segunda-feira, 31 de julho de 2006

Livro de ex-assessor de imprensa de Lula garante que o presidente participou junto com Dirceu das negociações do Mensalão

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Edição em áudio a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

O presidente Lula da Silva não poderá mais alegar que nada sabia sobre o escândalo do mensalão. Ele participou das negociações do esquema. A revelação está no livro “Do Golpe ao Planalto”, escrito por seu ex-assessor de imprensa e amigo pessoal, Ricardo Kotscho, que será lançado hoje em São Paulo, editado pela Companhia das Letras. Uma candidata ao Senado pelo estado de São Paulo pelo nanico PTC, Ana Prudente, que aparece com 2% nas pesquisas, promete usar o livro para lançar uma campanha de mobilização nacional pelo impeachment de Lula, em função do objetivo fato novo.

Na obra, Kotscho coloca a marca do repórter acima da carteirinha do partido, ao narrar a negociação do PT com o PL, que ele presenciou em 2002, no apartamento do ex-deputado Paulo Rocha (PA), onde se plantou a semente do mensalão. A negociação juntou, de um lado, Lula e José Dirceu, e de outro, José Alencar e Valdemar Costa Neto, presidente do PL. Só três anos depois, Kotscho descobriu o móvel principal daquela feroz discussão: R$ 10 milhões. E o pior, é que ele assegura que Lula estava lá, debatendo a “fixação do preço”.

Ricardo Kotscho, que não é filiado ao Partido dos Trabalhadores, acrescentou um pósfácio em que faz duras críticas à corrupção no governo. O jornalista conclui que a corrupção é um “ingrediente trágico em nosso destino”. No livro, cujo objetivo é narrar sua trajetória profissional, Kotscho garante que nos seus dois anos de governo não teve nenhum sinal ou evidência de corrupção. Ele narra que, ao visitar um jornal, em janeiro de 2004, como assessor de imprensa do presidente, recebeu uma saraivada de críticas ao listar as realizações do governo Lula.

Naquele instante, Kotscho desafiou: “Vocês podem falar o que quiserem, mas pelo menos são obrigados a reconhecer que neste governo não tem corrupção”. O assessor só deu azar porque, um mês depois, explodiu o caso Waldomiro Diniz, que foi o estopim de todas as crises que atingiram o governo, com o mensalão, a queda de José Dirceu, o estouro da máfia dos sanguessugas, e, agora, a ainda não explorada Operação Mão de Obra, desbaratada pela Polícia Federal, que denuncia a manipulação de licitações, com um esquema que movimenta mais de meio bilhão de reais com a limpeza terceirizada dos órgãos da União.

Tanta sujeira, junto com a revelação contida no livro, levam a candidata a senadora pelo pequeno Partido Trabalhista Cristão paulista a relançar uma campanha pelo impedimento de Lula, mesmo próximo do período eleitoral. A candidata Ana Prudente considera que a declaração contida no livro de Ricardo Kotscho é o ingrediente final para comprovar que Lula não só sabia desde o começo, mas teve participação ativa na negociação com o PL no processo de cooptação de uma base aliada para o seu governo. Por isso, pretende liderar uma campanha nacional pelo impeachment de Lula.

Lançamento imperdível

O lançamento do livro "Do golpe ao Planalto - Uma vida de repórter" (Companhia das Letras), de Ricardo Kotscho, será hoje, a partir das 19h 30min, no Avenida Club, um bar que tem livraria, na Avenida Pedroso de Moraes, 1036 - Pinheiros/São Paulo).

Independentemente da polêmica que o livro venha a lançar, irritando os petistas na véspera da eleição, a obra de Kotscho sempre tem muito a ensinar, sobretudo aos jornalistas.

Ricardo Kotscho é um dos maiores repórteres brasileiros, com passagens marcantes pelos jornais Estado de São Paulo, Jornal do Brasil, Folha de São Paulo e Istoé.

Teve sua dura experiência de jornalista “chapa branca” no governo de seu amigo Luiz Inácio Lula da Silva - com quem se dá desde os tempos das greves operárias do ABC.

No livro, Kotscho revelou que, no passado, teve pressentimentos sobre Lula no poder: O principal era que o presidente, a vida toda habituado a aplausos e elogios, não estivesse psicologicamente preparado para enfrentar uma onda daquele tamanho”.

Fora, Ladrão!

O presidente Lula já pode colocar em sua agenda mais uma manifestação que vai tirar o sono dos integrantes de seu governo.

Está marcado para o dia 27 de agosto, em São Paulo, mais um grande protesto público contra a corrupção e a classe política.

Será a “Marcha Brasil contra a Corrupção”, cujo slogan é simples: “Fora, Ladrão!”.

O recado, embora possa parecer, não é contra o presidente Lula, mas sim contra o governo do crime organizado.

O evento está sendo organizado por internautas, e promete parar a Avenida Paulista, no último domingo do mês de agosto, que tem tudo para ser o mês do desgosto para muito político envolvido em falcatruas com o dinheiro público.

Fraude pela internet

Cláudio Humberto avisa hoje, o que o Alerta Total já chamou a atenção no sábado:

Militantes petistas praticaram uma fraude, espalhando na Internet uma nota publicada por ele em janeiro de 2004, sobre a aposentadoria precoce de Lula.

No texto fraudulento, o nome de Lula é substituído pelo de Geraldo Alckmin.

Mas foi Lula quem se aposentou em 1996 como “perseguido”, retroagindo a 1988.

Hoje ele embolsa R$ 4.294,00 por mês, isentos de impostos, como "aposentado especial".

Aguardada resposta

O Tribunal Superior Eleitoral deve responder, esta semana, a uma consulta feita pelo deputado federal Miro Teixeira (PDT).

O parlamentar defende a tese de que a Constituição obriga os Tribunais Regionais Eleitorais a impugnar os mandatos dos eleitos contra quem a o Ministério Público ou a Polícia tenham recolhido provas de corrupção.

As impugnações devem ocorrer depois da diplomação dos eleitos, em dezembro.

Os acusados têm amplo direito de defesa, e podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral.

O TSE deverá decidir cada caso antes da posse dos eleitos, em 1º de fevereiro.

70 por cento se vendem?

Até 70% dos 513 deputados e 81 senadores são corruptíveis.

Quem garante é um especialista em corromper políticos.

O empresário Darci Vedoin, dono da Planam, soltou esta verdade em depoimento dado no dia 13 de julho à Justiça Federal, em Cuiabá, no Mato Grosso.

Ligação perigosíssima

Darci Vedoin também revelou que a Cada Civil do governo Lula só liberava emendas para quem apoiava o governo.

O ministro da área tem uma cota. Mas quem aprova e quem paga chama-se Casa Civil. Só paga quem votar junto com ele. Quando se iniciou o governo do PT, a Casa Civil mandava as listas que têm que ser pagas (sic). Todas as emendas são pagas com as listas que saem da Casa Civil. Todas!

Segundo Vedoin, a liberação dos recursos era usada de forma a forçar os deputados, inclusive alguns da oposição, a votarem conforme o mando do Palácio do Planalto.

Sem provas fica difícil...

Apesar disso, Vedoin descartou uma infiltração do esquema dos sanguessugas no órgão que já foi comandado por José Dirceu de Oliveira e Silva.

Questionado pela senadora Heloísa Helena (PSol-AL) sobre a existência de um contato dos sanguessugas dentro da Casa Civil incumbido de acelerar a liberação de verbas orçamentárias, ele primeiro negou. Mas depois, refugou:

Eu não tenho provas, senadora”.

E por fim, quando perguntado se alguém de dentro do esquema já mencionara o nome dessa pessoa, confirmou: “Sim”.

O problema é que Darci Vedoin não disse de quem se tratava.

Seis vão se salvar?

Organização de documentos da CPI dos Sanguessugas mostra que, a princípio, apenas seis dos 90 acusados não são culpados.

Contra os outros 84 há indícios de participação no esquema que fraudava a compra de ambulâncias.

Informações da Secretaria de Receita Federal revelam que a máfia teve um faturamento de R$ 111 milhões, entre os anos 2000 e 2005.

Como tocava a banda sanguessuga

Durante a inquirição feita pela CPI, em Cuiabá, onde estava preso, o dono da Planam contou vários detalhes de como funcionava o esquema.

Enquanto o filho Luiz Antônio gerenciava todos os pagamentos e cuidava das prefeituras, ele próprio era responsável por fazer o lobby junto aos parlamentares, em Brasília.

Abordava-os durante a elaboração do Orçamento da União e oferecia ambulâncias para as cidades onde fazem política.

De acordo com Darci Vedoin, a Planam preparava o pré-projeto e o projeto apresentados ao Ministério da Saúde, acertava a realização da licitação nas prefeituras e acionava os parlamentares com base na previsão de gastos no Orçamento da União.

450 municípios atingidos

A máfia dos sanguessugas teria atuado em 450 dos 5.560 municípios brasileiros.

A empresa que gerenciou a corrupção tem provas de ter pagado propina a pelo menos 77 prefeitos de municípios que compraram ambulâncias da Planam a preços superfaturados.

Em depoimento à Justiça Federal, o empresário Luiz Antônio Vedoin revelou que pagou R$ 1 milhão a prefeitos.

Percentual da propina

Darci Vedoin revelou que os próprios congressistas se ofereciam para ganhar dinheiro no esquema.

Em 90% dos casos, eles mesmos pediam (a propina)”.

O padrão para como corrupção era 10% do valor da emenda.

Eu abria as portas. Depois o Luiz Antônio ia lá fechar”.

Entrega antecipada

O esquema dos sanguessugas estava de tal forma enfronhado em Brasília, como mostra o depoimento de seu mentor, que num dado momento as ambulâncias passaram a ser entregues antes mesmo do pagamento.

Bastava que o parlamentar apresentasse a nota de empenho dos recursos orçamentários.

A nota de empenho é um documento comprobatório de que o governo fez a promessa de pagamento.

O dinheiro propriamente dito pode demorar meses para sair, depende da programação financeira do Ministério da Fazenda e da programação política da Casa Civil.

Medo antigo dos parlamentares

O empresário Darci Vedoin revelou aos integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito dos Sanguessugas que em dezembro de 2005 "muitos" parlamentares já sabiam que a Polícia Federal estava investigando o esquema.

Mas o escândalo só se tornou público em maio deste ano, ao ser deflagrado pela Polícia Federal, a partir de denúncia do Ministério Público no Mato Grosso.

O empresário contou que vários congressistas o procuraram preocupados com as conseqüências.
Bispo Macedo sem candidatos?

O envolvimento de 14 dos 16 parlamentares da bancada da Igreja Universal do Reino de Deus com a máfia dos sanguessugas está deixando o Bispo Edir Macedo com menos cabelos ainda.

O Conselho dos Bispos já determinou que os envolvidos não poderão concorrer à reeleição, tendo o apoio da máquina de fiéis da Universal.

A maior bronca de Macedo é com sua própria irmã, Edna Macedo, que é candidata a deputada federal por São Paulo.

Bíblia sanguesuga?

Dos 60 deputados da Frente Parlamentar Evangélica no Congresso, 28 estão entre os investigados pela CPI.

Um dos mais enrolados é o ex-coordenador político da Igreja Universal no Congresso, o ex-deputado Carlos Alberto (Bispo) Rodrigues, que foi obrigado a renunciar para evitar a cassação no escândalo do mensalão.

Dos investigados, 14 são da Igreja Universal, 10 são da Assembléia de Deus, 2 são da Evangelho Quadrangular, 1 da Igreja Batista e 1 da Igreja Internacional da Graça.

A operadora do sistema

A servidora pública Amarildes Costa, conhecida como Ada, era a operadora dos parlamentares da Universal no esquema dos sanguesugas, embora fosse membro da Igreja Batista.

Quem garante é o empresário Darci Vedoin, em depoimento á Justiça Federal.

Ada era assessora do Bispo Rodrigues e tinha a senha dos deputados para acessar o sistema on-line do Ministério da Saúde.

Ada era quem decidia onde seriam aplicados os recursos das emendas ao orçamento.

A moça recebia uma comissão de 3% sobre o valor das emendas, enquanto os deputados ficavam com 10%.

O Hospital evangélico

O Hospital Bom Samaritano, de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, recebeu R$ 10 milhões e 700 mil do Orçamento da União desde 1996.

Boa parte dos recursos foi por meio de emendas apresentadas por deputados acusados de envolvimento com a máfia dos sanguessugas, como Isaías Silvestre (PSB), Cabo Júlio (PMDB) e João Magalhães (PMDB).

Até parlamentares de outros estados, como o ex-deputado Ronivon Santiago, que é do Acre, destinaram verbas para o antigo Hospital Evangélico, o que deixa a CPI com a pulga atrás da bíblia.

A emenda de Ronivon teve o generoso valor de R$ 2 milhões.

O quarteto preocupado

O sub-relator de sistematização da CPI dos Sanguessugas, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), pretende ouvir informalmente os quatro deputados cujos nomes surgiram nos levantamentos da Controladoria Geral da União (CGU) como tendo apresentado emendas orçamentárias que beneficiaram empresas ligadas à máfia das ambulâncias.

Serão ouvidos: Aroldo Cedraz (PFL-BA), Márcio Reinaldo Moreira (PP-MG), Arolde de Oliveira (PFL-RJ) e João Almeida (PSDB-BA), todos de partidos adversários do governo.

Sampaio quer entrar em contato diretamente com os quatro e perguntar a cada um quais esclarecimentos desejam fazer sobre as emendas, mas sem notificá-los formalmente.

Problema de FHC ou de Lula?

Um Editorial do Estadão coloca fim na polêmica se a máfia dos sanguesugas começou a operar na Era FHC, como denuncia o PT, ou se foi aprimorada no atual governo, como denunciam Geraldo Alckmin e Heloísa Helena.

A julgar pelos seus trechos publicados na imprensa a partir de quinta-feira, o documento de 150 páginas que contém 9 dias de confissões do capo mafioso Luiz Antonio Vedoin à Justiça Federal não respalda a acusação do candidato tucano de que "a matriz" de mais esse arrombamento do Tesouro é o governo federal. É verdade que o dinheiro para a compra de ambulâncias superfaturadas, a partir de emendas ao Orçamento da União, saía do Ministério da Saúde. Mas não se pode omitir que isso vinha ocorrendo antes que o seu titular fosse o petista Humberto Costa - que Vedoin, segundo o seu advogado, não teria citado - e continuou ocorrendo ao tempo do seu sucessor, o deputado peemedebista Saraiva Felipe, este sim, citado de forma comprometedora e chamado a se explicar pela CPI dos Sanguessugas”.

A conclusão a que o Alerta Total chega é: o problema não são os ocupantes do poder, mas o sistema político e administrativo brasileiro, que opera em favor dos interesses do crime organizado, que é a que é doutrinariamente definido como a sinistra associação objetiva de criminosos formais de toda a espécie com membros dos poderes estatais, para a prática de ações delituosas, utilizando a corrupção sobre as instituições republicanas como o principal meio para atingir seus fins.

Máfia dos combustíveis

Gravações feitas pela Polícia Federal durante investigações sobre a máfia dos combustíveis envolvem quatro dos 16 parlamentares fluminenses supostamente atolados com a Máfia das Sanguessugas.

Os deputados Almir Moura (PFL), Fernando Gonçalves (PTB) e Reinaldo Betão (PL), além de assessores do deputado Dr. Heleno (PSC), foram flagrados negociando liberação de veículos apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e favorecimentos políticos para servidores posteriormente presos na Operação Poeira do Asfalto, em 2004, e condenados pela Justiça Federal do Rio, no ano passado.

Em conversa gravada no dia 24 de fevereiro de 2003, o deputado Almir Moura combina com o então superintendente da PRF no Rio, Francisco Carlos da Silva, o Chico Preto, um encontro na sede do PL — partido ao qual era filiado na época. O parlamentar afirma:

A gente está precisando bater um papo, rapaz. Pra gente pegar uma ‘situação’ que eu tive aí. (...) Eu acho que emplaco alguém aí”,

A deputada estadual Cidinha Campos (PDT), que há anos investiga as ramificações da máfia dos combustíveis no Rio, reclama que não foi aberto procedimento algum na Justiça contra esses deputados.

Eles só pegaram os peixes pequenos. É preciso saber qual era a participação desses parlamentares no esquema”.

Golpe no futuro Congresso

O presidente Lula da Silva, caso consiga se reeleger, como espera, foi aconselhado por estrategistas a repetir a mesma estratégia de Hugo Chávez para evitar problemas com um congresso corrupto em seu segundo mandato.

Uma das idéias é propor um plebiscito para que a população brasileira decida sobre a dissolução do Congresso, convocando eleições em 180 dias.

A intenção dos maquiavélicos é que a proposta vença a consulta popular, e, nas novas eleições, o governo consiga usar sua máquina para dobrar os votos.

Livro contra as fraudes eleitorais

Já está à venda, via Internet, o livro “Fraudes e Defesas no Voto Eletrônico”

Os autores são o engenheiro Amilcar Brunazo Filho e a Advogada Maria Aparecida Cortiz, que são representantes de Partidos Políticos junto ao TSE desde 2000.

O livro recebeu prefácios do jornalista Paulo Henrique Amorim e do jurista Sérgio Sérvulo da Cunha.

É indicado para eleitor que queria compreender melhor as garantias do sistema eleitoral no qual é obrigado a declarar (digitar) o seu voto, e também é indispensável aos Partidos Políticos que queiram desenvolver esquemas de proteção contra fraudes eleitorais.

A obra descreve como fraudes eleitorais podem surgir no sistema informatizado de eleições e quais as possíveis defesas disponíveis.

Pode ser adquirido no endereço: http://www.votoseguro.org/livros

Oposição “desaforada”

O presidente Lula da Silva chamou a oposição de “desaforada, por vender a idéia de que o governo e ele não são éticos”, durante comício, ontem, em Santa Catarina.

Lula considerou muito bom que algumas pessoas sintam ódio do seu governo, pelas coisas boas que realizou.

Ele pediu aos militantes do PT que respondam a todas as acusações.

Nada de chute na canela

O presidente garantiu que está mais paz amor do que nunca e advertiu:

"Se nós temos pessoas que erraram, se nós temos pessoas que podem errar, nós temos que ter instrumentos de apurar e de punir. O governo não vacilou em nenhum momento em punir aqueles que provadamente fizeram alguma coisa. Vamos ter humildade para reconhecer quando erramos, mas vamos ter ousadia para defender a nossa dignidade, para defender a nossa honra e para defender a ética neste País".

No final, deu um recado aos petistas para que “não deixem chutar a canela de vocês”.

Lula prometeu “continuar com o sacrifício de fazer campanha no final de semana e administrar o Brasil durante a semana”.

Frase de fujão

Presidente que foge de debate mostra que prefere ficar escondido atrás de publicidade paga com dinheiro do povo em vez de ir para o ringue lutar em igualdade de condições”.

Não. Não é ninguém sacaneando o presidente Lula. Mas tal sentença bem serviria para ele mesmo.

A frase foi dita em 1998 pelo próprio candidato Luiz Inácio Lula da Silva, que agora não deseja participar dos debates previstos para este ano.

O da Rede Globo já está confirmado para o dia 28 de setembro, com Lula ou sem Lula.

Na época, Lula atacou seu adversário FHC – que não quis saber de debate, e conseguiu se reeleger presidente.

Recado para Lula na parada gay

A candidata do PSOL aproveitou para alfinetar o presidente Lula, em plena Parada do Orgulho Gay, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Usando uma camiseta do PSOL com um arco íris, a Helô chamou Lula no guando:

O Lula deveria se comportar como homem e presidente e não fugir dos debates”.

Fustigando a Heloísa

O ministro das Relações Institucionais, Tasso Genro, arranjou a maior confusão com sua ex-companheira Heloísa Helena, ao comparar o comportamento político da candidata do PSOL com o senador Jorge Bornhausen, do PFL, porque ambos teriam posições contrárias ao Pro-Uni – Programa do governo que financia o ensino universitário para estudantes pobres. Tasso ironizou:

Veja como a esquerda e a direita se encontram na mesma posição política sobre uma questão essencial para o País, que é a inclusão educacional”.

Em campanha na parada gay no Rio de Janeiro, Heloísa Helena detonou Tarso:

Tarso não tem o que fazer no porque o governo é incompetente. Não vou bater boca com moleque de recado do presidente. Ele que vá arranjar um trabalho para fazer e me tirar da cabeça, porque ele está com a idéia fixa com Heloisinha”.

Votos que a Helô não quer I

A senadora Heloísa Helena está até agora constrangida com a declaração de voto dada pelo empresário Darci Vedoin, em depoimento à CPI dos Sanguesugas:

Eu vou votar na senhora, pelo que a senhora está fazendo aqui, agora. Não só eu. A minha família toda”.

Vedoin fez o agrado no momento em que era duramente interrogado pela candidata a presidente pelo PSOL, mas a Helô não deu bola para a declaração de voto e seguiu em frente, imprensando o dono da empresa que corrompeu pelo menos 132 políticos na venda a prefeituras e estados de ambulâncias a preços superfaturadas.

Votos que a Helô não quer II

A candidata do PSOL, que raramente veste um vestido, está na maior saia justa com a declaração de voto, em favor dela, feita pelo ex-governador do Rio de Janeiro, Antony Garotinho, que fracassou em seu sonho de ser candidato a presidente pelo PMDB, e cujo governo da mulher, Rosinha, é alvo de várias denúncias de corrupção.

Heloísa Helena repete a toda hora que não conversou e nem quer conversa com o casal Garotinho.

A Helô garantiu que não vai procurar Garotinho, e negou que tenha recebido qualquer apoio formal dele.

Mas o vice dela quer Garotinho

O pragmático candidato a vice-presidente na chapa do PSOL, César Benjamin, gostou do apoio de Garotinho e de sua filha Clarissa Matheus, que é presidenta da Juventude do PMDB no Rio de Janeiro.

Seria incoerente se nós tivéssemos feito uma negociação política. O Garotinho é um cidadão. Ele apóia quem ele quiser e todo apoio é bem-vindo. Se ele diz, inclusive, que apóia, pressionado por suas bases populares, eu fico orgulhoso de receber o apoio que vem das bases populares”.

Benjamin garante que não houve qualquer negociação do PSOL com Garotinho.

O retorno de Palocci (mais esbelto)

Quinze quilogramas mais magro, o ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci Filho, retorna à cena política nesta semana com sorriso de candidato, disposto a conquistar mandato de deputado federal e foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal (STF) para responder às denúncias que pesam contra ele.

Acusado pela Polícia Federal de ordenar a violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa, o Nildo, Palocci inicia a campanha com a "Carta ao Povo de São Paulo".

Com dez receitas para o País "crescer mais e reduzir a desigualdade", que serão distribuídas por ele em palestras, o texto prega uma trégua no tiroteio político para continuar as reformas estruturais.

Palocci defende o ajuste fiscal de longo prazo e a autonomia operacional do Banco Central.

Livro no forno

Desde que foi demitido, em 27 de março, Palocci dedica cinco horas por dia para escrever um livro sobre sua experiência na Fazenda e a "parte humana de ser governo".

"Não se preocupem: é um livro do bem. Não quero expor pessoas nem fazer críticas".

Foi a forma que ele, médico, encontrou para enfrentar a depressão aos 45 anos.

No laptop sobre a mesa de seu escritório há material suficiente para cem páginas.

Palocci garante que não lançará nenhuma linha antes da eleição, pois não quer abrir brecha para que seu livro seja usado na disputa.

Fechando a boca

Para emagrecer, Palocci fez a famosa dieta de Atkins, rica em gordura e proteína e pobre em carboidrato, que iniciou ainda no carnaval, antes de ser derrubado do Ministério.

Atualmente, faz um regime hipocalórico, que, na sua definição, consiste em "fechar a boca".

"Já ganhei do Lula por um quilo".

Palocci faz referência aos 14 quilos perdidos pelo presidente.

Mais bandidos para o Rio, não!

O governo do Rio de Janeiro recusou-se a atender a um pedido da União para receber 300 presos ligados à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), que seriam transferidos dos presídios paulistas para os fluminenses enquanto prisões de São Paulo, destruídas nas recentes rebeliões, seriam reformadas.

O secretário de Administração Penitenciária do Rio, Astério Pereira dos Santos, ainda não respondeu oficialmente à solicitação, assinada pelo diretor do Departamento Penitenciário Nacional, Maurício Kuehne, mas divulgou nota em que anunciou a negativa e explicou seus motivos.

"Recebemos nesses três anos e sete meses, vindos da União, para emprego na área penitenciária, R$ 165 mil para a instalação do cinturão de segurança (cerca cortante) em Bangu. Historicamente foi o período em que menos verbas foram repassadas para o nosso estado, embora sejamos o segundo no ranking dos arrecadadores de recursos para a União".

Retrato do caos

O Estado do Rio tem cerca de 500 presos que foram julgados e condenados pela Justiça Federal e se encontram custodiados no sistema penitenciário estadual, já que a Superintendência da Polícia Federal no Rio desativou sua carceragem há três anos.

Os detentos ocupam vagas no presídio Ary Franco, em Água Santa, na zona norte da capital.

As delegacias do Rio têm 4.500 presos, que dependem da abertura de vagas para ingressarem no sistema prisional.

Lembo não vê a cor do dinheiro

O governador de São Paulo voltou a reclamar no domingo que não recebeu qualquer ajuda do governo federal para a segurança pública.

Cláudio Lembo se solidarizou com seu Secretário de Segurança, Saulo de Abreu Filho, que denunciou ao jornal Estado de São Paulo que o governo Lula negou o uso de tropas do Exército, o envio de 200 homens da Força Nacional de Segurança, além do repasse de R$ 740 milhões para projetos como a interligação de um banco de dados sobre criminosos.

Abreu denunciou que o ministro da Justiça (que não existe), Márcio Thomaz Bastos, recebeu o papel com as reivindicações e ficou quieto.

Gasto com Beira-mar

Primeiro e por enquanto único detento da Penitenciária Federal de Catanduvas, Interior do Paraná, o megatraficante carioca Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, é o preso mais caro do Brasil.

Ainda não existe uma previsão de quanto a unidade vai custar aos cofres públicos, mas uma estimativa, feita com base nas despesas com salários de agentes penitenciários, indica que a diária do bandidão na cadeia sai por R$ 38 mil e 300 reais.

Não estão incluídos outros gastos, como os referentes à manutenção do presídio e à alimentação de Beira-Mar.

Quando o quadro dos 250 presos estiver completo, vai absorver R$ 1 milhão e 750 mil por mês ou R$ 58 mil e 300 reais por dia.

Fleury perdeu

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo negou pedido de direito de resposta do deputado federal Luiz Antonio Fleury Filho, candidato à reeleição pelo PTB, na revista Veja.

No dia 12 de julho, a revista publicou a reportagem Museu Vivo do Código Penal, que trazia a foto de candidatos à eleição de 2006 que sofrem processo por improbidade administrativa.

O deputado pediu o direito de resposta para restabelecer sua honra, que teria sido abalada pelo teor da notícia.

Fleury alegou que seu nome jamais poderia ter sido incluído na reportagem. Segundo ele, o ato de improbidade administrativa atribuído a ele é de natureza civil, não tipificado no Código Penal e nem em legislação extravagante.

Maluf e Pitta perdem mais uma

O ex-prefeitos Paulo Maluf e Celso Pitta foram condenados a pagar indenização, por danos morais, no valor de R$ 30 mil para Mário Covas Neto, o Zuzinha, filho do ex-governador Mário Covas.

Quem bateu o martelo foi a 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo acolheu recurso de Covas Neto contra sentença do juiz Francisco Antonio Bianco Neto, da 1ª Vara Cível Central da Capital.

Na Folha de São Paulo de 12 e 17 de março de 2000, referindo-se à briga entre Pitta e sua ex-mulher Nilcéia, Maluf bateu no filho de Covas, cujo pai defendeu os ataques de Nilcéia:

“A única pessoa que defendeu foi o Covas (Mário), que quer encobrir os escândalos do filho, Mário Covas Neto, de codinome Zuzinha. O Zuzinha está envolvido em irregularidades na Tejofran, empresa do padrinho de casamento dele, e na companhia de habitação do Estado”.

Falar demais custou caro também a Pitta, que repetiu as palavras de Maluf.

Para os amantes de Fidel, Chávez e Bin Laden

Os brasileiros poderão assistir aos discursos intermináveis de Fidel Castro e a novelas de Cuba, assinando a Cubavision Internacional, uma emissora via satélite gerada em Havana.

Ela terá pela terá pela primeira vez um estande na feira da ABTA (Associação Brasileira de TV por Assinatura), que acontece de amanhã até quinta-feira, em São Paulo.

A programação da Cubavision Internacional é formada, além de novelas, por telejornais, filmes, documentários e muitas imagens das paisagens turísticas da ilha.

Também estará na feira da ABTA a Telesur, do presidente venezuelano Hugo Chávez, que também tenta acordo com operadoras brasileiras para entrar nos pacotes dos assinantes.

O estande da TV de Chávez, curiosamente, é vizinho do da Cubavision.

Outra novidade na feira é a presença da Al Jazira, do Qatar, considerada a "CNN árabe", famosa mundialmente desde a Guerra do Afeganistão, que já negocia a distribuição com as operadoras de televisão por assinatura brasileiras.

A feira da ABTA acontece das 12h às 20h, no ITM Expo (rua Dr. Roberto Zuccolo, 555, Vila Leopoldina, SP).

Problemas para a Record

O Ministério Público Federal ajuizou Ação Civil Pública contra a Rede Record de Televisão, por veicular a imagem de uma criança de sete anos portadora de leucemia.

Caso a denúncia seja aceita, a Rede Record terá de pagar indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 4 milhões e 250 mil reais, o que equivale a 0,5% do seu faturamento bruto de 2006.

Segundo o MP, em 2005, a emissora explorou a imagem do garoto, que chorava compulsivamente enquanto seu cabelo era raspado.

A reportagem traçava paralelo com a personagem Camila, representada por Carolina Dieckmann, na novela Laços de Família, exibida pela TV Globo.

As imagens foram ao ar por 30 minutos com a mesma trilha sonora da novela.

Em alguns momentos, com a sobreposição da imagem da personagem pela do menino.

Abuso dos apresentadores?

O Ministério Público também considerou um abuso a discussão entre os apresentadores, a mãe e o repórter a respeito dos procedimentos médicos e da cirurgia na frente do menino.

De acordo com o artigo 221 da Constituição Federal, as emissoras são obrigadas a respeitar os valores éticos e sociais da pessoa e da família, dentre os quais se encontram, indubitavelmente, a dignidade humana e os direitos da criança e do adolescente.

O MP alega que a emissora recusou diversas propostas de se ajustar as exigência legais, como a veiculação durante uma semana de programas independentes, produzidos por ONGs, como forma de atenuar os prejuízos causados à coletividade.

Olho no fundo 157

Quem pagou IR (imposto de renda) entre 1967 e 1983, teve a opção de investir parte do valor a recolher no chamado Fundo 157 de várias instituições financeiras.

Há um saldo não reclamado de R$ 500 milhões, segundo a Comissão de Valores Mobiliários.

Se for seu caso, acesse http://www.cvm.gov.br/, clique no "acesso rápido ao Fundo 157" e veja, usando o CPF, em que instituição bancária está o seu dinheiro.

Se não for seu caso, avise seus pais, avós, tios, amigos mais velhos, etc.

Socorro aos velhinhos

Os 62 velhinhos abandonados pela família, que moram na Associação Aliança dos Cegos, estão passando por uma situação terrível.

Está ameaçada de despejo, com o prédio penhorado pela Caixa Econômica Federal, e está com dificuldades para alimentar os idosos.

A entidade fica na Rua 24 de maio, 47 - São Francisco Xavier, na cidade do Rio de Janeiro - Tel.: 2502-4632 / 2273-3052,

Quem puder ajudar não é para doar dinheiro, e sim alimentos.

Precisam de: FEIJÃO, ARROZ, MACARRÃO, FUBÁ, ÓLEO, SAL, AÇÚCAR, LEITE EM PÓ(p/ tomarem os remédios), AVEIA, ACHOCOLATADOS, BISCOITO, FRUTAS, LEGUMES, VERDURAS, MATERIAL DE HIGIENE E LIMPEZA (sabonetes/pasta de dente / escova de dente/ Prestobarba / desinfetante /cloro / papel higiênico / sabão em pó), COBERTORES, ROUPA DE CAMA, TOALHA DE BANHO, ROUPAS P/ FRIO (casacos / meias / calça comprida)

A Associação está aberta para visitação e entrega de doações, das 8 às 17 horas.

500 mil na parada

Mesmo embaixo de Chuva e frio, 500 mil pessoas acompanharam a XI Parada do Orgulho GLBT (de gays, lésbicas, bissexuais e travestis), ontem, na orla de Copacabana.

A festa foi transferida para o dia 31 de julho, por causa da Copa do Mundo.

Tradicionalmente, acontece no dia 28 de junho.

Vingança dos vascaínos

A cervejaria Schincariol anda bronqueada com dois donos de supermercados do Rio de Janeiro, que resolveram boicotar a venda de seus produtos, depois que a empresa assinou o contrato de publicidade com o Flamengo – bicampeão da Copa do Brasil, nas costas dos cruzmaltinos.

A participação da Schin no mercado do Rio de Janeiro caiu de 4,5 para 4,1 por cento, em função do boicote.

A cervejaria de Itu espera que o recente título do Mengão melhore suas vendas no RJ.

Não tem jeito...

Não dá nem para comemorar o bi-campeonato da Copa do Brasil.

O Flamengo abusou do direito de perder gols e acabou derrotado por 1 a 0 pelo Atlético-PR, ontem, na Arena da Baixada, pelo Campeonato Brasileiro.

Com a derrota, o Flamengo permanece com 14 pontos e cai para a zona do rebaixamento.

Piada que vale para os inimigos

Um soldado norte-americano no Iraque recebeu uma carta da sua namorada, que dizia:

"Querido John. Não podemos continuar com esta relação. A distância que nos separa é muito grande. Tenho que admitir que fui infiel já por duas vezes desde que você foi embora, e acredito que nem você nem eu merecemos isto! Portanto, penso que é melhor acabarmos com tudo! Por favor, mande de volta a foto minha que te enviei. Com amor, Mary".

O soldado John, muito magoado, pediu a todos os seus colegas que lhe emprestassem fotos das suas namoradas, irmãs, amigas, tias, primas, etc...

Juntamente com a foto de Mary, colocou todas as outras fotos, que conseguiu recolher com seus colegas, em um envelope. No envelope que enviou à Mary, estavam 57 fotos e uma nota que dizia:

"Querida Mary. Peço desculpas, mas não consigo me lembrar quem é você. Por favor, procure a sua foto no envelope e me envie de volta as restantes. Com carinho e muito amor, John".

MORAL DA HISTÓRIA: "Mesmo derrotado, é preciso saber arrasar o inimigo".

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:

jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:

http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Very cool design! Useful information. Go on! »