sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

Presidente Lula é condenado pelo TSE a pagar R$ 30 mil de multa por propaganda institucional “eleitoreira”

Edição de sexta-feira do http://alertatotal.blogspot.com

Por Jorge Serrão

O tsunami propagandístico do Planalto começa a perder força por ação da Justiça. O Tribunal Superior Eleitoral condenou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a pagar multa de R$ 30 mil por fazer propaganda eleitoral fora da época permitida. Lula ainda pode recorrer desta “dor no bolso” junto ao próprio TSE.

O TSE demorou um pouquinho, mas finalmente julgou ontem uma reclamação ajuizada pelo PSDB no dia 18 de abril. A maioria dos ministros do tribunal concordou que um conjunto de propagandas institucionais do governo federal que foi ao ar em abril passado não divulgou nenhuma obra ou serviço publico. Os anúncios apenas anteciparam o debate eleitoral do ano que vem.

O placar do julgamento foi de quatro votos a três. Foram examinados filmetes estrelados por Lula, com mensagens como "O Brasil agora cresce para todos", "Brasil, um país de todos como nunca se viu", "A gente sabe que ainda tem muito a fazer, a gente sabe que pode contar com você" e "Muda mais Brasil, um Brasil cada vez mais um país de todos".

O ministro Marco Aurélio Mello avaliou que as propagandas cumpriram apenas o papel de "enaltecer a direção do país, com o objetivo maior de chamar a atenção daqueles que serão eleitores nas eleições gerais de 2006".

O Ministro Gilmar Mendes concordou com a tese. Para ele, os filmetes não tiveram caráter informativo ou educativo, como determina a legislação eleitoral, e sim uma forma de promoção pessoal do presidente da Republica, que vai ficar R$ 30 mil menos rico.

Impedimento de Jobim

O professor de direito Sérgio Borja, que leciona nas faculdades de direito da PUC-RS, UFRGS e Unisinos, pediu o impeachment do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Nelson Jobim.

Na avaliação de Borja, o presidente, apesar de não estar filiado a partido político, tem militado e proferido juízos de valor – o que foge ao seu papel de guardião da Constituição.

O professor informou que o pedido foi encaminhado na segunda-feira para o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Justiça salva o Pudim

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) devolveu ontem os direitos políticos ao candidato derrotado nas eleições municipais em Campos, Geraldo Pudim, do PMDB.

No recurso, Pudim alegou que a governadora Rosinha Matheus e o secretário Anthony Garotinho - que o apoiaram na campanha e tinham sido condenados no mesmo processo - foram absolvidos da acusação de compra de votos.

Pudim surfou na mesma onda de impunidade eleitoral...

Insegurança Pública

O secretário de Segurança Pública do Rio, delegado Marcelo Itagiba, classifica de "falsa apologia dos que gostam de incentivar a criminalidade na nossa cidade" a hipótese de traficantes terem matado os responsáveis pelo ataque covarde ao ônibus da linha 350 (Passeio-Irajá), na noite de terça-feira.

O secretário determinou a abertura de um inquérito na Delegacia de Homicídios e a tomada de depoimentos, nesta sexta-feira, dos traficantes encarcerados, para que se confirme se as quatro pessoas encontradas mortas dentro de um carro têm alguma vinculação com o ato terrorista.

No entanto, dois passageiros sobreviventes do ataque ao ônibus foram ao Instituto Médico Legal (IML) ontem, fazer exames de corpo de delito, e reconheceram como participantes do crime dois dos quatro homens mortos encontrados num carro na madrugada desta quinta como sendo de integrantes da quadrilha que fez o atentado.

Autores da barbárie

Bruno Monteiro Falcão, de 18 anos, foi reconhecido como o criminoso que jogou gasolina no coletivo.

Bruno, aos 16 anos, foi autuado no dia 9 de maio de 2003, na 27ª DP (Vicente de Carvalho), por porte ilegal de arma e encaminhado à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Os sobreviventes também reconheceram um homem, não identificado, de cor negra, de 1,67m de altura, cabelos pretos, de aproximadamente 20 anos, como o bandido que agrediu o motorista do ônibus.

Cenas do terror

O ônibus foi incendiado na Rua Irapuá, na Penha Circular, Zona Norte. No ataque, os bandidos jogaram gasolina nos passageiros e atearam fogo. Eles não deixaram, segundo testemunhas, que o motorista abrisse a porta traseira para que as pessoas saíssem.

Algumas pessoas escaparam com o corpo em chamas e saíram correndo pela rua. Outras conseguiram fugir pelas janelas e ainda pela porta traseira do ônibus, que foi aberta à força, com as mãos, pela passageiro Igor dos Santos Pereira.

Marketing do crime?

Junto com os corpos, localizados dentro de um Meriva prata abandonado na esquina das ruas Bento Cardoso e Jacaraú, perto do local do incêndio, foi encontrado um cartaz em que bandidos de uma facção rival avisavam ter executado os assassinos, a tiros de escopeta e fuzil:

"Taí os quatro que queimaram o ônibus. Nosso (CV – Comando Vermelho) não aceita ato de terrorismo".

O comandante do 16º BPM (Olaria), coronel Nepomuceno, classificou o cartaz como ato de falso marketing de uma facção criminosa.

Haja cadeia!

Garantindo se contrário à pena de morte, Itagiba afirmou que o Brasil precisa reformular as suas leis penais e instituir a prisão perpétua para "os violentos e irrecuperáveis criminosos que, como esses que atacaram civis inocentes".

Não temos uma resposta nem positiva, nem negativa no momento, mas nosso trabalho é esse: identificar os criminosos e prendê-los, apresentando os bandidos à Justiça, para que tenham a maior pena possível do Código Penal”.

Briga inútil com o Planalto

O Secretário Itagiba ironizou a ajuda oferecida ao Rio pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos:

A melhor ajuda que o Governo Federal pode dar ao Rio e a todos os estados do país é reforçar o trabalho que lhe cabe, o de evitar que armas de guerra e drogas entrem em nosso território e, também, liberar para as secretarias estaduais de segurança as verbas de 2005 do Fundo Nacional de Segurança que estão contingenciadas”.

O Planalto contra-ataca

Em resposta às críticas do secretário de Itagiba, o Governo Federal informou que já enviou ao estado do Rio de Janeiro em 2005 cerca de R$ 8 milhões e 400 mil do Fundo Nacional de Segurança Pública.

Os recursos foram repassados por meio de investimentos diretos em equipamentos, viaturas e capacitação de policiais.

O estado vai receber ainda, por meio de assinatura de convênios com o estado, R$ 12 milhões e 300 mil.

Políticos aproveitam

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembléia Legislativa (Alerj), deputado coronel Jairo, vai realizar na próxima semana a primeira audiência pública sobre o caso do incêndio do ônibus 350.

O deputado vai convocar parentes das vítimas, vítimas e autoridades.

A audiência deve acontecer na sala da comissão, na Alerj, na quarta ou quinta-feira da semana que vem, dependendo da disponibilidade das vítimas.

Descansem em paz

O Conselho Nacional de Justiça deu sinal verde para que Justiça Estadual funcione em esquema de plantão de 20 de dezembro a 6 de janeiro.

A Resolução 8, que regulamenta a permissão, foi editada na última terça-feira.

De acordo com a norma, cada Tribunal de Justiça tem autonomia para decidir se adere ao recesso ou não...

Briga de jurista grande

O presidente nacional da OAB, Roberto Busato, entrou com interpelação judicial no Superior Tribunal de Justiça contra o desembargador Osvaldo Stefanello, presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

Em entrevista à imprensa, Stefanello afirmou que Busato “não conhece nada juridicamente”.

Para o presidente da Ordem, a afirmação, se confirmada pelo desembargador, configura crime contra a honra:

Dizer que o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil não conhece nada juridicamente atinge, sem dúvida alguma, sua honra”.

Sorte grande investigada

O Ministério Público e a Polícia Civil de São Paulo Investigam, há mais de um ano, um delegado da capital paulista, Luiz Ozilak Nunes da Silva, por suspeita de lavagem de dinheiro.

O policial se defende e afirma que ganha porque joga muito...

A Caixa Econômica Federal confirmou que o policial teria acertado 17 vezes na loteria em apenas três meses, entre agosto e novembro de 2001. Agora, seu sigilo bancário e fiscal será quebrado.

Só na Mega-Sena, o delegado teria acertado sete vezes. Especialistas afirmam que as chances de alguém ganhar uma única vez é de uma em 50 milhões.

Este caso do delegado lembra o “milagre” do falecido deputado federal João Alves (o anão do orçamento cassado anos atrás) que ganhou 221 vezes na loteria.

Linha direta e secreta

O relator da CPI dos Bingos, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), quer quebrar o sigilo telefônico das duas linhas de telefone secretas usadas por Vladimir Poleto e Ralf Barquete, ex-assessores do ministro Antonio Palocci.

A dupla é suspeita de usar “celulares laranjas” em nome do motorista Francisco das Chagas Costa, que prestava serviços aos integrantes da chamada República de Ribeirão Preto em Brasília.

Se isso for comprovado, será possível verificar se a dupla, suspeita de fazer tráfico de influência, usava as linhas secretas para fazer contato com autoridades do governo sem deixar pistas.

Notas geladas do Carequinha

Um laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Federal, em poder da CPI dos Correios, descobriu 80 mil notas fiscais falsificadas pelas empresas de Marcos Valério. Carimbos e assinaturas de funcionários públicos foram falsificados para obter as notas.

A perícia descobriu milhares de operações irregulares nas empresas, que abriram filiais em municípios no interior de Minas Gerais.

Na cidade de Catas Altas, foram falsificadas quase 2500 notas. Pouco, comparado ao que foi detectado no município de Rio Acima, onde as agências SMP&B e DNA emitiram 80 mil notas fiscais frias.

Segundo o laudo, as notas foram usadas para receber milhões de reais do Banco do Brasil, Eletronorte e Ministério do Trabalho.

De acordo com os peritos, a agência DNA usou três notas falsas para receber quase R$ 65 milhões do Banco do Brasil para a Visanet, consórcio de bancos que administra cartões de crédito.

Lavagem explícita

O laudo afirma que ao refazer a contabilidade, as empresas de Valério falsificaram documentos.

A CPI dos Correios acredita que a fraude foi feita para lavar dinheiro de corrupção.

Um exemplo: R$ 18 milhões em empréstimos feitos pela agência DNA para a SMP&B, que não estavam contabilizados apareceram depois da retificação.

Mago da Contabilidade

Quando surgiu o escândalo do Mensalão, as empresas refizeram a contabilidade. Mas diferença impressionou os peritos.

Em 2003, o patrimônio da DNA passou de quase R$ 6 milhões para R$ 53 milhões. Em 2004, ao retificar a contabilidade, o patrimônio da agência subiu de R$ 28 milhões para R$ 72 milhões.

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) não tem dúvidas:

O senhor Marcos Valério é um verdadeiro mágico da contabilidade. Esse laudo traz provas documentais importantes que permitem à CPI distinguir bem aquilo que transitou honestamente pelas contas de Marcos Valério e aquilo que foi desonesto. Milhões que abasteceram o Valerioduto”.

Devassa na devassa

Senadores da CPI dos Bingos vão pedir uma devassa em todos os contratos da a MM Consultoria com a GTech, que cuidava dos sistemas de jogos da Caixa Econômica Federal.

Os parlamentares não levaram fé no depoimento do advogado Walter Santos Neto, da MM, na CPI.

Ele jurou que gastou os R$ 5 milhões que recebeu como honorários da GTech, em 2002, com “amenidades” como “mulheres e vinhos”...

Um médico para ele

Santos Neto teve a coragem de declarar, no depoimento à CPI dos Bingos, que precisa de ajuda psiquiátrica para tratar da compulsão a gastar dinheiro.

A CPI investiga a denúncia de que os recursos repassados da empresa para o advogado correspondem a pagamento de propina a intermediadores do contrato, no valor de R$ 650 milhões, entre a CEF e a GTech.

Santos Neto teria dívida de mais de R$ 3 milhões com Receita Federal, mas não soube precisar de quanto é o valor total da dívida em nome de suas empresas.

Compulsividade contestada

Para o senador José Jorge (PFL-PE), a história de Santos de que gastou “compulsivamente” o dinheiro não tem cabimento.

Além disso, o pefelista não acredita que a multinacional tenha concordado em pagar uma quantia dessas para a MM defender o direito da empresa de participar da licitação da Caixa Econômica Federal para a exploração das loterias no país:

Dinheiro recebido e repassado a terceiro a título de propina pela intermediação entre a Caixa e a GTech é mais plausível. Fica difícil de acreditar que uma empresa faça um contrato de R$ 5 milhões para que o senhor faça apenas dois requerimentos para ela”.

Outra investigação

O senador Heráclito Fortes (PFL-PI) quer saber se outras empresas também pagavam altos valores pelos serviços da MM:

Solicito os contratos firmados por vossa senhoria 12 meses antes e 12 meses depois do contrato fechado com a GTech. Quem faz um contrato num valor destes, R$ 5 milhões, deve ter uma banca muito forte. Os outros contratos também devem beirar este valor. Isto servirá para tirar qualquer suspeita sobre sua contratação com a GTech”.

O caso Cuba

A CPI dos Bingos aprovou a convocação de duas pessoas envolvidas na denúncia de que o PT recebeu dinheiro de Cuba para financiar a campanha presidencial de 2002.

Foram chamados a depor os empresários José Roberto Kurzweil, dono da locadora que alugou o Omega usado no transporte das caixas de uísque em que o dinheiro estaria guardado, e Roberto Colnaghi, proprietário do avião que transportou as mesmas caixas de Brasília para São Paulo.

O Alerta Total já informou que a tal grana de Cuba é oriunda de uma operação imobiliária. O caso está sendo investigado no Congresso...

Planalto aliviado

O Presidente Lula e seus assessores mais próximos respiram aliviados...

A CPI dos Correios arquivou ontem 189 requerimentos considerados dispensáveis pela maioria de seus integrantes.

Entre eles, estão as convocações do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, de Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão do presidente Lula, e do chefe do gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho.

Fora do rumo?

O relator da CPI, Osmar Serraglio (PMDB-PR), justificou as dispensas alegando que os depoimentos dessas pessoas não se relacionam com o rumo tomado pelas investigações da comissão.

Vavá teria se beneficiado de sua relação de parentesco com o presidente para fazer lobby para empresas junto ao governo federal.

Carvalho seria convocado por causa das acusações de que ele teria conhecimento de um suposto esquema de arrecadação de propinas na Prefeitura de Santo André.

Meirelles seria chamado a explicar as denúncias de evasão fiscal e remessa ilegal de dinheiro para o exterior de que foi alvo.

Outros dispensados ilustres

Também foram dispensadas as convocações de Mary Jane Córner e o pedido de acareação entre os banqueiros Gustavo Marin (Citygroup), Daniel Dantas (Opportunity) e o presidente do Fundo de Pensão do Banco do Brasil (Previ), Sérgio Rosa.

Agora, os novos convocados

Mas a CPI dos Correios aprovou ontem 14 convocações de depoimento:

Encabeçam a lista o ex-presidente do Banco Popular do Brasil Ivan Guimarães; o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato; Roberto Marques, assessor do ex-deputado José Dirceu (PT-SP); e o ex-diretor da BB Veículos Antonio Carlos Brito.

Serão chamados ainda quatro gerentes-executivos do BB: Claudio Vasconcelos, Fernando Barbosa, Douglas Macedo e Léo Batista dos Santos.

Dos Correios deverão se apresentar a diretora jurídica, Maria de Fátima Moraes Selene; o diretor comercial, José Otaviano Pereira; e o ex-presidente da comissão de licitação Adauto Dameirão Machado.

O diretor de operações internacionais do Banco Rural, José Roberto Salgado; o diretor da D+ Brasil Mauro Motoryn; e o contador das empresas de Marcos Valério, Marco Aurélio Prata, também deverão comparecer à CPI para prestar esclarecimentos.

Ricardo Teixeira se deu bem

A Editora Casa Amarela vai recorrer por ter sido condenada a indenizar o presidente da CBF — Confederação Brasileira de Futebol, Ricardo Teixeira, em R$ 10 mil, por danos morais. Atualmente, o livro pode ser comprado nas livrarias de todo o País.

Motivo: a editora publicou dados sigilosos da vida pessoal de Ricardo Teixeira no livro CBF — Nike.

Ricardo Teixeira alegou que os dados do livro foram levantados durante o período de funcionamento da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigava supostas irregularidades no futebol brasileiro.

A decisão foi do juiz Leandro Ribeiro da Silva, da 41ª Vara Cível do Rio de Janeiro.

Conclusões sobre a cassação de Dirceu

Júlio Delgado (PSB-MG), o deputado que foi o relator da cassação de José Dirceu (PT-SP), tirou três conclusões sobre todo o processo:

1) A cassação do mandato do parlamentar foi o "reconhecimento de que houve uma relação ruim entre Legislativo e Executivo ao longo dos dois anos e meio e que era necessário restaurar minimamente a dignidade da Casa".

2) A cassação do ex-ministro da Casa Civil não deve ser comemorada. "Pedir a perda do direito político por oito anos e a perda de um mandato de um parlamentar que o conquistou no voto popular nunca é satisfatório, não há o que se comemorar disso".

3) Surpreendeu-se com o número de deputados que votaram contra a cassação do deputado petista; acha que foi feito "um trabalho consistente" para tentar salvar o mandato de Dirceu.

"Temos de reconhecer que foi um trabalho com afinco e que a prática de protelar foi justamente para conseguir um tempo maior para diminuir a diferença entre os votos a favor e contra".

Agenda lotada

Nesta sexta-feira, José Dirceu viajará para São Paulo.

No fim da tarde, deverá participar de um ato em defesa do também petista João Paulo Cunha (SP).

O ex-presidente da Câmara dos Deputados é outro ameaçado de cassação por quebra de decoro parlamentar.

“Apenas Zé Dirceu?”

Na entrevista coletiva que concedeu ontem, José Dirceu informou que já começou a organizar a sua vida de advogado. Reiterou sua tese de defesa:

Considero uma violência a minha cassação sem provas, foi um erro gravíssimo

Mas soltou uma frase de efeito para antecipar o seu futuro imediato:

Me sinto bem sendo apenas Zé Dirceu e vou continuar a trabalhar para melhorar o Brasil e a situação do povo brasileiro”.

De companheiro a coleguinha

José Dirceu pretende criar um site de notícias para participar do debate político nacional.

O escritor Fernando Morais também lhe escreverá um livro em primeira pessoa...

Ele lamentou que a mídia está tomando partido nas discussões políticas e que deve tomar cuidado e arcar com as conseqüências dessa postura junto aos leitores.

Não acredito que a situação seja fruto dos meus erros, não sou responsável por isso. Errei na minha relação com a imprensa. A imprensa tem o direito de investigar, mas ela está fazendo denúncias vazias e irresponsáveis”.

A imprensa tem seus donos, seus problemas, suas dívidas

O Alerta Total vai adorar a concorrência de José Dirceu no Jornalismo.

O retorno do Jedi?

José Rainha, um dos líderes do MST em São Paulo, revelou que, numa conversa informal, o agora ex-deputado José Dirceu afirmou que vai se dedicar aos movimentos sociais, pois estaria “com saudade do seu tempo de militância revolucionária”.

Segundo Rainha, Dirceu teria lhe manifestado interesse em “lutar junto com o povo” e foi convidado para atuar com o MST no Pontal do Paranapanema, região com o maior número de conflitos fundiários em São Paulo.

Praga aos deputados

Não existe cassação política na Constituição brasileira, isso é uma aberração. A Câmara decidiu e está decidido. A maioria decidiu me cassar politicamente, e espero que isso não se volte contra a própria Casa. Não vou olhar para trás, não tenho mágoas, não vou fazer contas”.

Para o bom entendedor, Dirceu lançou uma praga para os seus ex-colegas de parlamento...

Pérolas do Zé

Na entrevista, Dirceu soltou várias pérolas verbais. Divirtam-se com algumas:

Não sou idiota. A crise tem razões bem concretas: são denúncias de corrupção na administração pública”.

A oposição transformou isso tudo [a crise política] em pano de fundo para destestabilizar o governo e tentar vencer as eleições de 2006. Mas o PT está se recuperando”.

Nunca tive poder maior ou igual ao presidente. Tanto é que ele me demitiu. Respeito a liturgia do cargo da Presidência e a hierarquia do governo”.

Se eu fosse presidente do PT, situação seria outra”. Depois, pediu para que desconsiderassem a frase, que “não deveria ter dito”, sem reparar o conteúdo dela".

"O povo paga mal, mas paga em dia. Eu retribuí em trabalho".

Não creio que alguém esteja interessado em me convidar para participar do governo”.

Sou totalmente contrário à prática de a Câmara e o Senado terem esse direito para cassar parlamentares”.

Deixa a vida me levar”.

Por essa última frase, o Zeca Pagodinho vai cobrar royalties, certamente, em muitas caixas de Brahma...

Julgamento duro

A herdeira do mandato do ex-deputado José Dirceu, Mariângela Duarte (PT-SP), comentou que o Câmara foi muito rigorosa no julgamento do colega petista:

Não vou descredenciar a Casa a que pertenço. O processo foi democrático e decidido no voto. Mas isso ocorreu num momento desfavorável para o PT, com as tintas carregadas contra José Dirceu. Foi um julgamento muito duro”.

Lula cobra provas

O presidente Lula lamentou a cassação de Dirceu e sustentou que seu o ex-ministro foi cassado sem provas:

O Congresso tem soberania para tomar as decisões e votar. A única coisa que lamento é José Dirceu ter sido cassado antes de terem provado alguma coisa contra ele”.

FHC aplica anestesia

Ironia fina ou sinceridade? O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou ser lamentável que um homem com a trajetória política de José Dirceu acabe sua carreira cassado.

O ex-presidente acha que o país vive um clima de “anestesia moral

Apesar disso, FHC espera que o PSDB não deva montar sua estratégia de campanha em 2006 em cima das denúncias que abalam o governo Lula e o PT.

Para o ex-presidente, seu partido tem de ter um discurso voltado para o futuro.

Tese do Troféu

É um troféu que a direita queria para exibir para o país afora e também para desqualificar e desclassificar o PT”.

Assim reclamou a deputada Angela Guadagnin (PT-SP), única integrante do Conselho de Ética que votou contra a cassação do mandado de José Dirceu (PT-SP).

Muitos benefícios?

A cassação do ex-deputado José Dirceu só trará benefícios para a sociedade brasileira. Esperamos que o exemplo seja seguido com a cassação de todos os homens públicos envolvidos em corrupção, falcatruas e outras irregularidades com prejuízo para o erário público e a sociedade”.

Foi o trecho de uma a nota divulgada pela Força Sindical e assinada por seu presidente, Paulo Pereira da Silva...

CUT pensa o contrário

Em outra nota, a CUT lamentou a cassação do mandato de José Dirceu (PT-SP).

No texto, assinado pelo presidente da central, João Felício, a decisão da Câmara foi tratada como a prova de que o Congresso se mostrou “submisso à campanha desencadeada por setores da mídia e da direita mais reacionária”.

Para a CUT, a cassação de Dirceu lembrou “a adoção de outras práticas e posturas lastimáveis, como a rejeição da emenda Dante de Oliveira, que retirou do povo o direito à escolha do seu presidente”.

Pena forte?

Em depoimento ontem ao Conselho de Ética, o deputado João Magno (PT-MG) admitiu que não é certo deixar de declarar valores usados na campanha à Justiça Eleitoral.

Magno recebeu R$ 426 mil do esquema de Marcos Valério, em 2004, mas só declarou a quantia em outubro de 2005.

O petista, porém, jura que agiu de “boa-fé”, uma vez que refez a declaração.

Na opinião de Magno, a cassação seria uma penalidade muito “forte” para o “erro” que cometeu...

Culpa no Delúbio

O deputado mineiro João Magno justificou o saque de R$ 426 mil em seu nome, nas contas das agências de publicidade do carequinha amigo Marcos Valério, foi feito por determinação do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares.

O deputado afirmou que usou R$ 126 mil para a campanha de deputado federal, em 2002, e R$ 300 mil para a de prefeito de Ipatinga (MG), em 2004.

Fez questão de apresentar documentos que mostram que houve prestação de contas desse dinheiro à Justiça Eleitoral, embora fora do prazo — foram entregues a um mês e meio atrás.

Ele alegou que o atraso decorreu da demora de Delúbio para fornecer uma declaração sobre a origem do dinheiro...

Não convenceu

O ex-diretor da Caixa Econômica Federal Adelmar de Miranda Torres, que atualmente é funcionário da Casa Civil, declarou à CPI dos Bingos que nunca atuou para beneficiar a GTech nas renovações de contrato entre a multinacional e o banco e que não tem relacionamentos pessoais com funcionários da empresa.

Ele foi interrogado com base em relatório elaborado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) segundo o qual o prolongamento de um contrato da Caixa com a GTech causou prejuízo de R$ 7 milhões.

Torres reclamou que o cálculo do TCU levou em conta previsões de possíveis prejuízos, e não valores reais. Por isso, estaria errado. E ele certo...

O candidato a presidente e a mídia

Na realidade, vejo muitos políticos indignados com a notícia, mas não vejo a mesma indignação com os fatos”.

A tese é do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), sobre a conduta dos principais meios de comunicação do País.

Em evento da Associação Nacional de Jornais, o governador paulista discordou das críticas feitas por integrantes do governo e apoiadores do Planalto de que a imprensa vem adotando uma postura inadequada na atual crise política.

Falta de inteligência

O presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), reconheceu que a CPI dos Correios errou feio, em julho, quando convocou o agente Edgard Lange e tomou o depoimento dele numa audiência pública, transmitida pela televisão:

Em qualquer país do mundo que tenha compreensão correta da atividade de inteligência, aquela audiência teria sido reservada. Ela não poderia jamais ter sido realizada publicamente, com transmissão pela televisão”.

A CPI tomou o depoimento de Lange como parte das investigações sobre a suposta participação da Casa Civil nos esquemas de corrupção descobertos nos Correios.

O camarada Aldo fez o seu “mea culpa” durante o seminário “A atividade de inteligência e os desafios contemporâneos” realizado ontem na Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Brasileiros sobrevivendo mais

A expectativa de vida do brasileiro ao nascer chegou a 71,7 anos em 2004. No ano anterior, era de 71,3 anos.

Quem garante e a “Tábua da Vida do IBGE”, divulgada ontem.

Pelas contas, o brasileiro que nasceu de 2004 tinha a expectativa de viver 4 meses e 24 dias a mais do que o que nasceu em 2003.

Desde 1980, a esperança de vida ao nascer cresceu 9,1 anos.

Previsões sombrias

A melhora dos indicadores de mortalidade do País ficam muito aquém do necessário para cumprir as Metas do Milênio, compromisso que o Brasil assumiu ao assinar a Declaração da Cúpula do Milênio das Nações Unidas, em setembro de 2000.

A meta estabelece que os signatários precisam reduzir em dois terços a taxa de mortalidade infantil e de crianças de até 5 anos entre 1990 e 2015.

O Brasil precisa chegar em 2015 com um taxa de mortalidade infantil de 15,6 óbitos por mil crianças nascidas vivas.

A taxa de mortalidade de crianças até 5 anos, por sua vez, deveria alcançar 19,9 óbitos por mil.

No atual ritmo, o IBGE estima que o país chegará a 2015 com uma taxa de mortalidade infantil de 18,2 e de crianças de até 5 anos de 21,6.

Para o IBGE, “com algum esforço adicional”, o Brasil deve alcançar os objetivos.

Números que assustam

O IBGE considera “constrangedores” os dados de mortalidade infantil do país, quando comparados com os da América Latina.

O IBGE adverte que o quadro brasileiro não vai mudar “se os investimentos no campo social não forem suficientes para, no mínimo, acelerar a diminuição das desigualdades internas”.

Na América Latina e Caribe, o Brasil só fica na frente dos seguintes países: Nicarágua, Belize, Honduras, Peru, República Dominicana, Paraguai, Guatemala, Guiana, Bolívia e Haiti.

Mulheres cariocas vivem mais

As mulheres vivem cada vez mais do que os homens, segundo os dados divulgados ontem pelo IBGE.

Em 1980, em média, uma mulher vivia 6,1 anos a mais do que um homem. Essa diferença subiu para 7,6 anos em 2004.

No Rio de Janeiro, a diferença a favor das mulheres chega a 9 anos. O Estado lidera o ranking desse indicador.

Em segundo lugar está o Ceará, 8,8 anos; e em terceiro, São Paulo, 8,6 anos.

Por que os homens morrem mais?

As mulheres vivem mais do que os homens porque a mortalidade masculina entre os 15 e 34 anos é muito maior.

De acordo com o IBGE, em 2004, a mortalidade de homens de 20 a 24 anos foi quatro vezes maior do que a de mulheres.

Em 1980, era de apenas duas vezes.

“Caô” do Copom

A ata do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada ontem, indica que o Banco Central pretende continuar a reduzir a taxa de juros, apesar do repique inflacionário de outubro.

Em novembro, depois do corte de 0,5 ponto percentual, a Selic ficou em 18,5%.

O BC pondera que a flexibilização da política monetária será feita de maneira gradual e cautelosa para evitar a aceleração da inflação.

Ou seja, os juros não vão baixar coisa nenhuma...

Preço da mentira

Duas das principais redes de televisão da Venezuela foram multadas em aproximadamente US$ 1 milhão por divulgar gratuitamente comerciais pró-oposição durante a greve geral que, entre dezembro de 2002 e fevereiro de 2003, exigia a renúncia do presidente Hugo Chávez.

O funcionário da Receita venezuelana José Cedillo Moreno elogiou as companhias Venevisión e Televen por pagarem suas multas e cobrou que a Radio Caracas Televisión e Globovisión façam o mesmo.

Se fosse no Brasil, seguramente, ninguém seria punido...

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramações, ilogios ou revelações bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Façam comentários clicando no link abaixo.

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Where did you find it? Interesting read Free notes of mcse Laser hair removal portland oregon