patrocinadoras. Entre as operações, estaria compra excessiva de ações da Coteminas, pertencente à família do vice-presidente da República, José Alencar.

O Tribunal de Contas da União aprovou diligências na Comissão de Valores Mobiliários, na Secretaria de Previdência Complementar e no Banco Central para apurar falhas desses órgãos na fiscalização dos fundos. O TCU quer saber, por exemplo, se a CVM fiscalizou a suposta manipulação de ações pelas corretoras que movimentaram investimentos dos fundos. Na lista de investigados, estão as três maiores entidades de previdência complementar do país: Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobrás) e Funcef (Caixa Federal).

A CIA versus Lula

O Presidente Lula ganha mais um motivo para ser alvo de desconfianças do Governo George Bush e de sua CIA.

A culpa é do presidente da Venezuela, de quem Lula se declara, publicamente, aliado. Em mais uma ação que vai atrair a preocupação dos EUA, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, revelou ter conversado com seus pares da Argentina, Néstor Kirchner, e do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, sobre uma possível cooperação internacional para produzir energia nuclear.

Detalhe importante: Existem dias siglas capazes de derrubar um governo na América Latina: uma é CPI; a outra, a CIA...

Sócios no Petróleo

Marco Aurélio Garcia, assessor especial do presidente Lula, admitiu que o Brasil está examinando formas de cooperar com a Venezuela no campo nuclear. Durante a Cúpula Ibero-Americana, na Espanha, Garcia ressaltou que a cooperação será nos campos nuclear e, principalmente, no ramo de petróleo – que tanto interessa, pessoalmente, ao presidente Bush, cuja família é dona de empresas petrolíferas.

A Venezuela é o quinto maior exportador de petróleo do mundo e fornece cerca de 15% do produto consumido pelos EUA. Hugo Chávez tem se esforçado a convencer Brasil e Argentina a intensificar o processo de integração energética entre os países, propondo a criação de uma empresa petroleira entre os três.

Sonho de Lula

Baseado em pesquisas que apontam a preservação de sua imagem das denúncias de corrupção e satisfação com a economia, o Presidente Lula já decidiu concorrer à reeleição. No entanto, por ora, manterá a o diversionismo de dizer que não sabe ainda se vem ou não candidato.

O presidente Lula já começou a preparar as bases de sua campanha. Foi por isso que enquadrou a bancada do PT em relação à política econômica. Ele também já indicou três coordenadores principais: o ministro Jaques Wagner, das Relações Institucionais, o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), e o ex-ministro Luiz Gushiken, dirigente do Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.

Lula espera vencer o pleito com base nos resultados da economia e nas políticas sociais do governo, que seriam melhores que os da gestão FHC.

Deputado em apuros

A Comissão de Constituição e Justiça da Assembléia Legislativa do Rio decidiu garantir ao deputado estadual José Nader (PTB) o direito de responder, em liberdade, ao processo de crime ambiental e porte ilegal de arma.

Nader foi detido na última quarta-feira em Pium, no Tocantins, pela Delegacia de Meio Ambiente daquele estado. O deputado alega que o flagrante contra ele foi forjado...
De acordo com o relator do caso e vice-presidente da comissão na Alerj, deputado coronel Jairo (PSC), o parecer levou em consideração o fato de que Nader não oferece risco à continuidade processual, não tem antecedentes criminais e tem endereço fixo.

Cartinha do Dirceu

O deputado José Dirceu (PT-SP) enviará uma carta pessoal aos 512 membros da Câmara, numa tentativa de sensibilizar seus pares e livrá-lo de uma cassação que ele considera certa. No texto, Dirceu alega ser inocente da acusação de ter comandado politicamente o esquema do Mensalão.

Na correspondência, que será assinada de próprio punho, Dirceu pedirá aos demais deputados que não o punam caso não estejam completamente convictos de sua culpa. “Não faça com que eu seja banido da vida política do país pela segunda vez”. Este será o apelo de Dirceu, em referência a seu exílio político, durante o regime militar.

Sem provas materiais

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG), relator do processo de cassação do deputado José Dirceu (PT-SP), prometeu antecipar para segunda-feira a entrega do relatório sobre o processo contra o ex-ministro e deputado José Dirceu (PT-SP) no Conselho de Ética. Nesse dia, somente o próprio acusado e os membros do conselho terão acesso ao documento, que só será divulgado na terça, quando o parecer vai a voto.

Delgado admitiu que está com dificuldades para consolidar provas materiais contra o parlamentar. O relator deixou transparecer que sua decisão será baseada em evidências e comportamento incompatível com o esperado de um deputado.
Essa tal falta de provas materiais é que pode salvar Dirceu...

Supremo Companheiro?

O ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi sorteado para relatar o mandado de segurança dos cinco deputados petistas acusados de envolvimento no Mensalão. Os parlamentares pedem ao STF que, além determinar que a Mesa da Câmara aprecie novamente o caso deles, obrigue a Mesa a analisar a situação de cada um individualmente, tipificando o crime cometido e a pena correspondente.

As representações contra os 13 parlamentares relacionados no relatório das CPIs dos Correios e do Mensalão, incluindo a dos cinco petistas, já seguiram para o Conselho de Ética. O presidente do Conselho, Ricardo Izar (PTB-SP), afirmou que abrirá os processos às 18h de segunda-feira.

Detalhe: Sergipano, o ministro Ayres Britto foi filiado ao PT, tendo sido candidato à Câmara dos Deputados pelo partido. Sua indicação para o Supremo foi feita pelo presidente Lula.

Haja papel!!!

Dois funcionários da Câmara, usando dois carrinhos de mão, tiveram o maior trabalho para entregar, no Conselho de Ética da Câmara, as 24 mil páginas de papéis que compõem as representações contra os 13 parlamentares acusados de envolvimento no mensalão.
Os deputados acusados no caso de distribuição de propina e caixa dois são: João Magno (PT-MG), João Paulo Cunha (PT-SP), José Borba (PMDB-PR), José Janene (PP-PR), José Mentor (PT-SP), Josias Gomes (PT-BA), Paulo Rocha (PT-PA), Pedro Corrêa (PP-PE), Pedro Henry (PP-MT), Professor Luizinho (PT-SP), Roberto Brant (PFL-MG), Vadão Gomes (PP-SP) e Wanderval Santos (PL-SP).

Mais um rolo eletrizante

A Polícia Federal passa o fim de semana analisando os documentos obtidos na casa de Dimas Toledo, ex-diretor de Planejamento de Furnas Centrais Elétricas, acusado de envolvimento num suposto esquema de propina para dirigentes e políticos ligados à estatal. Dimas mora no Rio. Também estão sendo feitas buscas em endereços de outros ex-dirigentes da companhia em São Paulo e no município de Pocaina de Minas (MG).

O pedido à Justiça Federal foi feito pelo delegado Luiz Flávio Zampronha, chefe da equipe responsável pelas investigações do suposto mensalão e do inquérito que apura fraudes nos Correios. Em depoimentos a comissões no Congresso, o então Roberto Jefferson (PTB-RJ) revelou que Furnas dividia R$ 3 milhões por mês entre o PT nacional, o PT de Minas Gerais e parlamentares da base aliada.

Na versão de Jefferson, o fato teria lhe sido revelado por Dimas Toledo em uma visita a seu apartamento em Brasília. Outros petebistas, no entanto, disseram que Jefferson pediu ajuda financeira de Dimas Toledo, que não teria atendido. Jefferson teria posto como condição para apoiar a permanência de Dimas na diretoria de Furnas que ele contribuísse com as campanhas do partido.

Malan na bronca!

O ex-ministro da Fazenda Pedro Malan promete “adotar medidas legais”, a partir desta segunda-feira, contra o presidente do PT, Ricardo Berzoini. Segundo Malan, Berzoini não tem autoridade para lhe dar “lições de ética” ou mesmo “lições de moral”.

Na quinta-feira, o presidente do PT questionou a conduta de Malan à frente da Fazenda, durante o governo FHC. Segundo Berzoini, o relatório da CPI do Proer, feito pelo deputado Alberto Goldman (PSDB-SP) foi “chapa-branca” porque a oposição não desvendou em que condições ocorreu a venda do Banco Nacional para o Unibanco.

Ao mencionar Malan, Berzoini afirmou ser “no mínimo estranho” que Malan tenha se tornado presidente do Conselho Administrativo do Unibanco. Na nota, o ex-ministro diz que a atitude de Berzoini mantém “a tradição de leviandade, irresponsabilidade e gratuita ofensa pessoal” de figuras políticas que perdem a compostura.

Em busca do $ perdido

O secretário municipal dos Negócios Jurídicos, Luiz Antônio Guimarães Marrey, está de passagem marcada para ilha britânica de Jersey, na Europa. O objetivo da viagem, prevista para 27 de novembro, é iniciar as negociações para repatriar os US$ 200 milhões (R$ 449 milhões) que o ex-prefeito Paulo Maluf possui bloqueados judicialmente na ilha.

Segundo o Ministério Público, o dinheiro foi desviado pelo ex-prefeito de obras superfaturadas durante sua gestão em São Paulo entre 1993 e 1996. Maluf e seu filho Flávio são acusados de tentar influenciar uma testemunha em um inquérito de lavagem de dinheiro na Justiça Federal.

Paciente impaciente

A juíza Silvia Maria Rocha, da 2ª Vara da Justiça Federal, determinou que o ex-prefeito Paulo Maluf seja avaliado por uma junta médica formada por três profissionais: um indicado pela Justiça Federal, um pela Procuradoria da Justiça e outro pelos advogados de defesa. O ex-prefeito continua a reclamar de dores abdominais e náuseas.

A Justiça permitiu que ele fosse submetido a exames, mas determinou que fosse internado em hospital penitenciário caso houvesse necessidade. Maluf continua reclamando da cela na Polícia Federal, onde está preso desde o dia 10 de setembro com o filho, Flávio Maluf.

Ação contra a Dengue?

O Ministério Público Federal propôs uma ação civil pública contra a Funasa e a União pedindo anulação da prorrogação da contratação temporária de agentes de combate à dengue no Rio.
Segundo o MP, a contratação fere princípios da Constituição, porque não há qualquer estudo ou análise que fundamente a necessidade, no presente momento, de prorrogação dos contratos de mais de 5.402 guardas de endemia, com custo aos cofres públicos da União mais de R$ 10 milhões mensais.

Tuma e Herzog

O livro do jornalista Paulo Markun, que será lançado em 9 de novembro, “Meu Querido Vlado”, revela que o hoje senador paulista Romeu Tuma foi a primeira autoridade do regime militar a denunciar o jornalista Vladmir Herzog – assassinado, por tortura, nos porões da ditadura.
Na época, idos de 1975, o delegado Tuma era chefe do serviço de informações do Departamento da Ordem Política, Econômica e Social (o terrível DOPS). Tuma não aceita ser responsabilizado pelo destino de Herzog. A polêmica promete render...

Fome de propaganda

Com o slogan “O Brasil está vencendo a fome”, a nova campanha publicitária do governo Lula ocupará o horário nobre da TV por uma semana em todo o país. Depois, pelo mesmo período, serão exibidas propagandas regionais.

Em seguida, a campanha será veiculada em rádio e em outdoors. Lançado por Lula logo depois das eleições de 2002, o Fome Zero nunca chegou a ser implantado realmente na sua forma original, que previa a distribuição de comida.

Fome de Prêmios

Na segunda-feira, em Roma, o presidente recebe um prêmio da Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO) pelas políticas de combate à fome no Brasil.

Bola Preta vende

A sede campestre do Cordão da Bola Preta, com infra-estrutura de um hotel, na descida da Serra de Petrópolis, está à venda. A sede era usada para o lazer de seus sócios-proprietários. O tradicional clube decidiu vendê-la para arrecadar recursos para investir na sede, na Cinelândia.

Centenário da Avenida Central

O Presidente da Confraria do Garoto, Nelson Couto, será um dos coordenadores de uma reunião, nesta segunda-feira, a partir das 15h, no Clube de Engenharia, para tratar do super desfile do Centenário da Avenida Rio Branco.

O Xerife da Confraria, memorialista de primeira linha, promete um mega evento para o dia 15 de novembro, em homenagem ao engenheiro Lauro Muller - o verdadeiro idealizador e tocador da obra da “Avenida Central”, durante a gestão do Prefeito Pereira Passos, no começo do século 20.

171 em ação na Riotur

A Riotur avisa que não há qualquer espécie de contratação para preenchimento de quadro funcional de recepcionistas, e também não autoriza terceiros a fazê-la em seu nome. Por ser uma empresa pública, as contratações somente podem acontecer sob forma de concurso público.

Desde julho, a Riotur tem recebido reclamações de pessoas que foram abordadas por uma mulher gorda, aparentando ter entre 40 e 50 anos, olhos verdes, cabelo curto e boa aparência. A mulher se apresenta como funcionária da empresa e responsável pela contratação de recepcionistas. A mulher cobra de R$ 50 a R$ 200 para confecção do uniforme e, depois, orienta a vítima a procurar um endereço falso.

O Papa vem aqui

O Papa Bento XVI virá ao Brasil em 2007 para participar da Conferência Geral do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam). A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) informa que a viagem deverá ser entre o fim de abril e o começo de maio de 2007.

O encontro deve ocorrer no Santuário Mariano, na cidade sagrada de Aparecida, em São Paulo, escolhida pessoalmente por Bento XVI. Na sexta-feira, o Papa recebeu a cúpula do Celam para uma reunião sobre o evento, e foi então que ele escolheu Aparecida para sediar o encontro. Entre os presentes, estava o cardeal Dom Claudio Hummes.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramações, ilogios ou revelações bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Façam comentários clicando no link abaixo.

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.